Nascido do Crime | Trevor Noah


Quando soube que o livro de janeiro da TAG Inéditos seria a autobiografia de um comediante, fiquei muito feliz e ansiosa. Mal podia esperar pela caixinha e pela história divertida que ela traria. Afinal, eu já li autobiografias de comediantes antes e me apaixonei. Não digo que estava completamente errada, de fato Trevor traz um tom de humor à sua história. Mas Nascido do Crime é muito mais que uma historinha engraçada sobre a vida de um comediante, pois mesmo quando o autor nos faz rir, nos questionamos se rir é realmente o que deveríamos estar fazendo.

Se eu tivesse me dado ao trabalho de ler a sinopse com mais atenção antes de tirar  minhas conclusões, talvez eu não tivesse pensado que daria gargalhadas do início ao fim. Trevor Noah nasceu na África do Sul, quando ainda existia o apartheid. Ele é filho de mãe negra e pai branco, por isso, para a época, "nascido do crime". Em sua autobiografia, ele nos conta um pouco de como foi nascer em um período ainda conturbado na África do Sul, como ele nunca se sentia parte de nenhum grupo mas, ao mesmo tempo, aprendeu a usar isso a seu favor.

Eu me tornei um camaleão. Minha cor era sempre a mesma, mas eu conseguia mudar a percepção dos outros sobre quem eu era. Se alguém falasse comigo em zulu, eu respondia em zulu. Se alguém falasse comigo em tswana, eu respondia em tswana. Talvez eu não me parecesse com você, mas, se eu falasse como você, éramos iguais.

A narrativa é dividida em três partes, que apesar de não terem títulos e acabarem indo ou voltando no tempo em algum momento, retratam sua infância, adolescência e um pouco da sua vida após o Ensino Médio. Apesar de Trevor ser obviamente o foco do livro, sua mãe foi uma pessoa que me impressionou bastante. Existe um capítulo em que o autor nos conta um pouco da história dela e percebemos claramente que ela era uma mulher a frente do seu tempo.

A relação entre os dois também é impressionante. Trevor diz que desde criança ela sempre o tratou de igual para igual, enquanto outras mães mal conversavam com seus filhos, pois não era assim que as coisas funcionavam. Uma coisa que me fez rir bastante sobre os dois foi um momento em que eles discutiam através de cartas, isso mesmo, cartas. Cada um tinha que escrever uma carta argumentando porque o outro estava errado e as respostas só eram aceitas se fossem escritas também.

— Por que isso tudo? Por que mostrar ao Trevor o mundo se ele nunca vai sair do gueto?
— Porque — respondia ela -, mesmo que ele nunca saia do gueto, ele vai saber que o gueto não é o mundo. Se eu conseguir pelo menos isso, já terei feito o suficiente.

Ao contar sua história, Trevor acaba esbarrando em vários assuntos que ainda hoje são problemáticos e geram discussões. Obviamente discute-se muito o racismo, mas também nos deparamos com problemas relacionados à religião e violência doméstica. Na maior parte do tempo Noah retrata tudo com bom humor e muitas vezes me peguei rindo quando na verdade eu deveria estar chorando.

Já foi anunciado que a obra será adaptada para as telinhas e mal posso esperar para ver como isso será feito! Além disso, em entrevista à TAG, Trevor disse que pretende escrever outro livro (mas sem pressa), então já estou ansiosa esperando pelos próximos capítulos dessa história.

Quando eu recebi esse livro, definitivamente não estava esperando a história que eu li. Nascido do Crime superou expectativas que eu nem sabia que tinha criado e com certeza está na minha lista de livros favoritos da vida.

Título Original: Born a Crime ✦ Autor: Trevor Noah ✦ Páginas: 336 
Tradução: Fernanda de Castro Daniel ✦ Editora: Verus & TAG Experiências Literárias
Assine a TAG aqui e ganhe 30% de desconto na primeira caixinha!

Postar um comentário

16 Comentários

  1. Nossa, acho que já li no máx umas 2 autobiografias. Quando você falou que seria de um comediante, assim como você, também pensei que as páginas iriam vir recheadas de humor, principalmente o ácido, voltado pra ele próprio.
    E que história incrível ele tem, né?! Fiquei emocionada de imaginar tudo que eles passaram e muito curiosa pra saber mais a fundo.
    Incrível saber que vai ser adaptado, com certeza merece reconhecimento pelo que você trouxe pra gente :)

    ResponderExcluir
  2. Conheço Trevor da suas participações no programa da Ellen Degeners. Mas não sabia da sua linda, emocionante história de vida.
    Ele é um herói por ter sobrevivido ao apartheid, por ser um africano que alcançou a fama, em um país racista.
    Com certeza vai pra wishlist

    ResponderExcluir
  3. Caramba, que livro incrível! Que quotes incríeis! Aff preciso desse livro pra mim kkk Que história mais linda, eu amei sua resenha e conhecer um pouco mais do livro, nem sei se fico mais curiosa pela história de vida do autor, ou do período do apartheid e sobre a mãe dele. Sei que quero muito ler esse livro.
    Jardim de Palavras

    ResponderExcluir
  4. Eu ainda não tinha lido ou visto nada sobre o livro,mas a gente já imagina sim, no lance do bom humor e não em uma história de vida e adorei o título do livro por conta disso, mesmo sabendo de todo o meu coração que o amor nunca gera um crime.
    Mas foi uma época complicada e ter vencido sim na vida em meio a tudo isso, é um marco que valeu ter sido colocado no papel e sim, na telinha também!!!
    Já vai pra listinha de desejados!
    Beijo

    Angela Cunha Gabriel/Rubro Rosa/O Vazio na flor

    ResponderExcluir
  5. Que capa linda, para uma história importante. Não curto autobiografias e nem conhecia o Trevor. Achei linda a relação dele com a mãe. Esse tom de comédia deve ter mesmo tornado algumas partes da leitura mais leves.
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Ola
    Como é bom quando a gente espera algo de um livro e ele se revela algo bem melhor e no seu caso se tornou um dos favoritos da vida .Embora náo leio biografias com frequencia eu gosto muito de historias reais de superaçáo .sempre gostei de ler sobre historias de pessoas que mesmo com tanta dificuldade obstaculos cinsegue superar tudo e alcançar seus objetivos .deve ser um livro inspirador

    ResponderExcluir
  7. Ale!
    Deve ter sido bem complicada a vida do autor e nasceu bem durante o apartheid.
    Bom saber que ele tinha um bom relacionamento com a mãe em uma época em que as mães nem conversavam direito com os filhos.
    Bom saber que o livro trata de assuntos importantes quee devem ser discutidos.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  8. Eu adoro livros que suprem nossas expectativas em relação ao seu conteúdo. Ver que esse livro seria apenas um livro que arrancasse risadas, mas que na verdade aborda vários temas necessários, já me ganhou. Essa alternancia durante a vida me lembrou o filme Moonlight, que também retrata racismo.

    ResponderExcluir
  9. Não sou muito de ler esse tipo de livro, mas achei interessante por relatar uns momentos históricos, a vivencia e as coisas que as pessoas passam ao longo do tempo, como a pessoa é nesse mundo, em meio a mudanças e dificuldades e essas coisas. O que é crescer num momento desses, pela história dele e tudo que passa. Mas não sei se leria com essa facilidade de ir lá atrás do livro porque não é lá meu gosto mesmo. Mas achei interessante o humor e as questões no meio, se é uma coisa pra se rir, se faz pensar nisso, o que se pode tirar daí. Tem coisas que chamam atenção mesmo e parece deixar algumas coisas pra gente. Fiquei curiosa com a mãe dele por exemplo. Seria uma adaptação legal de ver, se sair de verdade.

    ResponderExcluir
  10. Oi, Ale
    A vida de Trevor e sua mãe não foi fácil viver num país onde o povo vai perdendo os direitos pela cor da pele e regiões onde mora.
    Essa autobiografia comove o leitor de várias formas com risos, reflexão sobre como as pessoas viviam no apartheid.
    Tenho o livro mas ainda não li, estou com as leituras atrasada.
    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Oi Ale! Eu ainda não li nenhuma autobiografia de comediante, mas vendo você comentar no comecinho até que fiquei curiosa.
    E, puxa vida, eu imagino como esse livro deve ser bom! Eu gosto de livros que abordam essas problemáticas e fiquei bastante interessada em conhecer essa história!
    Os Delírios Literários de Lex
    Participe do Top Comentarista de Agosto!

    ResponderExcluir
  12. Oii!
    Não tinha conhecimento do livro e nem do autor, mas ao saber mais sobre a trama fiquei um tanto curiosa. Pela maneira que você descrever parece ser aquele livro que vai retrata muitas coisas e dar uma certa rasteira na sua vida com uma boa reflexão.

    Blog: Tempos Literários

    ResponderExcluir
  13. Oi, Ale!
    Não costumo ler autobiografias, e apesar de ter achado interessante a relação de Trevor com sua mãe - estou tentando imaginar essa situação sobre eles discutirem através de cartas rsrs - confesso que não me interessei em ler o livro... Mas que bom que Nascido do Crime superou as suas expectativas :)
    Bjos!

    ResponderExcluir
  14. Olá! É tão bom quando um livro consegue nos surpreender assim tão positivamente, ainda mais quando nem esperávamos, essa história parece ser emocionante, a começar pelo título né, seu nascimento ser considerado um crime, em razão da cor da pele de seus pais, um total absurdo, que infelizmente, até hoje continua a acontecer.

    ResponderExcluir
  15. Oi, Ale
    Não conhecia essa biografia, mas quero pra hoje.
    Imagino todas as experiências boas e até mais difíceis que o Trevor passou tendo nascido nessa época triste da história.
    A mãe dele parece ser muito batalhadora e que o ensinou a nunca desistir.
    Lerei com certeza!
    Bjs

    ResponderExcluir
  16. Legal o que foi apresentado. Olhando por cima não parece ter uma história para dar gargalhadas, isso torna mais ainda legal. Vou conferi em breve.

    ResponderExcluir