Pequeno Manual Antirracista | Djamila Ribeiro

Quase sempre nós utilizamos a leitura como forma de diversão e entretenimento, até porque na maioria das vezes a gente já tá tão cansado de estudar que não quer ficar preso em coisas muito complicadas fora do âmbito acadêmico, né? Em contrapartida, eu concordo que às vezes a gente precisa de leituras mais sérias, como Pequeno Manual Antirracista. Mas não se preocupem porque de complexo esse livro não tem nada, já que Djamila Ribeiro usa toda sua desenvoltura para trazer uma linguagem simples a esse assunto tão importante do nosso cotidiano.

Apesar da pouca quantidade de páginas, 136, esse manual é carregado de reflexões. E justamente pelo fato de ser curtinho, Djamila é muito precisa nos temas que aborda: políticas raciais afirmativas, privilégio branco, racismo estrutural, lugar de fala, combate à violência racial, a própria luta antirracista e vários outros conceitos que, assim como todo manual, são ensinados a quem o lê.

É claro que não vai ser uma leitura do tipo "10 passos para se tornar antirracista", até porque vivemos numa sociedade onde o racismo está enraizado, ou seja, é um processo de desconstrução. O interessante são os questionamentos que a autora traz a tona e a forma como ela tenta nos fazer enxergar além da bolha em que vivemos, além de nos fazer compreender o papel de cada indivíduo na luta antirracista.

Para entenderem a importância do Pequeno Manual Antirracista, deixo aqui para vocês algumas estatísticas que revelam e comprovam a desigualdade racial em nosso país:

1. Taxa de analfabetismo

No Brasil, a taxa de analfabetismo entre os negros (9,1%) de 15 anos ou mais é superior ao dobro da taxa de analfabetismo entre os brancos da mesma faixa de idade (3,9%), segundo o IBGE.

2. Renda per capta e taxa de emprego

Ainda de acordo com o IBGE, pretos e pardos tinham um rendimento domiciliar per capita de R$ 934 no ano de 2018. No mesmo ano, os brancos ganhavam praticamente o dobro, cerca de R$ 1.846. A taxa de desocupação entre os negros em 2018 foi de 14,1%, contra 9,5% entre os brancos.

Nesse sentido também é possível afirmar que pardos e pretos normalmente são mais pobres que brancos: em 2018, 15,4% dos brancos viviam na pobreza, mas o percentual era maior entre pretos e pardos, chegando a 32,9%.

3. Violência policial

No Brasil, os negros são as vítimas em 75% dos casos de morte em ações policiais. Além disso, entre os presos com dados disponíveis no sistema sobre cor de pele, raça ou etnia, 67% são negros, e os brancos, 32%. Na sociedade brasileira, esses dois grupos são, respectivamente, 56% e 44%.

Todos os dados foram retirados da reportagem da BBC intitulada Protestos por George Floyd: em seis áreas, a desigualdade racial no Brasil e nos EUA. Acessem o link para mais informações sobre o assunto.

Título Original: Pequeno Manual Antirracista ✦ Autora: Djamila Ribeiro
Páginas: 136 ✦ Editora: Companhia das Letras
Livro recebido em parceria com a editora

Postar um comentário

11 Comentários

  1. Em um ano que o racismo voltou a povoar infelizmente todos os jornais do mundo, aquele tipo de livro quase que necessário, para ajudar e nos ensinar também.
    Somos parte do problema,mas também parte da solução.
    Ainda não li esse livro,mas preciso muito fazer isso o quanto antes!
    Beijo

    Angela Cunha Gabriel/Rubro Rosa/O Vazio na Flor

    ResponderExcluir
  2. Ana!
    Toda leitura que nos faz repensar nossas premissas e nos ensina a melhorar nosso comportamento em relação a atitudes que não deveríamos ter, mesmo que seja histórico e enraizado socialmente, vale a leitura.
    Precisamos todos fazer a leitura desse livro.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  3. Que livro interessante! É bem diferente do que costumo ler, mas extremamente necessário. Também acho que seja um processo de desconstrução e que mesmo que não sejamos racistas, devemos sempre nos atentar desde coisas simples, como comentários/frases que não imaginamos que sejam racistas, até mesmo à criação de oportunidades voltadas para negros. Acho muito difícil falar sobre esse assunto quando relacionado à violência policial, bem triste.
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Olá! Com certeza esse é um livro muito necessário justamente por nos fazer refletir que ainda temos muito o que mudar e aprender quando o assunto é racismo.

    ResponderExcluir
  5. Deveria ser leitura obrigatória em esolas, faculdades.
    Uma leitura importante, especialmente nesse momento em que vemos casos de racismo todos os dias.

    ResponderExcluir
  6. Hello!!!
    Tô achando tão legal as suas indicações,que por estamos no mês da consciência negra considero leituras necessárias apesar de ainda não ter lido,mas todos estão no topo da minha lista,quero acima de tudo aprender,sobre a cultura, sobre o que falar e não falar até mesmo pra alertar outros que ainda tem o preconceito e o racismo tão dentro de si

    ResponderExcluir
  7. Ola
    Ana
    há muita coisa ainda para se fazer ,mas como voce resenhou .é um processo de desconstrução ; e isso passa para todos os segmentos da sociedade ,como tv, publicidade ,literatura .
    esse manual mostra a dura e triste realidade dos negros .
    que possamos num futuro proximo um mundo onde não haja mais racismo ,porque somos todos iguais

    ResponderExcluir
  8. Oi, Ana
    Um livro com linguagem simples e super necessário, ainda mais depois de muitos fatos tristes que vem acontecendo no país.
    Quero muito poder ler, beijos.

    ResponderExcluir
  9. Um livro necessário e que infelizmente a gente vê as taxas acontecendo. Queria ler, parece cheio de coisas pra se pensar e numa linguagem fácil e rápido de ler. Poucas mas valiosas páginas. Um desses livros que seria bom todo mundo poder ler.

    ResponderExcluir
  10. Oi, Ana!!
    Gostei bastante da indicação desse livro, acho importante sabemos um pouco mais sobre Pequeno Manual Antirracista, pois estamos vivendo um momento triste com tantas mortes relacionas ao racismo.

    ResponderExcluir
  11. Oi, Ana
    Uma ótima leitura mesmo. Já tô com ele no kindle e ansosa para começar. Acho que vou gostar muito. Além de ele nos fazer repensar muito na importante de see antirracista e como combater o racismo mesmo!
    Bjs

    ResponderExcluir