15 de janeiro de 2017

Resenha: Bruto

Imagine-se manuseando os cadernos de Thedy Corrêa e deixe-se levar por textos publicados tal qual surgiram: palavras simples, no estado Bruto, sem retoques. Poemas, divagações em horas de insônia e anotações de viagens se misturam com histórias sobre como surgiram as canções do Nenhum de Nós, banda da qual Thedy é vocalista e um dos fundadores. A edição deste livro também foi concebida para ser lida como se fossem anotações de rascunho no estado bruto, tanto pela capa como pelas costuras aparentes.

Título Original: Bruto
Autor: Thedy Corrêa
Páginas: 152
Editora: Belas Letras
Livro recebido em parceria com a editora

Na minha humilde opinião, o gênero mais difícil de se ler e compreender o que está lendo é a poesia. Acho que essa característica pode ser adquirida com o tempo, mas a verdade é que eu ainda não sou madura o suficiente para amar poesias e, até isso mudar, sempre vou achar livros de poesia apenas bons. Não nego que os escritos do Thedy são lindos, sejam os poemas ou as divagações noturnas. 

Bruto, do Thedy Corrêa, vocalista da banda gaúcha Nenhum de Nós, é um compilado de textos , músicas e poemas, publicados na forma como surgiram, sem nenhuma alteração. Quem acompanha as resenhas aqui do blog sabem muito bem que não sou dada a ler poemas, mas consegui realizar a leitura sem grandes desafios. Volta e meia também apareciam letras de várias músicas que eu conheço e isso me deixou bem animada.

Também me apaixonei pela diagramação. Vários páginas do livro eram os próprios rascunhos do Thedy. Bruto trata de diversos temas, desde poemas de amor, questões sociais, amizade, padrões de beleza femininos e até mesmo explicações de algumas cansões. É super legal ler poemas de temas que me atraem porque acabo ficando mais "acostumada" com eles, já que não são minha preferência de leitura.

É claro que o livro fala por si só. Realmente veio em seu estado bruto, sem capa propriamente dita, com as costuras à mostra. Então realmente senti que estava lendo um caderno feito à mão pelo próprio autor, como se fosse um diário de cotidianices que acontecem com todas as pessoas.

Ainda tenho bastante dificuldades em resenhar um livro que não seja de histórias, mas posso dizer que gostei bastante de ter lido Bruto, de estar saindo da minha zona de conforto aos poucos. Além do mais é sempre uma experiência muito satisfatória ter contato com nossos autores nacionais. 

13 comentários:

  1. Olá!!
    Também não sou fã de poesias mas desejo toda sorte do mundo para o autor, acho que para muitos que curtem o gênero é uma ótima indicação não vou prometer ler mais indicaria com toda certeza.
    Até mais

    ResponderExcluir
  2. Oi Ana, concordo com você. Não sou fã de poesia e acredito que isso se dê pelo a pouca familiarização com o gênero sabe, mas nada que um pouco de insistência na leitura não resolva.
    Beijos
    Quanto Mais Livros Melhor

    ResponderExcluir
  3. Oi Aninha! Sinceramente, achei esse livro o máximo! Eu gosto bastante de poesia, embora algumas delas me fazem ter a impressão de que não compreendi completamente a mensagem que autor gostaria de transmitir. Outra coisa que achei legal, foi que além das poesia a obra também parece ser uma compilação cheia de rascunho, anotações... Eu não conheço muitas canções do Nenhum de Nós, mas sei que eles tem algumas letras um pouquinho peculiares, então deve ser interessante ler os rascunhos e a criação de algumas delas. Gostei também da idéia da capa e diagramação com um toque rústico! Quando quiser desapegar é só mandar pra mim, viu?! Hehehe! Super beijo!

    ResponderExcluir
  4. Muito interessante a premissa do livro de ser um diário bruto, eu não li nada assim até o momento. A capa eu achei linda e achei que ficou bem conectada com o título do livro, me deixando mais curiosa.
    Eu gosto muito de poemas e espero poder ler o livro!

    ResponderExcluir
  5. Também acho difícil ler poesia nem sempre sei o que o autor queria expressar, tem umas que até que são de fácil entendimento, mas tem umas que sai de baixo rs. Não sei se é porque não sou acostumada com o gênero ou outra coisa. Fiquei curiosa pois achei bem diferente o livro, os rascunhos e tudo mais.

    ResponderExcluir
  6. Oi, Ana!!
    O livro estar com a diagramação bem bonita!! Mas infelizmente não curto muito ler livros de poesia. Mais gostei da indicação.
    Beijoss

    ResponderExcluir
  7. Ana!
    Você gosta de música? Então... os poemas nada mais são do que as letras da músicas, basta senti-la para entendê-la, com os poemas são assim também.
    Gostei muito de ver que o livro trouxe os textos escritos em suas formas originais.
    Sou apreciadora do Thedy e do grupo desde a adolescência e gostaria de apreciar sua forma de criação.
    “Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina.” (Cora Coralina)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de JANEIRO dos nacionais, livros + BRINDES e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  8. Achei muito interessante a proposto do livro, nunca vi dessa forma mas parece cativante, ainda mais com poesias! Adoro poesias pois me leva ao meu momento mais eu lírico de mim ♥ ótima indicação :)

    ResponderExcluir
  9. Nenhum de nós eu conheço algumas músicas e confesso que minha mãe teve que me explicar as letras rsrs Poesia não é meu tipo de leitura e similar a vc, acho bom mas não consigo fazer bem uma análise profunda de cada escrito

    ResponderExcluir
  10. Eu não sou muito de ler livros que tenham poemas porque acho que ainda não me acostumei com eles sabe. Leio mais outros estilos. Mas fiquei bem curiosa com a premissa de o livro ser um diário e ainda tratar de alguns temas difíceis e tocantes.

    ResponderExcluir
  11. Também não consigo entender poesias muito bem, acho que elas são muito subjetivas. Mas achei muito interessante o livro parecer um caderno feito à mão.

    ResponderExcluir
  12. Oi!
    A diagramação do livro parece mesmo estar incrível, também não leio muitos livros de poemas, mas de vez em quando gosto de pegar algum para ler, achei interessante esse livor do Thedy, principalmente por essa mistura com letra de musica e adorei saber que a ordem dos poemas segue a mesmo de escrito do autor !!

    ResponderExcluir
  13. Estou apaixonada nessa edição.
    Eu amo ler poemas, e poesia, mas tenho só um livro nesse estilo aqui em casa, não canso de reler ele nunca. Vou procurar ler Bruto, gosto quando é abordado vários temas dessa forma. E ainda mais quando nos sentimos perto do autor, como se fosse escrito a mão como você citou. Adorei :D
    Beijos!
    Lost Words

    ResponderExcluir

 
Layout feito por Vinícios Costa | Todos os direitos reservados ©