30 de dezembro de 2013

Análise de Série: Beautiful Creatures

Títulos: Dezesseis Luas
              Dezessete Luas
              Dezoito Luas
              Dezenove Luas
Autoras: Margaret Stohl e Kami Garcia
Páginas: Total de 1680 páginas
Tradutora: Regiane Winarski
Editora: Galera Record

Uma maldição derivada do amor proibido entre uma conjuradora e um mortal leva Lena a Gatlin para que ela possa viver como uma adolescente normal, dias antes de seu aniversário. A garota passa a morar com seu tio Macon Ravenwood e a frequentar a escola do condado onde conhece Ethan. 

Como é de se esperar os dois se apaixonam, apesar de Lena parecer negar isso de qualquer maneira por puro medo. Quando uma mulher da família Duchannes completa 16 anos a maldição invoca a pessoa para a luz ou trevas, depende de sua verdadeira natureza, e Lena tem certeza que será invocada para as trevas.

28 de dezembro de 2013

Resenha: A Grande Peça

Título: A Grande Peça
Autor: Tadeu Rodrigues
Páginas: 204
Editora: Scortecci
Clique aqui para comprar.

Quando a arte encontra barreiras no amor. Um dramaturgo e uma velha dançarina unidos por um roteiro. História que entrelaça angústia, perdas e decepções. Surpreenda-se com esse jogo de fama, dinheiro, vícios, reconquistas e falências. A Grande peça mostra a força de superação do homem. Prepare-se para se surpreender com esse romance vivido em um palco teatral e em becos escuros da grande cidade. Uma bela história de reconciliação, amizade e lealdade. 

De um autor brasileiríssimo, "A Grande Peça" narra a história de Pedro de Carvalho, um jardineiro bem desleixado com a vida e com ele próprio. Logo no início do livro, descobrimos que Pedro era um dramaturgo muito bem sucedido, mas que parou de escrever após uma forte decepção. 

23 de dezembro de 2013

Resenha: A Seleção

Título Original: The Selection
Autor: Kiera Cass
Páginas: 361
Tradutor: Cristian Clemente
Editora: Seguinte

Para trinta e cinco garotas, a “Seleção” é a chance de uma vida. Num futuro em que os Estados Unidos deram lugar ao Estado Americano da China e mais recentemente a Illéa, um país jovem com uma sociedade dividida em castas, a competição que reúne moças de dezesseis e vinte anos de todas as partes para decidir quem se casará com o príncipe é a oportunidade de escapar de uma realidade imposta a elas ainda no berço. É a chance de ser alçada de um mundo de possibilidades reduzidas para um mundo de vestidos deslumbrantes e joias valiosas. De morar em um palácio, conquistar o coração do belo príncipe Maxon e um dia ser a rainha.

A Seleção é o primeiro livro de uma trilogia distópica. Após a queda dos Estados Unidos, surge o Estado Americano da China, que logo passou a ser chamado de Illéa. O país divide sua população em oito castas diferentes (aqui seriam como as classes sociais). Quanto maior for o número de sua casta, sendo Um a menor, mais pobre você é. America Singer faz parte da casta Cinco, que é composta por artistas. Apesar de não passar tantas necessidades como as pessoas das castas inferiores, as pessoas da Cinco não vivem no luxo. 

16 de dezembro de 2013

Análise de Série: Percy Jackson & Os Olimpianos

Títulos: O Ladrão de Raios
              O Mar de Monstros
              A Maldição do Titã
              A Batalha do Labirinto
              O Último Olimpiano
Autor: Rick Riordan
Páginas: Total de 1740 páginas
Tradutores: Ricardo Gouveia e Raquel Zampil
Editora: Intrínseca 

Quando comecei a ler Percy Jackson eu tinha 13 anos de idade (se não me engano) e na época não existia nenhuma série que se comparava ao universo criado pelo autor. A saga se tornou uma parte tão importante da minha vida que em certo momento se tornou algo sério para mim, eu via aquilo como a realidade e me encontrava com um grupo de pessoas para tentar vivenciar algumas mesmas situações que o protagonista vivia. Porém não estou aqui para falar da minha antiga vida e nem de todos os contratempos ocasionados por essa série e sim da própria série, portanto seguiremos em frente.

9 de dezembro de 2013

Resenha: Carrie, a Estranha

Título Original: Carrie
Autor: Stephen King
Páginas: 164
Tradutor: Adalgisa Campos da Silva
Editora: Objetiva

Carrie, a Estranha narra a atormentada adolescência de uma jovem problemática, perseguida pelos colegas, professores e impedida pela mãe de levar a vida como as garotas de sua idade. Só que Carrie guarda um segredo: quando ela está por perto, objetos voam, portas são trancadas ao sabor do nada, velas se apagam e voltam a iluminar, misteriosamente. Aos 16 anos, desajustada socialmente, Carrie prepara sua vingança contra todos os que a prejudicaram. A vendeta vem à tona de forma tão furiosa e amedrontadora que até hoje permanece como exemplo de uma das mais chocantes e inovadoras narrativas de terror de todos os tempos.

Carrie foi meu primeiro contato com o Stephen King. Tirando isso, já havia assistido ao filme "À Espera de Um Milagre", mas na época não fazia ideia de que o filme fora baseado em um livro do King. O mais engraçado é que eu ainda não li nenhum outro livro dele, apesar de ser bastante curiosa quanto "À Espera de Um Milagre".

O livro narra a história de Carrie, uma garota que é constantemente maltratada não só pelos colegas de escola, mas também pela mãe. A mãe é uma fanática religiosa, daquelas que acham que tudo é pecado, num mundo de pecado e habitado por pecadores. O fanatismo é tanto que ela é capaz de prender a filha em um cubículo super apertado que tem uma imagem de Jesus sendo crucificado, e ela faz isso desde a infância da menina. 

2 de dezembro de 2013

Resenha: A Culpa é das Estrelas

Título Original: The Fault in Our Stars
Autor: John Green
Páginas: 288
Tradutora: Renata Pettengill
Editora: Intrínseca

A culpa é das estrelas narra o romance de dois adolescentes que se conhecem (e se apaixonam) em um Grupo de Apoio para Crianças com Câncer: Hazel, uma jovem de dezesseis anos que sobrevive graças a uma droga revolucionária que detém a metástase em seus pulmões, e Augustus Waters, de dezessete, ex-jogador de basquete que perdeu a perna para o osteosarcoma. Como Hazel, Gus é inteligente, tem ótimo senso de humor e gosta de brincar com os clichês do mundo do câncer - a principal arma dos dois para enfrentar a doença que lentamente drena a vida das pessoas. Inspirador, corajoso, irreverente e brutal, A culpa é das estrelas é a obra mais ambiciosa e emocionante de John Green, sobre a alegria e a tragédia que é viver e amar.

A Culpa é das Estrelas é de longe a obra mais famosa do Jonh Green. Não vou mentir: é um livro que eu li apenas porque todo mundo estava lendo e falando super bem. Via bastante coisa sobre o livro na internet e minhas expectativas aumentavam gradativamente, e eu considerava isso bem ruim porque detesto ler qualquer coisa esperando demais (eu sempre me decepciono).

30 de novembro de 2013

Análise de Série: Fronteiras do Universo

Títulos: A Bússola de Ouro
              A Faca Sutil 
              A Luneta Âmbar
Autor: Philip Pullman
Páginas: Total de 1412 páginas
Tradutoras: Eliana Sabino e Ana Deiró
Editora: Objetiva

Um mundo paralelo ao nosso e totalmente incrível foi o que me atraiu nessa trilogia. Ursos de armaduras, bruxas e daemons são criaturas que fazem parte da história e estão ao lado de Lyra e Will. Tudo começa com a garota, órfã, que possui duas habilidades e vai usá-las durante a série com o objetivo de salvar seu melhor amigo. Will aparece somente no segundo livro e assim como Lyra ele também tem alguns dons que vão ajuda-lo no decorrer da série. 

Philip Pullman foi bastante corajoso ao criar essa história, uma vez que aborda temas muito fortes do campo religioso e físico. Em certos períodos dos livros a leitura é rápida e fácil de desenrolar, enquanto em outros é possível ficar dias em uma mesma parte por ser incrivelmente monótona, mas apesar disso o autor soube desenvolver muito bem.

28 de novembro de 2013

Resenha: Quem é Você, Alasca?

Título Original: Looking for Alaska
Autor: John Green
Páginas: 229
Tradutor: Rodrigo Neves
Editora: WMF Martins Fontes

Miles Halter é um adolescente fissurado por célebres últimas palavras que, cansado de sua vidinha pacata e sem graça em casa, vai estudar num colégio interno à procura daquilo que o poeta François Rabelais, quando estava à beira da morte, chamou de o "Grande Talvez". Muita coisa o aguarda em Culver Creek, inclusive Alasca Young, uma garota inteligente, espirituosa, problemática e extremamente sensual, que o levará para o seu labirinto e o catapultará em direção ao "Grande Talvez". Quem é Você, Alasca? narra de forma brilhante o impacto indelével que uma vida pode ter sobre outra. Um livro incrível que marca a chegada de Jonh Green como uma voz importante na ficção contemporânea.

Acho que não sou a única pessoa do mundo que tem um caso de amor e ódio com o Jonh Green. Ele é capaz de criar enredos incríveis, com personagens incríveis e lugares mais incríveis ainda. Mas é claro que, durante essa história perfeita, ele faz questão de partir nosso coração em milhões de pedaços. 

"Quem é Você, Alasca?" é narrado por um adolescente que acaba de sair de casa para estudar em um internato no Alabama e para encontrar o seu "Grande Talvez". Miles é típico garoto solitário, magrelo e, obviamente, que não tem amigos e tem uma peculiaridade: é viciado em últimas palavras.

26 de novembro de 2013

Resenha: O Lado Bom da Vida

Título Original: The Silver Linings Playbook
Autor: Matthew Quick
Páginas: 256
Tradutor: Alexandre Raposo
Editora: Intrínseca

Pat Peoples, um ex-professor na casa dos 30 anos, acaba de sair de uma instituição psiquiátrica. Convencido de que passou apenas alguns meses naquele “lugar ruim”, Pat não se lembra do que o fez ir para lá. O que sabe é que Nikki, sua esposa, quis que ficassem um "tempo separados". Tentando recompor o quebra-cabeças de sua memória, agora repleta de lapsos, ele ainda precisa enfrentar uma realidade que não parece muito promissora. Com seu pai se recusando a falar com ele, a esposa negando-se a aceitar revê-lo e os amigos evitando comentar o que aconteceu antes da internação, Pat, agora viciado em exercícios físicos, está determinado a reorganizar as coisas e reconquistar sua mulher, porque acredita em finais felizes e no lado bom da vida. Uma história comovente e encantadora, de um homem que não desiste da felicidade, do amor e de ter esperança.

Estava querendo ler esse livro há um bom tempo, mas sempre colocava algum na frente. Então um dia eu vi que não queria ler nenhum dos livros que eu tinha aqui e me lembrei d’O Lado Bom da Vida. 

Pat Peoples é um homem com distúrbios psicológicos que acaba de sair de uma instituição psiquiátrica, que ele chama de “lugar ruim”. O problema é que ele não consegue se lembrar de forma alguma o que fez para parar lá. A única coisa que se lembra é que sua esposa Nikki pediu um tempo do casamento, e ele acredita piamente que esse “tempo separados” irá acabar logo, logo. Para isso, ele resolve mudar vários de seus comportamentos que não eram bons no casamento. Com isso, começou a enxergar "o lado bom das coisas".

21 de novembro de 2013

Resenha: As Violetas de Março

Título Original: The Violets of March
Autora: Sarah Jio
Páginas: 304
Tradução: Ronaldo Luis da Silva
Editora: Novo Conceito

Emily Wilson tinha tudo para ser um exemplo de mulher bem-sucedida. Escritora consagrada e com um casamento estável, sua vida parecia imune aos problemas que afetam todo mundo. Até que seu marido, Joel, escolhe outra mulher com quem dividir a vida. Apesar do coração partido – e de se sentir rejeitada e abandonada –, Emily não se deixa abater completamente: arruma as malas e parte em direção a uma nova história que o destino vai se encarregar de finalizar. As Violetas de Março é uma história sobre o amor e a falta dele. É sobre almas gêmeas e sobre a força do destino. É um romance capaz de nos fazer desabrochar para a esperança, ainda que isso pareça impossível. Assim como as violetas em março.

Eu ganhei esse livro de presente da Jessie, do Lendo & Comentando, há um tempinho, mas só agora decidi que precisava ler um romance de verdade. E tenho que dizer: não me enganei na minha escolha. 

Emily é uma jovem escritora bem-sucedida que tem uma vida toda pela frente. Após seu marido, Joel, a deixar por outra mulher, ela resolve passar o mês com sua tia Bee em uma ilha que visitava quando era criança. 

16 de novembro de 2013

Análise de Série: Maze Runner

Títulos: Correr ou Morrer
  Prova de Fogo
  A Cura Mortal
  Ordem de Extermínio
Autor: James Dashner
Páginas: Total de 1575 páginas
Tradutor: Henrique Monteiro
Editora: Vergara & Riba

Lembre. Corra. Sobreviva.

Essa é a frase que marca uma série em crescimento e com grande potencial. Constituída por uma trilogia inicial e um quarto livro derivado da mesma, a saga se inicia com um garoto chamado Thomas preso dentro de uma caixa metálica e sua única lembrança é o próprio nome. Ele vai parar em um local chamado Clareira onde muitos outros como ele se encontram. Já no início do primeiro livro, chamado Correr ou Morrer, eu me preenchi com uma sensação que não me abandonou durante a leitura deste ou dos posteriores: agonia.

Um minuto se passou. Dois. Ele olhava em todas as direções, mas via apenas a escuridão; apalpou as paredes de novo, procurando um jeito de sair. Porém não havia nada, apenas o metal frio. Gemeu de frustração; o eco de sua voz amplificou-se no vazio, como o lamento fantasmagórico da morte. Os ruídos foram sumindo aos poucos e o silêncio retornou. — Correr ou Morrer

14 de novembro de 2013

Resenha: Branca dos Mortos e os 7 Zumbis

Título: Branca dos Mortos e os 7 Zumbis
Autor: Abu Fobiya
Ilustrador: Michel Borges
Páginas: 240
Editora: Nerdbooks

"Branca dos Mortos e os Sete Zumbis" é o conto que abre o livro de mesmo nome pelo atormentado Abu Fobiya. Tal qual a caixa de pandora, uma vez abertas as páginas deste tomo macabro espalharão pesadelos e sortilégios ao redor do mundo. Aqui ninguém está a salvo, e o mais importante: nada é o que parece. A pobre filha do rei, cujo único pecado foi ser de todas a mais bela, precisará enfrentar zumbis e a fúria da madrasta invejosa. A morte de uma pequena vendedora de fósforos desencadeia uma série de roubos e um crime aparentemente insolúvel. E o grande segredo da menina do chapeuzinho vermelho será enfim revelado àqueles que tiverem coragem de se aventurar por estas páginas. Nesta compilação de 11 histórias de terror, zumbis e psicopatas dividem espaço com fadas e animais falantes, numa sucessão de capítulos não-lineares que culminam no fim do mundo e na transformação de tudo o que o leitor julgava saber sobre os contos de fadas.

Para ser sincera, não sou fã de livros de terror. O motivo óbvio é o medo que eu sinto quando leio coisas do gênero. E quando eu digo medo, quero descrever aquele frio na barriga, suor frio e mil pesadelos que tenho em uma só noite (já podem me chamar de maria-mole). Acontece que apesar de tudo, resolvi pegar esse para ler e, por Deus, não me arrependo.

11 de novembro de 2013

Resenha: Sobre Histórias de Fadas

Título Original: Tree and Leaf
Autor: J. R. R. Tolkien
Páginas: 118
Tradução: Ronald Kyrmse
Editora: Conrad

O que são histórias de fadas? Qual a sua origem? Para que servem? Em seu ensaio inédito "Sobre Histórias de Fadas", J. R. R. Tolkien parte dessas questões para formular sua própria teoria a respeito da fantasia e de seu papel na sociedade atual. Escrito ao mesmo tempo em que a trilogia “O Senhor dos Anéis” começava a tomar forma, esse ensaio é um dos elementos fundamentais para entender muitos dos pensamentos e das inquietações que levaram à criação do universo fantástico tolkieniano. Outra chave para a compreensão desse universo é o conto "Folha por Niggle", que completa esta edição. Considerado uma alegoria da vida do escritor e de sua relação com a obra-prima que estava criando, "Folha por Niggle" narra a história de um pintor que, obcecado por transpor para a tela a sua visão, se vê constantemente impedido de fazê-lo, seja pelos contratempos do dia a dia ou pelas convenções sociais. Muitas vezes deixando de lado a vida profissional como a acadêmica, Tolkien, assim como seu personagem, dedicava todo o tempo possível ao mundo fictício que construiu ininterruptamente de 1917, enquanto convalescia de uma doença contraída nas trincheiras da França, até sua morte, em 1973. Juntos, os dois textos reunidos neste “Sobre Histórias de Fadas” ajudam a esclarecer as razões e motivações que levaram um respeitado professor de Oxford a passar mais de meio século criando um mundo imaginário que prima não somente pela fantasia exuberante, mas também por sua complexidade e coerência interna.

Estava passeando pelos meus canais favoritos no You Tube, quando me deparei com uma tag, “13 Livros para Ler em Um Dia”, no canal da Jess. Devo confessar que de todos os livros que ela indicou, o que mais me chamou atenção foi o “Sobre Histórias de Fadas”, por três motivos: o nome, a capa e o autor. A obra contém um ensaio, apresentado na Universidade de St. Andrews em 1938, e um conto, publicado em 1947. 

10 de novembro de 2013

Nota Introdutória


Olá! Meu nome é Ana e eu resolvi criar o Roendo Livros para passar para vocês um pouco do meu mundo literário. O blog será destinado à resenhas, sugestões de leituras, quotes dos livros que mais gostei e outras novidades. Enfim, espero que o projeto dê certo e que vocês, leitores, gostem do que verão por aqui!
 
Layout feito por Vinícios Costa editado por Silviane Casemiro | Todos os direitos reservados ©