27 de janeiro de 2014

Resenha: O Teorema Katherine

Título Original: An Abundance of Katherines
Autor: Jonh Green
Páginas: 304
Tradutora: Renata Pettengill
Editora: Intrínseca

Após seu mais recente e traumático pé na bunda - o décimo nono de sua ainda jovem vida, todos perpetrados por namoradas de nome Katherine - Colin Singleton resolve cair na estrada. Dirigindo o Rabecão de Satã, com seu caderninho de anotações no bolso e o melhor amigo no carona, o ex-criança prodígio, viciado em anagramas e PhD em levar o fora, descobre sua verdadeira missão: elaborar e comprovar o Teorema Fundamental da Previsibilidade das Katherines, que tornará possível antever, através da linguagem universal da matemática, o desfecho de qualquer relacionamento antes mesmo que as duas pessoas se conheçam. Uma descoberta que vai entrar para a história, vai vingar séculos de injusta vantagem entre Terminantes e Terminados e, enfim, elevará Colin Singleton diretamente ao distinto posto de gênio da humanidade. Também, é claro, vai ajudá-lo a reconquistar sua garota. Ou, pelo menos, é isso o que ele espera.

Imaginem só podermos prever o tempo de duração dos nossos futuros relacionamentos. Imaginaram? Pois é isso mesmo que Colin Singleton, menino prodígio, resolve fazer depois do seu décimo nono pé na bunda. E o mais curioso é que todas as dezenove ex-namoradas de Colin se chamam Katherine. 

Depois de quase um ano de namoro, Katherine XIX resolve que é hora de seguir seu caminho (assim como as outras). Acontece que Colin não reage muito bem dessa vez. Para amenizar a dor, ele resolve fazer uma viagem no Rabecão de Satã com seu melhor amigo árabe Hassan. 

É possível amar muito alguém. Mas o tamanho do seu amor por uma pessoa nunca vai ser páreo para o tamanho da saudade que você vai sentir dela.

Durante a viagem, os dois meninos resolvem parar em uma cidadezinha chamada Gutshot. Lá eles conhecem Lindsey Lee Wells, a menina que consegue ter uma personalidade diferente para cada grupo que frequenta. A mãe dessa menina, Holly, oferece um emprego de verão para Colin e Hassan e os dois acabam se hospedando lá por um tempo.

Uma coisa que eu gostei muito nesse livro é a amizade que vai surgindo entre os personagens. Chega em uma parte que a própria Lindsey percebe que ela só consegue ser ela mesma quando está com os dois meninos.

Eureca — ele disse, e só após falar foi que percebeu que havia acabo de sussurrar pela primeira vez. — Eu me dei conta de uma coisa — falou em voz alta. — O futuro é imprevisível.

Preciso ser sincera com vocês: morria de medo de ler esse livro. Em todos os lugares as pessoas diziam que esse é o livro mais fraco do Jonh Green. Mas preciso ser sincera com vocês de novo: ter lido esse livro sem nenhuma expectativa foi a melhor coisa que poderia ter me acontecido, porque me apaixonei perdidamente por ele.

O livro é, sem sombra de dúvidas, o mais original de todos os que li do Jonh Green. É tão carregado de humor que a leitura flui super rápido. Eu mesma li em uma sentada só! Os personagens são bem construídos e a história é fantástica (principalmente para aquelas pessoas fãs de exatas).

No final até encontramos um apêndice escrito pelo Daniel Biss, um dos melhores matemáticos dos Estados Unidos segundo o próprio Jonh Green, que explica direitinho a fórmula que Colin encontra para fazer o teorema "funcionar".

Uma leitura leve e, apesar de todos os comentários, fascinante.

Classificação final: ★ 

2 comentários:

  1. Irmãzinha literária, realmente o pessoal não fala muito bem dele não, mas saber que você gostou já me deu uma tranquilizada.
    Beijocas e Sucesso sempre flor ^^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quase morri de tanto rir lendo ele, Larissa. HAUSEHAUSEHUAHE
      Sinceramente, não sei o que o pessoal tem contra esse livro. u.u

      Excluir

 
Layout feito por Vinícios Costa | Todos os direitos reservados ©