Uma Dor Tão Doce | David Nicholls


Uma Dor Tão Doce é o novo livro de David Nicholls, autor do sucesso Um Dia, que provavelmente todos vocês conhecem — ou pelo menos conhecem a adaptação protagonizada por Anne  Hathaway e Jim Sturgess. Nessa obra, conhecemos a história de Charlie Lewis, que teve uma adolescência marcada por duas situações em específico: seu primeiro amor, Fran Fisher, e o período depressivo do pai, que passou por um divórcio conturbado. 

O livro é narrado pelo protagonista em dois tempos diferentes. No passado, recém saído do Ensino Médio, Charlie conta como conheceu Fran na companhia de teatro A Trinta Pés, durante o verão de 1997. A gente logo entende que eles se envolvem, então a história foca em mostrar a construção do relacionamento. Porém, no presente, temos um Charlie adulto de casamento marcado com outra mulher, ou seja, além de sabermos que Fran e Charlie ficam juntos em algum momento, sabemos também que não durou muito tempo. 

Afirmo que Uma Dor Tão Doce é sobre o primeiro amor e como ele é importante para nosso crescimento. Parece um bom enredo, né? Mas infelizmente não funcionou para mim. A narrativa de Nicholls nesse livro é tão cansativa e monótona que fez com que eu sentisse que o primeiro amor de Charlie foi cansativo e monótono. Engraçado que quando eu li Um Dia tive essas mesmas impressões, mas de alguma forma a história conseguiu dar uma guinada. Tive esperança que acontecesse o mesmo aqui, mas eu fiquei esperando, esperando e esperando por alguma coisa que nunca veio. 

Para não dizer que não tem nada que muda o curso da história, acontece uma coisinha praticamente irrelevante quase no final, mas que só acontece porque o protagonista é extremamente irresponsável e desprovido de inteligência. Ainda assim é triste a gente ter que esperar passar 300 páginas de um total de 384 para que as coisas comecem a ficar interessantes, ainda mais porque o enredo desse livro não é do tipo que se sustenta sem reviravoltas. 

Grande parte das páginas é preenchida pela peça que a companhia está promovendo, Romeu e Julieta, dando aquela sensação de mais do mesmo que eu particularmente detesto. É óbvio que a peça é relevante: é ela que dá nome ao livro, é ela que faz com que os protagonistas se conheçam, é ela que, de fato, muda a vida de Charlie... Mas quem aguenta trechos e mais trechos de adolescentes ensaiando e falando abobrinha? Pode parecer cruel o que vou dizer, mas impressão que eu tenho é que não teria perdido muita coisa se eu tivesse livro somente as primeiras 50 páginas e a últimas 50 páginas.

A realidade é que as histórias do David Nicholls são a definição perfeita de 8 ou 80. Ou você se apaixona por ele ou acha tudo muito arrastado. No final das contas, eu amei Um Dia — e não é todo mundo que gosta, juro  mas no caso de Uma Dor Tão Doce, o romance não é legal de acompanhar, o drama familiar envolvendo o divórcio dos pais de Charlie — que poderia ter sido um ponto interessante  é mais morno impossível, completamente apagado pelas outras mil coisas irrelevantes que acontecem. Simplesmente não tem nada de atraente e inovador, nada que faça eu ter vontade de indicar para qualquer pessoa que seja. Lamentável... 

Título Original: Sweet Sorrow ✦ Autor: David Nicholls ✦ Páginas: 384
Tradução: Carolina Selvatici ✦ Editora: Intrínseca
Livro recebido em parceria com a editora

Postar um comentário

29 Comentários

  1. Então....faz muito muito muito tempo que li Um Dia. Achei chatérrimo. Terminei porque não curto abandonar livro.
    O filme também pra mim não rolou.
    Quanto a Um Amor Tão Doce a premissa tinha tudo pra se tornar um mega livro, mas não sei o que acontece que o autor se perde pelo caminho.
    Se não tinha vontade de ler, agora então....

    ResponderExcluir
  2. Que pena né, o Um Dia foi bem premiado. Já tinha ouvido falar nesse livro, mas outras opiniões sobre a relação do protagonista com a mãe. Não me despertou muito a vontade de ler pois acho que eu já estou mais na fase de me identificar com a mãe do que com esse protagonista... Mas aí acho que pesou a questão de idade, acho um livro mais para jovens.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um Dia é tipo a obra prima dele, né... Mas também é 8 ou 80, num tem meio termo. Ah sim, eu achei ele bem escroto com a mãe, principalmente porque quando aconteceu o que aconteceu, ele já não era uma criancinha mais pra ter feito tanta birra. É justamente isso que você falou... Também tô nessa fase, hahaha.

      Excluir
  3. Oiii ❤ Acho que não leria esse livro, pois odeio tramas monótonas, onde a leitura se arrasta e como você só quer que o livro termine logo não consegue curtir tanto.
    Eu nunca li nada do David Nicholls, mas já ouvi falar bem de Um Dia e mesmo assim acho que não leria.
    O que chama minha atenção sobre o livro é que fiquei curiosa pra saber porquê o relacionamento de Fran e Charlie não durou.
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Ah, uma pena que não tenha funcionado pra você.
    Também amei Um dia, já li e reli, mas ele também tem um início lento, né?
    Essa premissa sobre o primeiro amor me chama atenção, espero conseguir superar a narrativa. Pretendo ler.

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Eu admito que Um Dia, o livro, me irritou um pouco, aliás, me irritou um tanto..rs Mas o filme me ganhou tanto que eu vi ele algumas vezes. Penso que a enrolação do autor seja o grande "problema" em seus livros e oh, muita gente fala o mesmo. Ele demora demais para desenvolver os personagens e isso cansa.
    Não digo que não lerei esse lançamento, mas não deu muita vontade não rs
    Beijo

    Angela Cunha Gabriel/Rubro Rosa/O Vazio na flor

    ResponderExcluir
  6. Olá Ana!
    Nossa...fiquei até com sono rsrsrsr. A premissa da obra em si, que aborda como o primeiro amor impacta profundamente nas nossas vidas, até parece ser cativante.
    Por outro lado, quem aguenta tanta enrolação? Desenvolvimento é necessário, claro, até porque não queremos que Nicholls jogue um monte de informação instantânea na nossa cara. Mas gente? Aqui temos páginas e mais páginas que nos conduzem a um desfecho sem clímax e que infelizmente não permite que o leitor se importe com os protagonistas.
    E essa peça de teatro então...Olha admiro o leitor que consegue chegar até o final.
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. SOCORRO KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK
      O problema é que não teve nenhum primeiro amor impactante, sabe? Fiquei com raiva demais disso. Um trem morno do início ao fim.

      Excluir
  7. Ana!
    Nunca tive oportunidade de ler nada do Nicholls, e mesmo com sua observação de uma escrita sem grande dinâmica, tenho curiosidade em ler algum livro dele e talvez esse, porque gosto de histórias dramáticas e achei o plot até razoável para uma leitura.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  8. Oi Ana
    Eu acho que para alguns leitores esse ritmo mais lento com certeza deve agradar, mas no meu caso, que já acho as obras do autor chata e esse tipo de livro está longe da minha wishlist, tinha que ser algo no mínimo frenético ou que me chamasse bastante a atenção pra eu ficar fissurada. Infelizmente senti o mesmo em Um dia. Começou bem, com muito potencial, mas declinou drasticamente... achei tudo sem sal e chato pakas, por isso não pretendo ler essa obra.
    Beijo!
    http://www.capitulotreze.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Que nome curioso! Gosto do autor, vi esse livro por aí, mas nem reparei que era dele. Engraçado você ter tido as mesmas sensações com os dois livros, mesmo que a sensação não tenha sido boa. Depois de ler a resenha, consegui relacionar o título com o do primeiro amor que nos faz crescer, dói horrores, parece que nunca iremos superar, mas no fim só nos ajuda a evoluir e se torna uma dor "doce" (as vezes só na teoria haha). Não fiquei com vontade de ler o livro, provavelmente não teria paciência pra enrolação e nem pro personagem (fiquei agoniada só por ele ser irresponsável e sem atitude).

    Beijos,
    Amanda Almeida

    ResponderExcluir
  10. Olá!
    Ah, eu achei a capa tão bonita e o título tão chamativo, com toda certeza é algo que as pessoas vão comprar depois de ler a sinopse, mas pelo que você relatou acho que a maioria vai se decepcionar. Conheço muitas pessoas que preferem o filme "um dia" justamente por ser menos arrastado que no livro. Mas ainda sim, acho que eu daria uma chance a esse livro pro curiosidade.
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A capa e o título são muito bons mesmo. Inclusive eu amo que as capas de todos os livros do autor seguem um padrão... Mas enfim, é realmente triste se deparar com uma história tão sem sal. Em relação a Um Dia: amo ambos, filme e livro!

      Excluir
  11. Oii!!
    Perguntei sobre Um Dia para minhas amigas que leram e a maioria detestou!! Eu estava interessada em ler depois que vi a adaptação e não quero acreditar que é tão ruim assim kkkk vou ler para tirar minhas conclusões e ver se me encanto mais com o livro.
    Que pena que não gostou de "Uma Dor Tão Doce", Ana. Sabendo que a história fica bem no morno e acontecem coisas irrelevantes ao longo dela, realmente não daria chance para esse livro, mas espero gostar de Um Dia também.

    ResponderExcluir
  12. Olá Ana Clara!
    Eu ainda não li nenhum dos livros do autor, nem assistir ao filme Um dia, mas já vi que chovem críticas negativas. Adorei a espontaneidade da sua resenha, realmente a peça de teatro não deveria ficar no foco da história. Sua exasperação com o protagonista me rendeu boas risadas, não é possível que ele seja tão ruim assim rsrs. É uma pena que a história não tenha dado certo, pois livros sobre o primeiro amor são sempre muito emocionantes e eu gosto muito, mas fiquei curiosa pra saber o que acontece pra separar o casal.
    Beijos

    ResponderExcluir
  13. Oi miga!!

    Olha senti sua decepção muito forte nesse livro viu? Parece eu lendo A Prometida. Sinto muito que o livro não tenha te entregado uma boa leitura, é realmente frustrante quando isso acontece principalmente com um autor que a gente já leu e amou não é?

    Beijos!
    Eita Já Li

    ResponderExcluir
  14. Eu não consegui ler Um dia, e até hoje me pergunto se o problema foi com a diagramação do livro ou a história em si. Penso em tentar dar mais uma chance futuramente. Uma dor tão doce apresenta uma sinopse muito legal com uma história de evolução e amores ao longo da vida, mas é uma pena que o autor pecou no desenvolvimento da narrativa. Não é o primeiro comentário negativo que leio sobre a obra, logo decidi não adicionar na minha lista.

    ResponderExcluir
  15. Olá! É triste quando lemos um livro de determinado autor e gostamos bastante e criamos altas expectativas quando vamos ler outro livros desse mesmo autor, mas este outro livro não nos cativa como o primeiro, por não trazer nada de inovador. De fato, nesses casos a leitura tende a tornar-se bem arrastada e monótona.
    Confesso que nunca tive muita vontade de ler os livros do David Nicholls, sei lá, as premissas nunca prenderam minha atenção o suficiente para que eu desejasse fazer a leitura dos livros.
    Não senti vontade de fazer essa leitura, a premissa até era interessante, mas pelo que percebi o mesmo apresenta várias falhas em seu desenvolvimento, uma pena.
    Beijos! ♡

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Menina, expectativa nunca dá certo pra nada, credo.
      É isso mesmo... O problema maior desse livro é a enrolação, nossa. Mas né, tem gente que gosta.

      Excluir
  16. Amo o fato de você ser autentica em suas resenhas haha Uma pena esse livro ser tão ruim vindo de um autor que já escreveu um livro tão bom. Sei muito bem como é essa sensação de decepção. Confesso que esse livro não me atraiu nem lendo a sinopse, e ao decorrer da resenha só tive mais certeza disso. Ninguém merece uma história monótona e que parece que não vai chegar a lugar algum!

    ResponderExcluir
  17. Que triste! Eu li Um Dia na época do lançamento, fiquei apaixonada pelo livro, depois vi o filme e claro, fiquei mais ainda apaixonada pela história. Depois li Resposta Certa e não foi nem um pouco interessante, tanto que nem lembro direito da história rs Mas queria ler os outros livros dele pra saber se funcionam novamente comigo, pelo visto, não devem funcionar. Gostei bastante da sinceridade na resenha ><

    ResponderExcluir
  18. Oi, Ana
    Não li nada do autor, mas tenho vontade de conhecer sua escrita. Como você disse ele é um tipo de autor que seus livros são amados ou odiados, vejo muito esse fato nas resenhas que li dos livros dele.
    A capa é linda !
    Mesmo com essa ressalva, se um dia tiver oportunidade de ler não vou criar expectativas e ler sem esperar muito do livro, talvez me surpreenda.
    Deve ser um pouco chato ficar lendo ensaios da peça.
    Beijos

    ResponderExcluir
  19. Gosto do autor e ainda não tinha visto esse livro dele. Já li alguns dele que foram bem legais, histórias que prendem e que gostei. E Um dia é aquela desgraça que amo xD
    A ideia desse é interessante, primeiro amor, essa narrativa passado/presente e como uma coisa molda a outra, a vida progredindo e sentimentos e rumos e coisas e tal. Gosto dessa ideia de ver como a pessoa mudou com o tempo. Chatinho que tenha achado enrolado. Lembro que tive dessas coisas também com livro dele, um negócio mais parado, mas no geral a trama me prendia pela curiosidade e nem levava tanto a sério demorar pra ler. Até porque sou uma tartaruga pra ler. Mas acho que iria gostar de conhecer esse, a trama dele chama minha atenção.

    ResponderExcluir
  20. Olá! Não me canso de falar (escrever) que eu sou meio traumatizada com esse autor, não estava preparada psicologicamente para o final do livro Um dia e até hoje não me conformo com aquele final, na verdade com toda a história, então claro que tenho os dois pés atrás com qualquer outro livro dele, e agora sabendo que esse é um tanto quanto “chato” me deixa mais tranquila, afinal olhando pelo lado positivo é um livro a menos na minha infinita lista de leituras.

    ResponderExcluir
  21. Um dia foi algo terrível e traumatizante para mim, esse livro pelo jeito seguiria o mesmo caminho. Tinha tudo para ser um ótimo livro, mas para mim não rola nesse momento.

    ResponderExcluir
  22. OLA gostei da sua resenha
    mostra o livro como ele é sem floreios
    realmente deve ter sido dificil ler um livro com tantas paginas tendo que aturas dialogos inuteis .mas a sua resenha não é primeira que vejo mostrando essa maneira lenta o autor narra o livro .
    não fiquei com vontade de ler o livro ,quem sabe um dia ...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada! A gente tem que ser sincero né.
      Mas eu sou do tipo que acha que mesmo assim as pessoas podem dar uma oportunidade pra tirar as próprias conclusões. A gente fica com pouca vontade de ler mesmo ao se deparar com uma resenha tão negativa, mas...

      Excluir
  23. Já encomendei esse livro e tô ansiosa pra ele chegar...Quero começar ler logo :)

    ResponderExcluir
  24. Oi, Ana
    Não vou querer ler não
    Acho a narrativa do David Nicholls muito ruim kkk arrastada ao extremo.
    E também a história bem mais do mesmo.
    Bjs

    ResponderExcluir