FLIPOP 2019!


O Festival de Literatura Pop — FLIPOP, voltado aos jovens leitores, aconteceu nos dias 2, 3 e 4 de agosto no Centro Cultural São Paulo (CCSP) e levou vários autores a se encontrarem com seu público através das mesas e sessões de autógrafos. O espaço também contou com muitas editoras incríveis expondo seus livros, que também puderam se conectar um pouquinho mais com seu público.

As salas onde aconteceriam as mesas, a área das editoras e dos autógrafos e mesmo as áreas externas do CCSP estavam lotadas de leitores de todas as idades. Muitos pais com seus filhos, grupos de amigos, gente de todo tipo! ♥

Pude prestigiar o evento na sexta e no sábado, já que a Editora Seguinte (a criadora da FLIPOP) convidou o Roendo Livros para aproveitar o Festival, e eu como boa representante da Ana e do nosso querido site, me diverti muito e anotei discussões muito pertinentes levantadas nas mesas nos dois dias que estive presente. Então pega um cafézinho e vem comigo!

Como contar nossas histórias? foi uma conversa mediada pela Thati Machado, com os convidados Lavínia Rocha, Thaís Rodriguez e Vitor Martins, todos autores brasileiros, fortes nomes de representatividade no país, que vieram falar um pouquinho da importância de não ter estereótipos e variedade na literatura. Thati começou perguntando se os autores escreviam sobre representatividade de modo consciente ou se era algo natural, e a resposta foi unânime entre eles, de que a escrita sempre fluiu de modo a colocar um pouquinho de si ali.

Vitor comentou um pouco sobre escrever personagens gays dentro do padrão esperado e como foi libertador poder descobrir outros caminhos para a criação a partir daí, além de contar sua própria história de auto conhecimento e de como percebeu seus personagens sendo parte disso também.

Lavínia falou de seu papel na representatividade enquanto autora negra, escrevendo personagens negros. Ela salientou que no entanto ela sempre teve uma qualidade de vida acima da média da população negra brasileira, por isso é importante que existam mais autoras negras para falarem de aspectos da vida que ela não consegue abranger em sua escrita, e assim incluir o máximo de realidades possíveis.

Já Thaís explicou um pouco dos estereótipos do autismo, e da importância de ser mulher e falar sobre isso, já que normalmente mulheres aprendem a esconder os sintomas e raramente descobrem que estão dentro do espectro autista!

Representatividade muda o modo como a gente se vê e como vê o mundo. — TS Rodriguez

Um dos espaços da Editora Seguinte na FLIPOP. Ali você podia conhecer algumas obras publicadas pela editora e ganhar brindes exclusivos!

Em Uma mesa traiçoeira a autora americana Erin Beaty falou sobre seus livros O Beijo Traiçoeiro e A Missão Traiçoeira, sobre seu processo de escrita, sua inspiração em Mulan e o caminho que os personagens irão seguir no final da trilogia. A mediação foi feita pela Tamirez Santos do Resenhando Sonhos e contou com a participação dos fãs leitores fazendo suas perguntas.

Abrindo o coração na internet com Bruna Vieira, Guilherme Pintto e Matheus Rocha foi uma das mesas mais legais do sábado (só não ganhou do K-pop no meu coração, que irei dedicar um post todinho logo mais) e tratou sobre criadores de conteúdo que "cresceram" na internet e escolheram abrir a sua vida para o mundo, independente do hate levado ou não. Essa mesa teve a mediação da Frini Georgakopoulos que foi um espetáculo a parte, uma pessoa incrível e sensível, com questões muito pertinentes a serem discutidas, como qual é o conteúdo que os convidados escolhem compartilhar com seus seguidores e como isso tudo os afetou durante a vida.

Mesa sobre Romances de época, com Carina Rissi, Babi A. Sette e Paola Aleksandra, com a mediação de Larissa Siriani, no Espaço Missão.

É importante salientar o papel da FLIPOP em dar esse espaço para que os leitores tenham a oportunidade de conhecer e conversar com os autores que admiram. Erin teve sessão de autógrafos e respondeu à todos, mas não somente ela teve essa atitude. Nossos autores brasileiros também foram maravilhosos com seu público, os atendendo da melhor forma possível. Fiquei encantada com a proximidade que a FLIPOP proporciona, já que o clima dentro do evento é muito agradável, de amizade.

Muito obrigada Editora Seguinte pelo carinho de nos convidar, a experiência foi maravilhosa e desejamos que todos os leitores algum dia possam sentir o que senti no evento. Se vocês quiserem saber ainda mais do que rolou, posso fazer até um vídeo (já que gravei várias coisas por lá), é só comentar aqui em baixo!

Quer saber mais sobre a FLIPOP? Vem aqui: http://www.flipop.com.br/

Postar um comentário

21 Comentários

  1. Olá! ♡ Que evento maravilhoso! Deve ser uma delícia poder estar em um evento voltado para os livros e poder conhecer vários autores, blogueiros e amantes de livros. Eu nunca fui na FLIPOP, mas morro de vontade, a experiência parece única!
    Adoraria ter acompanhado a conversa de Como contar nossas histórias? já que acho muito importante os livros terem representatidade.
    Essa Mesa sobre Romances de época estava simplesmente maravilhosa, adoro cada uma das autoras, principalmente a Carina Rissi, que é a minha escritora favorita! ♡
    Adorei o post! Beijos! ♡

    ResponderExcluir
  2. Acompanhei o evento pelas redes sociais!
    Deve ser uma experiência única! Não só para os leitores mas principalmente para os jovens escritores. Trocar experiências com talentos novos e antigos é algo bastante enriquecedor

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Além disso, acho que dá bastante força pra continuar <3

      Excluir
  3. Como moro no fim do mundo, só pude acompanhar este grande evento pelos blogs que acompanho e claro que vibrei com cada foto, cada autógrafo e cada apresentação que foi feita durante os dias do evento!
    Acho esta aproximação tanto de autores lá de fora, quanto dos nossos autores, importante demais e pelo que vi nas fotos acima, foi tudo muito "de pertinho" e isso é maravilhoso. É preciso sempre que a literatura seja mostrada, gritada aos quatro ventos para que mais e mais leitores(e autores também) apareçam e fiquem!!!!
    Amei as fotos, o aprendizado e oh, que cabelo lindo o seu! rs
    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não teve nada de estrelismo sabe? Não teve gente andando com escolta, não teve 'ai não tenho tempo'. Pra tudo se teve tempo, abraço, sorriso. E foi incrível!!

      Excluir
  4. Oiii <3 Ir a FLIPOP parece ser uma oportunidade incrível, já que dá para conhecer vários autores e muita gente legal, além de participar das entrevistas e das sessões de autógrafos.
    Achei tão importante a Lavínia, o Vitor e a Thaís falarem sobre esses temas estereotipados ainda mais em seus livros.
    Essa mesa de escritoras de romances está incrível, já que já li obras das três e gostei muito, eu teria adorado participar desse bate-papo, ainda mais porque os romances da Carina Rissi tem um espaço muito especial no meu coração.
    Com certeza, vou querer conhecer a próxima FLIPOP.
    Beijos <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ray do céu, eu peguei a mesa delas quase no finzinho T^T o 'ruim' é que tem muita coisa acontecendo ao mesmo tempo HAHAH não dá pra ver tudo, é impossível, mas é legal já que tem trocentas opções. Amei!

      Excluir
  5. Nossa, nessa vi muito autor nacional dando as caras, mostrando livro novo e divulgando muita coisa daqui. Achei isso tão legal! Blogueiros, autores, um monte de gente conhecida do meio...foi bem interessante essa edição. Poder ir e acompanhar isso de perto deve ter sido uma experiencia muito boa ^^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi bem importante pra mim, pra perceber que a leitura não tá morta, que ainda vale a pena persistir nisso tudo <3

      Excluir
  6. Eu nunca tinha ouvido falar do Flipop, se ja ouvi não lembro. Tirando a Bienal, eu acho q esses eventos literários são tão pouco divulgados q é bem triste. Falando em Bienal eu nunca fui em uma, é meu segundo evento q eu sonho em participar no Brasil, tá na minha meta, perde apenas para a Fórmula 1 q é meu maior vício kkkkkkk, mas ganha da CCXP q está em 3º lugar.
    Queria ter pelo menos 1 livro autografado na estante q sonho ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Bienal é um grande evento comercial né? No final das contas se não tem divulgação, eles perdem com isso haha mas a flipop eu sempre vejo bem pouquinho mesmo, não sei a razão T^T espero que fique maior com o tempo pra mais gente poder participar <3
      E falando em bienal, acredita que eu também nunca fui em uma? AHAHA se você for na ccxp me avisa no insta pra gente se ver!!
      Beijos ;*

      Excluir
  7. Ah, eu vi as fotos do evento pelo feed, e achei tão incrível e intimista. Mas gostei de saber do que houve em cada mesa, só teve autores maravilhosos e ter tido a chance de conhecer os de fora deve ser ainda mais incrível.

    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Jéssica, eu ainda não tive o prazer de participar de uma Flipop. Um dos motivos é que devido à proximidade com as bienais e eu morar no interior do Rio, acabaria por estourar meu orçamento. Esse ano li bastante sobre as experiências de diversas pessoas com a feira e acabei ficando bastante interessado em conhecer em uma próxima oportunidade. Claro que tenho interesse nos vídeos. Uma das coisas que mais achei interessante é essa proximidade que todos estão falando.

    ResponderExcluir
  9. Deve ser maravilhoso participar de um evento literário, poder conhecer os autores, participar das rodas de conversa, ter o livro autografado. Pelo teu relato, foi perceptível o clima de proximidade entre leitores e autores, no evento.

    ResponderExcluir
  10. Olá!
    Ain, pena que moro em outro estado porque com certeza eu iria, mas fazer o que né. Adorei muito saber sobre o evento, conhecer essas mesas através de você e de outros leitores e blogueiros, fiquei um tanto curiosa para saber mais e quem sabe um dia ir.

    Meu blog:
    Tempos Literários

    ResponderExcluir
  11. Oi, tudo bom? Eu acho que nunca tinha ouvido falar do FLIPOP, mas talvez deva ser por morar um pouco muito longe de São Paulo. Entretanto, é fato que eventos literários menores - em relação a bienal do livro que é enorme - possui uma divulgação consideravelmente fraca na comunidade, infelizmente. O FLIPOP parece muito ser esse evento que aproxima os autores nacionais de seus leitores e eu com toda certeza estou com interesse ENORME de participar de alguma edição futura - só preciso chegar até ai. rs

    Beijos ❤️

    ResponderExcluir
  12. Que evento maravilhoso, tenho muita vontade de participar, mas onde moro nunca tem nada assim. Muito triste!

    ResponderExcluir
  13. Infelizmente não tive a chance de ir na Flipop, mas espero ir um dia!
    Achei os painéis de discussão que você citou bem legais, principalmente o de romance de época com essas autoras incríveis (amo!) e o que abordou o tema da representatividade.
    Adoro esses encontros de leitores justamente pelas discussões que são geradas, e podem mudar o pensamento de muitos leitores. Como disse, espero um dia poder participar *-*
    Bjos

    ResponderExcluir
  14. Oi, Jéssica
    Um dia ainda quero ir na Flipop, mas tenho que me programar e economizar já que moro em Minas Gerais.
    Nossa seria um sonho estar perto desses autores que escrevem sobre si e representatividade.
    Beijos

    ResponderExcluir
  15. Oi, Jéssica
    Que legal que você foi na Flipop, eu queria muito ter ido, mas não deu.
    Ai que massa o Vitor Martins é maravilhoso, adoro os livros dele.
    Já li alguns da Bruna e também quero ler da Thati.
    Bacana esse papo sobre representatividade mesmo, também sinto falta disso nos livros.
    Parabéns por ter ido!
    bjs

    ResponderExcluir
  16. Oi, Jéssica!!
    Parece que o evento foi muito legal!! Adoraria participar de um evento assim, mas aqui na minha cidade não tem eventos maravilhosos assim.
    Bjs

    ResponderExcluir