O Talentoso Ripley | Patricia Highsmith


Tom Ripley é um trambiqueiro. Não tem outra palavra pra descrever. Ele sobrevive de golpe em golpe. Forja documentos e até personalidades, um imitador A+ (se você retirar o aspecto moral e ético da equação rsrs). Num dia em um bar qualquer, um milionário aparece atrás de Ripley, chamado Greenleaf, ele acredita que Tom é melhor amigo do seu filho Dickie (não é). Tom, obviamente entra na jogada e Greenleaf oferece uma viagem toda bancada até a Europa para convencer que Dickie volte pra casa.

Quando Ripley chega na Itália encontra Dickie e Marge e os três criam um vínculo sincero de amizade (sem ironias), mas Ripley se torna completamente obcecado por Dickie, quase literalmente virando ele, lembra que eu falei que Tom é um ótimo imitador? Mas Dickie começa a rejeitar Ripley e isso gera conflitos que... Podem custar vidas.

Costumam dizer por aí que Tom Ripley é um sociopata/psicopata, ou seja, teria o transtorno antissocial. Mas ele tem emoções, ele as sente e até oscila bastante de humor durante a leitura. E ele não se encaixa nas características. Algum transtorno o personagem, com certeza, tem, mas não o que todo mundo acha que todo mundo tem. Um apelo: parem de dizer que todo mundo é psicopata.

Ele é um personagem extremamente complexo, e considerando a primeira vez que o livro foi publicado, a autora foi bem ousada. Ela debate alguns assuntos que na década de 50 eram absurdos. E até hoje né. Ripley tem baixa autoestima e pouco dinheiro, mas ele tem gostos caros. Quando conhece Dickie, ele tem a oportunidade de ser alguém que ele não é. Rico, confiante, feliz, livre.

A narrativa às vezes fica bem lenta, não tem como mentir, mas como eu falei, a história é antiga, a escrita às vezes é antiga também, mas eu acredito que a tradução fez um ótimo trabalho em adaptar a linguagem que poderia ser antiquada se levada ao pé da letra da primeira edição.

Tom rouba não só identidade, vidas e dinheiro, mas a atenção do leitor que precisa entender quem é esse cara. Principalmente quando ele é uma contradição ambulante. É um livro introdutório de uma série de Patrícia Highsmith, que criou Ripley, um personagem que inspirou tantos outros "sociopatas" charmosos e sangrentos.

O Talentoso Ripley vale a pena, não desista do ritmo lento no início da leitura!

Título Original: The Talented Mr. Ripley ✦ Autora: Patricia Highsmith
Páginas: 336 ✦ Tradução: José Francisco Botelho ✦ Editora: Intrínseca
Livro recebido em parceria com a editora

Postar um comentário

9 Comentários

  1. Quero mutio ler esse livro mas confesso que a sequencia dele eu nao tenha tanta intenção em continuar a ler.
    E ja vi que é um libro 8 ou 80, amam ou odeiam.
    Espero gostar!

    ResponderExcluir
  2. Eu pretendo não desistir quando puder ler!!!Eu vi o filme há muito tempo e isso de torcer pelo lado malvado da história é sempre tão natural rs
    Não passando a mão na cabeça do erro,mas certamente torcendo para que Ripley se safe o quanto antes.
    Com certeza, pretendo ler esse e os demais que forem lançados!
    Beijo

    Angela Cunha Gabriel/Rubro Rosa/O Vazio na flor

    ResponderExcluir
  3. Tive meu primeiro contato com Patricia com Em Águas Profundas. Foi uma leitura interessante ainda que o final não tenha me agradado tanto.
    Conheço apenas o Ripley do cinema e este é fascinante. Com certeza o do livro é ainda mais fascinante e completo

    ResponderExcluir
  4. O que eu adoro nos blogs literários é que em alguns momentos todo mundo tá comentando sobre o mesmo livro, assim eu vejo várias opiniões e consigo fazer comparações, quem gostou mais do quê... e esse livro é justamente o escolhido da vez.
    Não vi nenhum dizendo que não gostou e isso é excelente! Eu gosto muito desse tipo de personagem, por mais que já vi dizendo que não chega ao ponto de você torcer por ele, mas que você consegue desenvolver a leitura.

    ResponderExcluir
  5. Olá
    Eu tenho esse livro mas com o título O sol por testemunha
    Tom é um personagem bem complexo mas acredito que ele é um trambiqueiro que quer se dar bem na vida não importa os meios que utiliza para isso .
    Bjs

    ResponderExcluir
  6. Ana!
    Não tive oportunidade de fazer a leitura do livro ainda, mas já assisti o filme.
    Ripley é uma total incógnita e completamente conquistador, não tem quem não se encante pela personalidade destemida e atrevida dele.
    Mesmo com o caráter duvidoso, acredito que vale a leitura.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  7. Olá Ana Gabriela!
    Ripley parece ser o personagem que a gente adora odiar, mas que faz o leitor questionar seu modo de ser também. Fiquei curiosa pra saber se toda essa farsa vai acabar sendo descoberta ou ele vai se dar bem nesse caso. Bem pontuado sobre hoje toda pessoa com um comportamento fora do "normal" ser tachado como psicopata, isso deve ser tratado com seriedade pois é um problema bem real.
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Olá! Ripley parece ser um personagem bastante complexo, e acredito que isso é o que torna a leitura tão bacana, ainda mais sabendo que o livro foi escrito em uma época em que muitos dos assuntos abordados no livro não eram muito falados né.

    ResponderExcluir
  9. Oiiie,
    Eu já li um livro da autora e não gostei tanto assim, achei a escrita bem lenta.. Eu achei esse livro bem interessante, talvez eu der mais uma chance para autora.

    Beijocas:
    Tempos Literários

    ResponderExcluir