8 de julho de 2014

Resenha: O Menino que Pintava Sonhos

Título: O Menino que Pintava Sonhos
Autor: Duca Leindecker
Páginas: 152
Editora: L&PM Editores

Duca Leindecker conseguiu emocionar milhares de leitores com seu livro de estreia, o belo A casa da esquina. Depois escreveu A favor do vento. Em ambos, a mesma segurança, o mesmo talento com que emociona e faz vibrar as plateias como um dos grandes músicos brasileiros. Há baladas e rock and roll como fundo para suas histórias. Há medos, ilusões, euforias e tristezas que são, de resto, as grandes emoções que agitam os corações dos jovens. Tudo isto está presente nos livros de Duca Leindecker. O menino que pintava sonhos é uma história sobre ilusões e verdades. Ou verdades e mentiras, se nos apegarmos às duras lições da realidade. Duca escreve com raro talento para o público jovem. E estando na mesma frequência, ele comove e emociona com suas histórias que são simples por um lado, mas ao mesmo tempo têm um infinito emaranhado de significados. Veja o caso de Jules. Ele vive uma vida pouco comum, num cotidiano difícil, se defendendo das tragédias, dos dramas familiares e dos percalços do dia a dia. Mas Jules tem que sobreviver. E ele faz a sua opção, como você verá nesta história que vai prendê-lo da primeira à última página. E vai mostrar que, se há um lado sombrio na vida, sempre haverá uma porta aberta para a esperança.

Em um universo totalmente envolvente, o músico e escritor, Duca Leindecker, mergulha em um mar de sentimentos onde traz a ternura e a curiosidade numa leitura intensa. Pois é desta forma que se resume o seu terceiro livro lançado no ano de 2013 pela editora L&PM Editores, o exemplar “O Menino Que Pintava Sonhos”.

Uma pequena amostra do quanto o tempo transforma tudo e age de forma implacável com seu poder de destruir o que é bom e o que é ruim. De levar com sua sutileza angustiante até a mais forte lembrança. O tempo chega e vai assim, dissimulado.

Diferente dos gêneros de seus dois últimos livros publicados – “A Casa da Esquina”, lançado em 2002, e o “A Favor do Vento”, de 1999, livros publicados pela mesma editora, – onde o autor contava sobre a sua vida pessoal e profissional, o livro “O Menino que Pintava Sonhos” leva o leitor a uma imaginação abstrata e ao mesmo tempo simples e significativa à vida do personagem Jules, que enfrenta um mundo repleto de desafios, perdas insubstituíveis e sonhos alcançáveis. Traz consigo também a vontade de vencer a cada dia, independente do que espera no amanhã.

É assim que o gaúcho, Duca Leindecker, ressalta e prende a visão e o pensamento do leitor as histórias em formas de crônicas que são transformadas em momentos inesquecíveis e surpreendentes, no qual, qualquer um de nós pode vivenciar com o personagem Jules com uma leitura agradável em “O Menino que Pintava Sonhos”.

Classificação final: 

1 comentários:

  1. Oi Ellen diferente esse livro, se entendi ele é escrito em crônicas né, e fala de superação eu curto livros assim!
    Bjkas
    Dani Casquet- Livros, a Janela da Imaginação

    ResponderExcluir

 
Layout feito por Vinícios Costa editado por Silviane Casemiro | Todos os direitos reservados ©