28 de dezembro de 2017

Resenha: Belas Adormecidas

Pelo mundo todo, algo de estranho começa a acontecer quando as mulheres adormecem: elas são imediatamente envoltas em casulos. Se despertadas, se o casulo é rasgado e os corpos expostos, as mulheres se tornam bestiais, reagindo com fúria cega antes de voltar a dormir. Em poucos dias, quase cem por cento da população mundial feminina pegou no sono. Sozinhos e desesperados, os homens se dividem entre os que fariam de tudo para proteger as mulheres adormecidas e aqueles que querem aproveitar a crise para instaurar o caos. Grupos de homens formam as “Brigadas do Maçarico”,incendeiam em massa casulos, e em diversas partes do mundo guerras parecem prestes a eclodir. Mas na pequena cidade de Dooling as autoridades locais precisam lidar com o único caso de imunidade à doença do sono: Evie Black, uma mulher misteriosa com poderes inexplicáveis. Escrito por Stephen King e Owen King, Belas Adormecidas é um livro provocativo, dramático e corajoso, que aborda temas cada vez mais urgentes e relevantes.

Título Original: Sleeping Beauties
Autor: Stephen King e Owen King
Páginas: 728
Tradução: Regiane Winarski
Editora: Suma
Livro recebido em parceria com a editora

Você já imaginou como seria um mundo sem as mulheres? Meu autor preferido, Stephen King, se juntou ao filho Owen King para escrever sobre o que faríamos se algum dia estivéssemos nessa situação. O que isso nos acarretaria em pleno 2017?

Em Belas Adormecidas os autores nos apresentam a doença do sono, mais tarde conhecida como "Aurora", onde repentinamente, todas as mulheres que estavam dormindo no mundo, são incapazes de acordarou de serem acordadas. Uma espécie de casulo começa a se formar, envolvendo-as, e se alguém tenta interferir em seu sono abrindo o casulo, a mulher acorda com tamanha fúria que ataca o responsável de forma brutal e volta a dormir.

Porém, na cidadela de Dooling, as coisas estão saindo de modo estranho. Aparentemente Evie Black é imune à "Aurora" e agora as autoridades precisam lidar com isso, já que todas as mulheres do mundo estão pouco a pouco sendo pegas pela doença do sono.

Com teias de aranha no cabelo e a morte na ponta dos dedos.

Então na penitenciária de Dooling onde Evie está dormindo e acordando normalmente, é que os questionamentos começam a surgir. Quem é ela e quais são os motivos que a fazem ser peculiar — e o mais importante — imune? Por qual motivo Black foi parar em Dooling e qual é a sua motivação? Clint Norcross, psiquiatra do lugar, tenta descobrir com o que estão lidando, além de ter que manter a ordem. Lila, xerife e mulher de Clint, tenta ajudar a todo custo, se recusando a dormir e abandonar sua cidade.

Por conta disso, certamente que os homens ao redor do globo, e principalmente em Dooling, começam a agir no desespero conforme suas companheiras, mães, filhas e conhecidas se tornam vítimas da "Aurora". Ainda existem aqueles que, ao enfrentar o desconhecido, resolvem atacar e agir de forma agressiva. Assim formam-se as "Brigadas do Maçarico", em que os integrantes pensam que atear fogo nesses casulos é a melhor forma de destruir a doença. 

Mas, e as mulheres que ainda tentam se manter acordadas? E as que estão em casulos estão mortas? Elas vão acordar novamente? O pânico se alastrou e elas estão a mercê de homens que querem seu mal. Talvez seu estômago embrulhe vendo o lado imbecil e traste de alguns deles em Belas Adormecidas, com comentários machistas e ações terríveis, que estão presentes muitas vezes no cotidiano de mulheres que conhecemos.

Ele se perguntava porque diabos o mundo tinha sido criado. As coisas boas eram poucas, e todo o resto era horrível.

Apesar de Stephen e Owen dividirem a escrita, é praticamente impossível discernir quem escreve o quê. Além disso, esse é um livro de visão feminista, e que com certeza também teve a influência de Tabhita King, mulher e mãe dos autores respectivamente. Por conter mais de 700 páginas, os autores optaram por inserir uma lista de nomes e informações dos personagens logo no início, o que pode ajudar alguns leitores que não estão acostumados com livros tão grandes e com tantas informações como os que o King pai costuma escrever.

Belas Adormecidas é o tipo de livro que eu recomendaria para absolutamente todas as pessoas, principalmente por não se tratar apenas de terror (eu nem o classificaria como tal) ou apocalipse, mas de um assunto que diz respeito à todos, o respeito pelas mulheres e a igualdade de gênero.

17 comentários:

  1. Eu não tava com essa vontade toda de ler mas agora é mais uma resenha que vejo que me animou bastante. Adorei essa ideia doida e só posso imaginar quanta coisa ruim e desespero nas pessoas essa doença deve ter dado. E que louco atacar só as mulheres né! Ter uma ali imune e tudo que isso pode gerar pra história, as perguntas e a curiosidade deve manter a trama bem interessante. Tem tanta página que só imagino as coisas que esses dois aprontaram. Legal que não dá pra saber quem escreveu o que, achei isso interessante também. E por não ser uma coisa de terror é que acho que iria gostar, ter mais aquela tensão boa pra acompanhar . Gosto disso. Se puder vou ler.

    ResponderExcluir
  2. Não sou fã de livros de terror/horror, mas o mistério que ronda essas mulheres, aguça a minha curiosidade em desvendar o que está por trás desse sono, que tanto atormenta!

    ResponderExcluir
  3. Sinceramente não sou fan de livros tão grandes quanto este, porém o fato de tratar de uma obra deste autor na qual todos falam muitos elogios a respeito de sua escrita, e agora lança um título que não e terror, foi impossível não me sentir atraída pela leitura, e também curiosa por se tratar de feminismo e igualdade de gênero.

    ResponderExcluir
  4. Olá Jessica! King não para de surpreender. Embora eu não seja fã de terror tenho que aplaudir a originalidade do autor e a abordagem de algo tão contraditório numa sociedade onde teoricamente homens e mulheres têm os direitos iguais mas na prática sabemos que não é bem assim. Acho que os comentários machistas iriam me incomodar um pouco mas eu preciso ler esse livro. Beijos

    ResponderExcluir
  5. Não é um livro que eu gostaria de ler, não é meu gênero, então...
    Mas achei muito bacana que tenha sido escrita por Pai e filho, imagino que foi um momento único para os dois.
    E essa capa está um espetáculo.

    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Este livro está na lista de desejados desde que foi lançado e eu não vejo a hora de poder conferir ele!
    Amo e conheço bastante as letras do Mestre King e dos filhos, só tive contato com as letras do Joe(deste filho acima, ainda não)
    Mas com certeza, é um enredo que mexe com a mente do leitor, que questiona. Não poderia ser diferente!
    Lerei assim que tive oportunidade ou cair o preço um cadim..rs
    Beijo

    ResponderExcluir
  7. Oi Jéssica...
    Como seria um mundo sem as mulheres? Simplesmente não seria... rsrs... Ainda não li nada do Styephen King, mas tenho muita vontade de ler... Um enredo que prende o leitor do início ao fim e que não é 100% terror, talvez "Belas adormecidas" possa ser meu primeiro contato com esse autor que parece ser tão incrível...
    Beijinhos...

    ResponderExcluir
  8. Jéssica!
    Na verdade nem todos os livros do King (e de sua prole) são de terror, alguns são mesmo de ficção com um jeito de thriller psicológico e acredito que é o caso aqui do livro, onde há uma série de novas doenças, o conflito entre os sexos, os mistérios em relação aos assaddinatos e por aí vai.
    Gostei de ver que há uma introdução falando sobre as diversas personagens, o que deve facilitar o entendimento.
    Um Novo Ano repleto de realizações!!
    “Para ganhar um ano novo que mereça este nome, você, meu caro, tem de merecê-lo, tem de fazê-lo de novo, eu sei que não é fácil, mas tente, experimente, consciente. É dentro de você que o Ano Novo cochila e espera desde sempre.” (Carlos Drummond de Andrade)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA dezembro 3 livros + 2 Kits papelaria, 4 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  9. Olá, esse livro figura minha lista de desejados desde a sua pré-venda, afinal se tem King no meio só pode ser coisa boa. Vejo que aqui o terror psicológico característico do autor é deixado de lado, e o que a obra entrega é uma visão poética sobre a figura feminina. Beijos.

    ResponderExcluir
  10. Vi este livro entre os lançamentos, mas ainda não havia lido nem uma resenha referente a história dele. Sempre leio muitos comentários positivos referentes aos livros de Stephen King, achei bem legal este livro ter sido escrito por ele e seu filho mais novo. Sua resenha me deixou muito curioso para ler este livro, a história parece ótima, adicionei Belas Adormecidas em minha lista de leituras.

    ResponderExcluir
  11. Oi, Jéssica!!
    Nossa não tinha lido nada ainda sobre esse livro Belas Adormecidas do Stephen King!! Amei a premissa da estória e sem dúvida é um thriller suspense e psicológico maravilhoso!!
    Bjoss

    ResponderExcluir
  12. Olá, Jessica. Não sou muito fã do SK e nunca vou atrás dos livros dele, mas achei a premissa desse bem interessante. Não tinha lido nenhuma resenha até o momento e gostei muito da sua opinião, me parece que ele e o filho conseguiram criar uma trama envolvente e bastante tensa, sobretudo pela questão das mulheres que estão tentando não dormir, o que me deixa angustiada só de pensar. Gostei também da referência ao conto de fadas da Bela Adormecida. É um dos poucos livros dele que vai entrar pra minha lista.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  13. Oi Jéssica.
    Eu quero muito mais muito ler esse livro, eu adorei saber que apesar de tudo e do livro ser escrito por dois autores, uma escritan não é inferior a outra, enfim, não vejo a hora de ler.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  14. Gosto dos livros do autor e quero ler esse, adoro misterio e fiquei muito intrigada com esse e porque as mulheres, deve gerar muitos questionamentos a leitura, não consigo imaginar um mundo sem nós mulheres.

    ResponderExcluir
  15. Levante a primeira pedra aquele que nunca ouvi falar no Stephen King eu fiquei muito interessado nesse livro desde que eu vi que era a parceria dele com o filho que até então eu não sabia que era escritor mas depois de conhecer o trabalho dos dois eu tenho altas expectativas em relação a esse livro que eu espero que não seja destruídas

    ResponderExcluir
  16. Oi Jéssica ;)
    Ainda não consegui ler nenhum livro do King ainda, mas ganhei de esse livro Belas Adormecidas esse Natal, e coloquei ele na minha meta para ler no começo de 2018.
    Que legal que ambos os autores escrevem bem, e suas escritas se misturam de uma forma harmoniosa. Amei os temas abordados nele, como esse lado feminista e a igualdade de gênero!
    Amei sua resenha, me deixou bem mais animada para ler ;)
    Bjos

    ResponderExcluir
  17. Nossa, pai e filho juntos, isso vai prestar e muito! Sou fã de Stephen King ja ha muito tempo. Ainda não li nada do filho, mas se seguir o mesmo estilo da pai, vou gostar. Achei a história do livro incrível. Se eu tiver a oportunidade vou ler com certeza.

    ResponderExcluir

 
Layout feito por Vinícios Costa editado por Silviane Casemiro | Todos os direitos reservados ©