11 de fevereiro de 2018

Resenha: A Pedra Pagã


Partilhando visões de morte e fogo, os irmãos de sangue Cal, Fox e Gage, e as mulheres ligadas a eles pelo destino, Quinn, Layla e Cybil, não podem ignorar o fato de que o demônio está mais forte do que nunca e que a batalha final pela cidade de Hawkins Hollow está a poucos meses de acontecer.
A boa notícia é que eles conseguiram a arma necessária para deter o inimigo ao unir os três pedaços de jaspe-sanguíneo. A má notícia é que ainda não sabem como usá-la e o tempo está se esgotando.
Compartilhando o dom de ver o futuro, Cybil e Gage podem descobrir a resposta para esse enigma se trabalharem juntos. Só que, além de não terem nada em comum, os dois se recusam a ceder aos próprios sentimentos. Um jogador profissional como Gage sabe que se entregar a uma mulher como Cybil – com a inteligência, a força e a beleza devastadora dela – pode ser uma aposta muito alta. E qualquer erro de estratégia pode significar a diferença entre o apocalipse e o fim do pesadelo para Hawkins Hollow.
Em A Pedra Pagã, Nora Roberts encerra a emocionante trilogia A Sina do Sete, uma história sobre família, amor e amizade que consegue arrancar arrepios e suspiros de seus leitores.

Título Original: The Pagan Stone
Autora: Nora Roberts
Páginas: 272
Tradução: Maria Clara de Biase
Editora: Arqueiro
Livro recebido em parceria com a editora

Em A Pedra Pagã, último volume da trilogia A Sina dos Sete, nossos personagens precisam matar Hollow, que ficou mais forte do que todas as outras vezes e ameaça não só os três amigos, mas as suas respectivas mulheres. Toda a cidade também corre perigo, e é nela onde estão todos os familiares e amigos dos protagonistas. Mas como a autora é Nora Roberts, não poderia faltar o romance mesmo que ele fique em segundo plano: casal deste livro será Cybill e Cage.

O romance não se tornou o ponto alto desta trilogia, pois a autora preferiu focar no enredo primário, da cidade e do mal que a ataca. Contudo, ela soube colocá-lo em momentos adequados, porque todos nós somos humanos e querendo ou não, uma hora ou outra precisamos de um abraço, um carinho ou até mesmo um beijo. Não acho que é comum um personagem ficar uma história inteira sem se relacionar com ninguém.

No livro anterior, nossos personagens conseguiram uma arma para parar o inimigo, mas ainda não descobriram uma forma de usá-la, então não foi de grande ajuda. Assim, todos continuam procurando formas de descobrir como conter a ameaça. O monstro está mais forte e não perde tempo em mostrar isso para todos.

Em um determinado momento, Hollow pega todos sozinhos e desprevenidos, então ataca. Os homens conseguem se livrar mais facilmente, pois estão acostumados com tudo o que ele planeja, mas  infelizmente as mulheres precisam de ajuda. Cybill, uma personagem feminina, também consegue se virar, mas o monstro ataca de uma forma que fiquei tão abalada que não consegui segurar as lágrimas com o acontecimento, e Nora não deixa escapar detalhes, o que me deixou angustiada. Entendo o motivo da autora de escrever tudo, pois é como se quisesse que a gente entendesse algo muito maior por trás do acontecimento.

Como de praxe da autora, todos os outros personagens são envolvidos nesta premissa, já que toda a trilogia gira em torno dos três amigos. Todos são bem próximos, mas  acontece uma briga muito séria neste último volume, pois Cage e Cybill tiveram um sonho-pesadelo onde ele era o "escolhido" para matar o monstro. É claro que isso traria consequências não muito legais, mas Nora trouxe uma grande reviravolta que conseguiu me deixar boquiaberta.

Algo que me incomoda nos livros da Nora Roberts é que ela raramente consegue fazer um desfecho fechadinho. Tipo, temos três livros de casais diferentes, mas ela pouco mostra como todos eles ficaram após os acontecimentos no último livro. Existe um epílogo, mas tão curto que não conseguiu me satisfazer de forma alguma, para mim não faria diferença alguma se ela não o tivesse escrito. Vocês me entendem não é? Me digam que eu não sou a única louca, por favor!

Fora esse pequeno defeito, trilogia A Sina dos Sete é mais uma série perfeita, impactante, cheia de mistérios e romances da Nora Roberts, que mais um vez mostra que pode escrever qualquer gênero literário quase sempre deixar a desejar. Quer dizer, em alguns pontos nós não podemos cobrar a perfeição de um ser humano, certo?

16 comentários:

  1. Oi Lari,
    É maravilhoso quando um autor consegue encerrar bem uma série e Nora Roberts (mesmo não conhecendo sua escrita) sabe como fazer isso. Adoro um romance, mas quando uma história tem outros pontos importantes a serem abordados é importante saber o que deve ser priorizado no enredo e a autora, aparentemente, soube dosar isso muito bem. A Pedra Pagã, talvez por ser o desfecho, é onde tudo irá se intensificar antes de se resolver, pois as amizades serão testadas, assim como, a força dos personagem perante cada desafio. Os papéis de Cage e Cybill no livro ficam bem definidos com o sonho que tiveram o que já gera uma grande expectativa no leitor. Assim como você, não gosto de não saber o que acontece com os personagens após o final e apoio a ideia de que todo o autor deve escrever um epilogo digno e satisfatório para a história.

    ResponderExcluir
  2. Oi Lari! Nunca li nada da Nora Roberts, apesar de todo renome que a autora tem. Mas não sou muito dada a romances então não tenho muito interessa pelas obras dela. Ainda que essa trilogia tenha um foco mais fantasioso, terror e tal, esses elementos românticos me passam a impressão de certo exagero. Uma pena também que a autora não tenha fechado direitinho as histórias que ela apresenta no livro, acho isso lamentável.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Eu não conheço muito bem essa série, e confesso que não tenho vontade de ler.
    Gosto da parte do romance, mas outros elementos que ela inclui na história não são muito do meu gênero.
    Acho importante fechar a história direitinho, mas é importante incluir os outros personagens e incluir detalhes também.

    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Parece ter uma conclusão legal e com muitas emoções. Achei até interessante não ter tanto foco em romance sabe...vejo muito da autora sendo falado com coisa de romance e ter uma coisinha mais diferente pode ser bacana também. Talvez não fique 100% legal por a gente querer mais um pouquinho de relacionamento ali, mas levando em conta a trama acho que dá até pra entender...sei lá. Aí só lendo.
    Não ter um final fechadinho é que me deixa meio decepcionada. Tem livro que gosto de imaginar, gosto das perguntas que deixam, mas outros a gente quer saber mais e quando não tem aquelas respostas acaba ficando um sentimento incompleto né? Vontade de que tivesse só um trechinho a mais pra explicar. Mas no geral acho que iria gostar dessas histórias. Parece bom.

    ResponderExcluir
  5. Oi Lari!
    Tenho cada vez mais vontade de ler essa trilogia. O último livro me parece ser bem cheio de ação e cenas para deixar o leitor apreensivo, só não gostei da autora colocar tanto o homem como o mais forte no caso do ataque, um pouquinho de machismo, mas sei que na história eles estão já estavam mais preparados para o que ia acontecer.. De fato, a Nora adora deixar pontinhas nos fins de seus livros em aberto, mas acredito que seja para trabalhar a imaginação do leitor.
    Desejo mto os livros, a história de fantasia criada pela autora está incrível.
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Muito ansiosa para ler essa trilogia, também acho que toda historia tem que ter um romance não precisa ser o foco mas desde que tenha, senão acho que ficou faltando algo e também gosto de finais bem fechadinhos com tudo bem explicadinho rs. Nossa deve dar uma agonia esses ataques do monstro, ainda mais bem detalhados.

    ResponderExcluir
  7. Lari!
    Não sei o que acha de estranho na escrita da Nora, sei é que gosto.
    A Nora Roberts tem uma criatividade estupenda, sempre trazendo um tema principal, aqui no caso a tal maldição, ao tempo que faz o romance ir se desenrolando. E ainda melhor a amizade entre os seis amigos, que fantástico!
    Preciso ler com urgência!
    Um carnaval de alegria e moderação e desejo uma nova semana!
    “Ninguém é assim tão velho que não acredite que poderá viver por mais um ano.” (Cícero)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA FEVEREIRO: 3 livros + vários kits, 5 ganhadores, participem!
    BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    ResponderExcluir
  8. Eu ainda fico impressionada com a versatilidade de Nora em passear por gêneros tão distintos e mesmo assim, continuar sendo maravilhosa em todos!
    Ainda não pude ler essa trilogia da autora, mas tudo que li até agora foi muito positivo e vale salientar, as capas ficaram maravilhosas!
    Já estão na listinha de desejados e pretendo me jogar na estória em breve.
    Beijo

    ResponderExcluir
  9. Oi Lari!
    Obras da Nora já estão add aos desejados, não vejo a hora de ler e conhecer sua escritas e os enredos que parecem excelentes...
    Bjs!

    ResponderExcluir
  10. Oi mana, em meio a tantos lançamentos eu tinha esquecido que estava afim de ler essa trilogia, eu estou tentando com todo afinco terminar trono de vidro. Eu fico feliz em ver que a escritora soube trabalhar bem com a questão do romance, embora eu goste muito tem situações que pede que a dose seja pequena. Obrigada pela resenha.

    ResponderExcluir
  11. Tenho muita curiosidade em ler essa série, afinal é da Nora. Gosto muito de romance, ainda mais se tiver fantasia.
    Que pena que a autora não tenha fechado direitinho o desfecho, isso me incomoda um pouco nos livros também.
    Bjs

    ResponderExcluir
  12. Oi Lari.
    Que premissa mais interessante, eu ainda não li nada da autora, porém confesso que tenho uma certa curiosidade em conhecer a sua escrita, e eu entendo o que você quer dizer em relação ao epílogo, eu adorei quando isso acontece comigo e sinto que não entendo ou não sei o que aconteceu com os personagens. Eu adoro essas capas e pretendo colocar essa trilogia na minha lista com certeza.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  13. Oi, Lari.

    A autora nos apresenta uma trama no qual os personagens que enfrentam uma verdadeira luta contra o tempo, levando em conta que o foco do monstro são as mulheres, mas que também pode afetar à todos, e alguma coisa tem que ser feita para detê-lo, não é mesmo?


    ResponderExcluir
  14. Adoro os livros da Nora mas não sou muito fã de sobrenaturais, esse estilo me deixa meio cabreira.
    Não vou dizer que não fiquei curiosa de quem é esse Hollow e como vão mata-lo mas não seria a minha primeira escolha de livro.
    E como você sempre fico com raiva desses epílogos que não descrevem nada, nos deixa com mais dúvidas e curiosidades do que já estávamos.

    ResponderExcluir
  15. Eu adoro romance da série e isso foi o que mais me atraiu eu acabei lendo essa trilogia depois de muito procrastinar a respeito dela até então eu só tinha lido os romances de época dessa autora e Foi uma mudança drástica de gênero que eu sofri mas mesmo assim eu adorei essa leitura e ela conseguiu me prender do início ao fim

    ResponderExcluir
  16. Oi, Lari!
    Gosto muito dos livros da Nora Roberts, ano passado li a trilogia A pousada da autora e gostei muito, e agora quero muito ler a trilogia A Sina do Sete, e também acho que seria bem bacana ela falar como fica os personagens após o termino de cada livro. Mas mesmo assim curto bastante os seus livros.
    Bjoss

    ResponderExcluir

 
Layout feito por Vinícios Costa editado por Silviane Casemiro | Todos os direitos reservados ©