8 de janeiro de 2017

As Decepções Literárias de 2016


Apesar de 2016 ter sido um ano de ótimas leituras, ainda tive algumas poucas decepções, principalmente comparando com a quantidade de livros maravilhosos que li. Eu gosto sempre de frisar que o fato de eu não ter gostado de determinado livro não significa que ele seja ruim. A minha opinião pode ser diferente da de vocês, então é sempre bom tirar as suas próprias conclusões. 

Lonely Hearts Club
Elizabeth Eulberg
Editora Intrínseca

Penny Lane Bloom cansou de tentar, cansou de ser magoada e decidiu: homens são o inimigo. Exceto, claro, os únicos quatro caras que nunca decepcionam uma garota — John, Paul, George e Ringo. E foi justamente nos Beatles que ela encontrou uma resposta à altura de sua indignação: Penny é fundadora e única afiliada do Lonely Hearts Club — o lugar certo para uma mulher que não precisa de namorados idiotas para ser feliz. Lá, ela sempre estará em primeiro lugar, e eles não são nem um pouco bem-vindos. O clube, é claro, vira o centro das atenções na escola McKinley. Penny, ao que tudo indica, não é a única aluna farta de ver as amigas mudarem completamente (quase sempre, para pior) só para agradar aos namorados, e de constatar que eles, na verdade, não estão nem aí. Agora, todas querem fazer parte do Lonely Hearts Club, e Penny é idolatrada por dezenas de meninas que não querem enxergar um namorado nem a quilômetros de distância. Jamais. Seja quem for. Mas será, realmente, que nenhum carinha vale a pena?

Li esse livro por motivos óbvios, sou louca por Beatles. Apesar de ter várias referências ao quarteto, o livro não tem nada a ver com a banda em si. O problema na verdade nem foi esse, o que me incomodou foi a infantilidade da personagem principal e da história em si. É claro que existem homens babacas, mas precisa fundar um clube contra eles?

Sarah Hammond
Editora Galera Júnior

Mikey Baxter tem 14 anos, mas muitas coisas o diferenciam dos outros garotos da sua idade. Para começar, o pai está na prisão e a mãe se recusa a falar sobre o assunto. Ele sabe que, de alguma forma, isso está ligado à cicatriz em sua cabeça e ao fato de ele parecer ter mais dificuldade em entender certos assuntos do que os outros. Quando um misterioso assassinato ocorre em sua cidade e Mikey é o primeiro a chegar à cena do crime, ele não sabe o que pensar. O que o levou até ali? Quem teria matado o morador de rua da cidade, que parecia nunca ter feito mal a ninguém? E quem era o homem caipira que estava nos arredores? 

Este é aquele tipo de livro que tem tudo para ser bom, mas foi mal desenvolvido. A história de Mikey, a partir de certo momento, não soa nada convincente e a narração não ajuda muito na fluidez. Além do mais, apesar de ter problemas psicológicos, o personagem parece ter cinco anos, não 14. Tudo isso fez a obra perder alguns pontos na minha avaliação pessoal. 

Alexandre Marques Rodrigues
Editora Record

Um ousado romance do mesmo autor de ''Parafilias''. Em ''Entropia'', Alexandre Marques Rodrigues mais uma vez mostra pleno domínio das técnicas narrativas: em um ousado romance, o autor se emaranha por toda a complexidade de seus personagens, em um enredo que se desconcentra na ideia, concretizada ou não, de viagem, de procura (ou será de fuga?) de si mesmo ou do corpo enterrado da mãe. Tudo cumprido, Alexandre Marques Rodrigues vai muito além. O jogo de identidades entre personagens – que perturba o leitor tanto quanto lhe impõe investigá-los, decifrá-los, mapeá-los, confirmá-los a cada página – é caso muito sério, ocasião em que a literatura capta o espírito dissolvido de um tempo sem que da engenharia do escritor se ouça o mais mínimo ruído.

Eis aqui um livro do qual entendi vários nada. Primeiro porque a narração é extremamente confusa, até pra lá da metade do livro não sabia quem estava falando o quê. Sim, eu entendo que o livro foi escrito para tirar a gente da zona de conforto, mas no meu caso foi demais. Ah, além disso, todas as frases começavam com letra minúscula e meu Deus, eu quase morri com isso. 

Ron Bass & Adrienne Sto
Editora Galera Record

Um thriller psicológico eletrizante, do roteirista de Rain Man e O casamento do meu melhor amigo. Sloane é uma aluna nota 10, com uma grande e amorosa família. Maggie vive uma existência glamorosa e independente, como aspirante a atriz em Nova York. As duas não poderiam ser mais diferentes. A não ser por um pequeno detalhe, algo que não têm coragem de revelar a ninguém. À noite, cada uma sonha que é a outra. Os sonhos são tão vívidos que as garotas sentem e experimentam o que a outra está passando naquele momento. Seriam as duas reais? Uma delas estaria mentalmente instável e imaginando a outra? Seriam ambas a mesma pessoa? Qual delas é real?

Outro livro que, na minha opinião, foi mal aproveitado. Além da narrativa super lenta, você não sabe em quem acreditar. Também, para mim, foi classificado erroneamente. Lúcida está muito mais para YA do que thriller psicológico e para mim os fatos não foram nada esclarecidos. 

Como puderam perceber, pouquíssimos dos livros que eu li receberam nota menor do que três e isso me deixou extremamente feliz. Espero que o ano de vocês também tenha sido de ótimas leituras em sua maioria. Já leram algum desses? Quais foram as piores leituras de vocês no ano passado?

14 comentários:

  1. Oi Ana! Não li nenhum dos livros que você citou, mas fiquei decepcionada ao saber que Lúcida e Lonely Hearts Club não cumprem bem o que prometem na sinopse! Esses eram dois livros que eu estava louca pra ler! Não tive muitas leituras ruins em 2016, mas lembro que li um livro que encontrei na biblioteca da Faculdade que apesar da capa ótima era um tédio absoluto, além de confuso e cansativo, chamado Os Valorosos (tão ruim que nem lembro o autor) . Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Oi Ana, eu estava colocando fé no livro Lúcida. Desde o lançamento que eu estou de olho nesse livro. Será que vou me decepcionar também?
    Depois te conto.
    Beijos
    Quanto Mais Livros Melhor

    ResponderExcluir
  3. olá Ana!!!
    Ainda não li nenhum desses citados e também nunca li nenhuma resenha a não Lúcida e realmente gostei da resenha mais vamos ver se consigo ler e ver o que eu achei legal,acredito que os livros desse ano venham a melhorar.
    Até mais.

    ResponderExcluir
  4. Eu fiquei bem curiosa para ler lúcida. No geral 2016 foi muito bom de livros. Uma decepção foi O Safado do 105, da Mila Wander, não curti o livro e nem consegui terminar de ler

    ResponderExcluir
  5. Ana!
    Não li nenhum dos livros, mas tinha muita vontade de ler Lúcida, porém com sua avaliação como uma das piores do ano, vou deixar para depois, quando não tiver outras leituras melhores para fazer.
    “O silêncio é de ouro e muitas vezes é resposta.” (Sabedoria popular)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de JANEIRO dos nacionais, livros + BRINDES e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  6. Não li nenhum dos livros citados, não consigo me lembrar de algum livro que li esse ano e não gostei, mas acho que passei tantos anos tentando terminar o livro Um Dia que nem lembro quando decidi abandonar de vez 😂😂😂

    ResponderExcluir
  7. Nossa, que pena que Lúcida está entre suas decepções literárias! Eu estava com expectativas altas quanto a esse livro, estava louca para lê-lo. Uma pena que não cumpre com o que promete e ainda deixa pontas soltas. Que esse ano suas leituras sejam bem menos decepcionantes!

    Um abraço!
    Parágrafos & Travessões

    ResponderExcluir
  8. Oi Ana, tudo bem?
    Não li nenhum desses livros, mas que bom que foram poucos. Eu tive duas leituras em 2016 que acabei abandonando mas o restante foi incrível *-*
    Beijos!
    Lost Words

    ResponderExcluir
  9. Não li muitas coisas em 2016 pois estive focada em meus estudos mas teve um box da Marvel que eu gostei mais pela capa do que a sinopse em si. Era um tipo de gênero literário totalmente diferente do que eu leio e gosto, mas quis sair um pouco da zona de conforto mas a experiência não foi boa pois desisti da leitura pois não entedia nada mesmo, muito menos os personagens e seus poderes. Mas enfim, tem livros que não é totalmente agradável pra gente haha.

    ResponderExcluir
  10. Oi, Ana!!
    Não li nenhum livro desses que você citou!! Mas fiquei muito triste por que queria muito comprar o livro Lúcida, mas infelizmente essa não é a primeira vez que vi pessoas resenhado esse livro e que não gostaram de vários pontos da história.
    Beijoss

    ResponderExcluir
  11. Dos livros citados tinha interesse em ler Lúcida, mas agora me desanimei, pois adoro thriller psicológico, mas não é né e nem gosto de narrativa lenta.
    Minhas decepções foram: Dez coisas que aprendi com o amor achei bobinho, Destinado achei um livro desnecessário e Caixa de Pássaros que até que gostei mas fiquei frustrada com o final.

    ResponderExcluir
  12. Tenho o mesmo pensamento que você. Mesmo se um livro não funcionou para uma pessoa, não quer dizer que para a outra também não vai funcionar. É cada um com seu gosto e pronto. Lúcida eu ainda não mas eu quero ler, espero que para mim funcione.
    A maioria das minha leituras foram boas. Uma que não deu muito certo foi Simplesmente Ana.

    ResponderExcluir
  13. Esse ano que passou não foi de muita leitura para mim, mas o livro que menos gostei foi Noturno - Renascer de John Felix, eu esperava tanto pelo livro, mas quando fui ler acabei me decepcionando porque pela resenha eu pensava que ia ser super intenso, mas no final das contas achei ele meio chato. Talvez se eu não tivesse criado muita expectativa ia ter sido melhor.

    ResponderExcluir
  14. Oi!
    Ainda não li nenhum desses livros, pensando agora não lembro de um livro que tenha me decepcionando muito esse ano, pois a maioria que peguei para ler já tinha lido alguma resenha ou pegado alguma indicação e são os tipos de livros que gosto de ler, também espero que esse ano não me decepcione com minhas leituras !!

    ResponderExcluir

 
Layout feito por Vinícios Costa | Todos os direitos reservados ©