Lendários | Tracy Deonn


Acho que todo adolescente já teve uma briga horrível com a mãe pelo menos uma vez na vida. Geralmente tudo fica bem depois de um tempinho, mas Brianna Matthews não teve a oportunidade da reconciliação: um dia depois dessa discussão horrível que deixou muito ressentimento no ar, sua mãe se envolve em um acidente de carro e acaba falecendo. Apesar de estar com o coração em pedaços, decide partir com sua melhor amiga, Alice, para a Universidade da Carolina do Norte participar de um programa pré-universitário — que foi, inclusive, o motivo da confusão com sua mãe —, onde tem esperanças de deixar o passado para trás. 

Engraçado que, quanto mais a gente busca alguma coisa, mais difícil fica alcançá-la, já repararam? Tudo o que Bree queria era paz e tranquilidade para superar seus traumas, mas logo em sua primeira noite no campus a personagem se depara com um cenário muito perigoso envolvendo magia. É essa experiência que leva Bree a conhecer os Lendários, uma organização secreta composta pelos descendentes dos cavaleiros da Távola Redonda, cuja única missão é proteger a humanidade de ameaças demoníacas. De alguma forma inexplicável, Bree associa a morte de sua mãe com os Lendários e vai fazer de tudo para descobrir o que realmente aconteceu com ela, nem que para isso tenha que se infiltrar na Ordem. 

Fiquei muito animada com o lançamento desse livro aqui no Brasil porque ele estava fazendo muito sucesso lá fora. Comecei a lê-lo com outros parceiros da Intrínseca, numa leitura coletiva promovida pela editora, mas acabei tendo alguns problemas no meio do caminho. É claro que toda a trama é muito original e extraordinária, mas os primeiros capítulos me incomodaram bastante, que foi o que culminou para que eu não hesitasse em deixar para finalizar a leitura depois. Acontece que, na medida que Bree descobria novas informações sobre os Lendários, ela simplesmente absorvia todas as informações sem necessidade de explicações. É como se ela simplesmente já soubesse de tudo, sabem? Mas nós, leitores, não sabemos de nada, então fica a sensação que os termos só estão sendo jogados ali.

Também senti muita dificuldade em me conectar com os personagens nesse início, inclusive com a Bree. Eu simplesmente detestei a melhor amiga dela, achei super egoísta, mas Bree também não fica muito atrás. Enfim, por conta disso, fiquei quase um mês sem tocar no livro, até que resolvi continuar e, minha gente... A própria reviravolta. Não é atoa que todos os meus colegas falavam para mim para insistir mais um pouquinho, porque do nada o negócio começa a ficar realmente bom, rs.

Apesar de ser muito rico em conteúdo, a partir de uma altura a trama se desenvolve super bem. Os personagens começam a ficar mais interessantes, o mistério acerca da mãe da Bree vai ganhando mais pistas e tudo o que a gente quer é saber o que vai acontecer no final. Mas é claro que o livro não é só sobre a lenda do Rei Arthur e seus fiéis Cavaleiros. Em primeiro lugar, Tracy Deonn discutiu de forma muito inteligente e clara temas muito atuais como racismo, uma vez que Bree é negra, e inclusão — Jim Anotsu arrasou demais na tradução dos pronomes neutros! Algumas cenas expondo o racismo são tão fortes e alguns personagens tão detestáveis que dá vontade de entrar no livro e socar a cara de cada um deles. 

Além disso, Lendários fala muito sobre pertencimento, ancestralidade e respeito às suas raízes. Considero essa uma das mensagens mais importantes da história, principalmente porque foi a chave para Bree compreender quem ela é e de onde veio mas, principalmente, como sua mãe se encaixa no meio dessa bagunça intensa. É muito interessante porque, por mais que ela tenha feito amigos na Ordem, ela não sentia que fazia parte daquele lugar. Mas também, né, difícil se sentir acolhida por um bando de gente privilegiada, padrão e cheia de preconceitos. 

Assim, posso dizer com a maior tranquilidade do mundo que aqueles "poréns" que tive no início não foram suficientes para que eu não gostasse de Lendários. Depois de um tempo os termos envolvendo a Ordem começam a fazer cada vez mais sentido e passamos a entender que as atitudes dos personagens refletem quem eles são, apenas adolescentes num mundo louco pra caramba. Inclusive mal vejo a hora de ler a continuação, que já vai ser lançada em 2022 na gringa com o título Bloodmarked. Para quem gosta de fantasias com ação desde o primeiro capítulo, esse livro é a pedida certa.

Título Original: Legendborn ✦ Autora: Tracy Deonn
Páginas: 592 ✦ Tradução: Jim Anotsu ✦ Editora: Intrínseca
Livro recebido em parceria com a editora

Postar um comentário

12 Comentários

  1. Acompanhei você e outras parceiras nessa Lc, inclusive o rolê dos Correios.
    O hype do livro ainda está alto.
    Todos sempre falam mais ou menos isso, Bree é meio difícil de se gostar e a trama demora para engrenar, mas quando vai, ss torna uma história envolvente e instigante

    ResponderExcluir
  2. A vontade dar uns petelecos em Bree no começo do livro foram inevitáveis rs
    Ow menina chata, mesmo que a maioria de nós, tenha passado por essa fase adolescente da mesma forma ou até pior rs
    Achei que estava acontecendo tudo muito rápido no início, ela não se assustar com nada fora do normal que via, mas foi impossível largar o livro.
    A hora que ele engrenou, fui até o final e estou aqui roendo as unhas para que o segundo volume chegue o quanto antes!!!!
    Beijo

    Angela Cunha Gabriel/Rubro Rosa/O Vazio na flor

    ResponderExcluir
  3. Olá Ana Clara!
    Eu curti de cara a sinopse do livro, adoro essa farofa toda na trama e estou mega ansiosa pra ler. Podia não ter esse começo enrustido, mas entendo também que a autora precisava introduzir as coisas. Acho muito bacana a história enfatizar a valorização da ancestralidade, claro que quando a gente é adolescente quer mais é se distanciar da família a todo custo, mas depois a gente reconhece que as raízes são muito importantes para o crescimento pessoal. Esse é o primeiro livro que tenho conhecimento do uso dos pronomes neutros e achei super bacana.
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Olá! Pois bem, minhas impressões com o livro foram bem parecidas com a sua, realmente o começo do livro é um pouco difícil de engatar, Bree não conseguiu me conquistar, mas (porque sempre há um, mas), chega um momento em que não é possível mais largar o livro, achei o final bem surpreendente e, claro, que já fiquei curiosa para o próximo.

    ResponderExcluir
  5. Eu fiquei encantada com a protagonista e muito interessada nele e toda essa coisa envolvendo Rei Arthur.

    ResponderExcluir
  6. Olá
    Fiquei surpresa com toda a hipye em torno desse livro .sem dúvida a editora trabalhou bem para que isso acontecesse
    Mas não despertou minha vontade de ler.
    Bjs

    ResponderExcluir
  7. Foi a primeira resenha que li desse livro que realmente apresentou os pontos fracos.
    Que bom que apensar de algumas coisas incomodarem no início, você não abandonou e depois foi surpreendida positivamente.

    ResponderExcluir
  8. Eu to bem curiosa pra ler essa fantasia.
    Tem muitas características de fantasia que gosto muito de primeira e estou ouvindo e lendo muitas coisas boas sobre neh
    Eu espero gostar da leitura e espero fazer em breve ela.
    Capa lindissima!

    ResponderExcluir
  9. Oii, já quero ler, achei muito curioso a premissa.
    Bjs
    https://deliriosdeumaliteraria.blogspot.com/?m=1

    ResponderExcluir
  10. Ana!
    Já tinha ouvido falar sobre o livro.
    Gostei de toda fantasia, da diversidade, das origens e do enredo em geral, embora como falou, no início as protagonista sejam...'chatinhas'.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  11. Meu deus é um calhamaço até kkkk. A bree é o tipo de personagem que quero cuidar, ela tem uma carga bem pesada. Sabia que esse livro era muito aguardado aqui no Brasil, mas nunca tinha tido tanto interessante.

    ResponderExcluir
  12. Hoje você estava perguntando qual livro a gente queria pra sorteio e eu comentei nas duas plataformas: Lendários. E olha que eu nem tinha visto sua resenha ainda. Agora percebo que escreveria 4x, ao invés de 2 KKKKKKKKK
    A mensagem que traz parece incrível, gosto desse gênero, da ação, do desenrolar que deixa a gente super curioso. Gostei muito!

    ResponderExcluir