Enquanto Eu Não Te Encontro | Pedro Rhuas


Eu tinha certeza que ia amar Enquanto Eu Não Te Encontro (EENTE), não só porque todas as pessoas que leram amaram, mas porque eu sabia que tudo o que eu precisava era ler uma comédia romântica adolescente protagonizada por personagens LGBTQIA+. Afinal, todo mundo gosta de comédias românticas, mas já notaram que os personagens são sempre os mesmos? Então, o protagonismo gay e nordestino era o que faltava para eu confirmar que esse gênero é um dos melhores que existem SIM.

Em EENTE, conhecemos a história de amor entre Lucas, um jovem interiorano que se mudou para Natal pra estudar Publicidade na federal, e Pierre, o francês lindo de bonito que é o personagem perfeito para qualquer pessoa que está procurando o clichê do ano. O melhor de tudo é que os dois se encontram em uma boate e se "festoxonam" — termo utilizado para definir o que rola quando você fica com alguém em uma festa, mas não consegue esquecer essa pessoa tipo, nunca mais, rs — um pelo outro instantaneamente, mas o destino resolve separá-los exatamente na mesma noite, bem Cinderella mesmo, mas sem o sapatinho de cristal. Se eles conseguem se reencontrar? Mas não conto é nem por reza!

Uma coisa que eu amei é que a narrativa se passa em 2015, que foi mais ou menos a época que eu entrei na faculdade. Esse detalhe fez com que eu me identificasse ainda mais com os personagens, porque as cenas relatam exatamente tudo o que eu vivi nos meus anos iniciais na UFVJM: festas com os amigos, surtos desastrosos, momentos tristes que todo jovem que sai de casa sabe como é... Além, é claro, de todas as referências pops que eu adoro até hoje, inclusive os memes da Inês Brasil. 

— A tristeza existe e é necessária, porque é a balança da alegria. Não dá para conhecer uma sem sentir a outra. — p. 85

Os protagonistas são maravilhosos, é claro. Lucas é perfeito, carregado de dramas e defeitos que todo mundo nessa faixa etária tem, então é realmente muito fácil se apegar e torcer por ele. Pierre é o típico galã que parece ter saído de um sonho, né gente... Além de lindo, romântico e super fofo, é francês, ou seja, o pacote inteiro numa pessoa só. Mas nem só de protagonistas vive uma história, não é mesmo? Aí que entram os amigos do Lucas. Não fossem eles, EENTE não seria o mesmo. 

Eric, o melhor amigo e colega de apartamento de Lucas, por exemplo, é dono de uma trama envolvendo relacionamento abusivo que eu particularmente adoro acompanhar em livros voltados para o público juvenil. A gente está super acostumado a ver isso em casais heterossexuais, principalmente em contextos onde a mulher é a vítima — até porque o machismo está aí todos os dias, né? —, mas foi deveras interessante acompanhar a mesmíssima coisa em um casal LGBTQIA+ só pra provar que existe gente babaca em todo lugar.

Outro ponto alto do livro é a própria escrita do autor, Pedro Rhuas, que é uma delícia. Eu amei que ele trouxe a cultura nordestina e a vivência dele para dentro da obra de forma muito natural. É claro que não existe ninguém melhor para falar do lugar onde vivemos do que a gente mesmo, mas achei incrível do mesmo jeito. Eu fui arrebatada logo no primeiro capítulo, juro. E por falar nisso, os títulos dos capítulos são um espetáculo à parte, haja criatividade!

[...] — As pessoas não agem como esperamos que ajam. Na minha opinião, é isso que as torna interessantes. [...] Quando esperamos que as pessoas se comportem como nós queremos e não como são, não estamos permitindo que sejam, mas tentando controlá-las. E não é justo. Nunca leva a lugar nenhum. — p. 176

Se vocês estão procurando um clichê super leve e cheio de representatividade, EENTE é a pedida certa, com direito a final emocionante e tudo. Além de acertar em todos os pontos possíveis, Pedro Rhuas ainda conseguiu compor e interpretar a trilha sonora do próprio livro, cês acreditam? O próprio artista completo, tudo pra mim. Não é atoa que foi o livro ganhador da Clipop, o concurso literário da editora Seguinte. O sucesso é merecido e mal vejo a hora de ler outras obras do autor!

Título Original: Enquanto Eu Não Te Encontro ✦ Autor: Pedro Rhuas
Páginas: 272 ✦ Editora: Seguinte
Livro recebido em parceria com a editora

Postar um comentário

14 Comentários

  1. Sim, não li nada até o momento que tenha negativo sobre esse livro e estou ansiosa para poder comprar o abençoado!
    Seja pelo romance gay, seja por Lucas, seja pela cultura. Seja sim, por ser literatura brasileira de primeiro nível e aquecer nosso coração tão carente de amor!!!
    Espero ter ele em mãos o quanto antes!!!
    Beijo

    Angela Cunha Gabriel/Rubro Rosa/O Vazio na flor

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Literatura nacional tem ficado cada vez melhor, viu? Ainda bem!

      Excluir
  2. Vi esse livro sendo muito divulgado no twitter e fiquei curiosa em le-lo.
    Acho que vou curtir, gosto bastante de livros ya e q seja bem leves de ler. E nacional, quero ler mais livros nacionais esse ano.

    ResponderExcluir
  3. Oii, faz um bom tempo que não leio comédia com romance, esse parece ser bom.
    Beijos!
    https://deliriosdeumaliteraria.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Uma leitura leve que pode auxiliar os jovens que estejam passando por algo semelhante. E para quem não é tão jovem assim, deve ser uma ótima leitura para curar ressaca literária.
    Adoro livro com trilha sonora.
    E essa capa estilo Titanic: que fofa!

    ResponderExcluir
  5. Ana!
    Tão gostoso poder ler um livro bem escrito e ainda com um protagonista fofo e completo, além de francês.
    Imagino como é fácil Lucas ter se apaixonado por ele.
    Não conhecia o livro.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. PROTAGONISTA FRANCÊS TUDO PRA MIMMMMMM, quero um também, rs.

      Excluir
  6. Ai ai dona Ana Clara..... isso não se faz com uma louca por clichês.... e que ama tudo relacionado a Paris.
    EENTE tem todos os ingredientes que curto ler, e tem dois bônus, ser LBTQIA+ e ser nacional.
    Com certeza vou add na wishlist.

    ResponderExcluir
  7. Oi, Ana
    Quem não se apaixonaria por Pierre? Lendo sua resenha já até imagino como ele é.
    Legal o autor trazer sua cultura para o livro, mostrar relacionamento abusivo LGBTQIA+ e tudo o que os jovens enfrentam na faculdade.
    Claro que já quero ler, beijos.

    ResponderExcluir
  8. Esse ano li um livro da Elle que traz um casal gay. Eu amei porque foi bem na vibe de universitários, jogadores de hoquei, enfim, tem o que sabemos que a autora faz e muito bem.
    Outro livro que eu vi muuito comentarem foi Vermelho branco e sangue azul, tá na minha lista.
    Ah, e que resenha deliciosa! Muito bom quando conseguimos nos conectar com o personagem ne? Reconhecer os atos, saber que já fizemos muito daquilo que eles fazem (só queria minhas festinhas de universidade de volta). Acho que é um livro que eu adoraria cohecer.

    ResponderExcluir
  9. Olá Ana Clara!
    Eu acompanhei a sua leitura pelos histories do IG e fiquei abaixonada por esses quotes. E achei a trama ótima, realmente comédias românticas são as melhores, e faltava essa representatividade. Estou pasma que o livro tem até acrônimo kk. Já adicionei na lista de desejados, e também espero que o autor nos honre com mais obras magníficas.
    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Olá! O livro parece ser bem gostoso de ser lido, e gosto muito que ele está cheio de representatividade, adoro conhecer novos autores nacionais, então, é claro, que esse já vai para a lista de desejados.

    ResponderExcluir
  11. Olá
    Nunca me interessei muito por comédia romântica LGBT mas achei muito interessante, estou com uma certa curiosidade de ler o livro quero vê se Lucas terá o final feliz que estou desejando tanto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É bom dar chances para coisas que não estamos tão acostumados assim! Tenho certeza que vai gostar!

      Excluir