31 de janeiro de 2015

Resenha: Após a Tempestade

Título Original: The Beach Trees
Autor: Karen White
Páginas: 416
Tradução: Frank de Oliveira | Maria Helena Nascimento
Editora: Novo Conceito

Quando Julie tinha 12 anos, sua irmã mais nova desapareceu e nunca mais foi encontrada. Uma perda que corroeu os laços familiares e deixou sua mãe obcecada pela busca da irmã. Já adulta e com um prestigiado emprego, Julie conhece Monica, que a faz lembrar muito de sua irmã desaparecida há 17 anos. Elas se tornam melhores amigas, uma amizade que começa como um processo de cura para Julie. No entanto, uma fatalidade abate a amizade e Julie se vê responsável pelo filho de Monica. Ela decide levar o menino para Biloxi, Mississippi, para encontrar a família que ele não conhecera. A partir dessa viagem, Julie descobrirá segredos que estão ligados a sua família e seu passado...

Depois de "De Volta Para Casa", fiquei com vontade de ler simplesmente tudo dessa autora. Gosto de um bom e velho romance e não nego. É claro que, quando surgiu a oportunidade, não descartei de forma alguma essa livro aqui. "Após a Tempestade" não mostra de imediato qual é a verdadeira história, já que no início achei que leria algo com uma pegada mais policial, contando o desaparecimento da irmã mais nova de Julie, mas o que eu encontrei me encantou mais ainda. 

29 de janeiro de 2015

Promoção: Aniversário do Blog Interesses Sutis


É óbvio que em aniversário de blog literário sempre tem sorteios de nossos mais que amados livros, e os blogs Roendo Livros, Paraíso de Ideias, Livros de Elite, Just Books, MilkShake de Palavras, Resenhas Teen, Livros e Flores, O Maravilhoso Mundo da Leitura, Livros e Cores, Conjunto da Obra e Quer Falar de Livros? quiseram fazer parte desta festa! O blog Interesses Sutis está fazendo aniversário e quem ganha presentes são vocês, não deixem de participar!

23 de janeiro de 2015

Resenha: Para Onde Ela Foi

Título Original: Where She Went
Autor: Gayle Forman
Páginas: 240
Tradução: Santiago Nazarian
Editora: Novo Conceito

Aviso: essa resenha contém spoilers do primeiro livro.

"Meu primeiro impulso não é agarrá-la nem beijá-la. Eu só quero tocar sua bochecha, ainda corada pela apresentação desta noite. Eu quero atravessar o espaço que nos separa, medido em passos não em milhas, não em continentes, não em anos , e acariciar seu rosto com um dedo calejado. Mas eu não posso tocá-la. Esse é um privilégio que me foi tirado."

Com a mesma força dramática de Se Eu Ficar, agora pela voz de Adam, Para Onde Ela Foi expõe o desalento da perda, a promessa da esperança e a chama do amor que renasce.

Quem acompanha o blog sabe muito bem que eu não gostei muito de "Se Eu Ficar". A história não me envolveu nem um pouco, não me emocionei nada e, para completar, achei a narrativa bem maçante. Por esses motivos eu protelei tanto para ler "Para Onde Ela Foi". Acontece que resolvi assistir ao filme e não deu outra: a curiosidade acabou me vencendo. Diferentemente do primeiro livro, Forman conseguiu criar uma história realmente cativante nesse segundo volume.

21 de janeiro de 2015

Promoção: Carnaval de Livros

E se a sua folia de carnaval fosse repleta de livros? Bom, não é? Pensando nisso, o Roendo Livros se juntou com o Conjunto da Obra e outros nove blogs amigos para presentear dois sortudos com muitos livros bacanas!


Quer saber como é fácil levar para casa esse presentão de carnaval? Confira as regras e participe!

18 de janeiro de 2015

Resenha: On The Road

Título Original: On The Road
Autor: Jack Kerouac
Páginas: 380
Tradução: Eduardo Bueno
Editora: L&PM

Sal Paradise é o narrador de On The Road - pé na estrada. Ele vive com sua tia em New Jersey, Estados Unidos, enquanto tenta escrever um livro. Ele é inteligente, carismático e tem muitos amigos. Até que em Nova York ele conhece um charmoso e alucinante andarilho de Denver de personalidade magnética, chamado Dean Moriarty. Dean é cinco anos mais novo que Sal, mas compartilha o seu amor por literatura e jazz, e a ânsia de correr o mundo. Tornam-se amigos e, juntos, atravessam os Estados Unidos, deparando-se com os mais variados tipos de pessoas, numa jornada que é tanto uma viagem pelo interior de um país quanto uma viagem de autoconhecimento - de uma geração - assim como dos personagens.


Este é um dos livros que ganhei de presente porque a pessoa sabia o quanto eu desejava ler o livro. E ele não está na estante dos que eu tinha uma expectativa alta e depois que li me decepcionei. Ao contrário, ao ler On The Road todas as minhas expectativas foram superadas.

10 de janeiro de 2015

Resenha: A Vida em Tons de Cinza + Aviso Importante

Título Original: Between Shades of Gray
Autor: Ruta Sepetys
Páginas: 240
Tradução: Fernanda Abreu
Editora: Arqueiro

1941. A União Soviética anexa os países bálticos. Desde então, a história de horror vivida por aqueles povos raras vezes foi contada. Aos 15 anos, Lina Vilkas vê seu sonho de estudar artes e sua liberdade serem brutalmente ceifados. Filha de um professor universitário lituano, ela é deportada com a mãe e o irmão para um campo de trabalho forçado na Sibéria. Lá, passam fome, enfrentam doenças, são humilhados e violentados. Mas a família de Lina se mostra mais forte do que tudo isso. Sua mãe, que sabe falar russo, se revela uma grande líder, sempre demonstrando uma infinita compaixão por todos e conseguindo fazer com que as pessoas trabalhem em equipe. No entanto, aquele ainda não seria seu destino final. Mais tarde, Lina e sua família, assim como muitas outras pessoas com quem estabeleceram laços estreitos, são mandadas, literalmente, para o fim do mundo: um lugar perdido no Círculo Polar Ártico, onde o frio é implacável, a noite dura 180 dias e o amor e a esperança talvez não sejam suficientes para mantê-los vivos. A vida em tons de cinza conta, a partir da visão de poucos personagens, a dura realidade enfrentada por milhões de pessoas durante o domínio de Stalin. Ruta Sepetys revela a história de um povo que foi anulado e que, por 50 anos, teve que se manter em silêncio, sob a ameaça de terríveis represálias.

Uma das coisas que eu mais amo em ler livros que eu nunca ouvi falar antes é o poder que eles têm de surpreender. É claro que uma maravilha assim acontece uma vez em cem, então posso dizer que "A Vida em Tons de Cinza" é um livro premiado. Devorei essa história como se fosse a última coisa que eu faria na vida.

7 de janeiro de 2015

Resenha: À Espera de Um Milagre

Título Original: The Green Mile
Autor: Stephen King
Páginas: 400
Tradução:  M. H. C. Côrtes
Editora: Suma de Letras

Uma trama de mistério e terror, ambientada nos anos 30, em plena Depressão americana, num cenário de desespero e sufoco: a Penitenciária de Cold Mountain. Stephen King foi buscar no lado mais sombrio de sua imaginação a história assombrosa de John Coffey, condenado à morte, e seu encontro fatal com o carcereiro Paul Edgecombe. Originalmente publicado em seis partes, com o título de O Corredor da Morte, o romance é agora lançado em volume único: "À Espera de um milagre". Nas telas, o diretor Frank Darabont recria a história magistral de King, com Tom Hanks interpretando o guarda Edgecombe.

"À Espera de Um Milagre", o filme, é um dos meus filmes preferidos da vida. Descobri há pouco tempo que ele é uma adaptação de um livro, e não um livro qualquer. Seu autor é ninguém mais, ninguém menos que o rei do terror Stephen King, um escritor que, pensava eu, nunca publicaria uma história tão incrível e e emocionante quanto esta. 

5 de janeiro de 2015

O Que Eu Li: Dezembro

Oi gente! Como vocês estão? Eu estou maravilhosa e de férias! Mas vou confessar uma coisa para vocês: estou sem fazer nada na casa dos meus pais há pouco mais de duas semanas e juro que já estou com vontade de voltar para a loucura de Diamantina. Só sei reclamar, né? Mas tudo bem. 

Apesar de estar de férias desde o dia quinze, o mês de dezembro não foi nada produtivo. E confesso que foi por pura procrastinação. Enfim, nesses quinze dias (porque os outros eu dediquei somente à faculdade), eu consegui ler apenas dois livros, porém ótimos livros. 

01. Cidade do Fogo Celestial: adivinhem quem estava louca para ler o desfecho da minha série preferida? Confesso que eu esperava um pouquinho mais dele, mas mesmo assim foi sensacional. Cassandra Clare caprichou tanto nas cenas com Clare e Jace que eu fiquei suspirando, mesmo o casal não sendo o meu preferido da série (team Malec forever). Apesar de ter sido um fim digno, achei que algumas coisinhas e algumas mortes foram desnecessárias, mas enfim...  

ERCHOMAI, Sebastian disse. Estou chegando.
Escuridão retorna ao mundo dos Caçadores de Sombras. Enquanto seu povo se estilhaça, Clary, Jace, Simon e seus amigos devem se unir para lutar com o pior Nephilim que eles já encararam: o próprio irmão de Clary. Ninguém no mundo pode detê-lo — deve a jornada deles para outro mundo ser a resposta? Vidas serão perdidas, amor será sacrificado, e o mundo mudará no sexto e último capítulo da saga Os Instrumentos Mortais.

2 de janeiro de 2015

Resenha: As Crônicas de Bane

Título Original: The Bane Chronicles
Autoras: Cassandra Clare
                Sarah Rees Brennan
                Maureen Johnson
Páginas: 392
Tradução: Rita Sussekind
Editora: Galera Record

Nesta edição ilustrada, são narradas as mais diversas aventuras do feiticeiro imortal Magnus Bane, das aclamada séries de Cassandra Clare. Entre escapadas no Peru e resgates reais na Revolução Francesa, acompanhe fragmentos da vida do enigmático mago ocorridos em diversos países e períodos históricos, com aparições de figuras conhecidas como Clary, Tessa, Will e Alec, personagens de Os Instrumentos Mortais e As Peças Infernais.

"As Crônicas de Bane" é a versão finalizada e ilustrada dos dez contos anteriormente publicados em e-book e narram diversas aventuras e partes da vida de Magnus Bane, o feiticeiro mais fabuloso de todos os tempos. Confesso que um dos meus personagens preferidos nas séries da Cassandra Clare é o Magnus. Ele não poderia ser mais ousado, irreverente e corajoso e isso conquista os leitores logo de cara. 
 
Layout feito por Vinícios Costa | Todos os direitos reservados ©