15 de fevereiro de 2016

Resenha: Grey

Título Original: Grey
Autora: E. L. James
Páginas: 524
Tradução: Adagilsa C. Silva, Julia Sobral Campos, Maria Carmelita Dias
Editora: Intrínseca

Na voz de Christian, e através de seus pensamentos, reflexões e sonhos, E L James oferece uma nova perspectiva da história de amor que dominou milhares de leitores ao redor do mundo. Christian Grey controla tudo e todos a seu redor: seu mundo é organizado, disciplinado e terrivelmente vazio – até o dia em que Anastasia Steele surge em seu escritório, uma armadilha de pernas torneadas e longos cabelos castanhos. Christian tenta esquecê-la, mas em vez disso acaba envolvido num turbilhão de emoções que não compreende e às quais não consegue resistir. Diferentemente de qualquer mulher que ele já conheceu, a tímida e quieta Ana parece enxergar através de Christian – além do empresário extremamente bem-sucedido, de estilo de vida sofisticado, até o homem de coração frio e ferido. Será que, com Ana, Christian conseguirá dissipar os horrores de sua infância que o assombram todas as noites? Ou seus desejos sexuais obscuros, sua compulsão por controle e a profunda aversão que sente por si mesmo vão afastar a garota e destruir a frágil esperança que ela lhe oferece?

Quando eu li Cinquenta Tons de Cinza há uns dois anos atrás (e só primeiro volume da série, não consegui ler os outros dois de jeito nenhum), fiquei tentando imaginar o porquê de tanto sucesso. Como diz a minha mãe, tem gosto para tudo. Mas enfim, o ponto em que eu quero chegar é que mesmo tendo detestando a visão de Anastasia Steele para essa história, minha curiosidade para saber a visão do enigmático Christian Grey estava gigante. 

Todo mundo sabe quando uma história faz sucesso demais e tal história é originalmente narrada pela personagem feminina, podemos esperar a visão masculina. Há quem ame, há quem odeio, mas o fato é que iremos ler a mesma coisa. Eu mesma não coloco lá muitas expectativas nesses livros, já que sei exatamente o que vai acontecer. No caso de Grey, o único diferencial foi conhecermos o interior de Christian, sempre muito introspectivo. Nesse ponto a autora acertou, já que Grey é um personagem muito mais interessante e melhor construído do que a mocinha.

Aqui, encontramos uma narrativa muito mais sombria e infinitamente mais escrachada do que em Cinquenta Tons de Cinza, afinal, querendo ou não é um homem narrando e os pensamentos dele são muito mais fortes. Conhecemos um pouco da misteriosa relação de Christian com Elena, detalhes sobre a sua infância antes e depois de ser adotado e várias outras coisas que deixaram a maioria dos leitores mortos de curiosidade, mas ainda assim não achei suficiente.  

Eu sei que já devia estar acostumada nessa altura do campeonato, mas meu Deus, o linguajar dele me irritava completamente. Okay, nas muitas cenas de sacanagem, dominação e todas essas coisas que eu já estava esperando eu não me assustava, mas o jeito de ele conversar normalmente era muito vulgar. Os pensamentos então, acho melhor nem comentar. Mas uma coisa que eu gostei de ler foi o avanço do sentimento de Christian pela Ana, aqui eu pelo menos tive a impressão de que foi real. 

Gente, vocês que são fãs que me desculpem, mas eu preciso falar: COMO QUE UMA CRIATURA ACEITA FAZER UM CONTRATO DE DOMINAÇÃO EM UM RELACIONAMENTO PELO AMOR DE DEUS? Porque nossa, com certeza o sonho de TODA mulher é que todos os aspectos da vida dela sejam controlados por um homem, nossa sem ora. Não consigo nem pensar que existem mulheres que aceitam esse tipo de coisa... Quem em sã consciência entra em um quarto cheio de brinquedos masoquistas e acha lindo? Deus me livre. Para mim isso está longe de ser um relacionamento normal, quanto mais saudável. 

Infelizmente eu esperava alguma coisa diferente. Sim, eu juro que esperava. A impressão que tive foi que a  E. L. James simplesmente pegou o arquivo de Cinquenta Tons de Cinza e mudou uns pensamentos aqui e acolá. Esperava muito mais da sua infância conturbada, como já disse antes e, principalmente, da sua vida antes de conhecer Anastasia. Como já disse antes, cada pessoa tem um gosto diferente, mas acho bem triste um livro tão fraco fazer tanto sucesso, ainda mais se compararmos com algumas outras obras brilhantes que não tem tanta visibilidade.

Classificação final:

15 comentários:

  1. Olá,

    Concordo com você em gênero, número e grau! Cada um com seu gosto, mas realmente foi uma perda de tempo quando eu li o primeiro livro. Parabéns pelo blog e pela resenha!

    http://booksimpressions.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Oi, Ana
    Deus me livre nesse livro kkkk Sim, tenho preconceito contra eróticos. Acho que, na maioria das vezes, são livros machistas e, como você disse, como uma mulher aceita esse tipo de coisa? E o pior, como tem gente que acha isso a-melhor-história-do-mundo? A mulher luta durante décadas para conquistar os seus direitos e vem uma história em que a mulher é praticamente tratada como um objeto e milhões batem palmas. Tá, vou parar de problematizar kkkk
    Mas, como sua mãe mesma disse, há gosto para tudo.

    Beijo,
    João Victor - De cabeça para baixo | All POP Stuff

    ResponderExcluir
  3. Olá Ana!,
    Também li apenas o primeiro livro da Trilogia e foi há uns dois anos atrás mais ou menos. E confesso que não me chamou a atenção as partes eróticas em si, mas a evolução do relacionamento deles para depois ter aquela "ceninha" no final do livro!
    Mas eu sempre quis saber toda a história pelo ponto de vista do Christian (íntimo não?) e fiquei intrigado com o tempo em que ele foi submisso. Ainda não li esse livro mas quando tiver um tempo eu lerei, por enquanto não é prioridade!
    Abraços!

    ResponderExcluir
  4. Oiee ^^
    Não li os livros da série, mas confesso que não tenho curiosidade alguma de conhecer. Já sei que a Anastasia é uma boba que deixa um homem cuidar de todos os aspectos da vida dela, que fica buscando sua deusa interior (vi isso numa resenha e ri muito da forma como a blogueira mencionou), e que o Christian é um boca suja. Para mim já é o suficiente. Não gosto de personagens assim, e não curto eróticos, então é uma série que eu não leria de jeito nenhum, seja pelo ponto de vista da Anastasia ou do Grey *-*
    MilkMilks
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Oi, Ana!!
    Eu até li Cinquenta tons de cinza, mas não me empolguei em ler os outros livros da trilogia.
    Esse livro veio mais para mostrar um pouco mais sobre a personalidade de Christian, mas pelo que li em vários comentários, o livro não acrescenta muita coisa, vi gente no facebook dizendo que se arrependeu de gastar com o livro, mas até entendo a curiosidade, eu se tivesse lido e gostado da trilogia é certo que compraria esse também.
    Gray com certeza é um livro que não vai entrar para minha lista de leituras.
    Beijão!
    Lilica - O maravilhoso mundo da leitura

    ResponderExcluir
  6. Oi Ana!

    Li também apenas o primeiro livro dessa série, foi mais por curiosidade, pois era tanto falatório que eu não me aguentava de curiosidade, não foi um livro de todo ruim, mas também não foi um livro bom, só que nunca cogitei ler os demais, pois não fazem meu gênero. Quando eu soube da versão do Grey, nem me interessei, afinal, como você disse, é o mesmo enredo, com poucas coisas diferentes e sinceramente, essa história de 50 tons já está batida e muito clichê, quanto ao gosto sobre esses "brinquedos", melhor eu nem comentar, mas não acho legal e é bem bizarro. Enfim, boa resenha!

    Da Imaginação à Escrita

    ResponderExcluir
  7. Olá!!

    Esse é um livro que eu não tenho curiosidade!
    Eu li a trilogia, gostei dela, achei mega interessante a forma como a tematica foi abordada e ajudou o genero chegar onde chegou. O problema é que obras assim sempre são mais do mesmo. E acabam perdendo a graça.
    O que não me faz qurerer ler de jeito nenhum.
    Gostei da sua resenha e sinceridade e passo a leitura.

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  8. Oi, Ana!
    Desde os comentários que surgiram no lançamento do primeiro da trilogia eu já não me interessava por ele e me interesso ainda menos por Grey. Se o lesse, provavelmente questionaria as mesmas coisas que você fez durante a leitura, embora acredito que com ainda mais intensidade e sem qualquer paciência, rs, mas, enfim. Para quem gosta, realmente deve ser muito bom, mas para quem não curte, tem muitas outras coisas por ler, certo? Gosto é gosto e cada um tem o seu, só precisa-se de respeito para com todos mesmo, rs.
    Beijos!

    ♥ Sâmmy ♥
    ♥ SammySacional ♥

    ResponderExcluir
  9. Oi, Ana! Você é uma vitoriosa. Eu nunca consegui nem terminar de ler 50 Tons. Foi um dos poucos que abandonei na minha vida. Claro que não cogito a ideia de pegar Grey para ler. Vou acabar odiando também.
    Bom, como eu disse nunca terminei de ler mas até o ponto onde li entendi que o tal contrato tem relação com o BSDM e não com o relacionamento deles; que alias o que eles teriam não seria nem um relacionamento. Sei que contratos não são realmente validos na pratica, mas independente disso se alguma mulher tem curiosidade real ou gosta desse tipo de pratica com certeza vai acabar se encantando com o que o quarto vermelho do Christian tem a oferecer.

    Beijos
    Sil - Estilhaçando Livros

    ResponderExcluir
  10. Esse negócio de dominação também não entra na minha cabeça, mas ainda prefiro ler uma ficção disso, do que saber que isso realmente existe, que triste. A trama em si não parece ser muito "uau", mas confesso que bate aquela curiosidade de ler, sabe? hahaha Eu quero tentar ler o primeiro, ou quem sabe assistir o filme. Realmente, tem gosto para tudo, hahaha.
    beijos
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
  11. Oi Ana.
    Parabéns por ter conseguido ler até o fim!
    Não tenho um pingo de vontade de ler 50 tons e imagino que boa parte do sucesso dele com as mulheres seja a questão da fantasia, pois acredito que a maioria que gosta do livro, não gosta dessas relações sexuais sado, então acabam gostando na ficção, por lerem aquilo que não tem coragem de fazer. Sei lá, acho que funciona por ai.
    Bem, pra mim não funciona, já até li contos no estilo, mas não gosto, com certeza isso não é pra mim. Por isso passo longe de livros assim hahah
    Beijos

    ResponderExcluir
  12. Ana, vc ainda foi uma guerreura, eu não consegui passar do terceiro capitulo e vc leu o livro inteiro O.o kkk. Bom de inicio eu tbm estava curiosa pela versão do Christian mas aí comecei a ver alguns trechos no twitter e decidi que esse livro não é para mim. Não sei o que as autoras tem na cabeça que homens ricos, "bad boys" não podem simplesmente ter um linguajar educado, não bem educado, mas essa vulgaridade parece ser um topico constantes em livros eróticos contemporâneos, parece que se ele não for assim não se encaixa no personagem. Eu particularmente não gosto. HUhauhua amei o desabafo e é justamente o que eu penso, ainda mais Anastacia sendo tão ingênua e pura quanto aparenta ser no começo do livro. Bom, independente desse pov ser mais interessante eu não leria!
    Quanto ao que você esperava depois de ler Breakable, que é a versão do Lucas de Easy, eu sempre espero por Povs assim, apesar de ser a mesma história ele se aprofunda mais na vida e na infância/adolescência do protagonista masculino, não é superficial e trouxe muita informação, se não for no míni,o assim eu passo longe!

    ResponderExcluir
  13. Finalmente não estou mais sozinha!!!!! Não li e nunca lerei um livro deste assunto, para mim é bem desnecessário ler algo que, para mim, deveria ficar no íntimo. Mas como tem pessoas que são muito curiosas né!! Realmente não vi sentido de esse livro fazer sucesso, acho a visão do livro totalmente errada para o publico feminino, mas é o que eu sempre digo: não importa quem domina, sexo sempre vende!!
    Essa é minha opinião sobre esse livro e sobre todos os livros erótico, não é preconceito, se você gosta leia, mas para mim vai contra meus princípios!!


    Nathália Bastos// Biblioteca Lecture

    ResponderExcluir
  14. Olá!!!

    Sinceramente nunca tive vontade de ler este livro, justamente pela premissa, achei fraca e sem graça! E também, não curto livro "picante", acho muito vago e prefiro ler outra coisa! E pelo que notei nos comentários não sou a única!

    Mas sim, acabei assistindo o filme por pura curiosidade, mas achei bem sem gracinha para o tamanho da proporção que este livro tomou!! Atores sem graça, enredo ruim, a história então .. affff.!! Claro que trata-se de uma adaptação, que ainda concorreu ou ganhou ( não me recordo) o troféu franboesa de tão "maravilhoso" que foi rsrs...

    Enfim, amei sua resenha e suas observações!!! Tudo um absurdo e pior que tem muita mulherada que ficou "apaixonada" pelo Sr. Grey, ne! O que é bem pior. Esse livro atingiu de uma forma avassaladora o público feminino que engoliu a história como se fosse a história mais linda e romântica da vida --- Mas enfim, gosto é gosto!

    Bk
    Keyla - http://blogleituraterapia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Eu não li a trilogia de cinquenta tons de cinza, mas assisti o filme (sei que não é a mesma coisa). Eu adorei a temática e sei que no livro tudo é mais forte e mais apimentado, mas não me interessei pela trilogia, mas isso não acontece com GREY que eu estou super afim de ler e de formar a minha opinião. Adorei o seu blog, já está nos meus favoritos.

    Meu Blog: www.umcontainer.com

    ResponderExcluir

 
Layout feito por Vinícios Costa editado por Silviane Casemiro | Todos os direitos reservados ©