Pôr do Sol no Central Park | Sarah Morgan - Roendo Livros

9 de janeiro de 2019

Pôr do Sol no Central Park | Sarah Morgan

Após o grande sucesso do livro Amor em Manhattan, Sarah Morgan retorna às livrarias brasileiras com este novo romance da série “Para Nova York, Com Amor”, que vai aquecer seu coração.
Frankie Cole e suas duas melhores amigas inauguraram um novo negócio em Manhattan que está sendo um sucesso. Frankie é designer e ama trabalhar com paisagismo de jardins suspensos nos telhados dos arranha-céus da cidade. Entre amizades verdadeiras e um trabalho gratificante, ela tem tudo para ser feliz. Frankie nunca deu muita atenção às relações românticas, sempre preferindo focar em si e no trabalho. Ela e Matt, irmão de sua melhor amiga, se conhecem há anos, mas nunca tiveram nada além de amizade. Até que ele descobre novas coisas sobre a mulher que pensou conhecer tão bem, e decide que não quer passar mais nenhum dia longe dela. Matt sabe que Frankie se mantém segura por trás de sua barreira emocional, mas fará de tudo para superar os bloqueios e conquistá-la.

Título Original: Sunset in Central Park
Autora: Sarah Morgan
Páginas: 268
Tradução: William Zeytoulian
Editora: Harlequin Brasil
Livro recebido em parceria com a editora

Segundo livro da Série Para Nova York, com Amor, Pôr do Sol no Central Park me surpreendeu com um romance inexplicável, cheio de momentos de tensão. O melhor de tudo é que o casal se conhece desde criancinha e passaram anos sem perceber que o amor estava bem debaixo do nariz deles. O que eu mais gosto nesse tipo de livro é que o romance não acontece de uma hora para outra, que é o que acontece na maioria dos casos.

Frankie tem sua vida profissional bem resumida: depois de ser demitida de seu emprego de anos, abriu com suas amigas uma empresa de eventos que esta fazendo o maior sucesso, inclusive atendendo os clientes do antigo trabalho, o que é genial, não é mesmo? Se no trabalho ela é totalmente bem resolvida, na vida romântica ela é um desastre. Na verdade, ela foge de namoros com um demônio foge da cruz, o que impossibilita qualquer homem de se aproximar da protagonista. Frankie ficou assim depois que seu pai simplesmente foi embora, abandonando toda a família.

Matt vive ao redor de sua irmã e suas amigas, possui um emprego estável e aluga apartamentos para as três mulheres, já que todas são muito próximas dele. Uma dessas mulheres é Frankie, e só depois de anos vivendo ao seu redor Matt começou a perceber a mulher que ela se tornou. Ele só não esperava que ela tivesse tantos receios e  neuras com os homens que tentam se aproximar dela. Porém, Matt que está gostando mais do que gostaria de Frankie, pretende ajudá-la a superar esse medo e para isso terá um grande caminho a percorrer.

No decorrer da premissa, vemos os medos que Frankie adiquiriu na vida adulta depois de tudo o que passou com o divórcio conturbado de seus pais e de várias mudanças extremas de sua mãe. É triste porque a protagonista foi uma criança que cresceu sem acreditar no amor, por isso se transformou em uma mulher reclusa que se esconde atrás de óculos, livros (alguém se identifica?) e plantas. A gente acaba entendendo que realmente os traumas carregados da infância geralmente moldam o adulto, por isso o sentimento de empatia pela personagem é muito grande. 

Apesar de tudo isso, depois de perceber que Matt pode ser um aliado em sua vida, vemos as barreiras  de Frankie baixarem, uma mudança que vai acontecendo aos poucos, mesmo que ainda tenha alguns receios quando alguém entra em determinados assuntos e no seu espaço pessoal. A química dos dois foi construída de forma calma e sincera, sem grandes momentos ou alardes para que eles ficassem juntos logo de início. A autora soube dosar cada acontecimento com muito carinho. Há um pouco de tensão e tristeza, já que os dois sofreram e nunca tiveram coragem de desabafar um com o outro.

Gostei muito da parte dos trabalhos dos dois, que são descritas de formas simples para o leitor se envolver e entenda como cada personagem chegou àquele ponto, tendo como início as demissões que têm em comum. O fato de Frankie ter aberto a própria empresa também me agradou muito, porque mostra que mulheres podem, obviamente, ser donas da própria vida. Ah, Matt e Frankie aparecem no primeiro volume da série, e fiquei muito contente em revê-los aqui!

Pôr do Sol no Central Park, continuação de Amor em Manhattan, nos mostra que mesmo que vivemos ao lado de pessoas desde cedo, realmente não a conhecemos por completo, mas se deixarmos o coração guiar nossas decisões e ouvi-lo poderemos encontrar o amor em quem menos esperávamos e sermos felizes, mesmo com os altos e baixos.

13 comentários:

  1. Oi Lari!
    Um bom e velho clichê não é? Daqueles bem amorzinho que nos faz suspirar e torcer pelo casal.
    Gosto muito quando o chick lit nos surpreende e traz uma lição ou ensinamento. É Pôr do sol no Central Park tem isso, as vezes as pessoas mais próximas nos surpreendem. Ainda não li o livro mas pelo que vi na resenha Matt fez Frankie descobrir ou redescobrir o amor.
    Fiquei morrendo de vontade de ir a Nova York. Quer vir comigo? Kkkk

    ResponderExcluir
  2. Como a romântica incurável que sou, amo o gênero, ainda mais quando traz isso:o amor sendo descoberto e construído pouco a pouco, não com aquela rapidez e desespero que normalmente a gente lê e vê por aí.
    E ambos os personagens carregam suas marcas de passado, suas bagagens e isso também parece fundamental nesta descoberta dos sentimentos.
    Mesmo sem ter lido o primeiro livro, quero muito poder ter e ler ambos!
    Beijo

    ResponderExcluir
  3. Nunca li nenhum dos dois livros, mas parecem ser muito amorzinho a história. Adorei a indicação!

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  4. Oi Lari,
    Sou louca para ler esses livros pois adoro um clichê bem leve, daqueles que aquecem o coração. Percebi que, mesmo o drama ficando em segundo plano, a protagonista amadureceu muito, e é algo que sempre me ganha em personagens. Bem, já vi que Frankie sem dúvidas vai me conquistar.
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Não sinto muito interesse nessa série, me parece mais do mesmo e às vezes precisamos filtrar nossas escolhas.
    Mas Pôr do sol me parece melhor do que o 1°, acho que o casal envolve mais.
    Talvez seja uma boa leitura para descontrair, tem jeito de ser bem amorzinho.

    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Que fofo!
    Amei esse enredo todo. Essas descobertas e, principalmente o fato da personagem abrir seu próprio negócio e não deixar sua vida de lado.
    Ainda não li o primeiro livro. Mesmo que possa ser independente eu tenho TOC e preciso ler em ordem. kkkkk

    ResponderExcluir
  7. Oi Lari,
    Já estou de olho nessa série desde o lançamento do primeiro livro, pois além de ser uma leitura leve, as premissas são bem cativantes. Pôr do Sol, no Central Park tem o tipo de história que eu adoro: o romance entre pessoas que se conhecem a vida toda. É engraçado o quanto dá para se identificar com Frankie sem nem ter lido o livro ainda. Ao mesmo tempo em que ela é uma personagem forte e determinada, com uma carreira de sucesso em mãos, ela tem uma fragilidade escondida de todos ao seu redor. Pelos traumas sofridos durante seu crescimento é compreensível a forma como ela age e escolheu lidar com as questões emocionais, mas todo mundo merece viver um amor ao menos uma vez e será bem interessante ver Frankie se abrindo para ele. Esse é um livro de descobertas e crescimento, tanto pelo lado pessoal quanto pelo lado profissional de ambos protagonistas. Agora sim fiquei mais curiosa com essa série e espero poder ler os livros logo.

    ResponderExcluir
  8. Não conhecia a série, mas me apaixonei pela história desde que vi a capa (muito fofa!!!). Gostei bastante do romance com uma construção desde a infância e a notoriedade já mais velhos, Frankie é uma personagem que pode ser muito bem desenvolvida, cheia de medos e receios, mas cheia de si com uma vida profissional incrível. Matt parece ser outro personagem bom também. Um ótimo casal.

    ResponderExcluir
  9. Oi, Lari
    Ainda não li os livros dessa série, mas gostei mais do segundo livro.
    Um amorzinho ver um casal que se conhece desde criança perceber que são apaixonados e o amor sendo construído aos poucos.
    Mesmo sem ler Frankie é uma personagem que me conquista pela sua coragem, determinação e faz o que gosta.
    Espero ler essa série, beijos!

    ResponderExcluir
  10. Não tinha dado tanta atenção pra esses livros quando vi, mas até que agora deu uma vontade de ler. O romance na história me animou por não ser aquela coisa do nada e clichê que muitos tem e isso da garota não acreditar no amor, de ter tido uma infância difícil e como isso refletiu nela é bem interessante e nuns pontos me identifiquei. Parece ter um romance legal, os dois personagens tem uma história e ver como isso do amor acontece me deixa animada. Gostei do jeitinho dele, parece fácil e gostoso de ler.

    ResponderExcluir
  11. Oi, Lari!!
    Que história mais legal, gostei muito de conhecer mais sobre esse segundo livro da Série Para Nova York. E parece que a Frankie está precisando muito acreditar mais no amor e tenho certeza que o Matt vai conseguir conquistar o coração da Frankie.
    Bjos

    ResponderExcluir
  12. Amo esse tipo de romance, bem simples e cotidiano. Ainda não li o primeiro livro, apenas acompanhei as resenhas e fiquei maravilhada com a història, quero ler o primeiro livro logo, para ler o segundo o mais rápido possível.

    ResponderExcluir
  13. Eu não gostei tanto da história de amor em Manhattan achei que é outro não consegui desenvolver também os personagens mais gostei bastante da sinopse desse novo livro dela já estou aguardando ansiosamente o lançamento

    ResponderExcluir