19 de setembro de 2019

Resenha: Ofélia


Ele é Hamlet, o príncipe da Dinamarca; ela é simplesmente Ofélia. E, se você pensa que conhece a história dos dois, pense melhor. Uma releitura da famosa tragédia de Shakespeare. 
Nesta releitura da inesquecível obra de Shakespeare, é Ofélia quem ocupa o centro da trama. Uma menina barulhenta e sem mãe, ela cresce no castelo de Elsinor e se torna a dama de honra mais confiável da rainha. Sedenta por conhecimento e espirituosa, além de linda, Ofélia aprende os caminhos do poder em uma corte onde nada é o que parece. Seu jeito chama a atenção do cativante príncipe Hamlet, e o amor entre os dois floresce em segredo. Mas maquinações sangrentas logo transformam a Dinamarca em um lugar de traição e loucura, e a felicidade de Ofélia é ameaçada ― ela se vê obrigada a escolher entre o amor de Hamlet e sua própria vida. Em desespero, Ofélia traça um plano arriscado para escapar de Elsinor para sempre... com um segredo muito perigoso. 
Em uma narrativa dramática e intensa de morte e intrigas, amor e perdas, Ofélia conta sua própria história extraordinária ― uma que você nunca ouviu, e que jamais vai esquecer.

Título Original: Ophelia
Autora: Lisa Klein
Páginas: 266
Tradução: Rogério Alves
Editora: Verus
Livro recebido em parceria com a editora
Compre aqui

A primeira coisa que vocês precisam saber antes de ler essa resenha é que eu simplesmente odeio Shakespeare. Assim, eu acho as ideias dele geniais, de forma geral, enredos muito legais, mas extremamente mal colocados em sua voz. Por favor, não me julguem. Então, eu comecei a ler Hamlet uma vez e perdi totalmente a paciência com os floreios de Shakespeare, inclusive com o "ser ou não ser, eis a questão". Aí vocês devem estar pensando: "Ana, por que cargas d'água então você resolveu ler esse livro, que é uma releitura de Hamlet?". E a resposta é óbvia. É uma releitura, portanto, é diferente. 

17 de setembro de 2019

Resenha: Uma Mulher no Escuro


Um crime brutal cometido há vinte anos, uma única sobrevivente, o retorno calculado do assassino. Em quem Victoria deve confiar? Neste thriller psicológico, Raphael Montes une romance e suspense em uma narrativa intrincada e sedutora.
Victoria Bravo tinha quatro anos quando um homem invadiu sua casa e matou sua família a facadas, pichando seus rostos com tinta preta. Única sobrevivente, ela agora é uma jovem solitária e tímida, com pesadelos frequentes e sérias dificuldades para se relacionar. Seu refúgio é ficar em casa e observar a vida alheia pelas janelas do apartamento onde mora, na Lapa, Rio de Janeiro.
Mas o passado bate à sua porta, e ela não sabe mais em quem pode confiar. Obrigada a enfrentar sua própria tragédia, Victoria embarca em uma jornada de amadurecimento e descoberta que a levará a zonas obscuras, mas também revelará as possibilidades do amor. Um psiquiatra, um amigo feito pela internet e um possível namorado — qual dos três homens está usando tudo o que sabe para aterrorizar a vida de Vic? E o que afinal ele quer com ela?
Na literatura nacional, Raphael Montes é unanimidade quando se trata de livros de suspense. Uma Mulher no Escuro traz sua primeira protagonista feminina e confirma o autor como um dos mais originais da atualidade — além de deixar o leitor intrigado do começo ao fim.

Título Original: Uma Mulher no Escuro
Autor: Raphael Montes
Páginas: 256
Editora: Companhia das Letras
Livro recebido em parceria com a editora

Uma Mulher no Escuro traz a história trágica de Victoria. Quando ela tinha 4 anos, Santiago, um ex-aluno da escola onde seu pai era diretor e sua mãe era professora, entrou na sua casa e matou seus pais e o seu irmão mais velho. Apenas ela sobrou.

14 de setembro de 2019

Roendo Indica: A Minha Experiência Com o Kindle & o Kindle Unlimited


Eu sempre quis um leitor digital, mas eu tinha muito medo de gastar uma pequena fortuna com um e ele acabar encostado no meio das minhas coisas. Sendo assim, o meu primeiro contato com o Kindle foi com o aplicativo, que é gratuito e permite que a gente leia os e-books de forma muito eficiente pelo celular. Com pouco tempo de uso, percebi que meu ritmo de leitura aumentou bastante, visto que eu conseguia ler em qualquer lugar, com luz ou sem. Foi aí que decidi investir meu suado dinheirinho em um dispositivo real oficial.

12 de setembro de 2019

Resenha: Os Gigantes da Montanha

Uma companhia teatral decadente chega a uma vila mágica povoada por fantasmas e governada pelo Mago Cotrone. Sua história convida os leitores para uma reflexão fundamental: qual o lugar da arte num mundo cada vez mais pragmático e dominado por “gigantes” insensíveis à poesia e ao poder da imaginação?
Com idealização e roteirização de Inês Peixoto para o universo das HQs, criado a partir da montagem do Grupo Galpão (dirigida por Gabriel Villela), Os gigantes da montanha ganha vida pelo olhar encantado dos artistas Carlos Avelino e Bruno Costa, trazendo para a linguagem dos quadrinhos a magia dessa obra inacabada do dramaturgo italiano Luigi Pirandello.

Título Original: I Giganti Della Montagna
Autor: Luigi Pirandello
Páginas: 104
Tradução: Beti Rabetti
Editora: Nemo
Livro recebido em parceria com a editora
Compre aqui

Os Gigantes da Montanha é uma fábula escrita por Luigi Pirandello na década de 30 e é um marco da dramaturgia do século XX. A peça é encenada pelo Grupo Galpão — que é mineiríssimo, graças a Deus sob direção de Gabriel Villela desde 2013 e foi trazida para o mundo dos quadrinhos agora em 2019, pelas mãos dos artistas Carlos Avelino e Bruno Costa, com idealização de Inês Peixoto, que também faz parte do Grupo Galpão. 
 
Layout feito por Vinícios Costa editado por Silviane Casemiro | Todos os direitos reservados ©