Através do Vazio | S. K. Vaughn - Roendo Livros

21 de outubro de 2019

Através do Vazio | S. K. Vaughn


É Natal de 2067. Os acordes de uma música natalina ecoam pelas ruínas de uma espaçonave que flutua pela escuridão. Lá dentro, May desperta lentamente ― a única sobrevivente de um acidente desastroso na primeira viagem tripulada a Europa, a lua de Júpiter. Sozinha no vazio do espaço, em uma nave caindo aos pedaços, May tenta desesperadamente reencontrar o caminho para a Terra. A única pessoa capaz de ajudá-la é Stephen Knox, um cientista brilhante da Nasa... e um homem que ela magoou profundamente antes de partir.
Enquanto ela batalha pela própria sobrevivência e sinais de sabotagem começam a vir à tona, a voz de Stephen parece ser a única coisa capaz de atravessar o vazio insondável do espaço e levá-la de volta para casa em segurança.

Título Original: Across the Void
Autor: S. K. Vaughn
Páginas: 376
Tradução: Renato Marques
Editora: Suma
Livro recebido em parceria com a editora

Apesar de ter minhas preferências e tender a ler sempre os mesmos gêneros, vez ou outra tento descobrir alguma coisa nova. Dessa vez, resolvi dar uma chance ao Sci-Fi. Através do Vazio me levou em um carrossel de emoções e também me deixou bem confusa.

A comandante Maryam Knox acorda sozinha na espaçonave Hawking II sem saber ao certo o que aconteceu nos últimos meses. Sem saber em quem pode confiar ou até mesmo o que causou tamanho acidente — que matou toda sua tripulação —, ela enfrentará muitas dificuldades e terá grandes surpresas até que tudo seja descoberto.

A narrativa é envolvente, com um toque de suspense e, apesar de ter algumas partes pesadas, o autor consegue até mesmo trazer um pouco de humor ao livro. A personagem principal, May, é uma mulher muito forte com uma personalidade característica. Os personagens secundários foram bem explorados e essenciais para o desenrolar da história.

Minha personagem preferida nessa bagunça toda foi Eva, a inteligência artificial de May. Ela ajuda a comandante a manter sua sanidade em meio ao vazio e adquire até mesmo um pouco da personalidade da mulher. Tive uma relação de amor e ódio com Stephen Knox (marido da personagem principal) e a própria Maryam. Ela tem um jeito um tanto controlador e ele, apesar de extremamente inteligente, já é mais do tipo quieto, que não faz nada.

Embora o enredo seja envolvente, algumas coisas me incomodaram durante a história. A primeira coisa foi que, apesar de tudo se passar entre os anos 2040 e 2060, a mentalidade das pessoas parece não ter mudado muito do que vivemos agora. Entendo que em quarenta anos talvez não tenhamos mudado tanto, mas acredito que a forma como o autor descreveu é um pouco antiquada para uma narrativa futurista.

Outra coisa que me incomodou foram as consequências de alguns acontecimentos. Várias vezes tive dificuldade em imaginar a solução de problemas apresentados, pois para mim era impossível que um problema de proporções tão grandes tivessem uma consequência tão pequena. Mas para quem já está acostumado ao gênero isso talvez não incomode tanto. Por fim, fiquei bem confusa com os flashbacks. O autor não seguiu uma linha cronológica e por isso não consegui acompanhar muito bem os fatos. Cada hora ele voltava em uma parte diferente da história e isso acabou me embaralhando um pouco.

Através do Vazio é o primeiro livro de ficção científica do autor e também o primeiro livro do gênero lido por mim. Acredito que quem gosta mais desse tipo de história irá gostar mais e se envolverá mais com o enredo, principalmente se você tiver um fascínio por viagens espaciais. E para quem está em busca apenas de uma nova aventura, a obra também é uma boa dica.

15 comentários:

  1. Alê!
    O livro parece ótimo, bem no estilo que gosto.
    Ao começar a ler a resenha, tive a sensação de ter assistido um filme com temática parecida, pena que agora não lembro o nome, mas enfim, como amo ficção científica , fiquei curiosa por saber como tudo se desenrolou e o por que de tudo ter acontecido, ainda mais com a origem dela.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  2. Oi, Alê. Antes da sua resenha tinha lido outra e ambas me deram a impressão de esta obra ter sido inspirada em Perdido em Marte. Eu não tenho tantas referencias neste gênero, mas a grande maioria com certeza deve vir de 2001 de alguma forma.
    Se for pensar bem o ser humano não mudar tanto sua maneira de pensar mesmo após 40 anos faz todo o sentido, já que em muitos aspectos estamos mesmo é regredindo.

    De uma coisa eu sei: Chega de colocar nomes de A.I de Eva ou Adam, essa referencia esta mais que ultrapassada.

    Silviane, blog Memento MoriParticipe do Top Comentarista de Outubro

    ResponderExcluir
  3. Oi Alê,
    Ficção científica é um gênero que nem sempre me chama atenção, principalmente em livros, mas a premissa de Através do vazio tem pontos bem interessantes. O inicio dá trama já instiga, pois fica aquela curiosidade para saber o que aconteceu e como a protagonista foi parar naquela situação. Então entendo que as desconfianças serão grandes tanto por parte da personagem quanto por parte do leitor, pois há muitas lacunas na memória de May e como saber no que confiar? É um enredo que tem muito a oferecer, mas que talvez não tenha sido bem aproveitado. Apesar das ressalvas que você apontou ainda estou curiosa com o livro e pretendo dar uma chance a ele.

    ResponderExcluir
  4. Também sou assim Alê, me prendo aos meus gêneros literários preferidos mas vez por outra me arrisco fora da minha zona de conforto. As vezes acerto outras não. Porém até hoje nunca li nada do gênero sci fi.
    Como você disse e concordo, para quem curte sci-fi é um livrão, pois tem todos os elementos que tornam a trama instigante, complexa e emocionante.
    Através do Vazio tem uma vibe de filme não é?

    ResponderExcluir
  5. Então..ficção científica nunca foi meu forte em matéria de leitura. Sou uma bagunça, misturo tudo, troco nomes, viajo literalmente no enredo e sempre me perco.
    Por isso, sempre dou um jeito de não ler.rs apesar de também viver querendo sair um pouco da caixinha.
    Mas eu gostei demais da premissa deste livro, até por trazer isso da humana e da máquina.
    Lembra bastante A.I. (mas fica só nessa semelhança)
    Mesmo com alguns pontos negativos citados, quero sim, ter a oportunidade de conferir!
    Beijo

    Rubro Rosa/O Vazio na Flor

    ResponderExcluir
  6. A sinopse foi tão incrível q eu quase não li a resenha pra não saber mais do q precisava.. mas vc não deu spoilers então obrigada. Parece uma mistura dos filmes Passageiros com 2001 (eu sei q eles tem livros, mas eu nunca li kkkkkk). Eu acabei de ler a trilogia de Fúria Vermelha q é bem ficção científica, mas eu acho q esse livro aí vai mais do estilo de Perdido Em Marte (no sentido de ser baseado em ciência real). Quero mto ler ♥

    ResponderExcluir
  7. Olá! ♡ Adoro a capa desse livro, parece combinar perfeitamente com a história!
    Ficção científica é um gênero que eu gostaria de ler mais sobre, já que dificilmente leio algo dentro do mesmo.
    Me incomodou também o fato de que certos problemas tiveram consequências tão pequenos, sendo que um problema grande gera grandes consequências
    Essa coisa dos flashbacks parece mesmo bem confusa, tendo em vista que o autot não se utilizou de uma linha cronológica .
    Enfim, vou dar uma chance a essa leitura, para tirar minhas próprias conclusões da obra.
    Beijos! ♡





    ResponderExcluir
  8. Não tenho afinidade com a ficção científica. Acho que também ficaria confusa com os flashbacks, visto que o autor não segue uma narrativa cronológica. Pensando positivamente, acredito que a questão da postura dos personagens poderia ter sido melhor trabalhada, se tratando de uma narrativa futurista, pois há um grande salto no tempo.

    ResponderExcluir
  9. Gosto de livro nesse estilo e até que esse ano tô lendo bastante do gênero. Ele parece ter uma narrativa legal, apresenta uma boa história e que no minimo prende. Acho que iria gostar. Mas achei interessante falar disso da mentalidade não ter mudado tanto porque em livro do tipo é cada coisa louca que inventam que a gente mal pode enxergar aquele mundo e modo de viver. Talvez isso pese, fique meio sem graça na narrativa, mas aí só lendo pra ver se isso incomoda mesmo. No geral parece um bom livro.

    ResponderExcluir
  10. Eu gostei da capa, mas não me sinto atraída pelo gênero. Eu acho confuso, e teria dificuldade em acompanhar.
    Esse ponto de se passar no futuro e nada mudar é ruim, meio que esperamos uma mudança, mesmo que fictícia, né?

    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Oiii ❤ Eu realmente tenho receio em ler ficção científica, já que algumas me deixaram um tanto confusa só de ler a sinopse e ver que tinha muito a ser absorvido sobre a trama. Mas, o fato de a personagem estar perdida no espaço e ter como companhia apenas a inteligência artificial, me chamou a atenção.
    Quero ver como será para May estar perdida no espaço. Deve ser legal ver a relação que ela desenvolve com a inteligência artificial.
    Estou curiosa sobre os personagens secundários, já que eles parecem bem importantes para a trama.
    Beijos ❤

    ResponderExcluir
  12. Olá!
    Realmente não curto este tipo de leitura. Acho que ficaria perdida, embora o enredo contado por você até pareça impressionante. Mesmo aassim,não me sinto animada ainda. Quem sabe no futuro. Por enquanto não. Abraços!

    ResponderExcluir
  13. Oi, Alê
    Então, eu não conhecia o livro, nem o autor, mas achei bem mal desenvolvido e confuso, pareceu uma leitura morna, sem grandes desenvolvimentos.
    Não gosto de ficção científica então não lerei, desculpa!
    Bjs

    ResponderExcluir
  14. Olá, Alê
    Adorei capa, lindíssima!
    Gostei do enredo apesar de lembrar alguns filmes que se passam em uma nave. Estou super curiosa para saber o que aconteceu com a tripulação e o desentendimento entre o casal May e Stephen.
    Fico imaginando como deve ser conversar com uma inteligência artificial, Eva que acabou sendo uma amiga para May.
    Beijos

    ResponderExcluir
  15. Oi, Alê!!
    Adoro um bom livro de ficção científica, mas não lembro de já ter lido nenhuma resenha sobre esse livro. Gostei muito da história e fiquei bem curiosa sobre Eva a inteligência artificial, pois já estou imaginando as cenas de interação entre ela e a May.
    Bjs

    ResponderExcluir