A Viúva de Safira | Dinah Jefferies - Roendo Livros

29 de abril de 2019

A Viúva de Safira | Dinah Jefferies

Dinah Jefferies volta a retratar o Ceilão inglês do começo do século XX em mais um romance histórico de tirar o fôlego, com a participação especial de Gwendolyn, Laurence e outros personagens amados de O perfume da folha de chá.
O ano é 1935. No Ceilão, uma rica colônia britânica do sul da Ásia, Louisa e Elliot vivem um casamento feliz. Ela, filha de um importante comerciante da região; ele, um charmoso homem de negócios. Juntos, eles aparentam ser um casal que tem tudo. Exceto aquilo que mais desejam: um filho.
Durante as diversas tentativas de Louisa de engravidar, seu marido parece cada vez mais distante, passando a maior parte do tempo em uma fazenda de canela das redondezas. Mas a morte repentina de Elliot ― tão trágica quanto misteriosa ― é seguida de revelações chocantes, atirando a jovem numa espiral de incertezas. Quem era, de fato, aquele homem? Por que ele tinha tantos inimigos? Como foi capaz de cometer uma traição tão terrível?
Em busca de respostas, Louisa embarca em uma jornada devastadora. Quando finalmente descobre o terrível segredo por trás de seu casamento, seu mundo vira de cabeça para baixo. Será que ela encontrará forças para seguir em frente? Ou sofrerá, para sempre, as consequências do que parece imperdoável? 

Título Original: The Sapphire Widow
Autora: Dinah Jefferies
Páginas: 376
Tradução: André Fontenelle
Editora: Paralela
Livro recebido em parceria com a editora

Sou apaixonada pelos livros da Dinah Jefferies. O Perfume da Folha de Chá foi o primeiro romance de época que li e quando vi que, além de ser uma obra de uma das minhas autoras preferidas, A Viúva de Safira contaria com a presença dos personagens do primeiro livro, não pensei duas vezes antes de solicitá-lo.

Louisa Reeves estava feliz em seu casamento, ou pelo menos acreditava que sim; Elliot tinha seus defeitos, mas ela o amava com todas as suas forças e faria qualquer coisa por ele. Seu maior sofrimento era não ter conseguido lhe dar um filho. Ela teve dois abortos espontâneos e uma filha que nasceu morta.

Quando recebeu a notícia da morte repentina de seu marido, ela ficou desolada, não conseguia acreditar que seu marido, o homem que ela mais amava no mundo, não voltaria mais para casa. Por um tempo tem a sensação de que seu mundo não pode continuar sem ele, mas a medida que descobre que Elliot não estava nem perto do pedestal em que ela o imaginava, Louisa se vê questionando se um dia o marido a amou e juntando todas as suas forças para não odiá-lo.

O único jeito era lidar com um dia após o outro, até se acostumar. Viver uma hora, depois outra, até o dia terminar. E no dia seguinte fazer tudo de novo.

Assim como O Perfume da Folha de Chá, a história se passa no Ceilão (atual Sri Lanka). O que achei mais legal foi que, cronologicamente, a história começa pouco depois de onde paramos na primeira obra, então matamos a saudade dos personagens que acompanhamos antes e também a curiosidade do que aconteceu com eles após o final do enredo. Obviamente eles não são mais o foco principal, mas têm um papel importante nesse novo mistério.

Quem já leu outras obras da autora sabe que a riqueza de detalhes que ela nos proporciona derrete as páginas do livro sem que possamos perceber, até que estejamos dentro do contexto por ela descrito. Aqui não foi nem um pouco diferente e a ambientação da história foi tão bem construída que quase sinto como se o Ceilão fosse minha segunda casa.

A começar pelo título do livro, desde o princípio já sabemos que Elliot vai morrer, mas ao invés de começar a narrativa por esse momento trágico, a autora nos proporciona alguns capítulos com o personagens, nos dando pistas de que ele escondia vários segredos e que na verdade, Louisa estava cega pela dor da perda de seus filhos e seu amor por Elliot, por isso não percebeu que o marido escondia muito dela.

É muito fácil se envolver na história, amar, odiar e desconfiar de personagens, só para depois descobrir que nem tudo é preto no branco. Louisa é a personagem principal, mas os personagens secundários também são bem desenvolvidos e são parte fundamental do desenvolver da trama. Margo, a irmã mais nova de Elliot, foi uma das minhas personagens preferidas e esteve ao lado de Louisa sempre que pôde, a ajudando em cada momento.

“Entendo… Então, não sei se ao certo esta é a melhor forma de dizer isso, mas ele ainda amava você?”
“Eu achava que sim.”
“E você o amava.”
Louisa fez sinal afirmativo.

Irene, a mãe de Elliot, foi a personagem que mais me estressou. Louisa, no começo, acreditava que Elliot era quase perfeito, mas sua mãe o tinha como um santo imaculado. Sempre inconveniente, as vezes tive a impressão de que a sogra tinha certo gosto em atrapalhar a mulher. E para piorar, seu marido estava sempre trabalhando e raramente aparecia com ela na casa de Louisa.

Muito diferente de romances água com açúcar, Dinah Jefferies nos leva cada vez a um carrossel de emoções diferentes, com uma riqueza de detalhes e fidelidade aos fatos históricos impressionante. Seus livros são do tipo que nos prendem do começo ao fim, loucos para saber como tudo vai ser resolvido. A Viúva de Safira é o terceiro livro da autora publicado no Brasil e acredito que nem preciso dizer que aguardo ansiosamente pelos próximos.

11 comentários:

  1. Esse ainda não tinha visto e já virou mais um que quero ler dela. Outra história cheia de emoção e detalhes, muito pra prender e muito pra gostar. Acho legal isso que falam da construção das histórias dela, parece ser ótima e te prende bem nos sentimentos e nos personagens. Isso é uma coisa que amo ao ler, a forma como os sentimentos da trama passam pra gente. Só por isso ja sei que iria adorar essa história. E fugir daquele romance água com açúcar, ter uma profundidade, é só coisa boa. Personagens que chamam atenção e despertam empatia, raivas e afins, já dá pra ver que é desses que a gente se envolve bem.

    ResponderExcluir
  2. Mesmo sem conhecer o trabalho da autora, ouvi e li muita coisa boa a respeito de suas obras!
    Quando O Perfume foi lançado há um tempo, eu li que a autora tem esse lance da descrição bem explorado e como sou uma detalhista nata, já me encantei com isso.
    E pelo que li acima, mais uma vez, ela criou um cenário único, diria eu, pouco explorado e tomara que seja bem repleto de detalhes e descrições!
    E oh, outro ponto que me agrada, personagens com uma carga de vida mais vivida.
    Lerei!!!
    Beijo

    ResponderExcluir
  3. Oi, Alê
    Ainda não li nada da autora, porém quero muito conhecer sua escrita.
    Que capa maravilhosa, amei os tons de azul.
    Gostei muito da trama mesmo sendo um pouco triste, tenho certeza que quando ler vou chorar na perda dos bebês. Deve ser uma leitura encantadora com tantos detalhes, adoro enredos com descrições.
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Olá! Amei O Perfume da Folha de Chá, estou doida pra ler esse livro, essa sua resenha me deixou ainda mais curiosa em conferi essa história, estou gostando muito da escrita dessa autora.
    Bjs

    ResponderExcluir
  5. Oi Alê!
    Tô com O Perfume da Folha de Chá aqui na minha estante, esperando para ser lido.
    Como é de uma autora inédita para mim, confesso que não estava tão empolgada assim para ler O Perfume. Tanto que quando soube do lançamento de A Viúva de Safira nem adicionei a wishlist. Porém isso mudou agora após a sua resenha.
    Pra mim acostumada aos romances da Julia, Lisa, Loretta, quase sempre ambientados em Londres, vai ser interessante ler um romance passado no Ceilão. Com certeza, se Dinah é detalhista, esse país até então inédito para mim, será um mergulho em uma cultura nova.
    Além disso, fiquei extremamente curiosa quanto aos mistérios que Elliot escondia.

    ResponderExcluir
  6. Alê!
    Infelizmente ainda não tive oportunidade de ler nenhum dos livros da autora.
    Acho tão bom quando uma autora traz um romance diferente dos convencionais e cria toda uma trama com drama e descobertas impensáveis.
    Adoro quando os livros são descritivos em relação aos ambientes.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  7. Oi, Alê!!
    Não tive ainda a oportunidade de ler nenhum dois livros da Dinah Jefferies, mas estou de olho em O Perfume da Folha de Chá, e agora também estou mais ainda curiosa para conhecer mais sobre esse indicação maravilhosa!!

    ResponderExcluir
  8. Ainda não li nada dessa autora, mas tenho muita vontade.
    Amo romance histórico, e gostei de saber que ela foge dos romances água com açúcar - gosto não, gosto desse carrossel de emoções.
    Só fiquei em dúvida se é uma série ou algo assim...

    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Oi Alê,
    Ainda não li O Perfume da Folha de Chá, mas este consta em minha lista de desejados e agora que a autora lançou outro romance no mesmo universo, fiquei ainda mais curiosa para conhecer sua escrita. Dinah Jefferies trás algo de diferente em suas histórias, pois ela mostra personagens casados e os desafios que a vida a dois reserva e isso dá uma certa realidade para a trama do meu ponto de vista. Louisa já passa por muita coisa na vida, mas a perda do marido vai mesmo deixa-la perdida. Os segredos de Elliot serão um grande abrir de olhos para a relação e os sentimentos que ela nutria por ele. Os detalhes que a autora insere na trama desde a ambientação ao personagens bem trabalhados dão todo um destaque para a história. Espero que ainda este ano eu tenha a oportunidade de ler seus livros e que suas histórias me cativem assim como o cativou.

    ResponderExcluir
  10. Oi, Alê!
    Quero muito ler algum livro da Dinah.
    Esse parece ser ótimo.
    Cheio de reviravoltas, surpresas e muita emoção.
    Gosto bastante desses dramas familiares.
    bjs

    ResponderExcluir
  11. Oi, Alê!
    Confesso que prefiro romances de época  água com açúcar do que romances históricos com riquezas de detalhes, por isso nunca me interessei em ler os livros da Dinah Jefferies, mas os segredos que Eliiot escondeu em vida me deixou bem curiosa, então se a oportunidade de ler A Viúva de Safira surgir arriscarei a leitura sim... Abraços!

    ResponderExcluir