26 de agosto de 2019

Resenha: Especial


O livro que deu origem à série Special, da Netflix.
Como se os desafios de ser um jovem gay com paralisia cerebral não fossem o bastante, Ryan O’Connell viveu todos os clichês de um Millennial. Ele passou a segunda década de sua vida estagiando para divas delirantes, engolindo todos os remédios que conseguia encontrar pelo caminho e tentando achar o amor verdadeiro — coff coff — no Grindr. Mas depois de tanta tentativa e erro, Ryan pode dizer, com propriedade, que mancou elegantemente todo o caminho para a vida adulta. Especial, seu (hilário) relato autobiográfico, é uma reflexão sobre o mundo cruel que espera jovens de vinte e poucos anos superprotegidos pelos pais e uma lição de como encontrar a si mesmo em meio às disputas por likes e seguidores.

Título Original: I'm Special (and Other Lies We Tell Ourselves)
Autor: Ryan O'Connell
Páginas: 224
Tradução: Adriana Fidalgo
Editora: Galera
Livro recebido em parceria com a editora
Compre aqui

Quando eu peguei Especial para ler, imaginei que daria de cara com um YA, que é o meu gênero literário preferido — aliás, ainda não sei bem em qual gênero esse livro se encaixa, mas eu arriscaria uma autobiografia com uma pitada de humor —, mas fui deveras surpreendida ao descobrir que, na realidade, o protagonista dessa história é o próprio autor. 

Ryan O'Connell é um escritor americano, diretor, ator e tudo mais que vocês possam imaginar. Aliás, ele protagonizou a si mesmo em Special, série inspirada em seu livro e lançada recentemente pela Netflix. Poderia ser a história de um Millennial — apenas uma expressão americana para "crias da internet" — qualquer, não fossem um pequeno "detalhe": Ryan tem paralisia cerebral. Ah, e é gay.

Então, Especial é basicamente isso, um pouquinho da vida de Ryan O'Connell. Ele conta de forma simples e bem humorada os problemas de todo jovem normal, como crushes não correspondidos, dificuldade com os estudos, pequenos problemas familiares e os terríveis boletos. É tudo muito engraçado, até porque a gente se identifica bastante, mesmo com as idades um pouco diferentes. Quer dizer, somos a mesma geração, a que reclama de tudo, vê problema em tudo e não consegue resolver nada sem a ajuda dos pais. 

Reparem bem, a maioria de nós cresceu numa bolha superprotetora numa época em que a ascensão da tecnologia moldou o nosso jeito de ser. Quer dizer, a gente tem uma necessidade imensa de permanecer conectado, de postar sobre o nosso dia-a-dia, de mostrar como somos maduros e independentes quando, na realidade, não conseguimos marcar uma consulta médica por conta própria — estou claramente falado sobre mim, rs. 
Mesmo tendo achado a leitura super divertida e descontraída, muitas coisinhas me incomodaram. Em primeiro lugar, achei um pouco desnecessária a exposição de Ryan em relação aos seus relacionamentos amorosos. Eu realmente não queria saber detalhes — e quando eu digo detalhes, são detalhes mesmo, tipo, detalhes muito detalhados, rs — sobre suas relações sexuais e coisas do tipo. Especial também tem um quêzinho de autoajuda, uma partes eu sinceramente fiquei meio zzzZzzz.

Obviamente as partes mais cômicas são as que Ryan critica a nossa geração, porque ele faz isso de forma muito sarcástica. Eu achei engraçado justamente por fazer parte disso tudo, por perceber que praticamente tudo o que ele fala é real, que somos um bando de jovens mimados de 20 e poucos/tantos anos com um incrível desejo de se reinventar. Ao mesmo tempo é interessante perceber que não estamos sozinhos, que não temos nada de especial, realmente.
Acredito que o estilo de narrativa de Especial, que é bem crua e pesada — inclusive o Ryan usa um vocabulário bem baixo em diversas partes —, pode incomodar um pouco. Não sei se foi o jeito como Ryan contou as coisas, mas fiquei com a impressão de que ele é super narcisista e deveras fútil, sabe? Mas enfim, talvez isso realmente seja um problema da nossa geração. 

Apesar de ser um livro sobre um cara gay que tem paralisia cerebral, não senti que esses temas foram realmente o foco do livro. Óbvio que ele fala sobre isso, como se descobriu gay, de todas as dificuldades com sua deficiência, mas não é como se isso o rotulasse. Achei bem interessante. De forma geral, é um livro legal e bem fluido, do tipo que dá para ler numa sentada, mas sinto que alguma coisa ficou meio perdida.

15 comentários:

  1. Olá! ♡ O que mais chama minha atenção sobre esse livro é que ele traz vários questionamentos e críticas a nossa geração. Acho isso muito interessante, pois de fato, nascemos em uma realidade cercada de tecnologia em que vivemos dentro de uma bolha de superproteção mesmo, como você disse. Estamos acostumados as facilidades que tanta tecnologia nos proporciona. Queremos tudo que desejamos na hora, reclamamos demais quando as coisas não acontecem do nosso jeito e somos na maioria das vezes dependentes dos nossos pais e da tecnologia.
    Parece uma leitura bem divertida, mas que peca demais em alguns pontos. Acho que tem certos detalhes que não precisam ser tão detalhados assim kkkk.
    Apesar do livro ter alguns pontos que não agradam, acho que essa é uma leitura que vai agradar muita gente e que vale a pena ser feita.
    Gostei bastante da sua resenha, adorei a sua sinceridade ao explicar sobre os pontos positivos da obra e também sobre aquilo que não gostou no livro.
    Obrigada pela indicação! Beijos! ♡

    ResponderExcluir
  2. Tenho visto resenhas sobre Especial nos igs literários e as opiniões são bem divididas. Uns curtem bastante, outros tem um mix entre adorar e detestar.
    Pela sua resenha, Ana, percebi que a estrutura básica é YA mas Ryan passa pela autobiografia, auto ajuda, por,sempre permeado pelo bom humor e crítica.
    Me incomoda, mesmo sem ler, esse detalhamento explícito da vida sexual.

    ResponderExcluir
  3. Eu quero muito ler esse livro!
    Fiquei um pouco receosa por ser uma biografia, mas o conteúdo me chama atenção. Eu gosto muito dessas críticas.

    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Não vejo a hora de poder conferir este livro! Até por isso mesmo, ele meio que não se enquadrar em gênero nenhum e ao mesmo tempo, se enquadrar em todos.rs
    Ryan é uma gracinha de personagem/autor/pessoa.
    Pude conferir a série(aliás, a indico pelo bom humor, pelas tiradas e como é bem curtinha, dá para ver numa tarde)
    Há muitas diferenças entre livro e série, por isso, preciso ler a obra o quanto antes!
    Beijo

    ResponderExcluir
  5. Eu to ficando chocada com o tanto de séries e filmes da netflix q na verdade são baseado em livros, eu nunca ia pensar q era kkkkkkk
    Pela resenha esse parece ser o mais longe possível dos livros q eu leio, não é nem de perto meu tipo kkkkkkk mas ótima resenha kkkkk

    ResponderExcluir
  6. Achei muito interessante pela história do autor, não ser um livro daquela coisa de histórias jovem como a capa acaba parecendo ser. Ele tem uma história incrível e é fácil ficar curiosa pra saber mais, ver o que escreveu nesse livro e o que conta aí. Ser meio cara de auto-ajuda me deixa meio pé atrás, mas acho que não iria ver tanto problema. Umas partes que incomodam, mas parece ter muito mais que deixa uma boa curiosidade. Parece um livro fácil de ler e acho que iria gostar. Tem muita coisa pra se pensar aí pelo visto, sair um pouco da bolha...

    ResponderExcluir
  7. Oiii ❤ Já li várias resenhas positivas tanto sobre o livro como sobre a série também. E, por isso, estou muito curiosa para poder conferir ambos.
    Gostei que a trama é baseada na vida de Ryan O’Connell e que ele mesmo se auto interpreta na série.
    O que mais me chama a atenção sobre essa leitura é o fato de parecer fácil se identificar com Ryan, já que muitas das coisas que ele já vivenciou, vivemos também.
    Realmente a tecnologia moldou quem somos e, por isso, sentimos a necessidade de estarmos conectados a ela o tempo inteiro.
    Descrições muito detalhadas sobre momentos íntimos também é algo que me incomoda.
    Mas, mesmo assim, vou dar uma chance a essa leitura.
    Beijos ❤

    ResponderExcluir
  8. Já tinha lido sobre a série da netflix. Embora os temas sejam sérios, imagino que a forma como é tratado deixe a narrativa mais leve. Esse linguajar mais direto e até mesmo a forma de expor suas intimidades também é algo que vemos muito nessa geração. Só dar uma volta pelo youtube.

    ResponderExcluir
  9. Oi Ana ;)
    Já tinha visto alguns poucos comentários sobre o livro mas ainda não sabia que o autor se baseou na própria história! Achei bem legal.
    Achei legal essas sátiras que você diz que ele faz ao longo da obra, e sinto que isso deu um ar mais divertido ao livro. E me identifiquei demais com o "não consigo marcar uma consulta médica por conta própria" KKKKK ri alto!
    Só fiquei na dúvida, como você, se o autor fez o personagem assim fútil como forma de criticar a sociedade (e principalmente os jovens) de hoje.
    Bjos

    ResponderExcluir
  10. Oi, Ana
    Li algumas resenhas sobre o livro e a série, quero ler o livro primeiro e depois assistir.
    O autor contando de sua própria vida tem que ser de opinião para expor certas coisas em público e ainda com um certo humor.
    Sou da geração Y mas com um pé na X. Minha mãe me criou com muita liberdade e sempre ensinando a ser independente, incentivando a estudar e trabalhar. Ela criou meu irmão do mesmo jeito só que ele é um pouco dependente de mim, fazer o que né.
    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Oi, Ana
    Tenho vontade de ler Especial, parece interessante, no sentindo de refletirmos mesmo sobre a sociedade atual e o que ela nos faz ser, e o que estamos nos tornando com relação a tanta exposição nas redes sociais.
    Esse negócio dele expor suas relações achei tosco kkkk ai não acho certo isso não, né. Imagine, os ex-parceiros dele devem ter ficado bem pê da vida! kkkkk
    Quando der, vou tentar ler sim.
    bjs

    ResponderExcluir
  12. Ok, eu estou um pouco surpreso, tenho que admitir. Eu assisti alguns episódios de Special quando a série lançou na Netflix mas eu não tinha ideia que era baseado em um livro, principalmente numa autobiografia, ou que era interpretado pelo próprio autor. Por ser uma biografia e ter essa pitada de autoajuda eu não sei se me daria muito bem com o livro, apesar dele parecer ser interessante. Daria uma chance pra essa leitura mas iria sem muita expectativa.
    Beijos, ♡.

    ResponderExcluir
  13. Olá!
    Já tinha conhecimento desse livro e da série, mas não parei para saber mais sobre a trama. Fiquei um tanto curiosa por ele, vejo uma premissa boa. Espero que eu possa ler em breve.

    Meu blog:
    Tempos Literários

    ResponderExcluir
  14. Oi, Ana!!
    Ainda não tinha lido nenhuma resenha sobre esse livro mais adorei a história. Não sabia que tinha uma série na Netflix baseado nesse livro. Acho que vou dar uma chance primeiro para série e quem sabe para o livro também.
    Bjs

    ResponderExcluir
  15. Não conhecia esse livro, mas gostei do que foi apresentado, cheio de descobertas, algo que curto. Quero ter a oportunidade de ler esse livro ou assisti a série.

    ResponderExcluir

 
Layout feito por Vinícios Costa editado por Silviane Casemiro | Todos os direitos reservados ©