O Jardim Esquecido | Kate Morton - Roendo Livros

18 de dezembro de 2018

O Jardim Esquecido | Kate Morton

Uma criança abandonada, um antigo livro mágico, um jardim secreto, uma família aristocrática, um amor negado. Em mais uma obra-prima, Kate Morton cria uma história fantástica que nos conduz por um labirinto de memórias e encantamento, como um verdadeiro conto de fadas.
Dez anos após um trágico acidente, Cassandra sofre um novo baque com a morte de sua querida avó, Nell. Triste e solitária, ela tem a sensação de que perdeu tudo o que considerava importante. Mas o inesperado testamento deixado pela avó provoca outra reviravolta, desafiando tudo o que pensava que sabia sobre si mesma e sua família.
Ao herdar uma misteriosa casa na Inglaterra, um chalé no penhasco rodeado por um jardim abandonado, Cassandra percebe que Nell guardava uma série de segredos e fica intrigada sobre o passado da avó.
Enchendo-se de coragem, ela decide viajar à Inglaterra em busca de respostas. Suas únicas pistas são uma maleta antiga e um livro de contos de fadas escrito por Eliza Makepeace, autora vitoriana que desapareceu no início do século XX. Mal sabe Cassandra que, nesse processo, vai descobrir uma nova vida para ela própria.

Título Original: The Forgotten Garden
Autora: Kate Morton
Páginas: 496
Tradução: Léa Viveiros de Castro
Editora: Arqueiro
Livro recebido em parceria com a editora

Sabe quando lemos um livro tão bom, mas tão bom e bem construído que, no final, a gente se questiona de onde certos autores tiram tantas ideias criativas para escreverem histórias tão extraordinárias? Foi exatamente isso que aconteceu comigo quando finalizei O Jardim Esquecido. É tão incrível que não consegui achar um mísero furo no enredo. Aquele meme "poxa, nenhum defeito" é a expressão perfeita para esse livro.

É um pouco complicado falar sobre a história da obra, porque temos três protagonistas cujas histórias se passam em épocas diferentes — e qualquer coisinha que eu falar, pode estragar a leitura de alguém: Eliza, Nell e Cassandra. Apesar dos anos que as separam, as narrativas são totalmente interligadas, havendo, a todo momento, uma alternância temporal que é importantíssima para um mistério envolvendo uma das personagens principais, Nell. O mais engraçado é que esse estilo de narrativa me deixa muito brava pelo fato de os acontecimentos inciais serem um tanto confusos, mas fui muito bem surpreendida.

— Você não deve esperar que alguém venha salvá-la — continuava mamãe, com um olhar distante. — Uma moça que espera ser salva nunca aprende a se salvar. Mesmo que tenha os meios, não terá coragem. Não seja assim [...]. (p. 117)

De início, o tamanho do livro assusta muito, mas a escrita de Kate Morton é tão fluida que as páginas passam sem que a gente nem perceba. O ritmo de leitura se torna perfeito e uniforme quando as três protagonistas são introduzidas. A vontade de descobrir a verdade sobre o passado de Nell e a angústia que eu senti no decorrer das páginas foi maior do que sono ou cansaço, então não consegui largar O Jardim Esquecido até que tivesse finalizado a leitura. 

É muito fácil se apegas às personagens principais, mas Eliza foi de longe a minha preferida. Não só porque ela foi a que mais sofreu e foi usada ao longo de sua existência (só consegui sentir ódio de praticamente todas as pessoas que rodeavam Eliza, um bando de gente mesquinha e egoísta, fio com raiva só de lembrar), mas porque me identifiquei com ela: curiosa e com uma criatividade ímpar. Eu ficava muito, muito animada lendo as partes narradas sob o ponto de vista dela e muito, muito ansiosa para que as próximas partes chegassem logo. 

Apesar de ter meio que adivinhado a solução do mistério de Nell, não senti que isso estragou a história ou diminuiu o seu brilho. Eliza, Nell e Cass são mulheres fortes e incríveis, daquelas que têm o poder de fazer todo mundo ter esperança e torcer por elas. Kate Morton, famosa também pelo seu livro A Casa do Lago, conseguiu, mais uma vez, presentear os leitores com uma trama rica, emocionante e arrebatadora. 

12 comentários:

  1. Kate escreve com esmero não é? Descreve lindamente cenários e personagens.
    Esse ir e vir na história da um ar de mistério e aguça a curiosidade.
    Essas três mulheres distantes no tempo mas tão próximas tocam o coração do leitor.

    ResponderExcluir
  2. Gosto demais do trabalho da autora e este novo trabalho dela, já causou um alvoroço no meio literário! A princípio, a capa é mágica, foi o que pensei quando vi.
    Lendo a resenha, fiquei encantada com a forma que autora desenhou as três mulheres e as juntou, de uma forma tão ímpar!
    Não só pela força delas,mas pela batalha que cada uma enfrenta!
    O livro já está na listinha de mais desejados e espero ter e ler o quanto antes.
    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois depois desse livro o que eu quero mesmo é ter contato com todas as outras obras dela, de verdade. Me apaixonei demais!

      Excluir
  3. Queria ter lido aquele outro dela mas ainda não deu. Já percebi que os livros da autora pegam bem a gente. Apesar de esse sr grandinho parece ter uma ótima história e me lembrou um pouco o estilo da Lucinda Riley, aqueles livros grandes, personagens com histórias marcantes e muito pra se ver. Gostei do que esse pode ter. Algumas confusões no começo e um clima bom de mistério prende, faz querer saber o que vem a seguir. E com personagens que a gente se importa e torce tudo fica melhor. Deu vontade de ler.

    ResponderExcluir
  4. É tão bom saber disso, é tão bom encontrar livros que se encaixam na categoria perfeitos.
    Eu não sou fã de mistério, mas amo uma narrativa que intercala entre passado e presente.
    Talvez mais para frente eu pense em ler.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tenho certeza que não irá se arrepender se decidir ler, é lindo! <3

      Excluir
  5. Oi, Ana!!
    Realmente quando vi esse livros e quantidade de páginas nesse livro fiquei um pouco assustada, mas só tenho lido resenhas super positivas dessa história. Então com certeza quero muito fazer essa leitura incrível!!
    Bjos

    ResponderExcluir
  6. Seu primeiro parágrafo rasgando elogios para O Jardim Esquecido já me deixou extremamente animado para realizar a leitura desta obra, que parece magnífica. Sério, muito intrigado com essa história, conhecer as ligações entre as personagens e os cenários em epócas diferentes. Quero pra ontem!

    ResponderExcluir
  7. Um livro de fantasia com a capa linda! *o*
    Que bacana que o enredo conseguiu não deixar pontas soltas. Tenho lido obras boas, mas que no fim não fornecem as respostas necessárias ou têm um desfecho apressado.

    ResponderExcluir
  8. Quero muitoooo lê-lo!
    Adorei a sinopse e todas as resenhas que li são bem positivas.
    A capa é linda também.
    O outro da autora também quero ler, apesar de não ter me chamado tanto a atenção como esse.
    bjs

    ResponderExcluir
  9. Oi, Ana
    Não li nada da autora, adorei essa capa.
    Fico feliz em saber que é um livro que você gostou, li outras resenhas e é uma trama que divide opiniões.
    Gostei muito da premissa e adoro quando o enredo tem pontos de vista de outros personagens. Espero poder ler, beijos!

    ResponderExcluir
  10. Eu já ouvi falar no livro A Casa do Lago dessa autora mas não cheguei a ler ele embora fosse uma das minhas metas de leitura na época do lançamento mas eu gostei da proposta desse livro em especial ele tem um ar meio fantasioso e isso me chamou muito atenção

    ResponderExcluir