3 de janeiro de 2018

As Decepções Literárias de 2017


Na minha opinião, é praticamente impossível uma pessoa gostar de tudo o que lê. E tá tudo bem, gente, é super normal achar um livro, um filme ou qualquer outra coisa meio ruim, é do ser humano. Provavelmente algum de vocês vai discordar completamente de mim em algum integrante dessa lista das piores leituras de 2017, mas vamos lembrar que cada pessoa é uma pessoa e têm opiniões e gostos diferentes, tudo bem?

Diário de Uma Escrava
Rô Mierling
Editora DarkSide Books

Laura é uma menina sequestrada e jogada no fundo de um buraco por alguém que todos imaginavam ser um bom homem. Ela vê sua vida mudar da noite para o dia, e passa a descrever com detalhes sinistros e íntimos cada dia, cada ato, cada dor que o sequestro e o aprisionamento lhe fazem passar. Estevão é homem casado, trabalhador, pai de família, mas que guarda em seu íntimo uma personalidade psicopata. Ele percorre ruas e cidades se apossando da vida de meninas ainda muito jovens, pois dentro de si uma voz afirma que é dele que elas precisam. Mergulhando fundo nessa fantasia, ele destrói vidas, famílias e sonhos, deixando atrás de si um rastro de dor e morte. Narrado em parte em forma de diário, o livro acompanha mais de quatro anos da vida de Laura em um buraco embaixo da terra, período em que algo dentro dela também se modifica de uma forma inimaginável em busca da única maneira para sobreviver. Publicado originalmente na plataforma digital Wattpad, onde já teve mais de um milhão e meio de leituras, DIÁRIO DE UMA ESCRAVA apresenta um retrato duro, cruel, abominável, mas infelizmente corriqueiro no Brasil e em todo o mundo.

Jesus que me defenda desse livro. Nada nessa história tem lógica, nada mesmo. A coerência manda lembranças quando a autora tenta justificar o comportamento da protagonista como Síndrome de Estocolmo, que acontece quando a pessoa cria algum laço com o seu abusador. O problema é que em nenhum momento isso acontece no livro, muito pelo contrário. A personagem principal só consegue falar que tem horror ao homem. Então, na minha opinião, nenhuma das atitudes de Laura fazem sentido aqui. O final chega ser ofensivo de tão absurdo. Nem perdi o meu tempo escrevendo resenha.

Jostein Gaarder
Editora Seguinte

Pouco antes de completar dezesseis anos, Anna começa a receber mensagens em seus sonhos. Preocupados, os pais resolvem levá-la a um psiquiatra, mas o médico não acha que existe algo errado com ela. Na verdade, o excêntrico dr. Benjamin acredita que parte do que ela vê nos sonhos é real, como o agravo do aquecimento global e a consequente extinção de vários animais. Ele está certo, pois Anna está observando o mundo através dos olhos de Nova, sua bisneta que vive em 2082 e está prestes a fazer dezesseis anos. O mundo está desolado e Nova se sente cada dia mais revoltada com as gerações anteriores. Quanto mais Anna enxerga o futuro em seus sonhos, mais ela percebe que deve agir no presente. Mas será que ela vai conseguir agir rápido o suficiente para evitar que suas visões se tornem reais?

Eis aqui um livro que tinha de tudo, tudo mesmo para dar certo, mas que infelizmente não foi bem aproveitado. A premissa é maravilhosa, quem nunca imaginou como estaria o planeta daqui uns 50 anos? Porém, quem conhece a escrita de Gaarder sabe que ele apela para um lado mais filosófico em sua narrativa e isso é algo que não me agrada nem um pouco. 

Pintip Dunn
Editora Galera Record

Em uma sociedade onde jovens recebem uma visão de seu futuro quando completam 17 anos, todos têm uma carreira a qual dedicar seus esforços. Um campeão de natação, um renomado cientista, um chef de sucesso... ou, no caso de Callie, uma assassina. Em sua visão, a garota se vê matando a própria irmã. Antes que ela possa entender o que aconteceu, Callie é presa – e a única pessoa capaz de ajudá-la é Logan, uma paixonite de infância com quem não fala há cinco anos. Agora, Callie precisa descobrir uma forma de proteger sua irmã da pior das ameaças: ela mesma.

Outro livro com uma premissa incrível que foi jogada no lixo. Ao invés de explorar as "memórias do futuro" ou qualquer outra coisa relacionada a isso — os segredos que as envolvem, as pessoas que estão por trás disso, como é possível que aconteçam e várias outras coisas —, a autora apela por um romance ridículo, mal desenvolvido e totalmente fora do contexto. Haja decepção!

Bruna Beber
Editora Record

Bruna Beber tenta retirar, ao extremo, o peso, a profundidade e a densidade da poesia. A começar pelo título: tipo de canto, prece ou recitação que provém de uma dimensão religiosa, a palavra “ladainha” passou a ser usada para dizer aquilo que se repete incansavelmente apesar de já ter perdido o sentido. Ainda, ao escolher não dar títulos aos poemas, mas apenas enumerá-los com a sequência dos 32 primeiros números primos, Bruna Beber foge à simples infinitude dos números naturais, aspirando a uma infinitude ainda não de todo mapeada. O que poderia ser visto como um exercício de banalidade e humor propositalmente afirmativos é, antes de tudo, uma posição ironicamente crítica da poesia para com sua história, para com a poeta, o leitor, a tradição, o mundo, o nosso tempo e, mesmo, a vida.

Acho que Ladainha foi o primeiro livro que eu li na vida que eu não consegui entender nem uma linha, sem brincadeira nenhuma. Realmente não vi sentido em nada. Tudo o que eu li foram palavras aleatórias jogadas na folha da papel e só. 

Raphael Draccon
Editora Fantástica Rocco

Quando a chuva aflige o vilarejo de Véu-Vale pelo terceiro dia consecutivo, as ruas iluminadas por tochas ficam desertas; as janelas, uma a uma, se fecham; nesses dias, quem caminha pelas ruas de Véu-Vale caminha sozinho. Em O coletor de espíritos, novo romance de Raphael Draccon, um dos principais nomes da literatura de fantasia nacional, Gualter Handam, antigo morador do vilarejo e hoje um psicólogo prestigiado, se vê obrigado a retornar ao local que povoa seus pesadelos. Depois de tantos anos, ele terá de encarar antigos fantasmas e enfrentar uma força desconhecida e furiosa, numa jornada de sacrifício e redenção que poderá finalmente libertar todo um povo das garras do medo.

Apesar da escrita de Draccon ser extremamente desenvolvida, não consegui achar a narrativa interessante e fácil de acompanhar. Achei o texto em si muito confuso, com muitas pontas soltas, personagens chatos pra caramba, principalmente o protagonista. Até agora não entendi muito bem o propósito desse livro, mas espero que as pessoas tenham gostado mais do que eu. 

Graças ao senhor bom Deus eu sempre leio mais livros bons do que ruins e espero do fundo do meu coração que isso aconteça com vocês também. Contem aqui nos comentários quais foram os piores livros que leram em 2017 e se conhecem algum dos que eu citei.

23 comentários:

  1. Hahaha eu também acho que ninguém consegue só ler livros bons não.rs Não tem como! A gente se depara com umas bombas e eu normalmente vou até o fim só pelo fato de não conseguir deixar nada pela metade!
    Só peguei uma bomba em 2017, um livro espanhol chamado História de Uma Mãe. Ruim demais, mas fui até o final dele reclamando..rs
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Oi, Ana!
    Desses, só li O Diário de uma Escrava e finalmente alguém que concorda comigo o quão ruim é esse livro. Misericórdia! Realmente faltou muita coerência entre Laura e seu sequestrador, entre os personagens, na história.. faltou coerência em tudo.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  3. Diário de Uma Escrava me animou quando vi saindo, mas desanimou por tudo que vi falando. Parece sem muita lógica mesmo, não é a primeira vez que vejo isso e se for pra pegar ranço de personagem nem dá vontade de ler.
    Quero ler esse de Anna e o planeta, mesmo que a coisa toda não tenha saído tão bem quanto a premissa promete.
    O de Coletor de espíritos é que fiquei surpresa porque sempre vi tanta coisa legal dos livros dele. Mas aí pode ser coisa de cada um. Achei interessante. Mas confesso que não tive tanta vontade assim de ler, aí não sei.
    Esse ano tive sorte de pegar poucos livros ruins, só uns 2 mesmo que não me dei muito bem. Tomara que continue desse jeito e boa sorte com as próximas leituras também! ^^

    ResponderExcluir
  4. Concordo, é meio que impossível gostar de tudo.
    2017 foi um ano de boas leituras, algumas decepções tiveram algumas partes positivas, então...
    Mas o que me decepcionou foi Rainbow. A narrativa não me agradou, faltou aprofundar todas as partes da história, a personagem principal é chata...
    Espero que esse ano as boas leituras permaneçam sendo maiores.

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Oi, Ana. Fazendo um balanço geral, constatei que li mais livros bons do que ruins. A leitura ano passado fluiu super bem pra mim, mas tiveram algumas leituras ruins. E uma delas foi o último livro lido do ano, que foi "Por Trás de Seus Olhos" da Sarah Pinborough. Esse foi o livro que mais se destacou!

    Fiquei um pouco surpresa por ver "Diário de Uma Escrava" nessa lista, pois ele é um livro que eu vejo as pessoas falando super bem!

    ResponderExcluir
  6. Olá Ana! Realmente é impossível gostar de tudo mas eu curti bastante todas as minhas leituras de 2017, exceto "O som do amor" por que eu esperava mais da trama. Nunca li nenhum dos livros que você citou. Que pena que você não gostou da escrita de Jostein Gaarder, eu li O Mundo de Sophia dele e adorei essas citações mais filosóficas. Enfim, gosto não se discute não é mesmo? Beijos

    ResponderExcluir
  7. Esqueça o amanhã pela capa e sinopse é um que eu certamente compraria rsrs valeu pela não dica kk
    Diário de uma escrava vi tantas resenhas outras negativas, outras nem tanto que tenho vontade de ler. Não tive nenhum grande decepção ano passado... pelo contrário os livros que li foram em sua maioria muito bons rs

    ResponderExcluir
  8. Olá!!!!! fiquei um pouco decepcionada de ver Anna e o Planeta e Diário de uma Escrava na sua lista, pois são livros que eu quero muito ler hahaha eu espero que eu goste pelo menos um pouquinho dos livros, Anna e o Planeta é bem provavel eu gostar ja que adoro citações filosoficas kk, e se você não entendeu nem uma linha de Ladainha eu não entendi nem a sinopse hahaha não entrou na minha cabeça. Acho que se tem um livro que eu não curti muito esse livro foi O vilarejo, o gênero não faz meu tipo tanto que nem terminei o livro.

    ResponderExcluir
  9. Olá, sempre tem aqueles livros que nos deixam frustrados. Não li nenhum nome da lista, mas Esqueça o Amanhã tinha premissa incrível que podia ser uma novo ícone para os carentes de distopias, contudo peca na inconsistência. Beijos.

    ResponderExcluir
  10. Oi Ana,
    Também tive algumas decepções literárias este ano, o que é perfeitamente normal, mas algumas foram de livros que eu estava com as expectativas bem altas. O diário de uma escrava está em minha lista de desejados e, mesmo que eu já tenha lido resenhas bem negativas sobre a história, ainda quero ler, afinal de contas gosto é muito particular. Os demais livros citados não me chamaram muita atenção, apesar de eu ter muita curiosidade com a escrita de Raphael Draccon.

    ResponderExcluir
  11. Não li nenhum desses, mas tinha curiosidade em ler Anna e o Planeta que triste que foi uma decepção. Queria ler também Esqueça o amanhã agora nem sei rs. Li muito pouco mesmo esse ano então abandonei A Mulher Incrível, não estava fluindo. Mas não tenho como passar decepção em algumas leituras faz parte rs.

    ResponderExcluir
  12. Oi Ana
    Eu li bem pouco em 2017, mas foram leituras incríveis, todas me conquistaram de alguma forma, sempre tento fugir de leituras que já sei que não vou curtir, por isso vivo atrás de resenhas dos meus livros desejados, rsrsrs.
    Não li nenhum dos que citou, ainda bem, e agora nem pretendo! "Diário de uma escrava" é bem contraditório, tem gente que ama e tem gente que odeia, eu não curti mto a sinopse, até tinha ficado curiosa, mas algumas resenhas me desanimaram!
    Beijos :*

    ResponderExcluir
  13. Não tive vontade de ler nenhum desses livros e agora mesmo é que não lerei, brincadeira, acho que se tiver a oportunidade até leria para tirar minhas próprias conclusões, mas saber que não são muito legais não ajuda. Minha meta para 2018 é bem grande espero cumpri-la, já que li muito pouco e pesquisei bem pouco sobre os lançamentos.

    ResponderExcluir
  14. Também acho que é bem difícil uma pessoa gostar de tudo que lê.
    Não li nem um dos livros das suas decepções literárias de 2017, porém li diversos comentários negativos sobre o livro Diário de Uma Escrava, já os demais não li muitos comentários referentes a história, no momento não penso em ler nenhum destes livros.

    ResponderExcluir
  15. Oi Ana, concordo com você é praticamente impossível a gente gostar de tudo o que lê hahaha, desses livros que estão no post não li nenhum deles, mas a sinopse de Anna e o Planeta me chamou bastante a atenção vou dar uma chance a ele, os outros não me chamaram a atenção. Eu também leio mais livros bons do que ruins. Um livro que eu comecei a ler e não gostei e larguei foi Baía da Esperança da Jojo Moyes o livro não me prendeu a atenção. Bjs.

    ResponderExcluir
  16. Olá!
    Dois dos livros listados acima estão na minha lista de desejados.
    É a primeira vez que vejo alguém dizer que não gostou de "Diário de Uma Escrava", por sinal estou louca para ler. "O Coletor de Espíritos" também está na minha lista de desejados.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  17. Oi Ana...
    Ainda não li nenhum dos livros que você citou, mas tenho aqui e estou querendo ler Diário de uma escrava, mesmo sabendo que é uma leitura pesada e que não foi boa pra você... Sempre lemos alguns livros que não são tão bons, mas felizmente a maioria nos surpreende positivamente...
    Beijinhos...

    ResponderExcluir
  18. Ana!
    Não li nenhum dos livros ainda, mas tenho o da Rô Mierling e vi que algumas pessoas gostaram e outras não, como você.
    É o caso de O coletor de espíritos, mas esse não tenho...
    Desejo Um domingo fabuloso e Novo Ano repleto de realizações!!
    “Chega de velhas desculpas e velhas atitudes! Que o ano novo traga vida nova, como o rio que sai lavando e levando tudo por onde passa.” (Desconhecido)
    cheirinhos
    Rudy
    1º TOP COMENTARISTA do ano 3 livros + Kit de papelaria, 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  19. Caramba, tô passada com a sua opinião sobre o Diário de Uma Escrava! Não que eu tenha lido, nem posso opinar, mas todo mundo fala tão bem! Fiquei curiosa para saber o porquê das opiniões divergentes, rs.
    Sobre os outros também não li nenhum, mas também nunca ouvi nada de bom sobre eles. Devem ser bem ruins mesmo, rs.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  20. Não li nenhum dos livros citados, mas queria ler Anna e o Planeta, tem uma sinopse tão legal, pena que a escritora não aproveita isso. Quero ler pois parece ser muito interessante "descobrir o futuro".

    https://garotaeraumavez.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  21. Olá Ana ;)
    Nossa, tive algumas decepções grandes em 2017 também.
    Ainda não li Diário de Uma Escrava, mas vi algumas pessoas falando que o livro não tem muito nexo mesmo, por isso nem tive vontade de ler.
    Que pena que Anna e o Planeta decepcionou. Parece um livro com uma premissa instigante e bem diferente, e fiquei com vontade de conhecer a história apesar das suas ressalvas.
    O Coletor de Espíritos eu estava interessada, mas que chato que não fluiu para você.
    Que 2018 seja repleto de boas leituras para todos nós ;)
    Bjos

    ResponderExcluir
  22. Ooi, eu também acho impossível uma pessoa ler só livros bons.
    Não li nenhum desses livro a citados.
    Um dos piores livros que li ano passado, foi o Coração da Esfinge, eu estava com muita expectativa e me decepcionei.
    Bjs

    ResponderExcluir
  23. Confesso que queria ler Diário de Uma Escrava só pela capa, a darkside é cheia de livros bonitinhos mas ordinários. Minha pior leitura (nem consegui terminara) foi Crematório também da darkside. Simplesmente insuportável, cheio de detalhes técnicos entediantes sobre o processo de morte, algumas partes são engraçadas mas não o suficiente pra continuar. É impossível gostar de todos os livros que a gente lê, 2017 teve suas decepções mas as alegrias literárias são as que ficam.
    Que 2018 seja cheio de livros!!

    ResponderExcluir

 
Layout feito por Vinícios Costa editado por Silviane Casemiro | Todos os direitos reservados ©