A Filha do Pântano | Franny Billingsley - Roendo Livros

11 de março de 2019

A Filha do Pântano | Franny Billingsley

Há anos, a jovem Briony Larkin esconde alguns segredos...
Segredos que comprometeram para sempre a saúde mental de sua irmã gêmea, Rose, e que mataram sua madrasta. Mistérios que a impedem de sair de Swampsea.
Consumida pela culpa, Briony só encontra alívio nas profundezas do pântano, cercada pela presença dos Antigos os espíritos que assombram o lugar.
O problema é que só as bruxas podem vê-los, e na sua aldeia elas são condenadas à morte. Por isso, ela vive com medo de que seu segredo seja descoberto, mesmo que ela acredite merecer as piores punições por todo o mal que já fez às pessoas que ama.
A chegada de Eldric faz sua vida mudar, pois ele representa o que ela sempre desejou ser, tudo aquilo que ela teme sentir.
Prender-se à magia ou libertar-se para o amor? Caberá a Briony fazer a decisão mais importante.

Título Original: Chime
Autora: Franny Billingsley
Páginas: 408
Tradução: Camila Fernandes 
Editora: Novo Conceito
Livro recebido em parceria com a editora

Quando comecei a ler A Filha do Pântano, até mesmo antes, esperava uma história de fantasia com um toque de mistério. A verdade é que a obra de Billingsley é um pouco de tudo, digamos que até filosófica. Apesar do começo um pouco confuso, a adaptação ao estilo de escrita da autora acontece rápida e naturalmente; logo nos apegamos à protagonista e aos fatos que acontecem ao seu redor. Fiquei surpreendentemente feliz com esse livro, porque eu não esperava gostar tando dele. 

Briony é uma adolescente de 17 anos que carrega vários segredos e muita culpa. Logo nos primeiros capítulos, a personagem nos conta que é uma bruxa e que merece ser enforcada — é importante salientar que Briony vive no século XX —, o que a leva a nos contar, também, a sua história. Assim, durante todos os capítulos, a medida que fatos são expostos, conseguimos entender a cena inicial e porquê de concordar que deve morrer.

É um pouco complicado falar sobre o enredo de A Filha do Pântano, porque um mísero detalhe pode ser muito revelador — inclusive em relação à personalidade da protagonista e dos personagens secundários —, então vou focar na minha opinião. De início, achei a narrativa de Franny Billingsley um tanto engraçada, até um pouco difícil de entender no começo. É extremamente metafórica e poética, mas por incrível que pareça, funcionou muito bem. Acredito que a autora quis dar uma voz para a própria personagem, um tom bem melancólico, transbordando culpa, e deu muito certo. 

Apesar de ter gostado muito do livro, achei alguns capítulos muito dispensáveis. Nesses breves momentos a leitura se tornava lenta, mas logo era surpreendida novamente. Gostei muito mesmo do rumo que a autora deu para história, incluindo o romance. Eu não sei exatamente dizer se o gênero é fantasia, romance, mistério... A atmosfera aqui é diferente de tudo que eu já li, os seres são diferentes de todos que encontrei até hoje — o próprio pântano é um protagonista muito peculiar

Por fim, acreditem ou não, me surpreendi com o desfecho de A Filha do Pântano. Acho que é por isso que gostei tanto, eu simplesmente não consegui decifrar as pistas deixadas pela autora. Espero que vocês deem uma chance para esse livro, porque a magia aqui é muito mais que bruxas, Duendes e um pântano encantado: alguns personagens têm o poder de mostrar coisas inimagináveis para nós.

15 comentários:

  1. A vida de Briony me parece um tanto quanto angustiante. Acreditar ser algo e ter que esconder isso de tudo e todos.
    Com certeza a chegada de Eldric além de balançar o mundo dela e a deu um ultimato a ela continuar a viver dessa maneira ou se abrir para a vida.

    ResponderExcluir
  2. Primeira vez que leio algo sobre este livro e já gostei demais de tudo que li acima. Uma personagem bem fora dos ditos normais e por isso, já desperta aquela curiosidade em nós, leitores.
    Bruxas, fantasia e realidade, tudo junto e misturado num cenário único.
    E claro, há o romance que aguça nosso coração sofredor.
    A capa é maravilhosa e com certeza, quero muito poder conferir esta obra!
    Beijo

    ResponderExcluir
  3. Vou dizer que não botei tanta fé nele e nem chamou tanta atenção. Mas achei legal essa mistura da história, com fantasia e mistério, um romance pra equilibrar...a narrativa parece ter um jeito um tanto diferente do que é esperado e ter umas boas surpresas ao longo da leitura. Com um desfecho legal só ajuda. Vi algumas coisas falando dele que me deixaram meio pé atrás mas sei lá, pode ser legal se der uma chance. Se tem coisas que surpreendem já anima um pouco.

    ResponderExcluir
  4. Amei essa resenha!
    É um livro que passaria despercebido, mas agora vejo que tem potencial.
    Essa mistura de gêneros é interessante; só esses momentos lentos que não me agradam.

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Oi Ana,
    Pela capa e pelo título eu estava apostando em uma história mais voltada para o terror (gênero que adoro), mas essa mistura de mistério e fantasia é algo que gosto também. O começo da trama desperta certo interesse, pois temos uma protagonista disposta a morrer. Sei que deve ter suas razões e a culpa, pelo jeito, é uma delas, mas isso me fez pensar como a mentalidade de um jovem era diferente em outro século, dotada de consciência e responsabilidade. Briony me parece ser bem madura e isso talvez seja por causa de quem ela é ou talvez pelas situações que tem passar, mas o fato é que isso se torna um ponto positivo em questão de narrativa. Essa mistura de todos os gêneros, mas sem conseguir definir um específico para o livro é bem legal, pois transmite ao leitor sensações diversas e permite ao autor explorar vários elementos na trama.

    ResponderExcluir
  6. Ana!
    Acho ótimo quando um livro consegue mesclar vários estilos e nos deixam até em dúvida para definir a qual pertence, porque podemos nos envolver de várias formas.
    Gosto de livro de fantasias que envolvem bruxas.
    Gosto de livros que nos trazem a magia de formas diversificadas e nos colocam para refletir e filosofar.
    Parece um bom livro apesar de suas pequenas ressalvas.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, também gosto muito! Esse livro é mesmo tudo isso, e refleti bastante. A linguagem em si me trouxe sentimentos diferentes.

      Excluir
  7. Só de você falar que tem bruxa no meio já fico animada em ler. Agora, sabendo que é bem diferente do que estamos acostumados sinto que preciso ler esse livro.
    Quero conhecer essa maneira diferente de escrita da autora. A Brionny deve ser uma personagem muito forte, principalmente por concordar com um final tão trágico para si mesma.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É legal, porque a fantasia tá ali de formas diferentes das convencionais. Num é só uma história de bruxa, e foi isso que me conquistou.

      Excluir
  8. Essa é primeira resenha que vejo desse livro, curto muito fantasia, mistério, bruxas, fiquei super interessada em conferi essa história que parece ser ótima.

    ResponderExcluir
  9. "É extremamente metafórica e poética" já me ganhou aí. Vou ter que ler, tô curiosa ��

    ResponderExcluir
  10. Oi, Ana
    Gostei muito da capa, ela me chama muito atenção.
    Ainda não conhecia o livro e não li nada da autora. Mas lendo sua resenha esse livro tem tudo que eu gosto como o mistério, romance, conhecer o personagem a fundo, magia, entre outros.
    E ainda o pântano é um personagem bem atraente.
    Quero muito ter oportunidade para ler, quando você gosta de um livro é porque ele realmente é bom.
    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Oi, Ana!!
    Essa é a primeira vez que leio algo sobre essa história e achei que esse livro é muito instigante e fiquei bem curiosa com relação a história da Briony pois parece que ela carrega muitos mistérios!!

    ResponderExcluir
  12. Nunca tinha ouvido falar desse livro, mas já quero!
    Adoro livros fantásticos que têm um pouco de tudo.
    Parece ser bem legal, curioso e gostoso de acompanhar.
    já quero!
    bjs

    ResponderExcluir