28 de outubro de 2018

Resenha: Mas Tem Que Ser Mesmo Para Sempre?

De uma forma divertida, Sophie Kinsella nos mostra que as pessoas que mais conhecemos são aquelas que também mais podem nos surpreender.
Juntos há dez anos, Sylvie e Dan compartilham todas as características de uma vida feliz: uma bela casa, bons empregos, duas filhas lindas, além de um relacionamento tão simbiótico que eles nem chegam a completar suas frases – um sempre termina a fala do outro.
No entanto, quando os dois vão ao médico um dia, ouvem que sua saúde é tão boa que provavelmente vão viver mais uns 68 anos juntos... e é aí que o pânico se instala. Eles nunca imaginaram que o “até que a morte nos separe” pudesse significar sete décadas de convivência. Em nome da sobrevivência do casamento, eles rapidamente bolam um plano para manter acesa a chama da paixão: de um jeito criativo e dinâmico, passam a fazer pequenas surpresas mútuas, a fim de que seus anos (extras) juntos nunca se tornem um tédio.
Porém, assim que o Projeto Surpresa é colocado em prática, contratempos acontecem e segredos vêm à tona, o que ameaça sua relação aparentemente inabalável. Quando um escândalo do passado é revelado e algumas importantes verdades não ditas são questionadas, os dois – que antes tinhas certeza de se conhecerem melhor do que ninguém – começam a se perguntar: Quem é essa pessoa de verdade?...”.
Um livro espirituoso e emocionante que esmiúça os meandros do casamento e que demonstra como aqueles que amamos e achamos que conhecemos muito bem são os que mais podem nos surpreender.

Título Original: Surprise Me
Autora: Sophie Kinsella
Páginas: 378
Tradução: Raquel Zampil
Editora: Record
Livro recebido em parceria com a editora

Casados há sete anos e juntos há dez, Sylvie e Dan são o tipo de casal perfeito que sabe tudo um sobre o outro. Eles não precisam nem terminar suas frases para saber o que vão dizer e conseguem antecipar cada pensamento e movimento de seu parceiro. Não que parecesse possível, mas eles ficaram ainda mais próximos após terem gêmeas (que agora já têm 5 anos). Após irem ao médico para verificar se estava tudo bem, se assustam com a possibilidade de ainda passarem mais 68 anos juntos.

Sempre fomos assim tão sensitivos? Tão em sintonia um com o outro? Não tenho certeza. Acho que mudamos depois que tivemos as meninas. No caso de gêmeos, os pais ficam juntos na mesma trincheira. Cuidam das mamadas, trocam fraldas, ninam, passam bebês de um para o outro, fazendo um rodízio, 24 horas por dia. Aprimoram as rotinas. Não jogam conversa fora. Quando eu estava amamentando Anna e Tessa, e exausta até para falar, Dan podia adivinhar só pela minha expressão facial qual das opções abaixo eu queria comunicar [...]

Pedi Mas Tem Que Ser Mesmo Para Sempre? pois o último livro que li da autora, Minha Vida (Não Tão) Perfeita, teve um começo fraco, mas me prendeu muito da metade para frente. Realmente esperava que, apesar da sinopse clichê, a nova obra da autora me divertisse e me prendesse como a segunda metade do último livro que li. Infelizmente, para mim, a leitura foi extremamente lenta do começo ao fim. O livro não deixa de ser leve, e pode sim divertir alguns, mas pelo meu ponto de vista a história foi um tanto entediante e por vezes difícil de ler, pela maturidade dos personagens.

Ao descobrirem que ainda terão um longo caminho juntos, Sylvie e Dan começam a se preocupar em como farão para que o casamento continue interessante. A mulher dá a ideia de eles se surpreenderem, cada um deve fazer algo para surpreender o outro. As surpresas acabam não dando muito certo e segredos acabam sendo revelados ao longo da trama.

Dan disse que não podia se jogar assim, de uma hora para outra, em um programa de surpresas para mim – ele precisava de tempo para pensar primeiro. Então tivemos uma semana para nos preparar. Está sendo um pouco como o Natal. Sei que ele está tramando alguma coisa porque tem passado muito tempo no Google. Já eu tenho me dedicado totalmente ao projeto. Totalmente! Tenho um caderno dedicado só a isso, identificado com a etiqueta Projeto Me Surpreenda. Ele não faz ideia do que o aguarda.

Apesar de ser só uma narrativa, eu acredito sinceramente que nenhum casal é tão perfeito como a autora retrata no começo do livro, e isso me incomoda. Não que não existam casais que se entendam e conheçam os gostos um do outro, mas a sincronia dos personagens é um tanto forçada. Sem contar que, ao descobrirem que ainda teriam muitos anos para passarem juntos, eles se esqueceram completamente de viver o presente e começaram a fazer contas e planos que só pioraram a situação, se preocuparam tanto com o futuro que simplesmente se esqueceram que era apenas uma estimativa e não é possível saber exatamente quanto tempo viveremos..

Apesar de já estarem juntos há tanto tempo e terem uma família construída e uma vida adulta, o ponto de vista e a forma de pensar dos personagens me pareceu um tanto infantil. Após as surpresas começarem a atitude deles muda um pouco e eles percebem que não são tão perfeitos quanto pensavam, mas ainda assim suas atitudes não me agradaram. Percebemos sim uma evolução dos personagens e da sua forma de pensar e agir, mas o caminho que percorreram para essa mudança não me agradou. 

Eu esperava mais deste livro, não imaginei nada muito profundo, afinal, ao meu ver, os livros da autora em geral são bem descontraídos e um tanto clichês. Eu leria sim outra obra de Sophie Kinsella, mas acredito que o faria entre outras leituras e após ler a sinopse várias vezes para ter certeza de que os personagens não me cansariam logo nas primeiras páginas.

10 comentários:

  1. Amo os livros da Sophie Kinsella! Já li quase todos menos os da série Becky Bloom.
    Quando vi que Mas Tem Mesmo Que Ser Mesmo Para Sempre? fiquei super empolgada pois chick lit é um dos meus gêneros literários preferido mas sendo bem sincera não me empolguei com esse livro.
    Se ri? Ri mas não gargalhei como em outros livros, não parei de ler até terminar.
    Achei que Sylvie e Dan piraram demais e essa loucura de criar surpresas diárias achei sem pé nem cabeça.
    A tradução do título também achei que ficou a desejar.
    Agora é esperar o novo livro dela e o filme de Os Segredos de Emma Corrigan

    ResponderExcluir
  2. Ah, não tenho muito interesse nesse livro.
    Confesso que estou confusa, eles vão viver muito tempo, mas a relação deles tem mesmo que ser para sempre? Acho que a autora poderia ter trabalhado mais o título.
    Acho legal a ideia das surpresas, mas seria melhor se tivessem dado certo.

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Oi, Alê!!
    Gosto bastante dos livros da Sophie Kinsella, acho suas histórias leves e engraçadas. Mas infelizmente não senti vontade de ler os dois últimos livros que foram lançados foram Minha Vida (Não Tão) Perfeita e Mas Tem Que Ser Mesmo Para Sempre?, mas não quer dizer que não queira ler mais nada da autora.
    Bjos

    ResponderExcluir
  4. Minha pouca experiência com Sophie se resume apenas a Minha Vida Não Tão Perfeita, que sinceramente não curti nenhum pouco. E quando li as primeiras críticas deste novo trabalho da autora, entendi que ela foi pelo mesmo caminho de criar um enredo mais pro arrastado e nem tão com bom humor(marca registrada da autora).
    É uma pena, pois o enredo tinha tudo para ser dos melhores!
    Mesmo assim, se tiver oportunidade, quero sim, conferir este novo livro!
    Beijo

    ResponderExcluir
  5. Oi Alê!
    Te confesso que tenho vontade de ler esse livro mas não com tanta expectativa viu...
    Parece ser bom, mas devido alguns comentários negativos dei uma desanimada, mas quem sabe qdo surgir oportunidade eu curta...
    Bjs!

    ResponderExcluir
  6. Eu achei que seria um livro divertido.
    Não li o livro ainda mas já concordo com voce. Nenhum casal pode ser totalmente perfeito. kkkk

    ResponderExcluir
  7. Vou te dizer que livro dessa autora não acaba me chamando muita atenção pelo gênero . Não me dou tão bem assim com ele, umas coisas irritam e aí acabo nem tendo vontade de pegar algo do tipo. Esse não me chamou muita atenção. Mas a história até pode ser interessante pela coisa de casal, de mostrar as dificuldades de um relacionamento. Pelo visto tem muita coisa que dá errado sim, mas talvez sirva pra gente ver que nem tudo é perfeito e insistir não da tão certo as vezes? Não sei, me passou essa impressão. Isso das surpresas é muito desespero pra fazer algo funcionar, sei lá. Não acho que seria daquelas histórias que acabo gostando tanto mas também não tão ruim de ler. Leria se caísse em mãos , só que nao chama muita atenção mesmo.

    ResponderExcluir
  8. Não li nenhum livro da autora ainda, mas tenho vontade de conhecer, mas não seria por esse que parece ser sem graça, não tenho paciência com essas leituras arrastadas, e concordo com o casal perfeito ninguém é ainda mais um casal, todos tem seus defeitos e problemas, pena terem focado tanto nas surpresas e não no agora, deve ter ficado cansativo pra ler.

    ResponderExcluir
  9. Oi, Alê
    Ainda não li nada da autora.
    Confesso que a sinopse é boa, mas ao mesmo tempo que quero ler já não estou tão interessada em ler. Se um dia tiver oportunidade vou tentar ler e sem expectativas.
    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Oi Alê,
    li dois da Sophie, mas não gostei muito não.
    Achei bem bonitos.
    Porém, Mas têm que ser mesmo pra sempre, achei bem interessante, acho que vale pra repensarmos sobre relações duradoras e etc.
    Parece ser um livro mais adulto, não tão engraçado como os outros dela.
    bjs

    ResponderExcluir

 
Layout feito por Vinícios Costa editado por Silviane Casemiro | Todos os direitos reservados ©