Nictofobia | Dias Ferpella


Vocês conseguem pensar em um mundo onde não é possível ver a noite? E mais que isso, a noite ser uma utopia, algo desconhecido para a população, proibida por lei? Pois é justamente esse o cenário criado por Dias Ferpella em Nictofobia, uma distopia com os dois pés nos gêneros terror e suspense. Aqui, as pessoas são obrigadas a dormir do pôr-do-sol, às 18h aproximadamente, até o amanhecer. 

O mais interessante é que a população simplesmente obedece a Lei do Limiar sem questionar e as gerações que um dia puderam contemplar a luz da lua prefere não falar sobre o assunto. A única coisa que todo mundo sabe é que a noite é perigosa, sombria, nada segura para humanos. Inclusive, há vários boatos que existem seres noturnos que vagam a procura de Insones, que são as pessoas que insistem em ficar acordadas e até ousam sair para passeios durante a noite.

A trama acompanha três personagens principais: Lenny, uma rebelde que participa de um grupo que não é adepto ao toque de recolher; Lucian, um cara curioso que simplesmente estava no lugar errado, na hora errada e acaba se envolvendo num acidente; Amanda, uma agente com passado familiar inusitado que trabalha para a empresa que monitora a noite, que busca transgressores. No decorrer desses pontos de vista, somos apresentados ao universo em si, que envolve trechos narrados no passado e inúmeros personagens secundários essenciais para o desenvolvimento do livro. 

Para quem lê bastante distopia, essa mistura de presente e passado não será um problema. Ainda assim, preciso dizer que o começo pode ser um pouco difícil, porque às vezes essa transição é feita várias vezes dentro de um mesmo capítulo, sem aviso prévio; portanto, requer mais atenção do leitor. O número de personagens também é bem grande — estilo O Senhor dos Anéis e Game of Thrones e confesso que fiquei confusa no início, mas depois de pegar o ritmo consegui me conectar mais com eles e com a narrativa em si. 

Por falar em narrativa, fiquei impressionada pela desenvoltura de Dias Ferpella. É muito fluida e instigante, além de ser extremamente original. Já li inúmeras distopias principalmente na época do lançamento de Jogos Vorazes, que o gênero virou uma febre — e afirmo que nunca tive contato com um livro como Nictofobia antes. Como um todo, a única coisa que senti falta foram mais explicações sobre os noturnos que tanto assombram os personagens... Inúmeras pistas são deixadas para o leitor no decorrer dos capítulos, mas sinto que ainda não sei exatamente qual a origem dessas criaturas, sabem?

Outro aspecto bastante interessante da obra é o seu teor político. Na realidade essa característica é comum em livros do gênero, mas é muito louco encontrarmos tantas semelhanças com o que acontece conosco em uma trama ficcional. Por exemplo, as autoridades falam uma coisa e todo mundo obedece, ninguém questiona nada, simplesmente aceitam aquilo como verdade: "Não pode sair à noite, é perigoso", tá bom, mas qual motivo? Tudo bem, pode ser verdade mesmo, mas o que eles escondem? 

Esse mistério também dá um fôlego a mais para Nictofobia, até porque tem muitas cenas angustiantes que, de certa forma, estão envolvidas com isso. Para mim, que sou super medrosa, senti o coração apertado em inúmeras passagens, especialmente quando tinha alguma morte envolvida ou coisa do tipo. Para quem lê terror mesmo, tipo Stephen King, sei lá, deve ser fichinha, mas vocês sabem que eu não sou parâmetro de comparação, rs.

De forma geral, foi uma leitura muito proveitosa. Indico principalmente para quem gosta de tramas que fazem pensar, que deixam mensagens subliminares e para quem não sente nenhum tipo de desconforto ao ler trechos um pouco mais pesados. Nictofobia está disponível para compra em e-book por R$12,00 e também pode ser lido através do Kindle Unlimited.
 
Título Original: Nictofobia ✦ Autora: Dias Ferpella
Páginas: 371 ✦  Editora: Publicação independente
Esse post foi patrocinado pelo autor, mas segue as diretrizes de autenticidade do Roendo Livros, que sempre divulga opiniões sinceras acerca de toda e qualquer obra

Postar um comentário

22 Comentários

  1. Misericórdia. Esse negócio de dormir 18h já matou a minha pessoa, parece um livro muiiiiito interessante com um enredo bem diferente né? Deu um gelo na espinha só de ler a resenha.

    aquelemqueana.com

    ResponderExcluir
  2. Maria Fernanda Dória Ribeiro17 de fevereiro de 2021 11:14

    Uau! A história soa muito interessante. Gostei que tem mistério e teor político, e é instigante saber da conexão com a realidade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou do enredo do livro! Espero que cê consiga ler qualquer dia!

      Excluir
  3. Gosto muito de ler distopia pois quase sempre tem criticas do sistema que a gente viva na realidade, que nós infelizmente ate as vezes ve semelhanças neh. Mas achei meio confuso a historia, dormem durante a noite, mas durante a noite é quase uma utopia só que tem coisas aterrorizantes... confuso no inicio!

    ResponderExcluir
  4. Olá! Eita que, para mim, essas distopias estão cada vez mais assustadoras, pois eu sempre acho que muitas coisas que acontecem podem facilmente acontecer no nosso mundo real, principalmente os assuntos relacionados a políticas e tal, e mesmo não sendo uma grande fã do terror, fiquei curiosa para conferir o livro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Menina acho que eu sou meio exagerada porque sou medrosa, né? Eu classificaria mais como um mistério com pingos de terror? KKKKKKKKKKKKKKK

      Excluir
  5. ola
    nossa que enredo diferente ,ainda não conhecia esse livro ,Não é um genero que me chame tanto a atençao ,mas fiquei curiosa com esses seres noturnos e é uma pena que não ficou bem esclarecido quem são esses seres. otima resenha .

    ResponderExcluir
  6. Amiga! Essa história parece ser muito interessante, o tipo de livro que eu leria num piscar de olhos! Espero ler assim que tiver uma oportunidade ♥

    ResponderExcluir
  7. Ana!
    O livro parece bem tenebroso, fiquei triste apenas por não dar mais explicações sobre os noturnos. Será que vai ter continuação?
    Bom ver que tem passado e presente, assim fica melhor de entender o enredo.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Podia ter continuação, né? Eu acho que rola um gancho no final, que super rolaria.

      Excluir
  8. AAAAAA que resenha incrível e que premissa instigante, deu um frio na barriga aqui! Isso de não poder sair a noite e esses supostos seres que capturam quem não dorme, medoo kkkk eu me questionaria sobre esse "toque de recolher" se fosse uma das personagens! Parece ser uma distopia muito interessante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amiga muito obrigada, fico feliz que tenha gostado! <3
      Acho que eu também questionaria, sou muito rebelde kkkkkkkk

      Excluir
  9. Fiquei uns bons minutos tentando lembrar se eu sabia o que significava esse nome e a curiosidade atingiu picos preocupantes HAHAHA Corri pra ler a resenha ne? Sou uma pessoa noturna, com certezaaa! Aliás, até meus estudo é de madrugada, funciono muito melhor... imagina não poder fazer isso. Que horror! O livro parece muito bom, tem uns objetivos interessantes, com certeza eu leria.

    ResponderExcluir
  10. Aquele livro que soa tão real que assusta! Primeira resenha que leio dele. Tá, dormir é bom demais rs adoraria dormir muito,mas nunca consigo.
    Fico imaginando o viver sem se questionar. Aceitar e ponto final.
    Com certeza é um livro que se puder, quero muito ler!!!
    Beijo

    Angela Cunha Gabriel/Rubro Rosa/O Vazio na flor

    ResponderExcluir
  11. É distopia eu já quero! Essa premissa é muito boa e diferente de algumas coisas que a gente já leu de distopias né? O que deve dar o diferencial mesmo é o terror e suspense. Já vi que tem no Kindle Unlimited, então vou pegar para ler.

    Silviane, blog kzmirobooks.com• Siga no Instagram: @kzmirobooks

    ResponderExcluir
  12. Olá, Ana

    Sou uma fã assumida de distopias, e é a primeira vez que vejo esse livro!
    Achei muito interessante isso deles não poderem sair de noite, e ter que ir dormir quando está escurecendo, pela forma como você contou, parece muito legal.
    Só confesso que fiquei receosa com a parte de terror! Sou muito medrosa, socorro! Já deu um medinho.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É bem legal mesmo!
      Assim, se você for medrosa nível eu, vai dar uma acelerada no coração, mas nada que vai te matar, eu juro!

      Excluir
  13. Que premissa louca e interessante, Ana! E olha que eu quase não leio distopia
    Primeiro e mais complicado é o aceitar sem questionar. E também a questão da noite ser tão perigosa a ponto de ser banida. Com certeza, tem uma camada mais profunda.

    ResponderExcluir
  14. Interessante a ideia dele. Mesmo não sendo o tipo de livro que leio tanto, um pé no terror e nesse suspense com o mistério da noite, ele parece bem envolvente. Gosto da ideia de algo que ninguém sabe ao certo porque tem que ser assim, isso da imposição a fugir de ver a noite e não saberem porque e ter aqueles que burlam isso, ver o mistério do que acontece ali nas entrelinhas e tudo mais, o teor politico no meio... tudo junto parece compor uma leitura que te prende nem que seja pela curiosidade de como isso vai terminar. Só pesa um pouco ter muito personagem, fico perdida fácil. Mas deve dar pra relevar, só acostumar.Parece um livro bem legal.

    ResponderExcluir
  15. Oiiie,
    Amiga gostei do livro, vou anotar aqui viu.. Adoro muito uma distopia, mas enquanto lia sua resenha acho que não sobreviveria nesse mundo porque sou da que questionar sobre tudo e todos. kkkkkkkkkkk
    Gostei muito da premissa e já quero saber o final dela.

    Beijinhos: Tempos Literários

    ResponderExcluir