23 de julho de 2018

Resenha: Nada a Perder

Derek Ouelette costumava ser alguém. Promessa do hóquei, ele agora nada mais é do que a sombra do ídolo que um dia poderia ter sido. Um bêbado, sacana, violento, leva uma vida esquecida por todos em uma vila esquecida por todos. Um dia, no entanto, algo invade sua história e o coloca diante de uma escolha impossível. Uma escolha que só pode ser feita por um homem que não tem nada a perder.

Título Original: Roughneck
Autor: Jeff Lemire
Páginas: 272
Tradução: Jim Anotsu
Editora: Nemo
Livro recebido em parceria com a editora

Nessa história em quadrinhos de Jeff Lemire, acompanhamos um pouco da vida do ex-jogador de Hóquei Derek Ouelette, que acabou com a sua carreira super promissora por causa de uma briga em campo. Agora, o protagonista vive isolado em uma pequena vila chamada Pimitamon, onde "resolve" todos os seus problemas bebendo e batendo nas pessoas. Porém, as coisas começam a mudar quando Beth, sua irmã mais nova, ressurge das cinzas precisando de ajuda. 


Pimitamon é bastante gelada e triste — assim como Derek —, e essa tristeza é retratada no quadrinho de uma forma bastante interessante: quase todas as ilustrações são em tons de azul. Essa cor não representa apenas a personalidade do protagonista, mas de Beth também. Apesar de nova, já sofreu muito na vida. Viveu na rua, é usuária de drogas e até está tentando sair de um relacionamento violento e abusivo. É justamente esse namoro que altera todo curso de Nada a Perder, já que o antigo parceiro de Bethy representa um risco para ela.


Jeff Lemire fala de assuntos muito importantes nesse livro, como abuso, drogas, miséria e todo tipo de sentimento ruim que nós, seres humanos, sentimos. O azul também representa essa inveja, raiva, vontade de de se vingar que está dentro dos personagens. Aqui, a cor só aparece nas raras vezes em que o autor mostra cenas do passado de Derek e Bethy. Eles tinham um pai muito violento, que batia na esposa, então já podem imaginar que nenhum dos dois teve uma vida fácil.



Apesar de a história se passar em um curto período de tempo, nada é simplesmente jogado para os leitores. Os fatos são apresentados por Lemire com bastante cautela e é justamente isso que nos deixa angustiados. A medida que o autor expõe os fatos, fazendo a gente ligar uma coisa com a outra, a angústia e ansiedade para saber o que vai acontecer aumenta também. E não foi fácil lidar com todas as coisas que senti lendo Nada a Perder. A gente espera que dê tudo certo no "final", mas tudo indica que não é isso o que vai acontecer.


Outro aspecto bem interessante sobre Nada a Perder é que a violência e o medo são representados pela cor vermelha. Toda vez que Derek briga com alguém ou sempre que algum perigo está próximo, o vermelho passa por cima do azul. Essa característica é muito marcante na história de Bethy e Derek e avisa para o leitor que alguma coisa está prestes a acontecer. 

Apesar de forte, essa também é uma história de superação, perdão e, acima de tudo, amor. Porque só um homem que ama muito a irmã é capaz de fazer tudo o que Derek fez por Bethy. Com um final surpreendente e maravilhoso, Nada a Perder só me deu a certeza de que eu devo continuar lendo histórias em quadrinhos. 


18 comentários:

  1. Oi, Ana,

    Já tinha ouvido falar nessa HQ, mas não sabia que a mesma contém toda essa carga densa. Além, é claro, das cores terem uma significância. O que torna a leitura mais dinâmica.

    Por, objetivamente haver todos esses dilemas dos personagens e por ambos estarem submetidos a isso, é uma HQ que eu gostaria de realizar a leitura. Acredito que eu iria gostar bastante.

    ResponderExcluir
  2. Ultimamente venho me surpreendendo cada vez mais com o catálogo amplo da Nemo, adoro essas novas graphic novels que a editora vem trazendo ao mercado, são sempre temas diferentes, que tratam algo bem atual, como o abuso neste caso, gostei de Nada a perder, achei interessante.

    ResponderExcluir
  3. Como tenho namorado este quadrinho!! Mesmo não sendo um gênero que eu leia muito,este tem todo um diferencial enorme.
    Aliás, vários diferenciais.
    O fato de trazer ilustrações tão densas e sombrias é fantástico!! Parece que em cada imagem, fica possível pegar os personagens. Sentir o que sentem. Viver o que vivem.
    E que jogada genial o lance do vermelho!!!
    Está na lista de desejados e espero ler o quanto antes!!!
    Beijo

    ResponderExcluir
  4. Oi mana, eu acho essa HQ interessante, não posso dizer que estou louca pra poder ler essa história mas se eu tivesse essa HQ também não ia dispensar a leitura, gostaria de saber como ele ficou após esses acontecimentos e com a volta da irmã, na verdade o meu estilo mesmo é mangas japoneses, esses eu leio desde de criança por influência do meu irmão. E interessante que os desenhos que vejo pela foto e como você disse as cenas em que aparecem em vermelho realmente tem um destaque maior em maio a tanto azul. Obrigada pela post.

    ResponderExcluir
  5. Ana!
    Nossa! É uma HQ bem diferente das que vejo por aí.
    E como falou, tudo é muito frio na narrativa dos fatos e na minha opinão, inclusive os traços. Brancos e azuis dão realmente a impressão de gelo ou algo gélido. E a tarja vermelha quando vai haver briga ou algo do gênero. Fantástico.
    Desejo uma semana plena de luz e paz!
    “O homem está sempre disposto a negar tudo aquilo que não compreende.” (Blaise Pascal)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA JULHO - 5 GANHADORES - BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    ResponderExcluir
  6. Uma história bem interessante para uma HQ
    Achei as ilustrações muito lindas

    ResponderExcluir
  7. Achei legal isso da história mesmo sendo pesada, ter muita violência e coisa ruim no meio ela ainda consegue ter amor e uma cumplicidade que faz o personagem cometer coisas, ações que surpreendem e emocionam. Pela trama dá pra ver que ele não é fácil e por tudo que já vi o final dele não é dos melhores, mas parece e deixar a gente abobado. Fiquei curiosa por esses caminhos que a trama leva, o que acontece afinal. O desfecho dele me deixou mais curiosa que tudo! E gostei desse estilo das gravuras também, acho legal quando conseguem passar um sentimento e um clima por cores, é uma coisa bacana de se ver e fica interessante brincar com a imagem desse jeito. Parece uma boa história.

    ResponderExcluir
  8. Olá Ana!
    Estou mto interessada nesse livro, as ilustrações estão lindas o que me chamou bastante atenção, já está na minha listinha.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  9. É incrível como conseguem transmitir tanto sentimento e temas relevantes em HQ.
    E essa hq está sendo bastante elogiada; não sabia que o azul predominava.
    Fiquei interessada!

    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Oi Ana,
    Normalmente eu não compro Hq's porque quase não leio, mas essa sem dúvidas é uma bela edição, combina bem com a história. Vi que o artista colocou a cor vermelha para representar a violência, achei bem legal. Pelo visto mostra bem o lado "podre" do ser humano, espero que também apresente um pouco de redenção de erros, principalmente no personagem principal.
    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Fiquei interessada nessa HQ. Acho muito interessante como as cores tem esse poder de dar uma vida a história ligando com as emoções dos personagens, o clima em que vivem, tanto no externo quanto no interno. A história é realmente forte, mas acredito que por trazer esses temas faça a gente refletir sobre muitas coisas. E como você disse, mostra essa superação, que deve ser um processo bonito (ainda que triste) de ver.

    ResponderExcluir
  12. Sou uma leitora que adora histórias cruas e violentas, porém aquele meu problema de sempre é de não gostar de ler HQs. Não sei se é por falta de costume mas eu acabo não conseguindo me focar na leitura.
    Mas achei a premissa super interessante e adorei isso do tom azul e quando é violento fica em vermelho. Ficou impecável o trabalho do autor.

    beijinhos
    She is a Bookaholic

    ResponderExcluir
  13. Não conhecia essa HQ deve ser uma historia comovente e pesada também, os temas que abordam mexe com a gente, pois estão ao nosso redor na vida real. Gostei de saber que ainda existe amor e superação, pois as pessoas mais próximas é as que sofrem em uma situação assim.

    ResponderExcluir
  14. Oi Ana,
    não conhecia ainda essa HQ, mas agora já quero!
    Adorei a premissa e a sua resenha.
    Parece ser uma história triste, com altos e baixos, mas também uma mensagem bonita de superação, amor, perdão e recomeços.
    E bem profunda!
    Já quero!
    bjs

    ResponderExcluir
  15. Oi Ana,
    Venho acompanhando resenhas de quadrinhos há algum tempo na esperança de adentrar no meio e essa foi a história do gênero que mais me chamou atenção até agora. Nada a Perder trás uma trama sensível e pesada ao mesmo tempo. A vida de Derek nunca foi fácil e isso fica bem claro no enredo. Quando tudo parece estar no rumo certo, basta um erro para que tudo desmorone. Assim o protagonista deixa de ser visto como alguém com um grande futuro pela frente, deixa de ser o ídolo e passa a ser aquele que errou e colocou tudo a perder. Sua vida no presente é o reflexo da negligência durante a infância e o abandono daqueles que o admiravam. Essa, talvez, seja a primeira HQ que lerei e estou bem intrigada em como será essa experiência.

    ResponderExcluir
  16. Oi, Ana!!
    Gostei bastante da indicação desse quadrinho, achei bem interessante a relação de cores que ele coloca na história e sem dúvida Nada a perder chama atenção com tantos problemas enfrentados pelo protagonista.
    Bjos

    ResponderExcluir
  17. Olá, Ana
    Já conhecia essa HQ mas ainda não li não costumo ler HQs.
    Tenho muita curiosidade para ler a HQ porque os irmãos já cresceram em um lar violento e suas vidas tomaram rumos que eles não queriam. Mesmo com a distância Derek ama sua irmã e faz de tudo para proteger.
    Tenho certeza que como você vou chorar quando ler...
    Beijos

    ResponderExcluir
  18. A sinopse e os traços da animação me agradaram demais. Parece ser um história bem envolvente a qual Derek e sua irmã se veem em situações difíceis a cada episodio de suas vidas superarem algo o qual lutam para superar.É um livro que deve valer muito a pena ler.

    ResponderExcluir

 
Layout feito por Vinícios Costa editado por Silviane Casemiro | Todos os direitos reservados ©