Cinema: Pai em Dobro

Imagem: Divulgação Netflix

Quando eu era bem novinha, eu amava os livros da Thalita Rebouças. Fala sério, mãe! era minha paixão, eu morria de rir com as situações em que a protagonista se enfiava. Isso é só pra vocês entenderem há quanto tempo essa autora está no mercado. O filme Pai em Dobro é baseado no livro homônimo, que foi lançado em novembro de 2020. Só para vocês terem ideia, a adaptação foi negociada antes da publicação da obra, não é incrível?

Na trama, acompanhamos o dilema da jovem Vicenza (Maisa), que acabou de fazer 18 anos e não sabe quem é seu pai. Ela vive em uma comunidade hippie no interior do Rio de Janeiro com sua mãe, Raion (Laila Zaid), que resolve fazer um retiro na Índia, dando a oportunidade perfeita para a filha fugir para Santa Tereza para se encontrar com Paco (Eduardo Moscovis), que ela desconfia que seja o homem que procura. Acontece que, no meio do caminho, ela descobre a existência de Giovanne (Marcelo Médici), que também pode ser seu pai.

Pai em Dobro tem tudo o que eu gosto num filme. Primeiro a atmosfera Sessão da Tarde, que é típica de enredos leves e divertidos, com personagens que cativam e conversam com a trama. Depois, tudo tem um ar de contos de fada, sabem? A protagonista se envolve em diversas confusões, mas não há nada que ela não consiga resolver num piscar de olhos, não existe nada que não tenha solução para ela. Além disso, é claro, temos o final feliz clássico, mas com um ensinamento a mais. 

Imagem: Divulgação Netflix

A trama fala muito sobre o conceito de família e deixa claro desde o início que Vicenza tem vontade de conhecer o pai por curiosidade, não porque acredita que precisa dele para sua família ser completa. Inclusive, temos muito disso no filme inteiro! Por exemplo, Cadu (Pedro Ottoni) perdeu os pais e vive bem feliz com o avô Arthur (Roberto Bonfim). Eles administram uma espécie de pousada, onde acaba que todo mundo que divide aquele espaço é uma família! E, obviamente, o próprio título do filme já diz tudo, né? Tá tudo bem também ter dois pais, duas mães, ou... Dois pais e uma mãe! rs

Uma das coisas que eu mais gostei foi o fato do plano de fundo do filme inteiro ser o Rio de Janeiro em pleno Carnaval à moda antiga, sabem? Eu particularmente achei a fotografia linda demais, me deu uma saudade danada de poder sair pra aglomerar... E só de pensar que esse ano não teremos esse privilégio me dá uma pontinha de tristeza, mas seguimos firmes! Ao mesmo tempo, só de ter contato com um enredo tão leve, livro de preocupações extremas e que eleva o astral de qualquer pessoa que assista, fico feliz, hahaha.

E por falar em alto astral, eu descobri que sou apaixonada pela Maisa sim! É muito interessante acompanhar uma pessoa desde a infância e ver claramente sua evolução. Para mim ficou muito claro o quanto a atriz se divertiu fazendo esse papel e isso é muito importante, porque deu vida à personagem. Eduardo Moscovis e Marcelo Médici, que já são muito experientes com seus muitos anos de carreira, cumprem direitinho as expectativas e participam da maioria das cenas mais emocionantes do filme. Mas eu gostei particularmente de Pedro Ottoni, que interpreta o par romântico da personagem principal, porque ele é muito divertido e inteligente — e me lembrou muito o meu namorado, que coincidentemente se chama Cadu! Ah, também tem a Fafá de Belém, gente, eu amei!

Imagem: Divulgação Netflix

O plot é bem óbvio, nada diferente do que eu esperava, mas eu gostei mesmo assim. Sou bem suspeita para falar, porque eu adoro essas situações em que a gente sabe que vai dar errado e fica só esperando a bomba explodir. Mas nossa, o que eu mais amei foi o final, adorei como a Thalita Rebouças explorou o amor familiar além dos laços sanguíneos... Até porque a gente sabe que ter o mesmo sangue que uma pessoa nem sempre significa alguma coisa, né?

Ah, eu também adorei a trilha sonora — mais nacional impossível, amo —, não consigo imaginar nenhuma outra que combinasse tão bem com esse filme, com a "moral" que ele passa. Tem Tiago Iorc, Rubel e Anavitória, Marcelo Jeneci, Lulu Santos... Só sei que indico demais, principalmente se vocês forem como eu no gosto para filmes (qualquer coisa que seja possível passar na Sessão da Tarde mesmo).

Postar um comentário

13 Comentários

  1. Oi Ana,
    Também curto muito a Maísa e também Eduardo Moscovis e Marcelo Médici.
    É o tipo de filme bom pta assistir depois de um dia cheio não é?
    Vi uma crítica ao filme, em que, a pessoa ficou incomodada com uma questão que aparece no filme...depois te conto....

    ResponderExcluir
  2. que delícia saber que esse filme é tão bom! Estou vendo só comentários positivos, um filme que realmente faz bem em assistir. Não sou uma pessoa de filmes, mas sempre que a gente vê ótimas indicações bate logo a curiosidade né? Com certeza vou ver em algum momento.

    ResponderExcluir
  3. Eu nunca li nada da Thalita, mas vou te contar, acho que todos os filmes baseados em obras dela, eu vi rs e sempre gostei muito.
    Engraçado é associar Maísa a essas adaptações rs e sim, Maísa evoluiu muito, cresceu como atriz de uma maneira grandiosa.
    É um filme leve, divertido, triste e com essa trilha sonora e fotografia lindas!!
    Super recomendado a toda família sim!!
    Beijo

    Angela Cunha Gabriel/Rubro Rosa/O Vazio na Flor

    ResponderExcluir
  4. Oi, Ana
    Ah que lindo, o trailer dá a impressão de que o filme é bem fofo. Além de abordar é claro os laços familiares e a amizade.
    Muito legal que fica claro que a personagem não precisa do pai para ter família completa, ela que apenas conhecer quem ele é.
    Ainda não assisti, porém quero muito e depois da sua crítica penso que tenho que assistir logo.
    Não li nada da autora, quero muito poder ler algum livro dela. Adoro o elenco que atua nos filme a Maisa, Eduardo Moscovis, Marcelo Médici e Fafá de Belém.
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Olá Ana Clara!
    Quem não curte os filmes estilos sessão da tarde nem é gente hahaha. Fiquei sabendo esses dias que tinha livro desse filme também, realmente só tinha ouvido falar da adaptação. Apesar de assistir muitos filmes das obras da Talita, eu nunca li nenhuma, preciso mudar isso. Um filme com essa mensagem sobre a família e ainda mais sendo uma obra nacional é muito gratificante de assistir, aquece o coraçãozinho mesmo <3.
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Eu acho que não vi nada da maisa ainda de filme, preciso mudar isso, porque adoro acompanhar ela em rede social. Da Thalita Rebouças li um conto, nao lembro qual, mas lembro que nao tinha curtido tanto porque achei que não era tanto pra minha idade aquilo ali mais, bem especifico a escrita dela. Mas acho que vou ver essa adaptação!

    ResponderExcluir
  7. Olá,

    Confesso que nunca li nada da Thalita, apesar de ter alguns na minha lista kkkk
    Estou com muita vontade de assistir esse filme, pq gosto muito do elenco e parece ser bem leve, já quero!
    Não sabia que a trilha sonora era tão maravilhosa.

    ResponderExcluir
  8. Ola . ainda não li nada dessa autora ,não senti vontade de ler os livros dela e nem sabia desse filme . gosto muito do Eduardo Moscovis e a Maisa conquistou seu espaço por causa do talento dela e isso é muito bom de ver .

    ResponderExcluir
  9. Olá! Também gosto muito dos filmes estilo sessão da tarde, acho que a certeza de um final feliz, é um ótimo item para embarcarmos em um filme (ou livro), confesso que nunca li nada da autora, mas acredito que suas obras sejam bem gostosas de serem lidas, o filme parece ser muito divertido e passa um mensagem muito bacana e necessária.

    ResponderExcluir
  10. Amo filmes com estilo sessão da tarde, é tão fofinho!
    Nunca li nada da autora, mas bem sei o quão incrível ela é e talentosa também!

    ResponderExcluir
  11. Achei legal a premissa do filme mesmo com esse clichêzinho dele. O elenco me chamou atenção e acho legal ver a Maisa protagonizando porque também vi a menina crescer e é sempre interessante isso de você vê a pessoa fazendo novas coisas. E por ser livro também chama atenção mesmo. Legal isso de como foi pra ser adaptado. A história é bonita e gostei também do carnaval aí no meio, dá aquele clima mais festivo e gostoso e o filme mesmo falando de umas questões mais sérias e do coração ainda fica com aquele jeitinho brasileiro que a gente ama. Muito bom.

    ResponderExcluir
  12. Oi, miga. Eu vi o trailer desse filme e já achei bem fofo e também fiquei com essa impressão de Sessão da Tarde. Parece que hoje em dia não há tantos filmes bons com esse clima.

    Adorei esse elenco e o plot, na verdade me lembrou um pouco Mama Mia, sabe? De certa forma é bem parecido, mas com esse clima brasileiro.

    Silviane, blog kzmirobooks.com• Siga no Instagram: @kzmirobooks

    ResponderExcluir
  13. Oiiie,
    Amiga eu não sou muito de assistir filmes brasileiros, não sei porque.. Mas esse parece ter uma vibe bem legal e divertida. A Maísa é incrível, acompanhei a carreira dela desde que começou apresentar o bom e companhia, amava tanto.. haha
    Talvez eu veja esse filme, em algum momento.

    Blog: Tempos Literários

    ResponderExcluir