22 de outubro de 2018

Resenha: Adulta Sim, Madura Nem Sempre

A vida adulta chega de uma hora para outra e nem sempre estamos preparados para ela. E tudo bem.
Um dia você é a jovem moderna que ouve música alta e incomoda a vizinha. Num piscar de olhos é você quem está interfonando para o porteiro e reclamando, aos berros, do som da garota que mora no andar de cima. O que aconteceu? Simples: a vida adulta chegou. Quer dizer, não tem nada de simples.
Como Camila Fremder mostra neste seu novo livro, a vida adulta costuma chegar de uma hora para outra, sem avisar, sem um curso preparatório, sem nada. Ou pelo menos é assim que a gente se sente. E a consequência disso é muito estranhamento, reflexões e boas risadas.
Saem de cena as noites agitadas e os dias sem grandes preocupações, sendo substituídos por fraldas (no caso de quem tem filho), boletos e muita paranoia com a aparência. Com observações perspicazes e bom humor, Camila nos ajuda a entender e aceitar melhor essa transição. Um livro que você não vai conseguir largar. A menos que o bebê acorde ou esteja na hora de você correr para o batente.

Título Original: Adulta Sim, Madura Nem Sempre
Autora: Camila Fremder
Páginas: 120
Editora: Paralela
Livro recebido em parceria com a editora

Se tornar uma pessoa adulta é uma coisa um tanto complicada. Do nada a gente sai do ensino médio, entra na faculdade, começa a pagar aluguel, contas de água e de luz... Sem contar o monte de problema que surge do nada e temos que resolver sozinhos. Hoje em dia eu brinco com meus amigo que nós não somos adultos de verdade, porque apesar de morarmos sozinhos e termos que fazer tudo o que eu disse anteriormente, somos bancados pelos pais. Então somos no máximo adolescentes de 20 e tantos anos. Mas existe uma receita de bolo pra se tornar adulto de verdade?

Em Adulta Sim, Madura Nem SempreCamila Fremder mostra de forma muito bem humorada como é a transição para a vida adulta, e mostra que está tudo bem dar uns "chiliques" de vez em quando, não precisamos ser sérios e maduros o tempo inteiro. É interessante como passamos a maior parte do tempo preocupados com o que as outras pessoas pensam de nós, com os boletos que temos pra pagar e várias outras coisas que a gente não idealizava quando tinha dez anos e queria desesperadamente ser adulto. 

Eu não imaginava que eu ia gostar tanto com as histórias narradas por Fremder nesse livro, muito menos que eu ia me identificar tanto com as coisas, mesmo tendo só 23 anos. Eu pensei na vida que ia ficar feliz em gastar 14,90 num conjunto de toalhinhas de pia flaneladas, por exemplo. Promoção no supermercado? Meu Deus, eu falto pular de tanta alegria. Ri muito com os causos dela e me senti muito representada.

Apesar de não termos a maternidade em comum, essas foram as partes do livro que eu mais gostei e mais ri. Parece que a vida da pessoa vira de cabeça para baixo, mas ao mesmo tempo parece mágico. Eu morro de vontade de ser mãe e não vejo a hora de poder contar coisas engraçadas que aconteceram comigo durante a gravidez e até mesmo os perrengues que todas as mães passam. Acho que até essas partes mais tensas Fremder conseguiu narrar com bom humor. 

A narrativa da autora é tão fluida que quando percebi, já tinha terminado o livro — e olha que não é um gênero que eu leio com frequência. A sensação que eu tinha é que estava lendo o diário de uma amiga bem próxima, e isso me deixou com um quentinho bem gostoso no coração. Um hino de livro, de verdade. Fiquei muito feliz por ter dado uma chance!

13 comentários:

  1. É interessante mesmo isso de ver as mudanças pra vida adulta e ainda ter aqueles chiliques nada maduros e coisas assim. Ahh é normal vai. Achei legal por falar que tem umas coisas bem engraçadas e fiquei curiosa com isso da maternidade. Tem umas coisas que só imagino. A gente cresce mas as situações malucas nunca vão embora e quem não surta com promoção de qualquer coisa não sabe como é mágico xD

    ResponderExcluir
  2. Realmente ser adulta não é fácil. kkkk
    A abordagem do tema parece ter sido bem divertida e leve. Acho que vale a pena a leitura desse livro nacional, não?

    ResponderExcluir
  3. De cara já me identifiquei com o título haha.
    Essa transição para a vida adulta é assustadora! Gostei da comparação de adolescentes de 20 e poucos anos, e se você encontrar essa receita de bolo já publica aqui porque estou necessitando.
    Também não é um gênero que eu leio com frequência, mas por conta do tema abordado eu fiquei bem interessada.
    Vou anotar essa dica.

    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Meninada vive querendo crescer e se tornar adulto,mas quando isso acontece, fica rezando para poder voltar no tempo e já não dá mais, aliás..nunca dá!rs
    Por isso, adorei muito tudo que li acima, esse se jogar na vida adulta, com suas dificuldades e alegrias é fabuloso e sim, há os momentos bons, onde a gente ri e se identifica!
    Bom humor é tudo!
    Por isso, o livro já vai para a lista de desejados!!!
    Beijo

    ResponderExcluir
  5. Se me identifiquei com o título? Sim!!!!! As vezes a idade biológica não bate com a idade da cabeça! Rsrs e como você bem disse: tudo certo.
    Adoro livros assim leves divertidos e que nos tocam.

    ResponderExcluir
  6. Ana!
    Bom quando pegamos um livro que não é muito o gênero que gostamos de ler ou estamos habituados a ler, e nos surpreendemos, tanto por nos identificarmos em certos aspectos, como por nos fazer rir e desestressar, bacana.
    Desejo uma semana feliz!
    “Algumas quedas servem para que levantemos mais felizes.” (William Shakespeare)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA OUTUBRO - 5 GANHADORES – BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu praticamente me enxerguei na autora, muito bacana mesmo! Espero que o livro faça muito sucesso!

      Excluir
  7. Parece ser um livro legal e interessante, pois essa vida de adulto não é nada fácil bem complicada e quantos problemas aparecem, nunca tive essa vontade de ficar adulta logo, mas a maioria das pessoas sim. São coisas que passamos ou vamos passar é uma leitura que deve valer a pena.

    ResponderExcluir
  8. Oi, Ana
    Gostei muito da premissa do livro.
    Ser adulto não é fácil, sempre ajudei em casa e agora sem minha mãe eu que sustento a mesma sozinha e tem momentos que é complicado. Ainda bem que não sou mãe, mas quero ter filho só não sei quando.
    Quero ter oportunidade para ler esse livro, tenho certeza que em muitas coisas vou me identificar.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sinto muito pela sua mãe, Luana. :(
      Você é uma pessoa muito forte e admirável! ♥️

      Excluir
  9. Oi, Ana!!
    Gostei muito da indicação da leitura, achei bem bacana a história principalmente por que nos tornamos muito rápido e na maioria das vezes não estamos prontos para isso. Adorei o humor do livro e fiquei bem curiosa para conhecer mais sobre essa história.
    Bjos

    ResponderExcluir
  10. Oi Ana!
    Esse livro veio agora como uma ótima dica pra mim...
    Crescer não é fácil, qdo vc tem que amadurecer na marra talvez seja um dos momentos mais difíceis...
    Preciso desse livro!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  11. Oi, Ana!
    Adorei a resenha!
    Parece ser um livro incrível e que a gente super se identifica!
    Eu nunca morei sozinha, mas cuido sozinha da casa, então, sei que é complicado mesmo. O que mais me divirto é sair atrás de promoção kkkkkkkkkk a gente vai crescendo com esses perrengues da vida mesmo!
    Também adoro livros que falam sobre maternidade, também quero muito ser mãe e acho que vou ser bem atrapalhada! kkkkkkkk
    Já quero!
    bjsss

    ResponderExcluir

 
Layout feito por Vinícios Costa editado por Silviane Casemiro | Todos os direitos reservados ©