3 de fevereiro de 2019

Resenha: O Milagre

Novo livro da autora do best-seller Quarto.
Irlanda, 1859. Anna O'Donnell, de onze anos, se recusa a comer e, apesar disso, sobrevive há meses, aparentemente sem graves consequências físicas. Um milagre, dizem os habitantes do vilarejo profundamente enraizado na fé católica. Mas quando Lib Wright, uma jovem e cética enfermeira inglesa, é contratada para vigiar a menina noite e dia, os acontecimentos seguem um rumo diferente.
Anna começa a definhar, diante da passividade de todos e da impotência de Lib. E assim cresce o mistério ao redor dessa família pobre de agricultores, que parece envolta em mentiras, promessas e segredos. O que o mundo está testemunhando é uma fraude sofisticada, ou uma revelação do poder divino?
Escrito com a tensão que fez de Quarto um best-seller mundial, O milagre é uma história sobre duas estranhas que transformam a vida uma da outra, além de um poderoso thriller psicológico e uma narrativa sobre como o amor pode vencer o mal em suas mais diversas formas.

Título Original: The Wonder
Autora: Emma Donoghue
Páginas: 300
Tradução: Vera Ribeiro
Editora: Verus
Livro recebido em parceria com a editora

Quarto foi o primeiro livro que recebi em parceria com a editora Record e tenho várias boas lembranças de tal leitura, muitas delas bastante nostálgicas. Eu tenho certeza que decidi ler O Milagre porque é da mesma autora de uma obra que eu amei tanto, que mexeu tanto comigo, mas infelizmente não me afeiçoei nem um pouquinho à nova história de Emma Donoghue. 

O Milagre é narrado em terceira pessoa sob o ponto de vista de Lib Wright, uma enfermeira inglesa que, no final de década de 1850, é contratada para vigiar Anna O'Donnell, uma garotinha de 11 anos que não come há meses, mas sobrevive sem muitas consequências físicas. Se é difícil para você, leitor, acreditar em um feito desses, imagina para uma enfermeira cética que quer provar a todo custo que toda essa história não passa de uma fraude?

Eu não consegui me conectar com esse livro por diversos motivos. Para início de conversa, a narrativa é monótona demais para o meu gosto, mas acredito que essa característica se dá por dois motivos: o fato de ser uma ficção histórica e os capítulos extremamente longos. Além disso, Lib tinha uma única obrigação, que era cuidar de uma garotinha religiosa que não fazia muito além de dormir e rezar. Em segundo lugar, a protagonista é insuportável, não tem um pingo de emoção. Lib é tão cética e ignorante que, no fundo, mesmo sem acreditar, a gente deseja que a Anna realmente esteja sem comer há quatro meses só para calar a boca da enfermeira.

Anna também não me agradou muito, muito menos os personagens secundários. Para mim, eles mostram o lado sombrio da religião, mostram até onde o fanatismo pode levar as pessoas. Todo mundo ao redor de Anna acha maravilhoso ela se alimentar com o "maná dos céus", mesmo com o corpo da menina mostrando que ela está, de fato, definhando. Os pais simplesmente não fazem nada! Nem ao menos reconhecem que a atitude da menina está acabando com ela! Assim, a raiva que a gente sente da situação e dos personagens impede que a gente sinta qualquer tipo de empatia por eles.

A única coisa que move a leitura é saber se é verdade que Anna está sem comer há tanto tempo e, se for realmente verdade, o porquê de permanecer viva. Há uma reviravolta que traz informações muito fortes e tristes, mas não foi suficiente para apagar as sensações ruins que tive com o restante da história. Além do mais, o final, apesar de esperançoso, me pareceu um tanto forçado, difícil de acreditar.

Talvez O Milagre seja mais que uma crítica à Igreja Católica. Talvez o verdadeiro milagre não seja a Anna propriamente dita, mas sim a mudança que, de uma forma ou de outra, ela causa em Lib com o passar do tempo. Pensando bem, até que essa perspectiva consegue salvar alguns pontos do livro, mas, sinceramente, é um pouco complicado gostar de verdade de uma obra com tantos personagens detestáveis e com tantos pontos que me desagradam em histórias no geral.

13 comentários:

  1. Uma pena que pra você não rolou Anaaaa!
    Será mesmo milagre? Ou encenação? Que mistério!
    Esse choque de culturas chega quase a ser um tipo de protagonista além do choque religioso. Uma cética em meio a católicos, acredito que fervorosos, deve ter sido bem conflituoso. E com o agravante da época em que se passa a história.

    ResponderExcluir
  2. Ainda não conheço a escrita da autora.
    Eu achei a premissa interessante, mas pelo visto faltou emoção.
    Me parece uma leitura bem desconfortável, acredito que não vou querer ler.

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Eu acredito muito nas questões de gosto e este livro tem sido muito assim. Li algumas resenhas a respeito dele e por gostar muito do tema, sinto muita vontade saber sobre a história.
    O fanatismo religioso é algo assustador e muito real. A gente vive ouvindo e vendo histórias a respeito disso.
    Mesmo que não tenha funcionado para você, quero muito conferir o livro sim!
    Beijo

    ResponderExcluir
  4. Tinha achado interessante pela autora e a ideia da história. Mas parece ter muita coisa difícil de descer heim...
    Não gostar tanto da personagem é sempre um negócio que já me desanima. Talvez tenha graça por ver essas mudanças como disse. Mas no geral nem sei se iria gostar tanto. Fiquei curiosa, mas sei la se leio mesmo.

    ResponderExcluir
  5. Assim que vi esse livro, sabendo que é da mesma autora de Quarto, já criei uma expectativa bem elevada. Que pena que a escrita ficou monótona e com muitos personagens chatos.
    Acho que o ponto mais forte é realmente mostrar como o fanatismo religioso pode ser intolerável,não só da Igreja Católica quanto de qualquer outra religião.
    Com certeza darei uma chance para essa leitura, mas com as expectativas mais baixa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu amei Quarto né, então também tava esperando uma coisa no mínimo sensacional. Espero que você consiga aproveitar a leitura mais do que eu!

      Excluir
  6. Oi, Ana!!
    Não conhecia essa história mas não parece ser um livro que chama-se minha atenção logo de cara. Achei a premissa um pouco misteriosa mas não fiquei tão curiosa para pegar esse livro e ler. Só fiquei me perguntando o que realmente acontece com a Anna O'Donnell e se realmente ela não come a tanto tempo assim, e fora isso esse livro não chamou tanto assim a minha atenção.
    Bjos

    ResponderExcluir
  7. Sinceramente a trama de O Milagre não me encantou tanto, gostei mais de alguns pontos que da própria história principal, por exemplo a autora ser a Emma Donoghue, existir um conflito de culturas Irlanda x Inglaterra e a crítica à Igreja Católica. O fato de a trama não ter me impressionado unido a uma leitura aparentemente lenta contribui total pelo meu desinteresse pelo livro.

    ResponderExcluir
  8. Oi, Ana
    Ainda não conheço a escrita da autora.
    Adoro essa capa e a sinopse me chama muito atenção.
    Uma pena o livro não funcionar para você, ele tinha um potencial incrível. Com todo esse mistério que envolve o fanatismo religioso.
    Espero ter oportunidade para ler.
    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Oi Ana,
    Infelizmente até mesmo os autores que gostamos pecam as vezes...
    Senti que o tema central do livro é interessante, falar sobre esse fanatismo religioso, algo tão real, e um tema bom para ser discutido, uma pena essa falta de conexão com os personagens, parece que a autora quis chegar ao extremo com a Lib, e não deu muito certo!
    Eu gostei muito da edição, acho que a capa manda muito na escolha do leitor, e esse eu compraria por ela, rs.
    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Puxa, um livro com uma història até interessante, mas que infelizmente se tornou monótona e desanimador. A única coisa que gostaria de saber é sobre o final da história e mais nada. Creio que em relação ao fanatismo da família e até nos dias atuais, não esta propriamente na religião em si, mas sim nas pessoas que as segue. Creio que eu não va ler esse livro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu concordo com você! O problema não são as religiões e sim as pessoas que as pregam. Eu finalizei o livro só pra saber o final mesmo!

      Excluir
  11. Nossa, bem chato, hein! kkkk
    Pelo jeito não tem muitos atrativos nem grades reviravoltas.
    Apesar de que fiquei curiosa pra saber sobre a verdade da Anna.
    Eu gostei do Quarto, embora o final foi bem sei lá, triste, a meu ver. Parece que faltou algo.
    Não lerei esse não.
    bjs

    ResponderExcluir

 
Layout feito por Vinícios Costa editado por Silviane Casemiro | Todos os direitos reservados ©