O Livro de Líbero | Alfredo Nugent Setubal


O Livro de Líbero foi a primeira obra nacional enviada pelo Clube Intrínsecos. Já fiquei com aquela vontade de ler depois dessa informação, que acho muito importante e sensacional. A vontade só aumentou quando meu amigo João começou a falar super bem dele no Instagram, apontando várias características positivas e sensações que a leitura causou nele. Eu tinha certeza que ia gostar, mas não sabia que a história de uma pessoa tentando se reencontrar mexeria tanto comigo. 

A primeira coisa que vocês precisam saber sobre esse livro é que ele não possui nenhuma reviravolta ou acontecimento marcante, mas isso não faz com que ele seja ruim, obviamente. Através de uma narrativa sensível e poética, Alfredo Nugent Setubal nos apresenta Líbero Perim, uma criatura que teve a vida trilhada pela passagem do Circo Bosendorf em sua cidade natal, Pausado. 

Líbero, que trabalhava no pequeno jornal da cidade, fundado e editado por seu pai, Massimo Perim, estava tão animado que não pensou duas vezes quando foi mandado até o local onde as tendas estavam armadas para garantir uma matéria perfeita para a Gazeta de Pausado. Porém, o que o menino nem imaginava é que além de toda magia e fantasia que o circo naturalmente traz, ele também vivenciaria uma coisa inacreditável na noite do espetáculo: um homem lhe ofereceria o livro da sua vida, um livro onde todo o passado, presente e futuro estaria ali, num simples passar de páginas. 

Pelo enredo, esperava de verdade uma história muito mais fantasiosa, mas fui surpreendida quando me deparei com a jornada de uma pessoa que poderia, na realidade, ser qualquer um de nós. Eu não sei o que eu faria se alguém me oferecesse um livro que contasse a minha história, que mostrasse o que tem por vir, mas confesso que admiro a atitude que Líbero tomou, mesmo que ela tenha arrancado um pedaço dele. 

Uma coisa que eu achei bastante interessante foi o fato do livro não ser narrado pelo protagonista. Isso significa que sabemos como ele é e o que ele se tornou através dos olhos de outros personagens. A primeira parte nos é mostrada por Baltazar, o homem que tomava conta do livro de Líbero. A segunda parte, após os acontecimentos no Circo, é sob a perspectiva de Rubio, um rapaz de passado misterioso que trabalhava com Massimo — e era como um segundo filho para ele — e Líbero na Gazeta de Pausado. Gostei muito desse panorama, mas confesso que gostaria de saber o que Líbero pensava, o que ele estava sentindo de verdade. 

Percebi que o Circo, invés de representar uma entidade mágica e fantástica, esteve presente durante toda a narrativa porque representa o próprio protagonista, que passou a se metamorfosear após aquela fatídica noite em que o livro foi oferecido à ele. Líbero teve todo o seu futuro transformado por uma noite, não por causa do que estava escrito no livro, mas por causa de uma decisão que tomou. No fim das contas, O Livro de Líbero é uma grande metáfora sobre sermos responsáveis por traçar nosso próprio destino.

Achei a escrita de Alfredo Nugent Setubal muito diferente de tudo o que eu já li. Sabe quando uma pessoa mais velha, bem vivida, senta e resolve contar uma história para gente, querendo trazer reflexões a partir dos fatos narrados? Pois bem, é exatamente isso — tanto que, juro para vocês, me assustei muito ao descobrir que o autor é só um pouquinho mais velho que eu. Fiquei bastante pensativa com o passar dos capítulos, principalmente porque fala muito sobre pensarmos muito no futuro e, ao mesmo tempo, sermos muito apegados ao passado. 

Eu amei muito essa história, mas apesar de tudo, não acho que O Livro de Líbero seja do tipo que agrade todo e qualquer leitor, infelizmente. Como eu já disse antes, quem gosta de livros cheios de ação e reviravoltas não encontrará aqui um porto. Ainda assim, acho que a narrativa tem um certo quê de mistério que acaba prendendo o leitor, seja para sabermos o que aconteceu com Líbero, aquela curiosidade insistente sobre o passado de Rubio... Mas enfim, acredito que o ponto alto da trama criada por Setubal está realmente nas reflexões sobre essa grande tenda de espetáculos que é a vida humana.

Título Original: O Livro de Líbero ✦ Autor: Alfredo Nugent Setubal
Páginas: 256 ✦ Editora: Intrínseca
Livro recebido em parceria com a editora
Ajude o blog comprando o livro através do nosso link!

Postar um comentário

18 Comentários

  1. Parece uma história bonita, pra fazer pensar e deixar aquelas lições. Acho que iria me pegar de jeito esse livro. Gostei disso de mostrar o personagem através dos olhos de outras pessoas também, deixa uma coisinha a mais, uma sensação ao ler que torna tudo mais especial, sei lá. Me lembra de filmes e coisas assim que já vi nesse estilo e amei demais. Faz a gente ver o melhor do personagem, não sei explicar, aquela coisa que ele deixa no mundo sabe? Como afeta as outras pessoas, a marca dele. Acho esse tipo de narrativa bem bonita por isso. Ver o que outras pessoas sentem e passam com a experiencia daquele personagem na vida delas. A história não ter grandes reviravoltas não me desanima. Ela parece deixar sentimentos e coisas no caminho que o leitor vai se ver envolvido, vai ficar pensativo. Destino, futuro, a vida...ai ai, é muito pra se pensar. O livro tem uma coisa que me deixou bem animada por ele. Se puder vou ler com gosto.

    ResponderExcluir
  2. O livro parece ser interessante mas o fato de não ter nenhum plot marcante ou revira-volta na história me deixou um pouquinho incomodada porque eu gosto de surpresa e monotonia nem sempre me agrada

    ResponderExcluir
  3. Olá! Esse livro tem um enredo muito questionador e reflexivo, afinal o que faríamos se pudéssemos utilizar o famoso “E se”, quais atitudes mudaríamos, e quais as consequências dessas mudanças, haverá mudanças, tantas perguntas, que sem dúvidas, vou querer devorar a história para saber quais foram às decisões de Líbero, achei diferente que o livro não seja narrado por ele (afinal estamos lendo sobre a sua vida), mas acredito que isso não atrapalhe a leitura, mas pode deixar aquele gostinho de quero mais né, com certeza o fato de ser um autor nacional deixa a obra ainda mais atraente.

    ResponderExcluir
  4. Desconhecia completamente esse livro, além de não assinar nenhum clube, também não acompanho muito os lançamentos da Intrínseca. Mas fiquei muito curiosa e entusiasmada com esse título. Gosto de tramas que me faça refletir sobre a história, me identificando em conjunto, consequentemente, fazendo eu refletir sobre minha própria trajetória. Achei a premissa muito diferente do que já li/ouvi de outros livros por aí, deveras interessante! Vou deixar na lista de desejados, espero que, em breve, posso obtê-lo para consumi-lo <3 Amei a resenha também, tua escrita é muito boa.

    Abraços
    https://monautrecote.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. que interessante a maneira como o autor mostra o personagem ,assim pela visão de outros personagens .que pena que fica aquela curiosidade a respeito do passado de Rubio .
    que bom que a literatura nacional a cada dia nos apresenta autores novos escrevendo sobre todos os generos
    quero ler e saber mais a respeito de Libero

    ResponderExcluir
  6. Que bom esse estímulo para a literatura nacional, né? eu fico mais nos romances contemporâneos brasileiros e eu adoro!
    Voltando para a resenha desse livro, te confesso que eu morreria de medo de ler o que quer que tivesse sobre mim, nossa que coragem para algo desse tipo né? Acho que não só pelo futuro, mas algumas partes do passado é melhor nem serem lembradas, por isso que ficou pra trás, o que você acha? Mas achei incrível a proposta do livro, com certeza eu seria uma leitora que estaria no grupo daqueles que iriam adorar ler, mesmo sem qualquer reviravolta importante.
    Abraços

    ResponderExcluir
  7. Eu adoro histórias com reviravoltas, mas cada vez mais essas narrativas lineares, sem grandes acontecimentos, mas com várias reflexões vem me conquistando bastante. O livro de Líbero despertou meu interesse assim que vi um nacional ser publicado pela Intrínsecos, mas não sabia muito da história - que adorei lendo a resenha, inclusive. O que mais me chamou a atenção foi o fato do protagonista ser apresentado por meio de outros personagens, fiquei muito curioso pra acompanhar essa narrativa como um todo.

    ResponderExcluir
  8. Oii Ana!
    Uau, amei demais esse livro! Estou já colocando na minha wishlist. A premissa dele parece ser bem interessante e trazendo ótimas reflexão para gente. Alguns anos atrás li um livro mas o menos parecido assim e pretendo reler novamente. Gostei muito!

    blog: Tempos Literários

    ResponderExcluir
  9. Que bom conhecer sua opinião sobre esse livro.
    Tenho vontade de ler, mas algumas opiniões divergentes me deixam em dúvida. Bom saber que é uma leitura simples, mas tocante. E eu amo uma escrita poética.

    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Quase um spoiler da própria vida! Não sei se tivesse a oportunidade leria o livro da minha vida.
    Realmente foi uma boa ideia, o livro não ser em primeira pessoa, assim temos uma visão mais real do crescimento do personagem.
    Estamos acostumados a ler livros com reviravoltas e plots twist mas livros assim como esse, bem linear, são bons também e nos fazem refletir.

    ResponderExcluir
  11. Oi, Ana.
    Ainda não tinha lido essa resenha em lugar nenhum, então, fiquei mais do que entusiasmada pra saber do que se tratava! Fiquei muito curiosa pra conhecer essa narrativa tão sensível e poética e, é claro, saber um pouco mais sobre Líbero. Acho que quando bem escrito e bem trabalhado com as emoções, o livro nem precisa ter grandes reviravoltas.
    Bjo

    http://coisasdediane.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  12. Esse livro causou um rebuliço tão grande quando foi trazido na caixinha de sonhos da Intrínseca! Primeiro por sim, ser nacional e isso deve ser aplaudido, outro, por trazer um personagem sim, que poderia ser qualquer um de nós, com a possibilidade de fazer escolhas, de saber ou preferir não saber.
    A vida é assim! Acredito também que como você disse, quem gosta de enredos com mais ação, vá se incomodar um pouco. Mas eu? É uma leitura que pretendo sim, fazer em breve!!!!
    Beijo

    Angela Cunha Gabriel/Rubro Rosa/O Vazio na Flor

    ResponderExcluir
  13. Também acho muito sensacional e importante lermos cada vez mais obras nacionais. Não conhecia o livro, que bom que ele te agradou. Gosto muito desses livros que trazem reflexões, acho que nos acrescentam demais!
    Beijos

    ResponderExcluir
  14. Nossa.. eu adorei a ideia do autor. Como você disse, uma história sem grandes acontecimentos não é, necessariamente, um livro ruim. Com certeza esse livro cativa o leitor por apresentar um simples personagem numa ideia maravilhosa criada pelo autor. Além disso, eu adorei a mensagem que o livro traz sobre destino.

    ResponderExcluir
  15. Oi, Ana
    Sua resenha foi muito esclarecedora porque outras resenhas que li algumas foram negativas.
    Já sabendo que não é uma trama com grandes ações, posso ler sem a expectativa estar nas alturas.
    É um enredo que fascina e prende o leitor mesmo depois de ler o livro porque faz refletir sobre nossas atitudes/decisões, nós somos responsáveis por nossos atos.
    Quero ter oportunidade de ler, beijos.

    ResponderExcluir
  16. Olá Ana Clara.
    Eu acho que se me oferecessem o livro da minha vida a curiosidade para saber do futuro seria tanta que eu nem hesitaria em pegar rsrs. É um grande desafio viver em equilíbrio: desapegar do passado, aproveitar o presente e planejar o futuro sem se preocupar obsessivamente, achei bem interessante as reflexões que o autor nos faz ter sobre isso. Só isso já faz a leitura valer a pena, tendo a história um acontecimento bombástico ou não. A narrativa criada por Setubal é bem inusitada, mas também gostaria de ver as coisas pelo ponto de vista de Líbero.
    Beijos

    ResponderExcluir
  17. Ana!
    Um livro de história e de vida, bem contado, mesmo que seja um livro de fantasia, é um aprendizado inenarrável.
    Além de se passar em um circo, coisa que me interessa muito, pois painho foi homem de circo, ver que o autor conseguiu trazer uma parábola com a vida real, é interessante.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  18. Oi, Ana
    Eu não conhecia o livro, nem o autor, mas gostei muito da sua resenha.
    Deu pra ver que é uma história de muitas reflexões importantes sobre a vida.
    E as aventuras do Líbero nos faz questionar nossas próximas escolhas e vontades.
    Vai pra lista!
    Bjs

    ResponderExcluir