31 de agosto de 2018

Resenha: Ousadas

Margaret, atriz “aterrorizante”, especializada nos papéis mais perversos de Hollywood; Agnodice, ginecologista da Grécia Antiga que teve de se disfarçar de homem para exercer a profissão; Lozen, mulher Apache, guerreira e xamã…
Pénélope Bagieu traça, com humor e sagacidade, quinze retratos de mulheres excepcionais que enfrentaram a pressão social de seu tempo e se tornaram donas de seus próprios destinos.
“Uma graphic novel para quebrar preconceitos.”
Elle

Título Original: Culottées
Autora: Pénélope Bagieu
Páginas: 144
Tradução: Fernando Scheibe
Editora: Nemo
Livro recebido em parceria com a editora

Desde que me descobri feminista, o meu interesse por livros que falam sobre o assunto aumentou bastante. Convenhamos que é impossível falar sobre a nossa luta sem mencionar várias mulheres maravilhosas e todas as coisas incríveis que elas fizeram com o passar do tempo, e é justamente isso que Pénélope Bagieu mostra em Ousadas — Mulheres Que Só Fazem o Que Querem.

Foi muito duro para mim perceber que nós crescemos lendo histórias — reais ou não — sobre homens que fizeram descobertas sensacionais e salvaram o mundo com sua força e coragem, enquanto as mulheres ficavam sempre em segundo plano. Mais difícil ainda foi descobrir que eu não conhecia nenhuma das personalidades citadas por Bagieu. Em Extraordinárias, por exemplo, aconteceu praticamente a mesma coisa, eram poucas as que eu conhecia de verdade. 

Infelizmente, não saber da existência de tantas mulheres importantes só mostra o quanto os feitos delas — e de muitas outras que ainda são desconhecidas — foram apagados da história da humanidade. Ainda bem que Pénélope Bagieu e diversas outras escritoras talentosas estão mudando esse cenário com suas publicações assombrosamente informativas. 

Em Ousadas — Mulheres Que Só Fazem o Que Querem, conhecemos histórias reais de quinze mulheres que fizeram a diferença de alguma forma, seja tomando posse de um reino, lutando contra um regime opressor ou até mesmo batalhando por um amor. O mais importante é que cada história nos ensina e nos inspira de alguma maneira, e as ilustrações de Pénélope Bagieu contribuem muito para isso.


O que eu mais gostei, além das ilustrações fenomenais da própria autora, foi a linguagem simples e acessível. O tradutor utilizou expressões muito atuais que deixaram o texto muito leve, indicadíssimo para crianças, e para mim isso é super importante: mostrar para nossas crianças que homens e mulheres são iguais, portanto, elas também podem salvar o mundo à sua maneira. 

De longe a minha história preferida foi a de Josephina Van Gorkum, de família católica, que enfrentou os pais e a sociedade para casar com o seu verdadeiro amor, Jacob, um homem protestante. Na época em que ela nasceu, meados de 1820, existia a Pilarização, uma lei que segregava as religiões. Quando envelheceram, os dois ficaram muito tristes porque não permitiriam que eles fossem enterrados juntos, até que Josephina encontrou a solução mais linda de todas, da qual me emociono só de lembrar — é claro que não vou contar, vão ter que ler para saber. 

O mais bacana de tudo é que Pénélope produz muito conteúdo para internet, que vocês podem conferir no blog dela, pois ainda temos muitas mulheres fodas para descobrirmos, não é verdade? Eu gostei muito, muito mesmo de Ousadas — Mulheres Que Só Fazem o Que Querem, e fico muito feliz em saber que esse é apenas o volume um!

14 comentários:

  1. Muito interessante a autora ter escolhido o formato HQ para retratar a vida e a luta dessas mulheres com M maiúsculo e que com certeza nos inspiram a lutar pelo que acreditamos!

    ResponderExcluir
  2. Segunda resenha que leio deste livro e já quero demais poder conhecer um pouco da vida destas mulheres que de certa forma, deixaram seu legado, mesmo que ainda, escondido a muitos de nós!
    Realmente e infelizmente, a gente só tem acesso aos feitos que homens deixaram. Pouco se falam das vitórias femininas ou das tragédias que as cercam,mas devagarinho tenho fé que isso vá mudando.
    Com certeza, espero ler a obra!
    Beijo

    ResponderExcluir
  3. Oi, Ana,

    Chama a atenção a importância do livro e o quanto o mesmo se faz necessário, somente em validar bem o extremo valor dessas mulheres que se destacaram de forma especial e contribuíram no mundo afora.

    Não conhecia a HQ, mas já de antemão, despertou o meu interesse.

    ResponderExcluir
  4. Também me surpreendo com o tanto de coisa que não tinha ideia e foi mulher que criou, mulher que inventou e coisas assim que a gente mal sabe porque na maioria das vezes conhece inventores homens e essas coisas. Outro dia mesmo vi uma lista no twitter de um monte de mulher que fez coisas absurdas de importantes e eu nunca tinha ouvido falar de nenhuma. Porque né? É muito ruim a gente ter tão pouco conhecimento assim.
    Achei legal o livro. Leria. E essa história do casal com a coisa da religião me deixou curiosa pra ver que fim ela deu pra questão deles. Parece uma leitura muito boa.

    ResponderExcluir
  5. Uau... Preciso desse livro!
    Realmente é doloroso perceber que apagaram os feitos de tantas mulheres.
    Recentemente, li sobre mulheres que foram de grande importância na 2° guerra mundial, mas isso não é mencionado nas aulas de História.
    Fico muito feliz de ver livros nesse estilo e espero ter a chance de ler todos.

    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Oi, Ana!!
    Gostei muito da indicação do livro, acho importante conhecermos grandes mulheres que lutaram e enfrentaram obstáculos em seu tempo que infelizmente não conhecemos todas as guerreiras. Estou muito apaixonada por essa história !!
    Bjos

    ResponderExcluir
  7. Eu adorei a forma como parece uma obra sensível e forte ao mesmo tempo mesmo dentro de poucas páginas.

    Não me dou muito bem com histórias ilustradas, confesso, por serem leituras extensas demais para mim, mas desde o lançamento me interessei pela obra. É algo diferente de tudo o que já li. Trata da mulher como foco e isso é tão necessário porque, realmente, elas ficam em segundo plano e sempre fizeram coisas grandiosas. Realmente espero conseguir lê-lo, a ideia é incrível e que merece reconhecimento.

    ResponderExcluir
  8. Olá, Ana
    Muito linda essa HQ fui no site da Amazon ver por lá eles disponibilizam para ver algumas páginas. É uma edição maravilhosa.
    Obrigada pela dica precisamos conhecer as mulheres que fizeram diferença no mundo, temos direito a muitas coisas devido a luta incansável delas.
    Quero muito ler essas HQs estou ansiosa para sua próximas resenhas dos outros volumes.
    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Ana!
    Sempre bom poder conhecer mulheres que fizeram diferença durante a história e ainda se vem com ilustrações bem feitas, facilitam a identificação de cada uma delas.
    Não conheciaa o livro e para quem como nós, lutamos pelos direitos iguais, é quase uma leitura obrigatória, não é mesmo?
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  10. Oii Ana,
    eu não conhecia esse livro ainda, mas adorei demais sua resenha!
    Quero ler mais livros que mostram o valor e a luta imprescindível da mulher!
    Ousadas parece ser emocionante, forte e real e acho que todas, nós, mulheres precisamos lê-lo, né?
    anotado aqui!
    bjsss

    ResponderExcluir
  11. Olá Ana!
    O livro parece ser inspirador!
    Gostaria muito de conhecer...Me interesso cada vez mais pelo assunto, não conheço muito mas aos poucos vou entendendo melhor.
    Vai para os desejados!
    Bjs!


    https://aguardiadasresenhas.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  12. É lamentável só os homens serem reconhecidos, quando tem tantas mulheres que fizeram muita coisa importante e nem sequer sabemos. Mas fico feliz que cada vez mais esta aparecendo livros com essas guerreiras. Fiquei curiosa com a historia de Josephina.

    ResponderExcluir
  13. Oi Ana,
    Quando eu era mais nova o feminismo era algo desconhecido para mim e com o passar dos anos e com a consciência de que muitas coisas estavam erradas em minha convivência tenho sentido necessidade de conhecer mais mulheres que representam esta luta pela igualdade. Por isso é muito importante termos mais meios nos apresentando mulheres que fizeram a diferença na nossa história. Trazer isso em uma graphic novel é ainda mais interessante, pois a possibilidade de atingir leitores em diversas idades é bem maior. Gostei muito dessa indicação é mais um título que irei anotar para me inteirar mais sobre o assunto.

    ResponderExcluir
  14. Eu vi algumas fotos da parte interior do livro no site da Amazon e eu fiquei completamente apaixonada pelo trabalho que fizeram no design desse livro é saga que parece ser simplesmente maravilhosa e eu já quero muito ler ela

    ResponderExcluir

 
Layout feito por Vinícios Costa editado por Silviane Casemiro | Todos os direitos reservados ©