SOCIAL MEDIA

7 de maio de 2022

A Camareira | Nita Prose

Comecei a ler A Camareira em fevereiro, assim que recebe o exemplar do Intrínsecos. A questão é que o início foi muito parado, então acabei deixando de lado por um tempo, para dar outra chance depois antes de desistir por completo. Finalizei a leitura em abril, e apesar de não ser o melhor livro de mistério do mundo, acabei gostando, mesmo com algumas observações. 

O livro é narrado por Molly, uma camareira que trabalha em um hotel de luxo, o Regency Grand. Ela é extremamente metódica e adora fazer o seu trabalho. A personagem é descrita pelos outros funcionários como "esquisita", "uma aberração", porque é diferente das outras pessoas. Ela não entende ironias, nem sabe classificar quando as pessoas estão sendo maldosas com ela. Isso não fica explícito no livro, mas provavelmente Molly está no espectro autista, o que faz com que todos se aproveitem dela de alguma forma.

E é por conta disso que Molly acaba se tornando a principal suspeita de um assassinato. Um belo dia, a camareira estava fazendo seu trabalho de sempre quando dá de cara com o Sr. Black, um homem muito rico e influente, mortinho da silva na cama do hotel. Apesar de não ter nada a ver com o ocorrido, uma sucessão de fatos faz com que Molly caia na mira da polícia. Mas afinal, o que aconteceu na suíte dos Black aquele dia? Quem é o verdadeiro assassino? Será que Molly é mesmo tão inocente?

De forma geral, A Camareira é um bom livro, principalmente se levarmos em consideração que é o primeiro da autora. Mas existem alguns poréns: em primeiro lugar, a narrativa demora um pouco para engatar. Acho que é porque a história se passa inteira sob o ponto de vista de Molly e ela acaba divagando muito, então as coisas custam a acontecer de fato. Outra coisa é que em determinado momento acabei perdendo a paciência com a personagem, porque as pessoas fazem ela de gato e sapato, coitada. Só que algumas coisas são muito óbvias, sabem? Depois fiquei me sentindo meio mal porque eu entendo as condições da personagem e ainda assim ficava "não é possível que isso está acontecendo".

O final, apesar de satisfatório e condizente, me incomodou um pouco. Porque assim, durante a narrativa inteira não tivemos nenhum indiciozinho do verdadeiro culpado... E quando ele finalmente aparece, fiquei com aquela sensação de que foi algo decidido pela autora no último minuto, sabem? Só pra não ficar sem um desfecho concreto... Mas não sei, pode também ter sido alguma falta de atenção minha, rs.

Assim, eu gostei da escrita da Nita Prose, mas senti que ficou faltando algo ainda. Acho que o livro é mais sobre o drama vivido por Molly do que sobre o mistério em si, então não sei se concordo muito com a classificação dada a ele. Para vocês terem ideia, durante toda a leitura o que eu mais senti foi pena da personagem principal do que curiosidade de fato. Então, acho que vale demais a leitura, desde que as pessoas não esperem um enigma muito elaborado. 

Título Original: The Maid ✦ Autora: Nita Prose
Páginas: 336 ✦ Tradução: Julia Sobral Campos ✦ Editora: Intrínseca
Livro recebido em parceria com a editora

9 comentários :

  1. Mistério interessante, e há o fato de personagem ser autista e o morto ser um homem influente, o que aparenta ser um livro bem feito. Intrínsecos nunca pública algo ruim né.

    ResponderExcluir
  2. Interessante. Achei legal a personagem estar dentro do espectro, fiquei curiosa pra ler

    ResponderExcluir
  3. A Camareira me chamou a atenção desde que vi o primeiro unboxing. Mas conforme as resenhas foram saindo... muitos tocaram nesses mesmos pontos.... lendo sua resenha, das ressalvas que você levantou, o que mais me incomoda é a questão do culpado, por mais que a Camareira seja a narradora, poderia sim, ter tido pequenos indícios do verdadeiro culpado.

    ResponderExcluir
  4. Então, desde que esse livro chegou na caixinha de sonhos, eu namoro ele, mas realmente ele divide opiniões e eu particularmente adoro isso.
    Mesmo com a narrativa mais lenta e esse divagar demais da personagem(me identifiquei) sinto muita vontade ler pela parte do suspense!!!
    A edição está em uma cor maravilhosa e a versão comercial também!
    Beijo

    Angela Cunha Gabriel/Rubro Rosa/O Vazio na flor

    ResponderExcluir
  5. Não me pareceu um suspense tão bom. Como não costumo ler muito o gênero, creio que não teria muita paciência com esse livro.

    Danielle Medeiros de Souza
    danibsb030501@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  6. Achei interessante a sua resenha sobre o livro. Porém não é o tipo de leitura que eu leria pela narrativa que lembra O Lado Bom da Vida por causa da narrativa ser de uma personagem que tem caracteristica de alguem que sofre de algum sofrimento psicológico tornando a leitura lenta.

    https://expressoliterarios.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  7. Olá
    Ainda não tenho lido resenha desse livro. Embora goste muito de suspense não fiquei com aquela adquirir o livro. Mas se encontrar na biblioteca pegaria para ler .Uma pena que a leitura é arrastada em certo momento.

    ResponderExcluir
  8. Oi!
    Eu tinha visto unboxings desse livro por conta de ser do Intrínsecos, mas ainda não tinha lido alguma resenha. Gosto de narrações que os personagens divagam apenas em livros mais científicos ou aqueles que são dark academia, mas com outros gêneros não costuma funcionar comigo, é uma pena não ficar claro se a protagonista está no espectro autista.

    ResponderExcluir
  9. Ana Clara!
    Mesmo que com pequenos 'deslizes', que acho até natural por ser um primeiro livro, gostei muito de todo plot.
    E realmente a narrativa em primeira pessoas apenas pela protagonista, deve tornar o livro um tanto melancólico e mais dramático.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir