5 de junho de 2019

A Dominação Masculina | Pierre Bourdieu


Pierre Bourdieu analisa a dominação masculina que sobrevive na sociedade atual, denuncia um modo de pensar pautado pelas dicotomias e oposições, e faz o leitor refletir sobre o tema com olhar crítico indispensável. O autor inverte a relação causa-efeito, afirmando que essa dominação não é biológica, mas uma construção arbitrária do biológico que fundamenta as divisões sexuais aparentemente espontâneas; a biologia e o corpo seriam espaços onde as desigualdades entre os sexos seriam naturalizadas. Por fim, recorre à história das mulheres para mostrar que há mecanismos que podem contribuir para a exclusão feminina, provando que Família, Escola, Igreja e Estado ratificam a ordem social preponderante. A dominação masculina reforça a noção de uma dominação incrustada nos esquemas de pensamento, nos corpos e no que mais for alvo dos símbolos e da linguagem; ou seja, tudo.

Título Original: La Domination Masculine
Autor: Pierre Bourdieu
Páginas: 208
Tradução: Maria Helena Kühner
Editor: Bertrand Brasil
Livro recebido em parceria com a editora
Compre aqui

Em A Dominação Masculina Bordieu discute as origens dos papéis impostos para as mulheres e os homens na sociedade. Para tal, o autor relaciona a cultura ocidental com a cultura do povo Cabila — povo berbere, "homens livres", que habita tradicionalmente a região montanhosa da Cabília, no nordeste da Argélia. Tal povo acredita que as funções dos homens e das mulheres são tradicionalmente opostas e assimétricas, sendo o homem hierarquicamente superior —, tendo em vista principalmente o comportamento masculino. 

A partir do estudo, Bordieu expõe que a posição social da mulher desde os primórdios é de submissão, até que os movimentos feministas, que surgiram no século XX, aconteceram as primeiras mudanças reais. A inserção da mulher no mercado de trabalho, por exemplo, antes um direito exclusivamente dos homens, foi um ponto extremamente importante para nossa luta ganhar força. Ainda assim, de uma forma bastante sofisticada — e até bastante difícil, confesso —, ele mostra o quanto essa dominação masculina está imposta na sociedade mesmo nos dias de hoje. 

O triste é que nós mesmos não percebemos a maior parte dessa dominação, até porque muitas coisas não são tão óbvias como, por exemplo, a disparidade dos salários dos homens e das mulheres. Essa violência imperceptível, denominada simbólica, é aquela reproduzida socialmente principalmente através da linguagem e do pensamento. Quem nunca usou expressões como "homem não chora" ou "mulher tem que se dar ao respeito"? Coisas do tipo apenas provam como o machismo está dentro de todos nós, já que estamos sempre reproduzindo esse tipo de comportamento.

Obviamente nenhuma mulher tem culpa, até porque o ato de culpabilizar as mulheres é resultado dessa dominação. Bordieu afirma e nos faz compreender que essa opressão simbólica é tida como natural e muitas vezes é legitimada, fazendo com que haja essa reprodução coletiva, resultando, sempre, na promoção da soberania masculina.

Li muitas críticas à Bordieu justamente pelo fato de ser um homem falando sobre a dominação masculina e, mesmo reconhecendo a importância dos trabalhos feministas, foi acusado de ignorá-los. Eu, sinceramente, não sei me posicionar acerca do assunto, até porque acredito que os próprios homens são prisioneiros da própria dominação. Não concordei com muitas coisas citadas por ele, realmente, mas tampouco posso negar que não me abriu os horizontes.

15 comentários:

  1. Sem dúvida Dominação Masculina precisa ser lido e analisado com critério.
    Com certeza deve haver, como você mesma disse, pontos que não foram devidamente expostos, assim como há estudos válidos que mostram como essa dominação está intrínseca em muitas culturas , sendo difícil perceber vários pontos.

    ResponderExcluir
  2. Acho que se leio um livro desses vou passar é muita raiva, porque sempre odiei esses negócios de mulher não pode isso homem não pode aquilo e etc. Com mulher então sempre foi a minha maior raiva, as coisas mais bobas e que as pessoas limitavam pra gente. Ah cara. Não dá. Mas achei legal por ter esse estudo de origens, de comportamento e cultura e como os dois lados são vistos, as coisas diferentes que cada gênero tem e o que é imposto pra cada. A dominação masculina, como isso é feito e o que a gente vê mesmo nos dias de hoje. Vai ter coisas pra concordar e discordar, mas é legal mesmo por abordar uns assuntos assim e abrir a cabeça pra novas ideias.

    ResponderExcluir
  3. Oi, Ana
    Não conhecia o livro, mesmo que tenha algumas diferenças de opinião entre autor e leitor. Fico admirada que um homem escreveu sobre esse tema tão complexo.
    Concordo com você que muitos homens estão presos a própria dominação.
    Essa leitura faz com que o leitor faça observações e análises pertinentes no cenário atual.
    Quero muito ler, beijos!

    ResponderExcluir
  4. O livro traz uma análise complexa, visto que, parte de uma pesquisa etnográfica. Não sei se o autor aponta alguma diferença na dominação masculina nessas duas sociedades. Para mim, machismo, ou como o autor prefere chamar, dominação masculina, é o mesmo em qualquer sociedade. Entretanto, ele pontua questões importantes acerca da violência simbólica, a exemplo da disparidade salarial.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lud,

      É isso mesmo. Ele meio que faz uma comparação, né? É bem legal, de uma forma ou de outra, mas a linguagem é um pouco complicadinha pra quem tá começando na literatura agora.

      Excluir
  5. Seria o tipo de livro necessário/desnecessário.rs
    Pois sabemos que isso escrito e mostrado pelo lado masculino da questão, dá sim, uma outra conotação ao tema, que tem muito sim, a ser mostrado.
    Humanos, somos humanos. Mas o autor tentou e isso já é válido demais.
    Como não conhecia o livro, se puder, quero sim, conferir.
    Beijo

    ResponderExcluir
  6. O tema abordado é interessante, mas não é uma leitura que me chama atenção.
    Tem a questão da masculinidade tóxica, né? Mas eu também não seria opinar sobre.

    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Olá! Acho o tema abordado bem interessante, levando em conta a sociedade machista em que vivemos. Tenho interesse em fazer a leitura e me informar sobre as opiniões do autor.
    Acho interessante ele discutir sobre as origens dos papéis impostos para as mulheres e os homens na sociedade, esse fato me chamou bastante atenção acerca da obra.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  8. Esse não me parece ser um livro qualquer que a gente possa ler à toa. Para mim parece que o livro deve ser bem analisado e estudado. Falar sobre essa dominação masculina não deve ser fácil. E, claro, que a culpa não é de nós mulheres mas ao mesmo tempo pode ser. Eu não sou mãe, mas as mulheres criam os filhos. E quantas mulheres nós vemos por aí que criam as meninas de uma maneira e os meninos de outro?

    ResponderExcluir
  9. Oi, Ana!!
    Não conhecia esse livro A dominação masculina. Mas achei muito importante. E seria interessante que todos que tivessem a oportunidade de saber mais sobre a relação das origens dos papéis impostos para as mulheres e os homens na sociedade. Espero ter essa oportunidade.
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Marta!
      É uma leitura importante mesmo!
      Também acho interessante, até porque é uma visão masculina sobre o machismo (mesmo com as controvérsias, né? Em algumas partes achei que o autor puxou muita sardinha pros homens rs).

      Excluir
  10. Oiii ❤ Acho muito importante que livros abordem esse tipo de tema. Isso é muito importante ainda mais em uma sociedade intrínsecamente machista, onde a mulher é considerada inferior.
    Já ouvi críticas boas e ruins sobre partes do livro. Gostaria muito de ler esse livro para tirar minhas próprias conclusões.
    Obrigada pela indicação ❤

    ResponderExcluir
  11. Olá!
    Uma obra muito interessante. São temas abordados muito bem, ainda mais que isso começou nas épocas passadas e ainda permanece no dia de hoje. É um livro com uma boa critica, espero muito ter a oportunidade de ler em breve!

    Meu blog:
    Tempos Literários

    ResponderExcluir
  12. Achei bastante interessante ponto de vista do autor sobre o tema tão complexo acerca da masculinidade moderna. Espero ter a oportunidade de ler esse livro e tirar mente próprias conclusões sobre o ponto de vista do autor mas estou completamente motivada e curiosa

    ResponderExcluir
  13. Oi, Ana
    Acho o assunto bastante importante e quero ler mais sobre, mas pela sua resenha me pareceu um livro um tanto quanto confuso. E se você não gostou tanto não querer ler mesmo não.
    Bjs

    ResponderExcluir

 
Layout feito por Vinícios Costa editado por Silviane Casemiro | Todos os direitos reservados ©