3 de maio de 2018

Resenha: Em Outra Vida, Talvez?

Hannah está perdida. Aos 29 anos, ainda não decidiu que rumo dar à sua vida. Depois de uma decepção amorosa, ela volta para Los Angeles, sua cidade natal, pois acha que, com o apoio de Gabby, sua melhor amiga, finalmente vai conseguir colocar a vida nos trilhos. Para comemorar a mudança, nada melhor do que reunir velhos amigos num bar. E lá Hannah reencontra Ethan, seu ex-namorado da adolescência. No fim da noite, tanto ele quanto Gabby lhe oferecem carona. Será que é melhor ir embora com a amiga? Ou ficar até mais tarde com Ethan e aproveitar o restante da noite? Em realidades alternativas, Hannah vive as duas decisões. E, no desenrolar desses universos paralelos, sua vida segue rumos completamente diferentes. Será que tudo o que vivemos está predestinado a acontecer? O quanto disso é apenas sorte? E, o mais importante: será que almas gêmeas realmente existem? Hannah acredita que sim. E, nos dois mundos, ela acha que encontrou a sua.

Título Original: Maybe in Another Life
Autora: Taylor Jenkins Reid
Páginas: 322
Tradução: Cláudia Costa Guimarães
Editora: Record
Livro recebido em parceria com a editora

Eu não sei se vocês sabem, mas existe um ramo da Física Quântica que estuda uma teoria que afirma existirem universos múltiplos. Essa teoria diz que exatamente tudo o que é possível acontecer, realmente acontece. Isso significa que o universo em que estamos vivendo agora é uma parte do Multiverso, e que há infinitos universos, todos igualmente infinitos. Isso também significa que existem outras versões de nós em algum lugar, todas elas criadas no instante em que fazemos alguma escolha. De certa foma, é esse o assunto que Em Outra Vida, Talvez? aborda.

Essa história toda parece coisa de maluco, mas faz um total sentido. Afinal, quais as consequências das nossas escolhas? Hannah tem 29 anos e nenhuma noção do que está fazendo da sua vida. Vive pulando de cidade em cidade até que resolve voltar para sua terra natal, Los Angeles, onde vai morar com sua melhor amiga, Gabby. Em uma noite, Hannah vai comemorar sua volta com alguns antigos amigos e reencontra seu ex-namorado da adolescência, Ethan. Em um ponto da noite, tanto Ethan quanto Gabby oferecem uma carona para Hannah voltar para casa.

A partir desse momento, a narrativa em primeira pessoa — pela visão de Hanna — se divide em duas realidades alternativas, uma onde a personagem escolhe Ethan e a outra onde ela escolhe voltar para casa com a Gabby. Assim, os capítulos começam a se intercalar entre os dois cenários, mostrando o que acontece após cada escolha da protagonista, e podemos acompanhar bem de perto tudo o que Hannah passa.

Eu gostei muito desse livro. Primeiro porque me fez pensar no que poderia ter acontecido se eu tivesse feito alguma escolha diferente no meu passado. Aliás, eu bem que acredito que existam várias de mim em infinitos universos lidando com as consequências das escolhas, quem garante que não? Segundo porque a escrita de Taylor Jenkins Reid é muito fluida e fácil de entender, além da narrativa ser bem direta. Isso fez com que eu lesse o livro todo numa sentada, coisa que não acontecia há mais de oito meses — e não tô exagerando.

Ao permitir que a gente conhecesse as duas possibilidades de Hannah, cada uma com situações bem diferentes da outra, a autora me fez questionar sinceramente se existe o tal do livre arbítrio ou até mesmo o destino. Quer dizer, será que a nossa vida é realmente feita de escolhas? Eu gostei bastante dos universos que a autora me mostrou, mas senti falta de um onde a Hannah não necessariamente precisasse um homem para o seu final feliz.

Outra coisa que fez eu me apaixonar por essa história foi a Gabby. Misericórdia, com certeza ela é a minha personagem preferida de todos os tempos de 2018 — até agora. Gabby é amiga de verdade, do tipo que, apesar de apoiar em todos os momentos, não passa pano para as atitudes erradas da Hannah. Amei o companheirismo entre as duas e isso me lembrou muito a minha relação com a minha melhor amiga. O romance também foi delicioso de acompanhar, mas confesso que eu tenho uma realidade paralela preferida, que vocês só vão poder me perguntar quando terminarem de ler o livro.

Em Outra Vida, Talvez? foi uma surpresa para mim. É um livro completo, que tem enredo e personagens legais, que diverte o leitor e que deixa várias reflexões, como, por exemplo, sempre existir um final feliz independente das escolhas que fazemos. Ah, o bônus que esse livro me trouxe foi a vontade de saber um pouco mais sobre a teoria do Multiverso.

19 comentários:

  1. Ahhhhh! Como eu quero ler esse livroooooo!
    Tem todos os ingredientes que curto em uma via história!
    Sua resenha me deixou com mãos vontade de ler ainda Ana!!!!
    Espero que consiga ler logo!
    O "E Se" sempre me fascinou muito e esse livro proporciona isso.

    ResponderExcluir
  2. Nossa que historia incrível a desse livro, como seria bom se pudéssemos saber o que aconteceria conosco após tomar alguma decisão e só depois escolher se queria seguir aquele caminho ou não kkk eu adorei esse romance, o enredo é bem diferente de tudo que ja li e isso me agrada bastante

    ResponderExcluir
  3. Oi Ana.
    Achei bem interessante a premissa desse livro. Essa coisa toda de multiversos é certamente bem interessante e apesar de no conceito geral eu ter entendido, acho que essa seria uma leitura que com certeza me tiraria da zona de conforto por estar longe de tudo que já li até hoje, eu gosto desse questionamento sobre nossas escolhas e onde elas nos levaria, por isso, afirmo que pretendo ler o livro não sei se será em breve mas pretendo ler.

    ResponderExcluir
  4. Física? Saio correndo.
    Não sabia dessa teoria, não sei muito o que dizer sobre ela.
    Fico um pouco confusa com essa história, ao mesmo tempo, acho interessante a ideia de mostrar o lado do "e se..."
    Parece uma leitura divertida.

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Ana!
    Gosto dos livros baseados em fatos e ter um livro baseado na física quântica, é fenomenal.
    Como Carbono Alterado, tenho a maior vontade de ler.
    Acredito muito em universos múltiplos, por que não?
    Fiquei bem interessada.
    Você conhece o livro O Tao da Física? É sobre física quântica e explica muito desses eventos múltiplos.
    Desejo um MÊS de sucesso e bençãos!
    “Nunca confunda movimento com ação.” (Ernest Hemingway)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA MAIO – 4 livros + vários kits, 5 ganhadores, participem!
    BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    ResponderExcluir
  6. Oi Ana.
    Adorei a trama desse livro.
    Adoro livros, filmes e seriados que falam sobre universos paralelos e possíveis desencadeamentos a partir de certas decisões.
    Fiquei bem curiosa para acompanhar as duas vida de Hannah.
    Parece uma leitura bem divertida e intrigante.
    Já vai para a lista de desejados.
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Oi, Ana.

    Essa espécie de processo criado pela autora, é bem único. Essas possíveis possibilidades é que dá um toque a mais no livro, trazendo incertezas e até mesmo apreensão, quanto à escolha da Hannah.

    ResponderExcluir
  8. Puxa, não tinha visto ou lido nada a respeito deste livro, mas amei tudo que li acima. Adoro histórias assim, que trazem as consequências de nossas escolhas, apesar de não ter conseguido muito me lembrar de algum livro que trouxesse um enredo assim.
    Mas como sempre adorei isso de universos paralelos(abençoado seja The Flash), o livro já vai para a lista de desejados com certeza.
    Beijo

    ResponderExcluir
  9. Esse tipo de história sempre me chama atenção exatamente pelas possibilidades e por como me faz pensar até nas próprias escolhas. O que estaria acontecendo num universo paralelo agora, como seria e tal...faz a gente pensar.
    E acaba sendo super interessante ter essas ideias ao ler um livro assim, ver como os personagens ficaram, o que tá melhor, o que tá diferente. Acabo gostando muito. Achei legal esse, não conhecia. E se for bem escrito só ajuda.

    ResponderExcluir
  10. Olá Ana!
    Acredita que eu não conhecia esse livro ainda?
    Já gostei pelo tema trazer o que sofremos em consequências de nossas escolhas, já qro ler pra ontem, vou add aos desejados, eu adorei!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  11. Olá, o livro chama atenção justamente por abordar essa questão multi situacional presente no multiverso, apesar de a trama usada para esse fim não ser das mais originais. A autora aparenta ter dado bastante destaque aos personagens secundários, em especial a Gabby, com a qual já criei afeto. Beijos.

    ResponderExcluir
  12. Fiquei interessada em ler, gosto de historia assim. Fiquei imaginando sobre essas outras vidas e outras escolhas em como seria a minha vida. Primeira vez que vejo um livro assim onde mostra as vidas da personagem e suas escolhas cada uma por um caminho diferente, deve ser uma leitura muito interessante e envolvente.

    ResponderExcluir
  13. Oi Ana,
    Eu já ouvi falar da teoria dos universos múltiplos e para ser sincera eu acredito um pouco nela, principalmente se formos parar para pensarmos nas escolhas que fazemos e o que se resultam delas. De uma forma bem diferente a autora conseguiu abordar assuntos muito interessantes e que irá fazer o leitor se identificar com a protagonista em algum ponto. Hannah trás o retrato da realidade de muitas pessoas que ainda não conseguiram se encontrar, mas que terão que passar, em algum momento, por uma escolha que poderá definir o resto de sua vida. Já vi que, se eu me aventurar nesta leitura, Gabby será a personagem que irá me cativar por seu carisma e amizade. Adorei receber essa recomendação e deixarei anotada para uma leitura futura.

    ResponderExcluir
  14. Oi Ana,
    Já conhecia sim essa teoria, e se quer saber, como você também acredito nela, e olha, eu espero que as outras "eu" acertem mais em algumas escolhas, rsrs. Não tem como ler e não questionar nossas próprias decisões, como a protagonista, uma simples carona altera tudo bão é?
    Sobre o fato das duas alternativas terem um homem, acredito que foi porque a autora quis focar no lado romântico, sendo sincera eu até gostei, já quero ler.
    Beijos

    ResponderExcluir
  15. Oi, Ana!!
    Achei bem interessante a história do livro. O que mais chama a atenção nessa história e que uma simples escolha pode mudar o destino da Hannah. E também fiquei bem surpresa por existir um ramo da física quântica que estuda uma teoria sobre existir universos múltiplos.
    Bjos

    ResponderExcluir
  16. Olá Ana.
    Eu não acredito muito nessa coisa de universo múltiplo. Tenho medo também de ler o livro e me sentir confusa sendo que ela está digamos... entre dois mundos.
    Bjos.

    ResponderExcluir
  17. Gostei bastante dessa abordagem do ramo da física quântica, e se eu fosse só pela sinopse seria um livro que eu não escolheria assim como leitura.
    Acho bem legal essas duas opções, que nos fazem pensar como poderiam ter sido tal coisa se a escolha fosse diferente. Acho essa teoria de universos múltiplos fantástica.
    Adorei a resenha.

    beijinhos
    She is a Bookaholic

    ResponderExcluir
  18. Amei a resenha! Eu estava muito curiosa para saber mais sobre este livro e, após ler sua resenha, fiquei ainda mais curiosa para lê-lo! Gostei muito da premissa e parece ser uma leitura muito envolvente, leve e com personagens cativantes. Tudo isso me deixou muito empolgada para fazer a leitura.
    E a capa desse livro também é muito linda e delicada. Dá ainda mais vontade de mergulhar nessa história

    ResponderExcluir
  19. Que legal! Adorei.
    Não acredito muito nessa teoria kkk mas achei muito da hora a autora falar sobre.
    Tô curiosa pra ler e saber quais serão esses "finais", sempre quis ler um livro de final alternativo...
    E tendo ainda boas reflexões e ensinamentos, vale mais a pena.
    Vou ler assim que puder!
    bjs

    ResponderExcluir

 
Layout feito por Vinícios Costa editado por Silviane Casemiro | Todos os direitos reservados ©