29 de agosto de 2014

Resenha: Claros Sinais de Loucura

Título Original: Sure Signs of Crazy
Autora: Karen Harrington
Páginas: 256
Tradução: Edmundo Barreiros
Editora: Intrínseca

Você nunca conheceu ninguém como Sarah Nelson. Enquanto a maioria dos amigos adora Harry Potter, ela passa o tempo escrevendo cartas para Atticus Finch, o advogado de O sol é para todos. Coleciona palavras-problema em um diário, tem uma planta como melhor amiga e vive tentando achar em si mesma sinais de que está ficando louca. Não é à toa: a mãe tentou afogá-la e ao irmão quando eles tinham apenas dois anos, e desde então mora em uma instituição psiquiátrica. O pai, professor, tornou-se alcoólatra. Fugindo da notoriedade do crime, ele e Sarah já se mudaram de diversas cidades, e a menina jamais se sentiu em casa em nenhuma delas. Com a chegada do verão em que completa doze anos, ela está cada vez mais apreensiva. Sente falta de um pai mais presente e das experiências que não viveu com a mãe, já se acha grande demais para passar as férias na casa dos avós, está preocupada com a árvore genealógica que fará na escola e ansiosa pelo primeiro beijo de língua que ainda não aconteceu. Mas a vida não pode ser só de preocupações, e, entre uma descoberta e outra, Sarah vai perceber que seu verão tem tudo para ser muito mais. Bem como seu futuro.

"Claros Sinais de Loucura" me interessou, obviamente, pelo nome. Quem me conhece vai entender o porquê da minha escolha, mas gostaria de manifestar o meu direito de ficar calada nesse momento (rsrs). Quando comprei o livro, já sabia que era um infanto-juvenil. O que eu não sabia, na realidade, é que eu iria me irritar tanto com a personagem principal.

25 de agosto de 2014

TAG: Livros + Emoções


Oi gente, como vocês estão? Todo mundo aqui já está cansado de saber o quanto eu adoro tags. Gosto de respondê-las e gosto de ver o que as pessoas respondem também. Então, o Marcel do blog FanBoy me indicou para essa e achei bastante divertida.

Pelo o que eu sei, a tag foi criada pelo canal Padfoot and Prongs 07 e traduzida pela diva Tatiana Feltrin, do Tiny Little Things e consiste basicamente em relacionar algum livro com as nove "emoções" propostas. Vamos conferir minhas respostas?

23 de agosto de 2014

Resenha: O Oceano no Fim do Caminho

Título Original: The Ocean at the End of the Lane
Autor: Neil Gaiman
Páginas: 208
Tradução: Renata Pettengill
Editora: Intrínseca

Foi há quarenta anos, agora ele lembra muito bem. Quando os tempos ficaram difíceis e os pais decidiram que o quarto do alto da escada, que antes era dele, passaria a receber hóspedes. Ele só tinha sete anos. Um dos inquilinos foi o minerador de opala. O homem que certa noite roubou o carro da família e, ali dentro, parado num caminho deserto, cometeu suicídio. O homem cujo ato desesperado despertou forças que jamais deveriam ter sido perturbadas. Forças que não são deste mundo. Um horror primordial, sem controle, que foi libertado e passou a tomar os sonhos e a realidade das pessoas, inclusive os do menino. Ele sabia que os adultos não conseguiriam — e não deveriam — compreender os eventos que se desdobravam tão perto de casa. Sua família, ingenuamente envolvida e usada na batalha, estava em perigo, e somente o menino era capaz de perceber isso. A responsabilidade inescapável de defender seus entes queridos fez com que ele recorresse à única salvação possível: as três mulheres que moravam no fim do caminho. O lugar onde ele viu seu primeiro oceano.

Não sei muito bem o que me fez desejar tanto esse livro. Muito provavelmente se deu pela minha ânsia de ler alguma coisa um pouco diferente, mas acho que a capa e o próprio nome do livro ajudaram na escolha. A questão é que eu não tinha a mínima ideia do que esperar dessa obra. A estória é literalmente um mergulho de cabeça, mas em águas bem mais profundas do que se pode imaginar.

21 de agosto de 2014

Cinema: Party Monster

Título Original: Party Monster
Ano: 2003
Diretor: Fenton Bailey, Randy Barbato
Duração: 1 hora 37 minutos
Gênero: Biografia | Drama.
Elenco Principal: Macaulay Culkin, Seth Green, Marilyn Manson, Dylan McDermott

Party Monster é um filme americano de 2003, uma comédia dramática biográfica que narra a ascensão e queda do célebre promotor de eventos nova-iorquino Michael Alig, notório consumidor de drogas e conhecido como o "Rei dos Club Kids", interpretado no filme por Macaulay Culkin.

O filme é baseado em Disco Bloodbath, autobiografia de James St. James que descreve sua amizade com Alig, que acabou sendo afetada pelo vício em drogas de Alig, que também inclui outros motivos, e terminou quando este assassinou Angel Melendez e foi preso. Um documentário de 1998 sobre o assassinato, Party Monster: The Shockumentary, foi utilizado para certos elementos do filme.

19 de agosto de 2014

Resenha: Eleanor & Park

Título Original: Eleanor & Park
Autora: Rainbow Rowell
Páginas: 328
Tradução: Caio Pereira
Editora: Novo Século

Eleanor & Park é engraçado, triste, sarcástico, sincero e, acima de tudo, geek. Os personagens que dão título ao livro são dois jovens vizinhos de dezesseis anos. Park, descendente de coreanos e apaixonado por música e quadrinhos, não chega exatamente a ser popular, mas consegue não ser incomodado pelos colegas de escola. Eleanor, ruiva, sempre vestida com roupas estranhas e “grande” (ela pensa em si própria como gorda), é a filha mais velha de uma problemática família. Os dois se encontram no ônibus escolar todos os dias. Apesar de uma certa relutância no início, começam a conversar, enquanto dividem os quadrinhos de X-Men e Watchmen. E nem a tiração de sarro dos amigos e a desaprovação da família impede que Eleanor e Park se apaixonem, ao som de The Cure e Smiths. Esta é uma história sobre o primeiro amor, sobre como ele é invariavelmente intenso e quase sempre fadado a quebrar corações. Um amor que faz você se sentir desesperado e esperançoso ao mesmo tempo.

Eu sempre tenho muita dificuldade para falar sobre livros que gosto muito. Tenho aquele sentimento de que nada que eu fale será bom o suficiente para descrever a grandiosidade da obra. "Eleanor & Park", apesar de não ter entrado para minha lista de favoritos, me deixou com essa falta de palavras.

18 de agosto de 2014

Música: Playlist de "As Vantagens de Ser Invisível"


Olá, leitores do Roendo Livros! A vida é feita de desafios, certo? E num desses desafios agradáveis, a resenhista Ana me pediu para escrever sobre a playlist do livro “As Vantagens de Ser Invisível”, e como eu adoro falar sobre música, aceitei esse desafio. Então sem mais delongas, bora conferir?

16 de agosto de 2014

Dica de Leitura: As Veias Abertas da América Latina

Um livro (infelizmente) atual 
A L&PM relança As veias abertas da América Latina, de Eduardo Galeano, com nova capa, índice analítico e nova tradução de Sergio Faraco, um dos mais importantes contistas do Brasil. Sobre essa versão, escreveu Galeano: “Excelente trabalho de Sergio Faraco, melhora a não menos excelente tradução anterior, de Galeno de Freitas. E graças ao talento e à boa vontade destes dois amigos, meu texto original, escrito há quarenta anos, soa melhor em português do que em espanhol”. No prefácio, escrito em agosto de 2010, especialmente para esta edição de As veias abertas da América Latina, Eduardo Galeano lamenta “que o livro não tenha perdido a atualidade”. Remontando a 1970, sua primeira edição, atualizada em 1977, quando a maioria dos países do continente padecia facinorosas ditaduras, este livro tornou-se um autêntico “clássico libertário”, um inventário da dependência e da vassalagem de que a América Latina tem sido vítima, desde que aqui aportaram os europeus no final do século XV. No começo, espanhóis e portugueses. Depois vieram ingleses, holandeses, franceses, modernamente os norte-americanos, e o ancestral cenário permanece: a mesma submissão, a mesma miséria, a mesma espoliação.  As veias abertas da América Latina vendeu milhões de exemplares em todo o mundo. Com seu texto lírico e amargo a um só tempo, Galeano sabe ser suave e duro, e invariavelmente transmite, com sua consagrada maestria, uma mensagem que transborda humanismo, solidariedade e amor pela liberdade e pelos desvalidos.

14 de agosto de 2014

Resenha: Se Eu Ficar

Título Original: If I Stay
Autora: Gayle Forman
Páginas: 224
Tradução: Amanda Moura
Editora: Novo Conceito

A última coisa de que Mia se lembra é a música. Depois do acidente, ela ainda consegue ouvir a música. Ela vê o seu corpo sendo tirado dos destroços do carro de seus pais mas não sente nada. Tudo o que ela pode fazer é assistir ao esforço dos médicos para salvar sua vida, enquanto seus amigos e parentes aguardam na sala de espera... e o seu amor luta para ficar perto dela. Pelas próximas 24 horas, Mia precisa compreender o que aconteceu antes do acidente e também o que aconteceu depois. Ela sabe que precisa fazer a escolha mais difícil de todas. Se ela ficar...

Oi gente! Eu ia realmente escrever outro texto para vocês, mas não consegui de jeito nenhum. Foi aí que eu coloquei na cabeça que iria gravar um vídeo. E não é que eu gravei mesmo? Como é o meu primeiro vídeo, peço que vocês ignorem os erros, as engasgadas e tudo mais. Só para variar um pouquinho, não sei mexer com essas ferramentas de edição muito avançadas. Mas enfim, espero que gostem!

12 de agosto de 2014

Resenha: Não Me Abandone Jamais

Título Original: Never Let Me Go
Autor: Kazuo Ishiguro
Páginas: 344
Tradução: BethVieira
Editora: Companhia das Letras

Kathy H. tem 31 anos e está prestes a encerrar sua carreira de "cuidadora". Enquanto isso, ela relembra o tempo que passou em Hailsham, um internato inglês que dá grande ênfase às atividades artísticas e conta, entre várias outras amenidades, com bosques, um lago povoado de marrecos, uma horta e gramados impecavelmente aparados. Embora à primeira vista pareça pertencer ao terreno da ficção científica, o livro de Ishiguro lança mão desses "doadores", em tudo e por tudo idênticos a nós, para falar da existência. Pela voz ingênua e contida de Kathy, somos conduzidos até o terreno pantanoso da solidão e da desilusão onde, vez por outra, nos sentimos prestes a atolar.

Pensei muitas vezes em como começar essa resenha e não consegui. Desculpem-me por introduzi-la assim, mas não encontrei outra forma de expressar o quanto esse livro foi difícil. Não digo isso porque foi uma leitura ruim, e sim porque foi pesada.  Já fazia um bom tempo que eu tinha uma vontade imensa de lê-lo, e não me arrependi.

11 de agosto de 2014

Resenha: Modelo de Verão

Título Original: A Model Summer
Autora: Paulina Porizkova
Páginas: 420
Tradutora: Ana Carolina Mesquita
Editora: Record


Jirina é uma adolescente solitária de origem tcheca, que, aos 15 anos, consegue o que muitas meninas desejam - uma chance de iniciar a carreira de modelo. Com o convite de uma agência na mão e alguns trocados no bolso, ela se muda durante o verão para Paris. Em meio ao movimento new wave e em uma era de supermodelos no auge de suas carreiras, Jirina se deixa levar pelas loucuras e transgressões dos anos 1980. A ex-top model Paulina Porizkova empresta à Jirina sua voz e experiência no mundo da moda.

Uma coisa que sempre acontece comigo é ter milhões de livros, mas não ter vontade nenhuma de ler qualquer um deles. Ultimamente isso tem acontecido com uma frequência absurda. Mas enfim, numa dessas minhas crises literárias, acabei pegando esse livro emprestado de uma amiga simplesmente porque não queria ler nenhum dos meus. Nunca tinha ouvido falar dele e me surpreendi bastante com a leitura. 

8 de agosto de 2014

Resenha: O Circo da Noite

Título Original: The Night Circus
Autora: Erin Morgenstern
Páginas: 365
Tradutor: Claudio Carina
Editora: Intrínseca

Atenção! Não leia a sinopse se não quiser receber um spoiller daqueles!

Sob suas tendas listradas de preto e branco uma experiência única está prestes a ser revelada: um banquete para os sentidos, um lugar no qual é possível se perder em um Labirinto de Nuvens, vagar por um exuberante Jardim de Gelo, assistir maravilhado a uma contorcionista tatuada se dobrar até caber em uma pequena caixa de vidro ou deixar-se envolver pelos deliciosos aromas de caramelo e canela que pairam no ar. Por trás de todos os truques e encantos, porém, uma feroz competição está em andamento: um duelo entre dois jovens mágicos, Celia e Marco, treinados desde a infância para participar de um duelo ao qual apenas um deles sobreviverá. À medida que o circo viaja pelo mundo, as façanhas de magia ganham novos e fantásticos contornos. Celia e Marco, porém, encaram tudo como uma maravilhosa parceria. Inocentes, mergulham de cabeça num amor profundo, mágico e apaixonado, que faz as luzes cintilarem e o ambiente esquentar cada vez que suas mãos se tocam. Mas o jogo tem que continuar, e o destino de todos os envolvidos, do extraordinário elenco circense à plateia, está, assim como os acrobatas acima deles, na corda bamba.

Sempre tem aquele mês que a minha compulsão por livros está maior que o normal. Só para completar um pouquinho a situação, a Submarino resolve fazer uma daquelas promoções avassaladoras. Acabei comprando quatro livros por R$25,00. Foi assim que "O Circo da Noite" veio parar em minha humilde coleção. 

7 de agosto de 2014

TAG: Conhecendo a Blogueira


Oi gente, tudo bem com vocês? Hoje vim trazer para vocês uma coisinha um pouco diferente. A linda da Lara, do Meus Mundos no Mundo, me indicou para a TAG "Conhecendo a Blogueira". Achei que seria uma forma de vocês saberem um pouco mais sobre mim, por isso resolvi respondê-la. Não se esqueçam de dar uma olhadinha no post da Lara para conferir as respostas dela também, ok?

5 de agosto de 2014

Resenha: De Volta Para Casa

Título Original: Falling Home
Autora: Karen White
Páginas: 448
Tradutora: Fernanda Castro Bulle
Editora: Novo Conceito

Cassie Madison fugiu de Walton, Geórgia, para Nova York quando soube que sua irmã, Harriet, e seu amor, Joe, tinham-na traído e iam se casar. Ao chegar em Manhattan, sua ideia era se reinventar, mergulhar de cabeça na carreira e até mesmo perder o sotaque provinciano. Tudo para apagar seu passado marcado pela traição e por uma família que não lhe tratara com o devido cuidado. Mas, numa noite, um único telefonema de sua irmã trouxe de volta tudo que ela pretendia esquecer. Com o pai muito doente, ela foi obrigada a fazer a viagem de volta e, enquanto arrumava as malas, seus maiores medos eram que o pai morresse sem que ela pudesse estar com ele e... encontrar a família feliz que Harriet e Joe tinham construído. Já em Walton, Cassie percebe que enfrentará uma imensa batalha particular, porque, afinal, ela não consegue deixar de amar seus sobrinhos — e nem deixar de se sentir em casa, naquela cidadezinha de sua infância. Enquanto se divide entre o rancor e a esperança, velhas e queridas lembranças e uma mágoa insustentável, o destino arrumaria uma forma de aproximá-la do que realmente importa: o verdadeiro amor.

Não me lembro exatamente o mês que li esse livro, mas me lembro que estava procurando um bom drama, daqueles que me fizessem chorar horrores durante a leitura. O bacana é que, além me levar aos prantos enquanto lia, "De Volta Para Casa" me fez chorar umas boas horas após a leitura ser finalizada. 
 
Layout feito por Vinícios Costa | Todos os direitos reservados ©