3 de outubro de 2019

Mulheres e Ficção | Virginia Woolf

Hoje considerada uma das maiores escritoras do século XX, Virginia Woolf foi uma grande romancista e ensaísta, bem como figura de destaque na história da literatura como feminista e modernista. Ela se preocupava em particular com a experiência das mulheres, não apenas nos romances, mas também nos ensaios. Prova disso é esta pequena coletânea que trata do papel das mulheres na ficção. Com ensaios que versam sobre a autora Jane Austen, as personagens Jane Eyre e Catherine Earnshaw (de O morro dos ventos uivantes) e vários outros temas, Woolf explora o lugar que as mulheres ocuparam e ainda podem ocupar na literatura. Outros ensaios aqui reunidos falam também da ficção moderna, do ponto de vista do leitor comum, das diferentes formas de se ler um livro, e de diversos temas caros a todos os interessados por literatura.

Título Original: Woman and Fiction
Autor: Virginia Woolf
Tradução: Leonardo Fróes
Páginas: 104
Editora: Penguin e Companhia das Letras
Livro recebido em parceria com a editora

Virginia Woolf é uma das autoras mais aclamadas não apenas da Inglaterra, mas, do mundo. Poetisa, romancista e ensaísta, Woolf viveu uma vida dedicada a escrita. E entre seus temas preferidos, estava a vivência da mulher. Portanto, Virginia escreveu muitos ensaios sobre as mulheres, e o selo Penguin do Grupo Companhia das Letras reuniu alguns desses ensaios para compor a coletânea Mulheres e Ficção. São nove ensaios que, juntos, constroem uma linha de raciocínio sobre o papel das mulheres na literatura e na sociedade.

Na coletânea, estão presentes ensaios sobre os mais diversos temas que envolvem mulheres e literatura. O primeiro ensaio, que dá nome ao livro, aborda a diferença entre a ficção escrita por mulheres e a ficção escrita sobre mulheres. Neste ensaio, Virginia debate os motivos de terem havido períodos históricos em que as mulheres não produziram textos. O ensaio Mulheres e Ficção é semelhante à produção intitulada Um Teto Todo Seu, pois elenca alguns requisitos básicos que precisam ser atendidos para que uma mulher possa criar.

O segundo ensaio intitula-se Ficção Moderna e, neste, Virginia fala sobre as diferenças entre a prática literária antiga e a prática moderna, apontando que a antiga era muito mais materialista e a moderna, mais espiritual. Ao longo dos ensaios, Woolf cita diversos autores para ilustrar suas reflexões e, aqui, não é diferente. Wells, Bannett, Galsworthy, Hardy, Conrad e James Joyce são alguns exemplos.

O ensaio seguinte tem menos de duas páginas, se chama O Leitor Comum e diferencia o leitor comum do leitor erudito e crítico. No quarto e no quinto ensaios, Virginia fala sobre três outras grandes autoras inglesas, Jane Austen, Charlotte Brontë e Emily Brontë, apontando aspectos de suas vidas e falando sobre algumas obras.

Em seguida, temos o ensaio Como se Deve Ler um Livro? em que a autora fala um pouco sobre o processo de leitura em si e sobre como é importante que cada leitor tenha liberdade e independência para ler o que quiser e da forma que quiser.

Geraldine e Jane
é o sétimo ensaio presente no livro. Neste ensaio, Woolf fala sobre a romancista Geraldine Jewsbury e suas opiniões fortes e revolucionárias sobre as mulheres, além de abordar a controversa amizade entre Geraldine e Jane Carlyle. Esse sétimo ensaio é um dos mais interessantes da coletânea.

No ensaio intitulado Eu sou Christina Rossetti, Virginia Woolf discorre sobre a poetisa Christina Rossetti e, assim como no ensaio sobre Jane Austen, a autora fala sobre a vida da poetisa e faz alguns reflexões importantes. Pensamentos de Paz Durante um Ataque Aéreo é o ensaio mais poético desta coletânea e aborda a condição das mulheres em contextos de guerra.

A escrita de Virginia Woolf é sempre deliciosa e, em seus ensaios, não seria diferente. A autora guia o leitor pelas suas linhas de raciocínio e faz a leitura parecer um bate-papo entre amigas. Culta sem ser pedante e inteligente sem ser cansativa. A leitura me fez balançar a cabeça afirmativamente várias vezes, afinal, a habilidade que Woolf tinha de refletir sobre a experiência das mulheres em sociedade era magnífica. Em cerca de 100 páginas, Virginia consegue nos provocar e nos estimular a pensar e repensar sobre muitas questões. Sua escrita poderosa certamente nunca será esquecida.

12 comentários:

  1. Ainda não tive a oportunidade ler uma obra da Virginia. Mas, achei bastante profundo o título do livro, bem como as temáticas dos ensaios. Achei bem importante que ela pontua que ficção escrita por mulheres não é o mesmo que ficção escrita sobre mulheres. Além isso, a autora cita vários autores para fundamentar suas análises.
    Gostaria muito de ler os ensaios sobre as irmãs Brontë; o "Como se deve ler um livro?" e "Pensamentos de paz durante um ataque aéreo".
    Parece ser um livro para encher de post-its!

    ResponderExcluir
  2. Mesmo conhecendo pouco demais diante da grandeza do trabalho que Virgínia nos deixou, gosto demais de suas letras, desse jeito único dela sempre colocar a mulher como parte do todo(como deveria ser desde o início).
    Ela não apenas falava ou escrevia sobre si mesma,mas englobava toda as mulheres, como se realmente fossem conhecidas do chá das cinco!
    Ainda não tinha visto ou lido nada sobre esta coletânea de ensaios, mas depois de uma resenha assim,já quero né?rs
    Beijo

    ResponderExcluir
  3. Virgínia Woolf escrevendo sobre Jane Austen deve ser a coisa mais fantástica de se ler.
    Além das outras autoras das quais ela discorre.
    Achei interessante e gostaria muito de ler Como Se Deve Ler Um Livro? Deve ser libertador especialmente nos dias de hoje quando gostos e gêneros literários são muitas vezes criticados.

    ResponderExcluir
  4. Bem interessante esse livro e gostei de abordar o tema da leitura e escrita, do leitor e da forma como a mulher é inserida na literatura e as diferenças de quem escreve e quem fala. As coisas ao longo do tempo, as mudanças. Isso de citar até essas 3 grandes autoras (que adoro) é outro ponto que me chama atenção. Parece ter uma escrita bem gostosa e falar de uns assuntos muito interessantes de uma forma simples e clara. Leria com facilidade.

    ResponderExcluir
  5. Só de falar das autoras inglesas clássicas eu já me interessei. Eu não sou de ler romances contemporâneos, mas eu amos os de época (escritos por autoras na época q se passa a história). Eu sinto uma imersão mto grande, principalmente por ser livros escritos por mulher sobre mulheres. É um assunto q me interessa mto. O Mulheres Na Ficção é tão curtinho q eu devo conseguir ler numa sentada! Vou ver se acho o ebook, se não tenho q esperar até black friday pra ver se compro kkkkkkkk

    ResponderExcluir
  6. Oi!
    Eu sou louca para ler algo dela e até agora tô só enrolando, mas de todos os livros que tenho marcado para ler dela eu nunca tinha visto este e até agora parece ser o mais interessante.
    Acho lindo uma mulher, na época dela, já fazer essa relação entre mulheres e literatura, mas é uma pena que tantas coisas ainda são as mesmas nos dias atuais. Seria bom os autores pararem para ler essas coisas antes de escrever um livro sobre mulheres nem sendo mulher.

    Silviane, blog Memento Mori • @kzmirobooks

    ResponderExcluir
  7. Vergonha de não ter lido nada da Virgínia até hoje.
    Conhecer esses ensaios, deve ser uma boa maneira de conhecer a escrita dela, ainda mais sendo uma escrita incrível.

    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Priscila!
    É é diva, não é?
    Uma mulher que sempre foi à frente de seus tempo.
    Imagina abordar todos esses temas em seus ensaios já naquela época, deve ser um livro instrutivo e engrandecedor.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  9. Olá...
    Sempre vejo excelentes comentários a respeito dessa autora, seja através de leitores, seja através das centenas de referencias que encontramos em livros atuais.
    Sem dúvida é uma mulher á frente de seu tempo e gostei muito de acompanhar suas impressões.
    Bjo

    http://coisasdediane.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  10. Olá! ♡ Nunca li nada da autora, mas seu sucesso ao redor do mundo é inegável, sinto que preciso conhecer a escrita dela!
    Achei muito interessante e relevante a autora trabalhar o papel das mulheres tanto na literatura quando na sociedade, estou animada para conferir cada um desses ensaios e ver tudo o que a autora quer passar com eles.
    Gostei que a obra conta com ensaios sobre outras grandes autoras, que também marcaram a literatura, estou bem curiosa para ler esses ensaios.
    Um dos ensaios que mais chamou minha atenção é o Como se Deve Ler um Livro?, já que nele a autora fala sobre a importância de cada um ler o que desejar.
    Adorei o post e já quero conferir o trabalho incrível de Virginia Woolf!
    Beijos! ♡

    ResponderExcluir
  11. Oiii ❤ Eu simplesmente adorei que esse livro é sobre o papel das mulheres na ficção, já que acho muito importante que mulheres sejam inclusas cada vez mais na literatura.
    Gostei também que a obra fala sobre as várias formas de se ler um livro, já que concordo que existem várias.
    Adorei que Jane Austen, Charlotte Brontë e Emily Brontë têm espaço na obra, já que adoraria conhecer mais sobre suas vidas e obras.
    Mais que concordo que cada leitor tem que liberdade para ler o que quiser, não é legal ler algo que não gosta ou deixar de ler algo que gosta.
    Gosto muito de livros que nos dão a sensação de estar tendo uma conversa com o autor.
    Beijos ❤

    ResponderExcluir
  12. Não conhecia a autora, mas gostei do que ela defendia. Quero muito ler algo dela, por parecer bem diferente do que estou habituada em ler. Com certeza vou procurar esse livro.

    ResponderExcluir

 
Layout feito por Vinícios Costa editado por Silviane Casemiro | Todos os direitos reservados ©