19 de maio de 2017

Resenha: Resistência

Auschwitz, 1944. As gêmeas Pearl e Stasha têm 12 anos quando desembarcam no campo de concentração nazista na Polônia. à medida que conhecem o horror e têm suas identidades fraturadas pela dor e sofrimento, tentam confortar uma à outra e criam códigos e jogos para se proteger e recuperar parte da infância deixada para trás. Mas quando Pearl desaparece sem deixar pistas, Stasha se recusa a acreditar que a irmã esteja morta e embarca numa jornada desesperada em busca de justiça, paz e de si mesma. Livro notável pelo The New York Times; Livro do Ano pela Amazon e pela Publishers Weekly; indicação de leitura dos principais veículos de imprensa norte-americanos, Resistência narra, com uma voz poderosa e única, a trajetória de duas irmãs lutando pela sobrevivência em um dos períodos mais devastadores da história contemporânea e mostra que há beleza e esperança até diante do caos.

Título Original: Mischling
Autora: Affinity Konar
Páginas: 320
Tradução: Alyda Sauer
Editora: Fábrica 231
Livro recebido em parceria com a editora 

Sempre me interesso por livros ambientados durante a Segunda Guerra Mundial, apesar de carregarem, quase sempre, uma história muito triste e pesada. Em Resistência, conhecemos a história das gêmeas Pearl e Stasha, de 12 anos de idade, que têm a infância roubada pelo terrível Dr. Mengele. Popularmente chamado de "Anjo da Morte", o médico nazista ficou conhecido por realizar experimentos terríveis com anões, grávidas, albinos, mas, principalmente, irmãos gêmeos.

As irmãs são como sombra uma da outra e sempre foram muito unidas. O livro é narrado sob o ponto de vista das duas, então temos a plena noção do que ambas estão sentindo. O que eu achei um pouco perturbador, no decorrer da leitura, é que Stasha tinha um desejo muito grande de ser a irmã, que sempre foi a preferida de todos. Pode parecer normal, mas essa fixação era tanta que elas ensaiavam para fazerem tudo igual e isso me incomodou demais. Não que seja um defeito do livro, mas gente, Stasha era muito possessiva em relação à Pearl. Então, apesar de termos todas a atrocidades do Dr. Mengele, Resistência foca muito mais na unidade das irmãs e em como elas lidam com toda a situação.

A narrativa de Affinity Konar é extremamente delicada, principalmente por serem crianças narrando tantas coisas ruins. Justamente por esse fato é que não vemos os experimentos do Anjo da Morte tão explicitamente, mas sabemos que aconteceu — eu, particularmente, gostaria de ter visto mais. Stasha começa a ficar tão obsessiva pela "ciência" de Mengele que quase tudo sobre o assunto é mostrado na visão dela. Pearl, por sua vez, acaba ficando com as partes mais leves, contando mais sobre os seus sentimentos, as reações aos experimentos e as coisas ao seu redor. Mas não se enganem. Apesar da descrição leve, o conteúdo não deixa de ser impactante.

Fiz algumas pesquisas sobre o Dr. Mengele antes de escrever essa resenha e fiquei realmente aterrorizada. Ainda é difícil para mim aceitar que uma pessoa fez coisas tão desumanas em busca da perfeição genética. Seus procedimentos horrendos incluíram costurar irmãos nos pulsos e nas costas, na tentativa de criar irmãos siameses; extração de membros, sem anestesia e até mesmo testes de resistência, onde ele jogava as crianças vivas dentro de uma espécie de caldeirão fervendo. Ah, para deixar as coisas um pouco piores, Pearl e Stasha foram inspiradas nas irmãs Miriam e Eva Mozes, sobreviventes do Holocausto.

Não é atoa que Resistência foi considerado o livro do ano pela Amazon e pela Publishers Weekly. É o tipo de livro que a gente tem dificuldade em resenhar, porque é uma história que não dá para esquecer. É impossível não se questionar como existiram — e ainda existem — pessoas tão cruéis nesse mundo e a tristeza que a gente absorve dessa história é tão grande que não dá para explicar. Para mim, foi uma leitura importante pela sua reflexão: nunca é tarde para a gente sentir empatia e admirar todas as pessoas que conseguiram, de alguma forma, sair desse pesadelo.

12 comentários:

  1. Oi Ana.
    Eu também sou apaixonada por Livros ambientados na Segunda Guerra Mundial e concordo com você na maioria das vezes os livros realmente trazem uma premissa muito triste entendo o que quis dizer quando disse que livros assim normalmente tem uma certa dificuldade para fazer essa resenhas e para mim isso acontece porque não consigo pôr em palavras todos os meus sentimentos mas assim eu adorei a premissa e eu assim como você também tenho dificuldade para entender o que leva um ser humano a ser tão Cruel a chegar a tentar dizimar uma nação, espero ler esse livro muito em breve.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  2. Sempre quando leio livros assim me faço essa mesma pergunta. Como podem existir pessoas tão crueis? Infelimente nunca encontro a resposta. Primeira resenha que leio sobre esse livro e apesar de não ser o meu estilo de leitura pretendo sim ler. Como sempre voce fez uma excelente resenha.

    ResponderExcluir
  3. Gosto de tramas com coisas da Segunda Guerra, um pano de fundo assim e é pelos dramas e todo o horror que isso engloba que deixa a história tão interessante. Foi bom saber melhor como é essa história, não tinha visto muito dela ainda. Gostei do jeito de contar, dos pontos de vista. Assim dá pra saber o que cada uma sente e fica mais fácil de se conectar e se importar. Até porque o assunto é tenso e ter toda essa ideia sem ser como um fato jornalístico ou coisa assim, ver aquilo acontecendo e o que elas acham disso deve ser bem mais impactante.
    Acho que já tinha visto falar nesse medico e nesses experimentos. Um troço horrível e que choca só de pensar em uma história. Ver que teve mesmo coisas assim é aterrorizante e triste.
    Mas é por isso tudo que o livro tem tanto apelo. Gostaria de ler. Parece muito bom.

    ResponderExcluir
  4. Oi.
    Apesar de ser um tema forte e perturbador, por retratar uma realidade passada, tão cruel e brutal, gosto de indicações nesse estilo. Espero ter a oportunidade de conferir essa triste história.
    Ótima resenha.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  5. Ana!
    Gosto demais de livros baseados em fatos reais, principalmente da época do Holocausto, porque foi muita dor e sofrimento que eles passaram e não consigo nem imaginar.
    Agradeço diariamente por não ter vivido àquela época, porque foram muitas as atrocidades.
    Realmente o Mengele foi um fiel e atroz carcereiro e algoz de Hitler e dizem que no final, veio morrer na América do Sul e morou até um tempo no BRasil, imagina?!...
    “A juventude é a época de se estudar a sabedoria; a velhice é a época de a praticar.” (Jean-Jacques Rousseau)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP COMENTARISTA MAIO 3 livros, 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  6. Quero ler, pois gosto de saber mais sobre esse período mesmo tendo sido muito cruel. Só de ler a resenha já me deu uma agonia, com tantas atrocidades cometidas por esse anjo da morte, imagina lendo todo o livro. Deve ser uma historia reflexiva, emocionante, envolvente e muito sofrida. Adorei essa capa muito linda.

    ResponderExcluir
  7. Oi Ana,
    Minha única experiência com livros ambientados na 2ª Guerra Mundial foi com A menina que roubava livros. Resistência é mais que um livro sobre Guerra, acredito que a verdadeira batalha esta na luta Pearl e Stasha (e de outras crianças) em sobreviver as atrocidades provocadas por Dr. Mengele. Achei interessante a narrativa desta história e em como o leitor é conscientizado sobre tudo o que está acontecendo através de dois pontos de vista diferentes. Mesmo essa temática não sendo uma que me instigue, fiquei bem interessada neste livro.

    ResponderExcluir
  8. Olá!
    Eu já li resenhas do livro e fiquei curiosa pra ler, só li A menina que roubava livros que fla do assunto, apesar de ser triste qro conhecer.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  9. Livros e filmes sobre essa fase do mundo realmente são tristes por vermos várias coisas desumanas que já aconteceram na humanidade. A resenha me instigou mais a querer a ler o livro.
    Abçs

    ResponderExcluir
  10. Olá,
    Fiquei tão impressionada com sua resenha sobre esse livro, fiquei agora sem saber se leio ou não porque a história e tão impactante que quando ler você sentirá a dor das personagens. Amei muito a sua resenha e ainda sim estarei pensando muito antes de ler e preparada também!

    ResponderExcluir
  11. Achei muito bonita a capa deste livro, mas não gosto muito de ler histórias sobre a guerra, então por este motivo, apesar dos diversos comentários positivos que já li sobre o livro, eu não pretendo lê-lo, mas para quem se interessa pelo assunto, será uma boa leitura, sem dúvidas.

    ResponderExcluir
  12. Olá Ana ;)
    Me interesso muito por livros e filmes com temática da segunda guerra mundial, e já tinham me indicado Resistência, mas nunca tinha lido um que é narrado por crianças.
    Gosto de livro com narração dividida entre pontos de vistas diferentes, e pelo que você disse que é um livro mais voltado para emoção e sensações, acho que vou amar!
    PS: acho essa capa muito linda *-*

    ResponderExcluir

 
Layout feito por Vinícios Costa editado por Silviane Casemiro | Todos os direitos reservados ©