13 de julho de 2017

Resenha: Na Escuridão da Mente

Um dos livros mais assustadores do ano, vencedor do prêmio Bram Stoker Award. A vida dos Barrett é virada do avesso quando Marjorie, de 14 anos, começa a demonstrar sinais de esquizofrenia aguda. Depois que os médicos se mostram incapazes de deter os acessos bizarros e o declínio de sua sanidade, o lar se transforma em um circo de horrores, e a família se vê recorrendo a um padre da região. Acreditando que seja um caso de possessão demoníaca, o padre Wanderly sugere um exorcismo e entra em contato com uma produtora que está ávida para documentar tudo. Com o pai de Marjorie desempregado e as dívidas se acumulando, a família hesitantemente aceita, sem imaginar que A Possessão se tornaria um sucesso imediato. Quinze anos depois, uma autora best-seller entrevista Merry, a irmã mais nova de Marjorie. Ao se recordar dos acontecimentos de sua infância, uma narrativa alucinante de terror psicológico é desencadeada, levantando questões sobre memória e realidade, ciência e religião... e sobre a real natureza do mal.

Título Original: A Head Full Of Ghosts
Autor: Paul Tremblay
Páginas: 266
Tradução: Ananda Alves
Editora: Bertrand Brasil
Livro recebido em parceria com a editora

Na Escuridão da Mente é narrado em primeira pessoa por Merry, quinze anos depois dos acontecimentos que transformaram sua vida por completo. Enquanto Merry é entrevistada por uma autora best-seller que, finalmente, promete contar sua história como ela realmente aconteceu, ela relembra os acontecimentos que viveu, ao mesmo tempo que questiona a veracidade de suas próprias lembranças.

Quando Merry era apenas uma criança, aos oito anos de idade, sua irmã Marjorie começa a apresentar comportamentos fora do normal. Assustada com as histórias bizarras que a irmã tem lhe contado, Merry observa, com seu olhar infantil, as coisas surreais que sua irmã tem feito.

Inicialmente, os pais de Merry e Marjorie levam a filha mais velha para fazer tratamento para esquizofrenia. O fracasso do tratamento de Marjorie, somado à situação financeira da família, levam os Barrett a recorrerem à religião e a aceitarem uma proposta de uma produtora para documentar o que tem acontecido com Merry.

A história da suposta possessão de Marjorie lembra, em muitos momentos, filmes famosos sobre o tema, especialmente O Exorcista, as passagens que narram os "surtos" da moça possuem aquela atmosfera trash, visceral e clichê dos filmes de terror dos anos 70 e 80, ou seja, nada que funcione muito bem hoje em dia. Portanto, se você está buscando uma história de terror original, esse não é o livro mais indicado.

No entanto, essas semelhanças com histórias de possessão famosas são exploradas de forma muito interessante no livro, inclusive com críticas e análises bem elaboradas. E isso, por sua vez, deu ao livro um clima inovador.

Eu gostei demais da narrativa do livro, da forma como as memórias de Merry se confrontam com o que foi exibido na televisão e com o que é racional. Gostei de ver a história ser desconstruída por sua própria narradora. Tem momentos que Merry nos conta algo e, logo depois, nos leva a questionar se o que ela contou é ou não verdade, se aconteceu realmente dessa forma ou se sua imaginação de infância interferiu nos fatos. Tudo isso vai criando um labirinto na mente do leitor e eu adorei tentar encontrar o caminho correto para chegar às respostas.

Toda a trama do livro é muito bem elaborada, as relações familiares abaladas, o conflito gerado pela religião, o relacionamento entre as irmãs, o amor que Merry sente por Marjorie, enfim, a autora soube construir uma história que não é apenas sobre uma possível possessão, mas que é sobre uma família desesperada, em busca de respostas.

A editora Bertrand Brasil fez um ótimo trabalho, a capa é muito bonita e texturizada e não me lembro de ter encontrado nenhum erro no livro. Minha única ressalva é quanto à margem das páginas, que eu achei pequena.

11 comentários:

  1. Oi Priscila, a capa tá muito boa, a resenha ótima e tenho certeza que quem curte o gênero vai gostar dessa história. Mas eu sou uma assumidamente medrosa haha e não gosto de histórias com esse tema, não assisto nem o trailer de O Exorcista. Contudo achei legal a resenha e em saber que o autor soube elaborar bem a trama e não deixa a desejar com a história ;)

    ResponderExcluir
  2. Olá!
    É a segunda resenha que leio desse livro, me chamou bastante atenção esse enredo, assim como a capa tbm, sem contar que o gênero ajuda mto, pq curto bastante, então, vai pra minha listinha sim...
    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Estou querende embarcar no gênero terror, e gostei muito do livro por completo, parabéns pela resenha.

    Grande abraço,
    www.cafeidilico.com

    ResponderExcluir
  4. Não leio muita coisa com gênero de terror e uns troços sobrenaturais assim. Por isso o livro não me chama muita atenção. Mas o jeito que a história é contada parece um pouco diferente. Essas relações familiares e outras coisas como conflito religioso e tal parecem legais. Tem um clima um tanto diferente, achei.
    Pra quem gosta de umas coisas assim pode ser um bom livro.

    ResponderExcluir
  5. Priscila!
    Infelizmente achavam que quem tinha esquizofrenia, tinha um pacto com o demônio, coisa totalmente errada.
    Que pena que o ritmo do livro é lento e ele nem é tão assustador, entretanto acredito que, pelo final insperado, vale a pena conferir a leitura.
    “Bendito seja eu por tudo o que não sei, gozo tudo isso como quem sabe que há o sol” (Fernando Pessoa)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE JULHO 3 livros, 3 ganhadores, participem.
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Esta estória me pareceu ser bem construída e elaborada, pois como você citou e realmente assustador acompanhar todas essa perspectiva, porém confesso que este não e tipo de livro que me chama a atenção, pois possui um gênero terror que não curto muito. Porém para quem gosta deste tipo de narrativa tenho certeza que vai se interessar por esta obra.


    Participe do TOP COMENTARISTA de Julho, para participar e concorrer aos livros "O Casal que mora ao lado" e "Paris para um e outros contos".
    http://petalasdeliberdade.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Quando a capa te engana bem!!! Nunca imaginaria ser um livro com esta temática assim, fiquei bem surpresa somente com a sinopse a resenha somente criou maior interesse por este livro. Nunca li nada com este tema, mas sem dúvida irei incluir ele na lista de desejados, e como sou corajosa vou ler ele durante o dia! Ótima resenha♥

    ResponderExcluir
  8. Não gosto muito de livros de terro!
    Tenho medo, mas é claro que vai ter pessoas que vão gostar!
    Beijosss.

    ResponderExcluir
  9. Esse livro parece ser mesmo interessante, estou em busca de algo que saia da minha zona de conforto, sabe? E acho que esse parece ser ideal, só fico meio assim por medo mesmo kkk
    Aliás, muito boa sua resenha!

    ResponderExcluir
  10. Apesar de eu não gostar muito do gênero, o livro pareceu ser bem interessante por nao focar apenas no terror, mesmo assim não sei se leriam, acho que por medo mesmo ! Mesmo assim fiquei interessada em saber como tudo aconteceu.

    ResponderExcluir
  11. Fiquei interessada em ler parece ser uma historia intrigante e esse clima inovador me animou mais ainda, a personagem deve deixar o leitor confuso e ao mesmo tempo ávido para tentar descobrir o que foi real ou não.

    ResponderExcluir

 
Layout feito por Vinícios Costa | Todos os direitos reservados ©