16 de agosto de 2015

Semana Especial Guardião: Resenha: Híbrida

Título: Híbrida
Autora: Mari Scotti
Páginas: 360
Editora: Novo Século
Livro recebido em parceria com a autora. 

Por toda vida Ellene teve a sensação de ser diferente de seus irmãos e dos moradores de sua vila, pois não adquiriu características de lobisomem como era esperado, e afastava-se cada vez mais desta natureza. Com um espírito rebelde, resolve desvendar o passado em busca de sua verdadeira origem. O que não planejava era entrar no meio de uma rixa entre vampiros, a raça que aprendeu a temer e odiar desde menina. Para piorar, seus pesadelos voltaram: sonhos com um homem misterioso de olhos ameaçadores, envolvido por uma densa neblina. Há quase cem anos a rainha dos vampiros fora sequestrada e seu marido, Milosh, desde então busca incessantemente encontrá-la. O tempo é escasso e as autoridades do Conselho desejam eleger um rei omisso e cruel em seu lugar. Na tentativa de tardar a mudança, ele se une a maior inimiga da rainha. Qualquer erro pode condená-lo a morte e subjugar todos os seus iguais. Ellene e Milosh mal sabem que o que buscam os colocará frente a frente, em uma trama de intrigas, poder, amor e ódio.

Uma coisa é certa: o mercado está super saturado de histórias que envolvem vampiros e lobisomens. Acho que para um autor se arriscar escrever sobre esse assunto, ele tem que ser muito bom. Apesar de estar cansada de ler sobre esses seres sobrenaturais, apostei tudo na Mari Scotti e confesso que me surpreendi, tanto com a história quanto com a escrita da autora. 

Híbrida é o primeiro volume da série Neblina e Escuridão e nos apresenta a protagonista Ellene, que nada mais é do que uma mestiça, filha de uma vampira com um mortal. Mas se acalmem que isso não é um spoiler, na verdade fica bem óbvio desde o início. O diferencial é que Ellene foi deixada por sua mãe biológica aos cuidados de uma família de lobisomens que conseguiram esconder da menina a sua verdadeira condição (não sei como, mas tudo bem). 

Ao mesmo tempo em que Ellene começa a notar algumas diferenças em sua vida e vai em busca do seu passado, procurando respostas, Milosh, esposo da rainha dos vampiros, busca incessantemente por ela desde o dia em que foi sequestrada, há quase cem anos. O que Ellene e Milosh não sabem é que o destino de ambos está traçado e que eles são mais próximos do que se pode imaginar. Em meio a toda essa confusão (e enganação), respostas são descobertas e romances são aflorados.

— Já se sentiu perdido em algum momento da sua vida?
— Sempre que você some. — Ellene soltou um riso nervoso.
(pág. 221 e 222)

Apesar de ter me divertido demais com a leitura, não pude deixar de me incomodar com algumas coisas. Em primeiro lugar, achei totalmente incrível conseguirem esconder da Ellene que ela é meio vampira por tanto tempo: Deus, eles davam sangue para ela misturado no suco de groselha e ela não percebia. Esse foi um ponto que me incomodou bastante, a ingenuidade da personagem principal era tanta que chegava a ser sonsa, já que, para mim, a realidade estava muito na cara. Além disso, algumas falas da personagem também me tiravam do sério, principalmente quando ela conversava com Tom, um dos integrantes do bando e melhor amigo/pseudo namorado da Ellene.

Fiquei bastante surpresa com a agilidade da autora em relação à escrita. Ultimamente tenho me decepcionado demais com autores nacionais (eu sei, é bem triste fazer uma confissão dessas), mas fiquei extremamente feliz ao ver a habilidade da Mari com as palavras. A narrativa não se torna maçante em nenhum momento e sim, acreditem, apesar do tema previsível, Mari conseguiu criar uma história totalmente original. Mesmo com alguns pontos negativos, Híbrida é uma história recomendadíssima para todos os fãs de sobrenatural. Tem bastante intriga, mentira, romance e mistério na medida certa.

Classificação final:  (queria dar 3.5, mas não tem estrelinha colorida só até a metade...)

6 comentários:

  1. As pessoas estão acostumadas a pensar no clichê antes de começar uma história e fico feliz quando leio numa resenha que eu consegui fugir um pouco disso. Obrigada.
    No caso da Ellene ela tem o histórico de ter começado a se desenvolver de verdade aos dezesseis anos (físicos e não temporal), então se ela tem dezoito fica mais fácil de ser tão lerda, são só dois anos pra ela entender tudo à sua volta. To explicando porque achei importante explicar, não porque não aceitei a crítica. Eu gostaria de poder reescrever Híbrida e arrumar uma porção de coisas, mas como publiquei logo que terminei, sem ter experiência nenhuma, não posso fazer isso, seria chato pros leitores que já leram e compraram =( KKKK.
    Eu adoro resenhas que mostram todos os lados, sem mascarar o que tem de ruim e o que tem de bom no livro. Eu tenho dificuldade de escrever resenhas assim e você me deixou bem feliz. Obrigada Ana!
    Espero que em Guardião você sinta a evolução tanto da Ellene como da história. E a minha como escritora :P
    Obrigada mais uma vez.
    Super beijo, Mari Scotti

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Mari!

      Sim, você me surpreendeu bastante e fiquei extremamente feliz por isso. Não acho que você precise reescrever Híbrida. Por ter publicado logo, ficou muito bom. Nem dá para acreditar que você não tinha experiência! Espero gostar muito de Guardião também.

      Beijo!

      Excluir
  2. Não conhecia esse livro, fiquei curiosa para ler! Vou procurar..

    xx
    www.batomdecereja.com

    ResponderExcluir
  3. Oi, Ana! Tudo bem? Eu ando meio saturado de história envolvendo vampiros e/ou lobisomens, mas que bom saber que a autora consegue surpreender o leitor! :) O fato de a personagem ser muito ingênua acabou me fazendo perder a vontade de ler o livro, mas desejo muita sorte e sucesso à autora! Parabéns pela resenha! :)

    Abraço

    http://tonylucasblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Ana, eu terminei essa semana e fiquei do boca aberta. Nossa, tem umas questões que ficaram presas na minha mente e quero segundo para desvendar.
    Adorei a resenha.

    www.primeiras-impressões.com

    ResponderExcluir
  5. Eu sou suspeita para falar da Mari porque sou absolutamente apaixonada pela maneira que escreve e pelo dom incrível que ela tem de escrever novas histórias. Estou morrendo de ansiedade para descobrir os segredos que rondam a vida dos personagens, tenho certeza que vou ficar com o coração apertadinho com o final do segundo livro. Espero que se você continuar a ler a série, se apaixone pelos personagens tanto quanto eu.

    Beijos.
    Isabelle | http://www.mundodoslivros.com/

    ResponderExcluir

 
Layout feito por Vinícios Costa | Todos os direitos reservados ©