Matadouro-Cinco | Kurt Vonnegut


Matadouro-Cinco é a obra-prima do autor Kurt Vonnegut. Considerado um clássico da ficção científica, o livro ganhou uma edição lindíssima pela Intrínseca para comemorar os 50 anos de sua publicação. A edição tem capa dura, design moderno e um detalhe super interessante: as folhas são amareladas, mas, o corte é branco, combinando com as cores predominantes da capa, que são branco e azul.

A parte difícil vem agora: explicar o enredo do livro. Acontece que essa história é confusa e meio louca. No livro, acompanhamos o personagem Billy Pilgrim, que combateu na Segunda Guerra Mundial, faz viagens no tempo e já foi abduzido por uma raça alienígena quadridimensional. E nada disso é spoiler, porque a história não é contada de modo linear. Afinal, sendo Billy um viajante no tempo, sua história é contada sem linearidade também, indo e vindo no tempo.

Os horrores da guerra, sua exposição em um tipo zoológico alienígena, a internação em um hospital, o casamento, os filhos, um acidente e até mesmo sua morte. Todos esses eventos indo e vindo, se alternando e se entrelaçando ao longo da narrativa. Porém, essa é só a parte rasa dessa história. Acontece que Matadouro-Cinco vai muito além, inserindo debates filosóficos, ironias e profundas reflexões.

O livro é marcado pela frase "É assim mesmo", falada pelos alienígenas e repetida dezenas de vezes ao longo do livro. A frase é usada pelos alienígenas quando alguém morre, porque para eles a morte é um evento indiferente. Afinal, eles são quadridimensionais e a morte nunca marca um ponto final se eles possuem a capacidade de enxergar o tempo como um todo.

Porém, "É assim mesmo" é também uma ironia gigantesca. No livro, a frase é inserida sempre que uma morte ou um evento trágico é descrito, mas nós não somos seres quadridimensionais, somos tridimensionais, então há coisas que não deveríamos aceitar com tanta resignação, como as guerras e os assassinatos, mas a verdade é que aceitamos. Na maior parte do tempo, somos resignados e ignoramos os horrores que estão acontecendo no mundo.

E esse é só um dos debates que o livro propõe. A ideia de livre-arbítrio é questionada, assim como empatia seletiva. O autor também faz algumas críticas ácidas à religião. Enfim, esse é um livro de muitas camadas e com muitas possíveis interpretações. Billy é realmente um viajante no tempo? Ele foi mesmo abduzido por essa raça? Ou tudo isso foi a forma como a sua mente arrumou para lidar com as coisas que ele viu na guerra? Ficção científica ou apenas psicologia? Afinal, uma raça alienígena tão resignada não seria um modo de lidar com as coisas que ele não pode mudar?

Apesar da complexidade do enredo e da riqueza dos debates propostos pelo autor, eu preciso dizer eu não amei o livro como eu gostaria de ter amado. A narrativa não me agradou, eu fiquei tentada a pular parágrafos em alguns trechos bem desinteressantes e achei que o autor deu muita atenção a aspectos pouco importantes e pouca atenção a aspectos mais relevantes.

Matadouro-Cinco é uma leitura super rápida, com poucas páginas e com pouco texto por página. O livro não entrega respostas e deixa muita coisa no ar para que o leitor tire suas próprias conclusões e interprete como quiser. Recomendo para quem busca uma leitura bem diferente, rápida e inovadora.

Título Original: Slaughterhouse-Five ✦ Autor: Kurt Vonnegut 
Tradução: Daniel Pellizzari Páginas: 288 ✦ Editora: Intrínseca

Postar um comentário

11 Comentários

  1. Este livro é considerado um dos grandes clássicos e eu não entendo ainda os motivos para não o ter lido.
    Sempre tive muita dificuldade com ficção científica, essa "bagunça" de linha do tempo, viagens, é algo que sempre me confundiu demais.
    Mas em contrapartida, viagem no tempo é algo que eu gosto muito, mas, só ela.rs (o misturar assuntos que me bagunça inteira)
    Mas por ser uma leitura relativamente pequena, espero ainda poder conferir a obra sim!!!
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Matadouro Cinco é bem diferente e fora da curva não é?
    Fala sobre a Segunda Guerra e ao mesmo tempo não fala.
    É chocante de embrulhar o estômago porém possui uma realidade cruel.
    Confesso que ficção científica mais Segunda Guerra não são minha primeira escolha.

    ResponderExcluir
  3. Queria ler esse bendito e é uma história muito louca mesmo, mistura muito e brinca com ficção cientifica de um jeito que parece jogar tudo que a gente vê em livro assim, mas separado. Uma trama que fale ou de viagens no tempo ou aliens, a maioria que leio do tipo ou fala de um ou de outro e aí ta tudo junto. Gostei. Também isso de fazer refletir, o lado psicológico, chama atenção. Tem muito pra explorar de temas pelo jeito.

    ResponderExcluir
  4. Priscila!
    Apesar da complexidade do texto, os assuntos são diversos e importantes.
    Ainda assim, ver um relato, ou mais um relato sobre a guerra, é sempre uma leitura de aprendizado e conhecimento. Acredito que irei dar uma chance para leitura.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  5. Estou tentando acrescentar mais clássicos na minha lista, mas esse vou deixar de fora porque ficção científica não faz muito o meu gênero.
    Até achei a premissa interessante, apesar da confusão, mas é uma pena que não tenha amado como gostaria.
    Intrínseca está arrasando nas edições!

    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Oi Priscila ;)
    Quase comprei o livro em uma promoção que teve na Black Friday, mas deixei passar a oportunidade. Sei que pela sua resenha que não é um livro nada fácil de ler e entender, e pelos seus comentários acho que até é uma obra para ser lida aos poucos enquanto refletimos sobre os temas abordados.
    Quero ler o livro, e comprar essa edição maravilhosa, mas sinto que agora não é o momento certo.
    Bjos

    ResponderExcluir
  7. Olá, Priscila
    A editora Intrínseca tem caprichado nas edições dos últimos meses, mais um pouco vai estar bem parecida com os livros da Darkside.
    Quase comprei esse livro, mas numa próxima oportunidade vou comprar.
    Gostei muito do enredo que trás reflexão e mesmo que foi escrito há cinquenta anos essas perguntas nos acompanha atualmente. E a pergunta que não quer calar ele viajava mesmo no tempo, foi abduzido?
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. A sinopse desse livro é algo tão confuso que eu sinceramente não sei se eu entendi muito bem ela mas a princípio é um livro que só me atraiu no quesito de ser um livro de ficção científica mas de resto realmente um livro que eu compraria por causa da sinopse

    ResponderExcluir
  9. Oi, Priscila!!
    Gostei da indicação nunca li nada do autor Kurt Vonnegut, achei a história bem interessante pois sempre gostei de livros de ficção cientifica e realmente o livro parece ser meio confusa. Mas mesmo assim espero sim ter oportunidade de adquirir esse livro.
    Bjs

    ResponderExcluir
  10. Oiii ❤ Essa parece uma obra interessante, mas um tanto quanto confusa já que os acontecimentos da vida de Billy não são narrados em ordem cronológica e que coisas irreais, como ele ter sido abduzido por alienígenas, acontecem.
    Achei interessante que o autor faz críticas e traz reflexões com a obra.
    Não sei se leria, mas tenho que concordar que a premissa é bem interessante.
    Beijos ❤

    ResponderExcluir
  11. Olá! ♡ Confesso que não senti muita vontade de fazer essa leitura, acho meio confuso essa coisa de a história ir e vir no tempo.
    Não sou muito fã de livros que deixam certas coisas no ar, sem explicação. Gosto de terminar os livros com a sensação de que tudo foi resolvido e as questões que foram abertas durante seu desenvolvimento foram elucidadas.
    Também me incomoda muito quando os autores dão mais importância para coisas irrelevantes para a história e deixam as que são bem mais importantes de lado.
    Enfim, acredito que não faria essa leitura.
    Beijos!

    ResponderExcluir