10 de janeiro de 2015

Resenha: A Vida em Tons de Cinza + Aviso Importante

Título Original: Between Shades of Gray
Autor: Ruta Sepetys
Páginas: 240
Tradução: Fernanda Abreu
Editora: Arqueiro

1941. A União Soviética anexa os países bálticos. Desde então, a história de horror vivida por aqueles povos raras vezes foi contada. Aos 15 anos, Lina Vilkas vê seu sonho de estudar artes e sua liberdade serem brutalmente ceifados. Filha de um professor universitário lituano, ela é deportada com a mãe e o irmão para um campo de trabalho forçado na Sibéria. Lá, passam fome, enfrentam doenças, são humilhados e violentados. Mas a família de Lina se mostra mais forte do que tudo isso. Sua mãe, que sabe falar russo, se revela uma grande líder, sempre demonstrando uma infinita compaixão por todos e conseguindo fazer com que as pessoas trabalhem em equipe. No entanto, aquele ainda não seria seu destino final. Mais tarde, Lina e sua família, assim como muitas outras pessoas com quem estabeleceram laços estreitos, são mandadas, literalmente, para o fim do mundo: um lugar perdido no Círculo Polar Ártico, onde o frio é implacável, a noite dura 180 dias e o amor e a esperança talvez não sejam suficientes para mantê-los vivos. A vida em tons de cinza conta, a partir da visão de poucos personagens, a dura realidade enfrentada por milhões de pessoas durante o domínio de Stalin. Ruta Sepetys revela a história de um povo que foi anulado e que, por 50 anos, teve que se manter em silêncio, sob a ameaça de terríveis represálias.

Uma das coisas que eu mais amo em ler livros que eu nunca ouvi falar antes é o poder que eles têm de surpreender. É claro que uma maravilha assim acontece uma vez em cem, então posso dizer que "A Vida em Tons de Cinza" é um livro premiado. Devorei essa história como se fosse a última coisa que eu faria na vida.

Lina tem 15 anos, é lituana e um sonho: ser aceita em uma famosa escola de artes na capital. É claro que seus desenhos maravilhosos a ajudam a conquistar esse objetivo. Mas ela vê seu sonho e seu mundo desmoronarem quando ela é capturada, junto com sua família, pelo exército de Stálin (NKVD) e enviados para os terríveis campos de internamento durante o período da Segunda Guerra Mundial. 

Ela, sua mãe (Elena) e seu irmão (Jonas) são separados do pai e jogados em um trem que transportava ladrões e prostitutas. Assim, chegam ao Campo de Trabalho de Altai onde são obrigados a trabalhar como escravos e em condições precárias para garantirem um pequeno pedaço de pão por dia. A única coisa que os move nessa tempestade é a esperança e fé de que dias melhores virão, e é essa esperança que faz Lina se arriscar tentando se comunicar com o seu pai através de mensagens codificadas em seus desenhos. 

Durante aqueles períodos de silêncio, eu me agarrava a meus velhos sonhos. Era sob a mira de uma arma que eu abraçava todas as esperanças e me permitia desejar do fundo do coração. [...] Fugíamos para uma imobilidade bem dentro de nós. Ali encontrávamos força.

Cerca de um terço da população da região Báltica foi exterminada durante o reinado de Stálin, um comunista que tinha como objetivo expandir o socialismo pela URSS e, em consequência disso, nos demais países. É óbvio que toda a população era obrigada a seguir os ideais de Stálin eram presos e exilados. A autora fez uma pesquisa muito detalhada sobre o assunto, além de se inspirar em casos verdadeiros para escrever uma história ainda mais real. É incrivelmente triste ler e lembrar todo o sofrimento que essas pessoas passaram e pensar que, apesar de esse pesadelo ter ocorrido há tanto tempo, acontecem coisas tão parecidas bem na nossa frente. 

"A Vida em Tons de Cinza" é um romance emocionante, com personagens corajosos e fortes, que mostra muito sobre o sofrimento desse povo nos gulags, principalmente pelo livro ser narrado por Lina. Mas é importante lembrar que, mesmo sofrendo tanto, nenhum deles perdeu a esperança sequer um minuto.

Sem dúvidas, esse livro é uma leitura obrigatória não só para quem gosta do tema, mas para quem quer saber como a fé e o amor  podem sim ser o remédio. Ruta Sepetys, com uma escrita simples e crua, conseguiu mostrar como nós não temos o que reclamar da vida que levamos.

Classificação final:

Aviso

Calma pessoal! Não estou morrendo nem nada. Isso aqui é só para falar para vocês que vou viajar para Belo Horizonte amanhã para fazer uma pequena cirurgia no olho direito, mas não é nada grave. A questão é que não sei se terei tempo ou até mesmo um computador disponível para eu atualizar o blog. Então, se eu der uma sumida por uma semana ou um pouco mais que isso, não se preocupem, ok? E peço que me desculpem também.

11 comentários:

  1. oie Ana
    primeiramente sucesso na sua cirurgia
    Eu comprei esse livro em uma promo, mas nunca peguei pra ler. Gosto quanto autores se inspiram em situações reais para criar suas ficções históricas.
    Quero ler.
    bjos
    www.mybooklit.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Jacque!

      Obrigada, deu tudo certo graças a Deus! Eu também comprei esse livro numa promô e confesso que não esperava muito dele. Amei demais. Espero que você também goste.

      Beijo!

      Excluir
  2. apesar de n ser um dos meus estilos de leitura sou muito curiosa com esse livro e adoro a capa.
    boa sorte na cirurgia!

    Seguindo o Coelho Branco

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Alice!

      A capa é realmente muito bonita!
      Deu tudo certo na minha cirurgia, obrigada!

      Beijo!

      Excluir
  3. Oi Ana, quando o livro foi lançado, os comentários foram bem diversificados. Mas a maioria foi como o seu, positivo e encantado pelo história. Tenho curiosidade e até cheguei a comprar o livro, mas por problemas na entrega tiveram que devolver meu dinheiro :( Acabei deixando de lado, mas acho que leria, se tivesse.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ju!

      Pois é menina, teve gente que gostou demais e gente que gostou de menos. Fiquei encantada mesmo. Se eu fosse você até compraria o livro de novo. hihi

      Beijo!

      Excluir
  4. Esse livro é bastante interessante e profundo!
    Gostei muito da dica =)
    Beijinhos
    Rizia - Livroterapias

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Rízia!

      Que bom que gostou!
      É muito legal mesmo.

      Beijo!

      Excluir
  5. Ei Ana,

    Que resenha linda. Eu sempre quis ler porque só vejo os blogueiros elogiando muito e é um estilo que eu gosto. Faz tempo que lançou e acredita que tive que abrir o Skoob para ver se eu tenho? rsrs. Eu tenho hahaha, um dia leio. :)
    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei Nanda!

      Ah, que bom que gostou! Um dia terei tantos livros para poder abrir o Skoob pra ver se eu tenho algum livro! hahaha
      Espero que você goste!

      Beijo!

      Excluir
  6. Esse é um dos meus livros prediletos da vida! A forma como a autora expõe todos os problemas enfrentados pelos personagens para superar as adversidades de uma vida tão difícil é simplesmente emocionantes. Ainda mais quando pensamos que a autora utilizou fatos reais para produzir essa história. De verdade, um dos livros mais tocantes que já li.
    Beijos,
    Isabelle | http://www.mundodoslivros.com/

    ResponderExcluir

 
Layout feito por Vinícios Costa | Todos os direitos reservados ©