Marrom e Amarelo | Paulo Scott


Um clássico retrato do racismo brasileiro, Marrom e Amarelo narra a história de dois irmãos gaúchos muito diferentes não só em suas personalidades intensas, mas também na aparência física. Lourenço, é um negro, charmoso, modelo e jogador de basquete, a extroversão em pessoa. Enquanto seu irmão mais velho, Federico, é pardo, introspectivo, mas muito inteligente e comprometido com causas sociais. Com certa pitada regional, o autor conta anos e causos da vida desses irmãos, que têm uma relação digna de novela das nove. 

No começo da trama, conhecemos um Federico em primeiro ponto de vista, morador de Brasília e membro de uma comissão que decidirá o futuro das cotas raciais no ingresso de universidades públicas nacionais. Esse começo político, é sem dúvidas a melhor parte do livro. Discussões e diálogos muito bem construídos mostra como a atual capital do Brasil é um centro de disputas de interesses pessoais e de partidos políticos, bem diferente do que deveria ser o lugar onde os rumos do país são tomados. Dotado de muita sabedoria, Federico defende suas opiniões e tem colegas igualmente brilhantes, o que tornam essas primeiras páginas um prato cheio para os amantes de política. 

Entretanto, páginas depois, a narrativa começa a mesclar o passado e o futuro de Federico, nos levando entre Porto Alegre e Brasília diversas vezes. Talvez por isso, ganhamos confusões temporais em meio a diálogos construídos sem pontuação indicativa (travessões ou aspas, por exemplo). Confesso que tinha expectativas menos fictícias com esta leitura, mas mesmo assim, ainda não sabendo exatamente onde estava na cronologia da vida de Federico, consegui aproveitar e entender um pouco sobre a rotina de negros e mestiços no Sul do Brasil. Realidade que certamente não era fácil em 1980 e não é em 2020. 

Apesar dos dois protagonistas homens, diversas passagens sobre casos de racismo e muitas partes onde a polícia militar vira a estrela da cena, o livro têm mulheres icônicas. A filha de Lourenço, Roberta, é uma ativista ferrenha com um dom para atrair confusões com a polícia a mesma medida que transforma a realidade a sua volta. A ex (não tão ex assim) de Federico, Bárbara, em cada linha traz a sensualidade e sensatez de uma psicóloga brilhante. 

Com um final inconclusivo, mas muito emocionante, me despedi da escrita de Paulo. Muito diferente do que estava acostumada, mas certamente carrega seu brilhantismo. Como negra, sinto que não foi uma obra sobre racismo que me trouxe novos insights, mas aos que começaram a enxergar o racismo e seus malefícios há pouco, certamente será uma leitura rica e emocionante.

Título Original: Marrom e Amarelo ✦ Autor: Paulo Scott
Páginas: 160 ✦ Editora: Companhia das Letras
Livro recebido em parceria com a editora

Postar um comentário

9 Comentários

  1. Interessante! Meio confuso mas ainda assim interessante.
    Com certeza essa falta de pontuações e linha temporal deve ser importante para a história mas para mim deixa tudo meio sem nexo

    ResponderExcluir
  2. My!
    Fiquei imaginando tada a ambientação, porque o RS teve colonização europeia e a amaioria das pessoas são brancas, então, fez todo sentido trazer a controversa do racismo em um estado como este.
    Realmente é difícil quando não tem aspas ou travessões para designar os diálogos.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  3. Confesso que ainda não tinha lido ou visto nada sobre esse livro,mas é tão comum situações assim né? É só ligar a tv e a gente se depara com pais relatando os fatos sobre terem filhos,muitas vezes, gêmeos diferentes na cor, personalidade, que sofrem diariamente seja pelo preconceito, pelo rotular.
    E o mais gostoso, é literatura nacional e eu amo tudo isso!!!
    Com certeza, se tiver oportunidade, quero muito ler!!!
    Beijo

    Angela Cunha Gabriel/Rubro Rosa/O Vazio na Flor

    ResponderExcluir
  4. "Centro de disputas de interesses pessoais e de partidos políticos" isso é um abuso, nem me lembre.. As vezes também fico confusa quando alternam muito as narrativas e não indicam ou quando fazem isso com a ordem cronológica. Isso acaba até atrapalhando a leitura um pouco, mas depois pego o jeito. Acho muito bom o fato de vocês sempre trazerem livros com essa temática.
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Uau, que premissa mais interessante! Só do seu parágrafo já deu pra ver que eles são extremamente diferentes. Não sei se é um livro que vai precisamente falar sobre o tema, mas só de saber que se trata de algo assim já é o bastante para o início de uma discussão essencial na nossa sociedade, né? Ainda mais quando você disse que para quem não tem conhecimento sobre o tema, o livro traz informações novas.

    ResponderExcluir
  6. Nossa, que interessante. E super atual. Aliás, falar sobre racismo é imprescindível em qualquer tempo. Porque ele existe, mas fica sempre muito bem tapado.
    Bom conhecer personagens que são tão reais. Mas fiquei curiosa em saber alguma coisa mais sobre o Lourenço.

    ResponderExcluir
  7. Que livro maravilhoso!! Amei ver que esse livro retrata bem a realidade do Brasil. Retratar temas significativos num livro é de extrema importancia, ainda mais quando se é um livro que se passa no Brasil!

    ResponderExcluir
  8. Ola
    Náo conhecia essa obra e que bom que traz um tema super atual e necessario que é o racismo .
    Infelizmente isso náo acabou e ler livros com esse teor so nos ajuda a compreender melhor essa luta que ja deveria ter terminado .porque somos todos iguais.temos o mesmo valor .

    ResponderExcluir
  9. Olá! Parece ser um enredo bastante atual, mesmo parecendo um pouco confusa, gosto dessa mistura de passado e presente, acho que nesse caso, é possível perceber, que infelizmente há muitas coisas que ainda precisam mudar e melhorar.

    ResponderExcluir