Sete Minutos Depois da Meia-Noite | Patrick Ness

Conor é um garoto de 13 anos e está com muitos problemas na vida.
A mãe dele está muito doente, passando por tratamentos rigorosos. Os colegas da escola agem como se ele fosse invisível, exceto por Harry e seus amigos que o provocam diariamente. A avó de Conor, que não é como as outras avós, está chegando para uma longa estadia. E, além do pesadelo terrível que o faz acordar em desespero todas as noites, às 00h07 ele recebe a visita de um monstro que conta histórias sem sentido.
O monstro vive na Terra há muito tempo, é grandioso e selvagem, mas Conor não teme a aparência dele. Na verdade, ele teme o que o monstro quer, uma coisa muito frágil e perigosa. O monstro quer a verdade.
Baseado na ideia de Siobhan Dowd, Sete minutos depois da meia-noite é um livro em que fantasia e realidade se misturam. Ele nos fala dos sentimentos de perda, medo e solidão e também da coragem e da compaixão necessárias para ultrapassá-los.

Título Original: A Monster Calls
Autor: Patrick Ness
Páginas: 160
Tradução: Paulo Polzonoff Junior
Editora: Novo Conceito
Compre aqui

Já faz um tempinho desde que assisti ao filme Sete Minutos Depois da Meia-Noite e me apaixonei pelo Conor. Naquela época eu não sabia que era uma história baseada em livro, mas assim que descobri fiquei morrendo de vontade de ler. Só consegui agora, quase dois anos depois — quase nunca tenho do que reclamar, só que de vez em quando o blog e os vários livros acumulados me impedem de ler algo que quero muito. Fiquei extremamente feliz com a oportunidade, porque não me decepcionei nem um pouco. Inclusive, o filme é bem fiel ao livro, o que me deixou ainda mais feliz. 

Conor é um menino muito bonzinho e paciente. Com apenas 13 anos, aprendeu a se virar sozinho com algumas coisas, mas ele faz tudo de muito bom grado, principalmente depois que sua mãe ficou doente — e as sessões de quimioterapia a deixam ainda mais fraca. Ele é praticamente invisível: seu pai, depois que arrumou outra família, quase não entra em contato; se afastou de todos na escola quando descobriram que sua mãe tinha câncer, mas ainda assim é vítima de bullying. Conor esconde não só os seus problemas e sentimentos, mas também um segredo horrível, um pesadelo que o assombra todas as noites. 

Um dia, exatamente às 00h07, Conor acorda no meio do pesadelo e escuta uma voz estranha o chamando, alguém que ele não reconhece. Para sua surpresa, a voz pertence ao velho teixo que vive na colina próxima a sua casa. Mas o teixo não é apenas uma árvore antiga, e sim um monstro que jura que só está cumprindo o chamado do garoto. Assim, o mostro promete que irá contar três histórias, mas que a quarta será narrada pelo menino, uma história verdadeira. A partir daí, vários encontros acontecem. A única coisa que Conor não imaginava é que é tão difícil lidar com a verdade. 

Como podem perceber, a premissa de Sete Minutos Depois da Meia-Noite é bem simples, assim como a narrativa, algo esperável de um infanto-juvenil. Patrick Ness conseguiu desenvolver uma história muito bonita a partir das ideias de Siobhan Dowd — uma autora infantil que foi vítima do câncer — e acredito que foi isso que a tornou tão significativa. É quase como um conto de fadas, com várias metáforas e uma bela lição no final. 

Acompanhar Conor foi deveras doloroso. Ele é um garoto muito triste porque a situação em que está inserido é muito triste. A mãe dele está com câncer em fase terminal, mas assim como qualquer pessoa, Conor tem esperança de que ela melhore. Isso faz com que nós tenhamos essa esperança também, mesmo sabendo que o futuro dela é tão incerto. O monstro, em minha opinião, é simplesmente uma metáfora para a dor: ele está ali quando o menino precisa conversar, extravasar, chorar, reconhecer uma verdade difícil... 

Eu me emocionei muito com essa história. Ter visto o filme primeiro não tirou isso de mim. Fiquei me perguntando como um livro tão singelo pôde me tocar tanto, e cheguei a conclusão que em algum momento da vida nós fomos Conor (ou até poderemos ser, ainda): uma criança lidando com problemas grandes demais. Encontrar as respostas junto com o protagonista foi ainda mais emocionante. Com certeza guardarei Sete Minutos Depois da Meia-Noite com muito carinho no meu coração. 

Postar um comentário

13 Comentários

  1. Esperança! Este é o maior sentimento que conduz esta história inteirinha.
    Acabei vendo o filme e lendo o livro já tem um bom tempo e realmente, há toda esta fidelidade entre um e outro e talvez seja isso que dê um toque mais real ao enredo.
    Conor é um garoto incrível, terno, sincero e que mesmo amedrontado tanto com a doença, como com os acontecimentos, mantém a pureza e a inocência!
    Uma leitura super recomendada e com certeza, filme também!!!
    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. SIMMMMM AAAAAAAAAAAA.
      Também recomendo ambos, livro e filme! História muito fofa! Concordo com todas as características que deu pro Conor. <3

      Excluir
  2. Ainda não tinha visto esse livro, amei a resenha!

    https://www.submersaempalavras.com/

    ResponderExcluir
  3. Aquele filme é bem bonito mesmo né? Sabia do livro quando vi e queria ler também alguma hora, mas ainda não surgiu oportunidade. Ele parece ser bem bonito também e gosto dessa premissa simples e com lições por trás, uma coisa mais infantil mas sem deixar de passar uma mensagem bonita. Parece ser bem legal e acho que adoraria ler. É bom quando uma história simples consegue emocionar assim.

    ResponderExcluir
  4. Olá! Amei o filme Sete Minutos Depois da Meia-Noite, e tenho muita vontade em ler o livro essa sua resenha me deixou ainda mais curiosa em conferi essa história super emocionante.
    Bjs

    ResponderExcluir
  5. A princípio Sete Minutos depois da Meia Noite pode parecer um livro simples mas analisando a fundo, fala de superação, aceitação, ser verdadeiro.
    Connor tem uma relação tocante com a mãe.
    O monstro transmite importantes ensinamentos a Connor, de como lidar com tudo o que ele enfrenta .
    É um livro lindo.

    ResponderExcluir
  6. aNA!
    Parece mesmo uma história bem emocinante.
    Ai que história, hein? Acredito que todos nos identificamos. Mainha não tem câncer, mas tem Alzheimer que vai consumindo-a aos poucos e é tão doloroso, me coloquei no lugar dele também.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  7. Uau...
    Sempre vi esse livro no meu feed, mas a sinopse não me chamou atenção e não tinha lido nenhuma resenha até então.
    Chocada com a sensibilidade dessa história; fiquei com vontade de ler, gosto de metáforas e histórias emocionantes.

    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Oi, Ana
    Fico muito feliz em saber que o filme é fiel ao livro, já faz um tempinho que assisti e quero ver novamente.
    Não sabia da existência do livro, preciso ler.
    É tão fácil se identificar e amar Conor que passa por tantos problemas, tem que lidar com muitas emoções e continuar sendo forte.
    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Oi Ana,
    Já tinha visto recomendações desse livro e da adaptação, mas até o mento não conferi nenhum dos dois. Gosto muito quando os autores misturam realidade com fantasia e se Sete Minutos Depois da Meia-noite tem essa proposta não tenho dúvidas de vou gostar de conhecer essa história. Já é difícil acompanhar uma história com elementos tão tristes, mas quando essa trás um protagonista tão jovem é ainda mais emocionante. Connor carrega um peso grande para alguém tão jovem, com apenas 13 anos ele se sente responsável pela mãe e não é por menos já que não tem o pai por perto ou amigos que ajudem e amparem. Depois dessa resenha fiquei ainda mais curiosa com esse livro, quero ler e poder assistir ao filme.

    ResponderExcluir
  10. Que lindo!
    Eu já queria ler esse livro, agora fiquei com mais vontade ainda!
    Parece ser fofo, emocionante, triste e que dá aquele quentinho no coração, tudo ao mesmo tempo!
    Mas tô com medo do final do Connor.
    bjs

    ResponderExcluir
  11. Oi, Ana!!
    Já assisti o filme Sete Minutos Depois da Meia-Noite e lembro que também fiquei muito emocionada e desde então quero muito ler o livro mesmo sabendo que vou me emocionar novamente.
    Bjoss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marta, leia o livro. Garanto que o fato de ter visto o filme antes não atrapalha! <3

      Excluir