10 de outubro de 2018

Resenha: A Origem do Mundo

Por que as sociedades alimentaram uma relação tão esquizofrênica com a vagina ao longo dos séculos? Por que a menstruação é um tema apagado de nossa cultura quando costumava ser algo sagrado para os povos ancestrais? A origem do mundo escancara interditos e desafia mitos e tabus. Um livro genial, catártico e absolutamente necessário.

Título original: Kunskapens Frukt
Autora: Liv Strömquist
Páginas: 144
Tradução: Kristin Lie Garrubo
Editora: Quadrinhos na Cia.
Livro recebido em parceria com a editora
Compre aqui

Há muito tempo que eu não lia um livro em quadrinhos, e, principalmente, um livro voltado ao corpo da mulher, precisamente sobre a vulva ou a vagina e toda sua revolução. A intenção da sueca Liv Strömquist em A Origem do Mundo foi apresentar aos leitores a verdadeira história cultural da vagina e da sexualidade feminina, contrapondo o patriarcado.

No decorrer da leitura, é visível a análise e duras críticas que a autora faz sobre as opiniões de historiadores, filósofos, cientistas, médicos e homens que se interessavam um pouco demais na “genitália feminina”. Muitos homens que opinavam sobre a sexualidade da mulher. Um deles, aliás, acreditava e anunciava para aos quatro ventos que o fato de a mulher sentir prazer era um ato “anormal”.

Se “o pessoal é político”, como dizia o slogan da segunda onda feminista, iniciada nos anos 1960, Liv Strömquist criou um livro radical. Com humor afiado, a artista sueca expõe as mais diversas tentativas de domar, castrar e padronizar o sexo feminino ao longo da história. Dos gregos antigos a Stieg Larsson, das mulheres da Idade da Pedra a Sigmund Freud, de Jean-Paul Sartre a John Harvey Kellogg (o inventor dos sucrilhos), da fábula da bela adormecida a deusas hindus, de livros de biologia ao rapper Dogge Doggelito, A origem do mundo esquadrinha nossa cultura e vai até o epicentro da construção social do sexo. Para Liv, culpabilizar o prazer é um dos mais efetivos instrumentos de dominação — graças à culpa, a maçã é venenosa e o paraíso mantém seus portões fechados. Uma crítica hilária, libertadora e instrutiva sobre o sexo feminino.

O livro é regado de ironia e humor, pontos essenciais e bem descritos nas teorias que Liv apresenta. Ela passa por todos os períodos conhecidos, desde a antiguidade aos tempos atuais. No decorrer das páginas, percebemos que esse corpo feminino fragilizado e estereotipado da mulher provém muito mais do que de interesses culturais, mas também de interesses políticos e religiosos.

É interessante a forma como a autora questiona, por exemplo, a vagina infantilizada e genérica que os homens insistem em adorar. Ela também indaga sobre quando exatamente as mulheres perderam o "direito" de debater livremente sobre questões sexuais, desejos e suas posturas. É realmente um caso a se pensar. 

Eu recomendo a leitura aos adultos — ou jovens adultos — para que entendam que mulher não é um bicho de sete cabeças, muito menos a nossa sexualidade (embora os ancestrais e vários homens da atualidade acreditassem nisso). Eu fico realmente muito feliz por existirem mulheres que não se calam e mostram o que querem através de muito estudo. 

12 comentários:

  1. Uma grande sacada utilizar a HQ pra tratar de um assunto importante e até mesmo polêmico quanto a vagina seus mitos e verdades.

    ResponderExcluir
  2. É engraçado e triste tudo isso exposto no livro. A mulher ainda traz em si,todos estes tabus que foram criados durante os anos.
    Esta semana, numa consulta para fazer Papanicolau, estava falando com uma senhora, e ela toda tímida, morrendo de vergonha de falar sobre o exame.
    Ainda há todo este ritual que menstruação não pode ser citada, que o corpo da mulher precisa ficar guardadinho.
    Por tudo isso, adorei ler o que li acima e se puder, quero muito conferir este livro, que já traz de cara, uma capa fora dos padrões!!!
    Beijo

    ResponderExcluir
  3. É interessante essa análise do tempo, cultura, política e religião e como isso reflete no corpo feminino e na história. As ideias dos homens que por tanto tempo fez coisas simples como o prazer feminino ser algo errado e visto com maus olhos. Já ouvi tanta história religiosa de coisa do tipo. Ahh é um caso. Parece interessante pra poder refletir sobre isso. Um tema fora dos padrões até. Gostei.

    ResponderExcluir
  4. Amei a capa!
    Não tenho o costume de ler histórias em quadrinhos, mas essa tem um assunto muito interessante; apesar de não ter lido, me lembra O monólogo das vaginas.
    Acho muito legal a autora abordar o tema em forma de Hq, traz uma leveza para algo que ainda é tabu.

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Oi Ellen,
    A capa, certamente chama atenção, para alguns de modo curioso e para outros como algo estranho e até nojento de se visualizar. Tudo que se refere a nós mulheres, a feminilidade ou sexualidade feminina é tido como tabu e encarado de forma preconceituosa ou cheio de reprimenda, principalmente por partes dos homens. É interessante e muito importante termos livros como esse onde esses assuntos possam ser livremente discutidos. Fiquei curiosa sobre as teorias de Liv e espero ter a oportunidade de fazer essa leitura.

    ResponderExcluir
  6. Os temas são bem pertinentes. Tudo hoje em dia é tabu. Então falar do universo feminino e apresentar de maneira agradável é supoer válido. Mas esse não é meu tipo de livro. Nao gosto de livros em quadrinhos.

    ResponderExcluir
  7. Olá, Ellen
    Adorei a capa, mas quem olha pensa que é um livro simples e não uma HQ.
    Quero muito ter oportunidade de ler e saber tudo o que a autora nos trás sobre esse assunto que ainda é um tabu para muitas pessoas.
    Mesmo que a mulher foi criada para ter bons modos, uma boa dona de casa e nos dias atuais faz isso e ainda trabalha fora, não quer dizer que ela não possa sentir prazer, descobrir seu próprio corpo.
    Obrigada pela dica, beijos!

    ResponderExcluir
  8. Ellen!
    O livro parece trazer um empodeiramento ainda maior para a mulher com uma abordagem mais satírica, com ironia e muito humor.
    Acredito que deva ser uma leitura para todos e principalmente para os homes, assim poderiaam aprender coisinhas básicas de como entender as mulheres.
    “Felizes são aqueles que não se deixam levar pelos conselhos dos maus.” (Salmos)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA OUTUBRO - 5 GANHADORES – BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    ResponderExcluir
  9. Interessante esse quadrinho e parece ser diferente, por abordar esse assunto que dificilmente se vê em algum livro, muitas pessoas não gostam de tocar no assunto vagina e menstruação, mas deveriam, e o legal é que ainda tem humor na historia.

    ResponderExcluir
  10. Oi, Ellen!
    Acho importante temos um livro para falar um pouco mais sobre o corpo feminino, e é bem interessante que essa obra em formato de HQ traga tantas informações importantes sobre a menstruação e sobre outras partes do corpo feminino.
    Bjos

    ResponderExcluir
  11. Oi Ellen!
    Estou curiosa pra ler esse quadrinho, li mtos comentários excelentes sobre a obra, o que me chamou atenção, pois é bem diferente das leitura que estou acostumada á ler.
    Espero ler em breve.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  12. Oi, Ellen,
    muito bacana esse livro!
    Já quero!
    Acho importante nós mulheres lermos mais e não deixamos que toda essa visão machista nos consuma.
    É importante conhecer nosso corpo e saber como tudo funciona, sobre como cuidar mais de nossa saúde, etc.
    bjs

    ResponderExcluir

 
Layout feito por Vinícios Costa editado por Silviane Casemiro | Todos os direitos reservados ©