A Saga Crepúsculo e algumas das suas problemáticas


Não é segredo para nenhum leitor do Roendo Livros que eu sou fã da saga Crepúsculo. Os livros protagonizados por Bella e Edward contribuíram imensamente para a minha vida de leitora, já que eles foram a porta de entrada para eu me tornar essa blogueira que vos fala hoje. 

Na época em que li pela primeira vez, o meu exemplo de homem passou a se tornar Edward Cullen e queria desesperadamente um romance como o deles. Queria alguém que cuidasse de mim como o Edward cuidava da Bella, alguém que me protegesse, que soubesse exatamente o que eu queria, que me tratasse com todo aquele cuidado. O que esperar de uma menina que passou a transição para adolescência toda lendo livros cujos envolvimentos românticos eram iguais aos que citei anteriormente? 

O meu eu de 13 anos não identificava os problemas presentes nessa história porque tudo o que ela via ao seu redor eram comportamentos muito parecidos com o que ela havia lido, então, para a Ana de 2008, aquilo ali era o normal. Hoje, aos 25 anos, consigo enxergar muitas coisas que não são tão legais assim e, mesmo como fã, mesmo que eu ainda goste da saga, acho de extrema importância falar um pouquinho sobre essas coisas com vocês. 

Acho que nada melhor que começar justamente falando sobre o fato de Edward ser tão obcecado pela Bella: primeiro querendo matá-la e depois, do nada, "perceber" que na verdade a amava incondicionalmente. Hoje em dia fico me perguntando como ela correspondeu aos sentimentos dele mesmo sabendo que o quão atraído ele se sentia pelo sangue dela... Eu ficaria aterrorizada, mas sendo Edward quem é, não consigo e nem estou em posição de julgar a Bella, mesmo se não houvesse toda aquela história dos vampiros naturalmente atraírem os humanos. Nesse contexto, consigo enxergar principalmente três coisas que me incomodam imensamente:

1. Edward entrando no quarto da Bella à noite enquanto ela dorme. Cheguei nessa parte em Sol da Meia-Noite e a justificativa que temos é que ele tinha medo do que poderia acontecer com a Bella enquanto ela dormia — como, por exemplo, cair um meteoro em cima dela ou algo do tipo. Para mim, nada justifica. É estranho, invasivo, assustador. Meu eu de 13 anos achava romântico, rs.

2. A quantidade de vezes que Edward literalmente manda a Bella fazer coisas simples, como comer ou vestir um agasalho. Foram só exemplos, mas o tempo todo ele tenta dizer o que ela deve ou não fazer. Ok, ele é um vampiro que lê mentes, mas não consegue ler a dela e não sabe como lidar com um ser humano tão frágil, mas ainda assim me irrita. Aqui também acho que pode entrar a questão de ele não deixar a Bella fazer nada sozinha por achar que ela vai se partir no meio. Aos 13 anos, achava que isso era cuidado.

3. Edward stalker psicótico maluco maníaco neurótico vigiando cada mísero passo da Bella pela mente das outras pessoas. Não preciso nem comentar, né?

Sinceramente esse GIF é T-U-D-O pra mim, nossa...
Esses pontos são até meio óbvios, mas já pararam para pensar no quanto a Bella era sufocada por basicamente todos os homens ao redor dela? Além de ficar quase todo tempo sob a mira do Edward, existiam os colegas da escola que, ao menos num primeiro momento, também não a deixavam em paz. Grande exemplo disso é quando ela fala que iria viajar no fim de semana do baile e ainda assim receber mil convites, mesmo os caras sabendo que ela iria viajar (o que, inclusive, gera uma rivalidade feminina totalmente sem necessidade, né?). O Charlie, pai da Bella, apesar de muito bonzinho, não parecia confiar 100% nela — vocês se lembram aquela parte em que ele desconecta os cabos da bateria da caminhonete porque jurava por Deus que ela ia tentar sair escondida à noite?

E por falar em outros homens, o que dizer do Jacob? Dá pra acreditar que aquele serumaninho fofo do primeiro volume se tornaria o mais escroto dos escrotos? Tudo bem, confesso que nunca fui muito fã do personagem de forma geral, então realmente posso ser bem injusta nesse quesito, mas não dá pra defender de forma alguma, por exemplo, ele beijando a Bella a força em Eclipse ou todos os abusos psicológicos que ele fazia para que a menina escolhesse ficar com ele. Ah, e para quem tem curiosidade em saber: sim, a Bella traiu o Edward naquele beijo super esquisito que rola depois, achei a coisa mais sem sentido do mundo.

Às vezes eu fico refletindo refletindo sobre o fato da Bella nunca ter tido escolha... Tipo, a partir do momento que ela conheceu o Edward, o destino dela meio que já estava traçado, né? Tudo passou a girar em torno dele e todas as decisões dela eram tomadas pensando num futuro onde ela se tornaria vampira para passar o resto da eternidade com ele. Ela nunca foi realmente livre e hoje eu enxergo isso e não desejo um amor tão pesado, sabem? Mesmo quando Edward vai embora pelo simples fato de ele sempre achar que sabe o que é melhor pra Bella, ela se manteve presa à ele... Não sei se vocês entendem o que eu quero dizer, mas enfim.

É nesse ponto que vocês se perguntam: "Ana, mas como é possível você amar Crepúsculo tanto assim e apontar esse tanto de problema!? Como assim você é tão cadelinha do Edward mesmo assim??"

Acho que a minha resposta padrão para isso é que eu tenho consciência que essa história foi escrita em 2005 e naquela época a gente não falava sobre esses assuntos. E é verdade. Eu fico realmente feliz que hoje conseguimos ter consciência sobre certos comportamentos a ponto de refletirmos sobre eles. Então, sim, eu consigo enxergar todas essas coisas e várias outras — tipo o lance do imprinting ou o fato de praticamente não existir personagens negros em todos os livros da saga, fatos que podemos discutir aqui nos comentários — sem deixar de gostar de algo que foi e ainda é tão importante para mim. Reconhecer esses erros, aceitá-los e falar sobre eles com naturalidade é mil vezes melhor que criticar as pessoas que gostam da série, não é mesmo?

Mesmo assim, eu gostaria de fazer um adendo importante: sim, eu continuarei criticando livros que foram escritos recentemente ou no século passado que romantizam estupro e qualquer outro tipo de violência contra mulher. Continuarei levantando pautas importantes aqui no blog sobre LGBTfobia, racismo e todo e qualquer tipo de preconceito mesmo que o livro tenha sido escrito em 1810. Mais que importante, é necessário que a gente não feche os olhos para nenhuma dessas coisas. 

Eu tive vontade de escrever esse texto porque já passei da metade de Sol da Meia-Noite e comecei a pensar muito sobre esse assunto em específico, porque depois de ler vários pensamentos do Edward tive certeza que ele realmente é neurótico, na falta de palavra melhor, rs. E sim, mesmo assim tô aqui igual adolescente de novo amando o livro e me sentindo super nostálgica. A diferença é que agora eu enxergo tudo e, melhor ainda, não me culpo mais ou me acho uma completa babaca por carregar essa história no coração.

Postar um comentário

27 Comentários

  1. Por sua culpa, verei Crepúsculo hoje. Tá, sei lá os motivos, mas deu saudade e eu nem faço parte do time de fãs malucos pela saga. Sim, eu estou doida por Sol da Meia Noite e não vejo a hora de poder conferir. E agora você vem apontando esses "defeitos" e eu me vejo querendo ao menos, reler os anteriores e rever os filmes.
    A gente pode até amadurecer no corpo e nas análises,mas o coração romântico? Esse nunca envelhece!rs
    Beijo

    Angela Cunha Gabriel/Rubro Rosa/O Vazio na Flor

    ResponderExcluir
  2. As coisas absurdas que nossos eu's de 13 anos achávamos incríveis haha! Acho muito legal parar para refletir sobre essas coisas, pois é aí que conseguimos ver o quanto evoluímos. Já havia percebido tudo isso sobre o Jacob na época, mas sobre o Edward eu estou até com vergonha, pois uma mínima partezinha aí (só essa frase mesmo!!) sobre "a quantidade de vezes que Edward literalmente manda a Bella fazer coisas simples, como comer ou vestir um agasalho" eu ainda acho um ato de cuidado. Sinceramente, não lembro tanto do filme e não li todos os livros, mas se fosse mesmo o caso de ser em excesso, eu no lugar dela estaria extremamente estressada. Achei o post muito importante, mas confesso que, quando fico muito tempo sem ver coisas que eu gostava na adolescência, fico com receio de pegar para ver novamente e estragar a memória boa que tenho (como A Seleção, por exemplo), uma bobeira hahah. Que bom que isso não ocorreu com você!
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amiga eu não te julgoooooo porque no meu íntimo eu uso aquela desculpa de "ai ela é humana né, ele não consegue ler a mente dela, fica preocupado" e vida que segue!

      Excluir
  3. ola Anna
    gostei do post e acho normal que podemos ter uma visão diferente de um livro que antes não tinha
    eu não li os livros até comprei porque achei barato e porque estava na moda ler crepusculo e hoje me arrependo do dinheiro gasto porque nunca li .
    percebi tarde demais que não era meu estilo de leitura
    até assisti o 1 e o 2 filme mas nem terminei
    mas respeito quem gosta e sei que foi uma saga que marcou gerações e super te entendo que voce, mesmo com essas ressalvas traga essa estoria guardada no coração

    ResponderExcluir
  4. Amiga vc é a rainha da blogosfera!!! Te falei isso ontem e repito: temos pensamento mto igual! Concordo com td que vc falou (e continuo sendo cadelinha de crepúsculo 🤷‍♀️)

    Beijo da sua amiga linda 🥰🥰🥰🥰

    ResponderExcluir
  5. Amiga,
    Aplaudo você de pé! Mesmo sendo fã você consegue ver e entender as coisas, sobre esse texto: merece ser compartilhado!
    Parabéns por defender causas tão importantes, e mais, por acreditar que elas de fato são importantes!
    👏🏼👏🏼👏🏼👏🏼

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai miga acho que a gente pode gostar e problematizar sim, uma coisa não tem nada a ver com a outra. <3

      Excluir
  6. Ana!
    Entendo seu ponto de vista e todas as bandeiras que defende, porque é o momento de defendermos mesmo o que se refere a liberdade feminina, a raça, a opção sexual e qualquer tipo de preconceito. Como influenciadoras, temos de falar e debater o tema mais e mais, é importantantíssimo.
    Por outro lado, vejo o ponto de vista dos autores... Na época que escreveram seus livros, ainda era aceito todo esse comportamento, infelizmente. É como quando lemos os romances de época, onde os homens se acham a última bolacha do saco e querem dominar as mulheres. Sabemos que hoje não é assim, mas na época, era aceitável pela sociedade.
    O que não quer dizer que temos de aceitar, mas podemos até gostar da leitura e ela se tornar importante para nós, mas temos de fazer o alerta do que acontece, chamar atenção para esses comportamentos inadequados.
    Bem pontuada sua opinião.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  7. Aaaai, adoro comentar sobre coisas que eu conheço e adoro!!!
    Primeiro, acho que Crepúsculo foi a porta de entrada de muita gente, incluindo eu :)
    Me lembro sentadinha, devorando esses livros,sem dormir, com meus 12 anos (não sei nem se é o certo kkkk) mas enfim, foi a primeira série e eu me tornei uma apaixonada por esse universo! Amo vampiros e romance, acho que veio daí né?!
    Tenho um caderninho que tem várias e várias imagens deles hahaha guardei até hoje e às vezes dou uma olhadinha e caio na risada da minha inocência e amor por esses personagens, não que seja muito diferente dos dias atuais kkkkkkkk
    Você colocou pontos incríveis no seu texto. Acho que você já deve ter visto um meme que ele fala basicamente de leitoras que ficam apaixonadas e acham fofo quando o mocinho diz "você é minha", mas acharia isso ridículo e assustador na vida real. OLHA EU AQUI!! É exatamente isso! Sou uma pessoa extremamente independente, não sou de dar satisfação em cada passo que eu dou, não fico conversando o dia inteiro e não exijo isso de ninguém. Então esses pontos realmente incomodam quando você é mais velha.
    Só pensar em Jacob me dá ânsia de vômito ... nossa, acho que assim como você, sempre julguei ele porque não gostava do personagem, mas sempre consegui enxergar esse sufocamento, essa chantagem e esse abuso dele. Acho que o final foi totalmente errado pra ele, como se precisasse colocar ele em algum meio na vida de Bella e Edward. Pelo amor de deus, a filha deles? Sério, eu não gostei!
    Achei super coerente sua discussão, SUPER concordo com tudo! Acho que os tempos atuais estão nos dando mais espaços para as discussões e isso é muito importante!
    Abraços! Ansiosa pra sua resenha :)

    ResponderExcluir
  8. Mas isso é ser fã, Ana! É gostar amar consumir mas ter consciência e enxergar os problemas. E Não vê algo de errado ou que não concorda e fingir que nada aconteceu.
    Te admiro cads vez mais!

    ResponderExcluir
  9. É muito legal poder voltar no tempo e reler com esse nosso olhar de crítica, sem perder o amor e a magia da história. A minha facinação pela figura protetora do Edward me jogou dentro de um relacionamento onde confundi abuso com cuidado, mas ainda assim, a culpa obviamente não foi do personagem ou da história, mas da falta de reflexão que hoje podemos fazer. Então de certa forma essas histórias que nos ajudaram a perceber que algumas coisas não iam bem. Edward sempre será meu príncipe encantado em seu Volvo prateado, mas hoje eu seria uma Bella menos manipulável e com maior estabilidade emocional haha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Miga, é complicado. Acho que todas nós, em algum momento da vida, estivemos imersas em algum relacionamento abuso. Mas fico feliz que conseguimos sair dessa! <3

      Excluir
  10. Olá! Eu não sou lá uma grande fã da saga Crepúsculo, mas a considero uma série bem nostálgica, já que foi uma das primeiras que eu li completa, realmente com o passar do tempo conseguimos enxergar as mesmas histórias de outra maneira, e eu, particularmente, acho isso muito bacana, pois é uma prova do nosso amadurecimento não só como leitor, mas também como ser humano, de fato nosso eu de 15 anos atrás não percebeu muitas esquisitices dos personagens que hoje são bem evidentes, tal como o Edward stalker e mandão, também nunca fui com a cara do Jacob, então minha opinião sobre ele não mudou muito (risos).

    ResponderExcluir
  11. Oi, Ana
    Fico feliz em ver esse post no blog, você ama a saga e aponta os defeitos dela isso é maravilhoso.
    Não li os livros, mas claro que virei fã depois que assisti o filme. Na época você, eu e muitas pessoas não via os defeitos porque tudo que os homens ao redor da Bella faziam, pensávamos que era amor, cuidado. Mas ao longo dos anos a maneira de pensar muda, percebemos que as atitudes desses homens não eram saudáveis.
    E mesmo com esses problemas ainda gostamos da saga.
    Até nos livros escritos atualmente tem esse machismo, o preconceito, entre outros temas abordados. Mas tem pessoas que enxergam "as ressalvas" e mesmo assim gostam do livro e tem aquelas que não vê "os problemas" e pensam ser normal.
    Beijos

    ResponderExcluir
  12. Complicado deixar de amar uma história que nos conquistou em outra época, né? Sinto isso com Belo desastre; na época, não consegui enxergar o quanto aquela relação não era saudável. Apesar disso, os sentimentos de quando li falam mais forte.
    Sobre Crepúsculo, eu pensei em ler quando lançou, não consegui, desisti quando tive a chance porque li muitos comentários negativos sobre a série.
    Esse comportamento do Edward é assustador e eu achava o Jacob fofo.
    Interessante saber dessas problemáticas.

    Beijos

    ResponderExcluir
  13. Oi, Ana
    Eu li a saga com 18, mas foi quando peguei pesado na leitura, então acho que eu ainda era imatura literária kkkkkk amei muito e assim como você, também queria um Edward.
    Eu não consigo achar ele abusivo. Odiei desde a 1x que li ele ficar observando ela dormir, mas tirando isso, não vi nada de errado.
    Agora reli Crepúsculo e achei um amor muit rápido o que me incomodou bastante.
    Tô relendo Lua Nova e por enquanto nada me incomodou, vamos ver o que vou achar dessa releitura agora com 25 anos.
    O Jacob sempre detestei. E aquele beijo roubado e a pressão psicológica acho terríveis. Lembro que nem tinha gostado muito de Eclipse por causa dele.
    O imprint é estranho demais. Pra não dizer pedofilia mesmo.
    Enfim, continuo amando a série, mas têm coisas erradas e incômodas mesmo.
    Tô ansiosa agora para começar Sol da meia-noite.
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu acho que no livro a questão do tempo não fica muito bem explícita, mas demoram alguns meses até que eles se envolvam de verdade.
      Jacob ODEIO Deus me livre, credo.

      Excluir
  14. Oi Ana,
    Também sou fã da saga Crepúsculo e quando li pela primeira vez já tinha meus 20 anos e também esperava um romance igual ao dos livros, com alguém como Edward Cullen. Então se uma mulher adulta não enxerga (ou enxerga, mas dá aquela ignorada, pois afinal de contas aquele romance é perfeito demais para ter problemas), as problemáticas no romance, não dá para culpar uma menina de 13 anos por achar tudo tão lindo e maravilhoso. Tudo que você aponta são coisas que percebi ao reler a história alguns anos depois e acho importante, ainda mais hoje, se discutir essas questões. Perceber tudo isso não me fez odiar, de repente, os livros, mas me deixou mais antenada sobre assuntos tão relevantes. Ainda não li Sol da Meia-Noite, mas não vejo a hora. Já sei que terei alguns probleminhas com o Sr. Edward, mas, confesso que estou até ansiando por isso.

    ResponderExcluir
  15. Antes de ler o seu texto, li outro que foi postado no Valkirias (site incrível também), e que conversa muito com o que você expõe por aqui. Eu também enxergo todos os problemas que narrativas como essa possuem, muitos e muitos, e assim como você, também fui influenciada por essas narrativas, o que não gerou coisa muito boa, falando sobre relacionamentos amorosos. Enfim, mas super concordo contigo, é preciso sim falar sobre as problemáticas de algo, mesmo que seja algo que nós gostamos, e acho que, principalmente se forem coisas que nós gostamos. Enxergar tudo isso não te obriga a desgostar de algo, e continuar amando a história (e o Edward, porque eu também sou cadelinha dele haushua), não te faz alguém boba. Que bom que temos consciência do que estamos consumindo e assumindo nossos gostos, finalmente! Passei anos renegando ou me esquivando quando a conversa era Crepúsculo, tinha vergonha mesmo, sabe?! Mas é isso, que bom que mudamos e que temos essa nova história para ler, consumir e nos divertir <3

    https://monautrecote.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  16. Já tinha lido esse texto pelo wpp então to passando pra dizer (de novo!!) que: concordo com vc ♥♥♥♥

    MELHOR BLOG EVER!!!!!!!!!!

    te amooooooooooooooo

    bjssssssssssssssss

    ResponderExcluir
  17. O melhor de reler livros/filmes é que a gente amadurece com o tempo e consegue enxergar coisas que antes não víamos. Não só para nós, leitores, mas também para os autores, esse amadurecimento acaba sendo um pouco frustrante por nós lermos coisas e pensar "putz como eu tive a capacidade de amar isso?" Mas aí retorna o amadurecimento e entendemos certas coisas. Como eu nunca li Crepúsculos, não sei o que apontar de problemáticas na saga. Adorei a postagem!

    ResponderExcluir
  18. Oi, Ana!
    Também tenho um carinho muito especial pela saga Crepúsculo, foram os primeiros livros de livraria que passei a adquirir e ler, antes eu só lia livros de banca.
    Mas em relação aos seus pontos de vistas do passado e do presente, confesso que a maioria eu também não enxerguei quando li anos atras, e lendo o seu post me vi concordando... Edward entrando no quarto da Bella quando li achei romântico, mas agora está parecendo uma atitude assustadora, principalmente nos filmes.
    E nossa, eu não me lembrava da parte em que o pai da Bella desconecta os cabos da bateria da caminhonete para ela não sair a noite... E sim, eu também nunca gostei do Jacob e suas atitudes rsrs.
    Contudo, é como você mesma disse, naquela época esses assustos não eram debatidos como hoje em dia, e que bom que isso mudou!
    Bjos, amei o post! ❤

    ResponderExcluir
  19. E é por coisas como essas que acabei desgostando da história. Também era a louca do "quero um trem desses pra mim" mas aí a gente vai crescendo e começa a ver que huuuuummmm, não é lá essa beleza toda não amiga. A história do homem fazendo de tudo pra cuidar da garota soa linda, até você ver o comportamento questionável e doentio, começar a pensar se iria querer um negócio desses, alguém que mal te deixa respirar sozinha, que tudo que você faz é vigiado, cada ação controlada, gente te mandando...nossa, quando paro pra ver esses lados me pergunto o que tinha na cabeça pra gostar disso. Fora a parte dele ser um perigo pra ela por né, dã, vampiro, humana, sangue, alôôô! É muita loucura. Mas é aquele negócio né, a escrita e as coisinha "fofas" que te hipnotizam na leitura. A idade da gente, tão jovem e bobinha, o tempo que foi escrito e os assuntos que ainda mal eram discutidos mesmo...se fosse ler hoje sei que iria passar muita raiva com essa saga. Talvez gostasse, talvez ainda tivesse aquela febre, mas com ressalvas. Não me vejo gostando tão fácil assim porque iria ficar muito irritada com as coisas que acontecem aí. Seria daquelas leituras que a gente lê pra gritar com personagem xD
    Dá uma curiosidade pra saber o que teria sido conhecer essa história com a idade de hoje.

    ResponderExcluir
  20. Que texto legal e como é interessante entender como os nossos pensamentos mudam quando nos tornamos mais experientes. Também tive essa fase de romantizar tudo e em como sonhei em ser Julia Roberts em Uma linda mulher. Graças a Deus que um dia a sensatez chegou em mim. Nunca olhei para a saga Crepúsculo nessa visão meio obsesiva, mas analisando o texto, tenho que concordar plenamente com você. Acho que não vou ler O sol da meia noite.

    ResponderExcluir
  21. Olá!
    Se tem uma pessoa que ama demais Crepúsculo é você, e obvio que mesmo você amando ainda reconhece todos os pontos negativos da historia. Eu de fato não posso fala nada, você bem sabe que não li nenhum livro e apenas assistir os filmes quando era adolescente, hoje tenho certa curiosidade em ler os livros até você sabe que quero compra o primeiro para iniciar a leitura. Mas acho que se eu for ler irei pontua bem esses pontos que você falou. Só fica torcendo para eu gostar viu!

    Blog: Tempos Literários

    ResponderExcluir