22 de abril de 2018

Resenha: Muito Além do Inverno

Um romance que reflete sobre importantes questões da humanidade, com paixão, humor e sabedoria. Da mesma autora do best-seller A casa dos espíritos. Tudo começa com um leve acidente de trânsito — que se transforma no catalisador de uma inesperada e tocante história de amor entre duas pessoas que acreditavam estar no inverno de sua vida. Em meio a uma nevasca no Brooklyn, aos 60 anos, Richard Bowmaster, um professor universitário, bate na traseira do carro de Evelyn Ortega, uma jovem imigrante ilegal da Guatemala. O que a princípio parecia apenas um pequeno incidente toma um rumo imprevisto e muito mais sério quando Evelyn aparece na casa do professor em busca de ajuda. Confuso com a situação e sem entender o espanhol falado pela jovem, ele pede ajuda a sua inquilina, Lucía Maraz, uma chilena de 62 anos, que está passando uma temporada nos Estados Unidos como palestrante na mesma universidade em que Richard dá aula. Juntas, essas pessoas tão diferentes embarcam em uma dramática e incrível aventura, que vai do Brooklyn do presente à Guatemela de um passado recente, do Chile dos anos 1970 ao Brasil dos anos 1980, e na qual descobrem sua força interior. Para Lucía e Richard, além de tudo, significa uma nova chance para o amor.

Título Original: Más Allá del Invierno
Autora: Isabel Allende
Páginas: 294
Tradução: Luís Carlos Cabral
Editora: Bertrand Brasil
Livro recebido em parceria com a editora

Isabel Allende, mais conhecida pelo seu romance A Casa dos Espíritos, é uma das escritoras de língua espanhola mais lida na atualidade. Isso porque sua escrita mescla ficção com elementos fantásticos, além das suas personagens femininas sempre muito fortes e decididas. Muito Além do Inverno foi um livro muito aguardado pelos fãs da autora chilena e agora eu consigo entender o motivo de tanto alarde.

19 de abril de 2018

Resenha: A Casa das Sete Mulheres

Durante a Revolução Farroupilha (1835-1845) — uma luta dos latifundiários rio-grandenses contra o Império brasileiro —, o líder do movimento, general Bento Gonçalves da Silva, isolou as mulheres de sua família em uma estância afastada das áreas em conflito, com o propósito de protegê-las. A guerra que se esperava curta começou a se prolongar. E a vida daquelas sete mulheres confinadas na solidão do pampa começou a se transformar. O que não está nos livros de história sobre a mais longa guerra civil do continente está neste livro de Leticia Wierzchowski, um exercício totalizador sobre a violência da guerra e sua influência maléfica sobre o destino de homens e de mulheres.

Título Original: A Casa das Sete Mulheres
Autora: Leticia Wierzchowski
Páginas: 462
Editora: Bertrand Brasil
Livro recebido em parceria com a editora

A Casa das Sete Mulheres é, sem sombra de dúvidas, um clássico da literatura brasileira. Leticia Wierzchowski narra com detalhes esplendorosos a Gerra dos Farrapos — que durou dez anos, de 1835 a 1845 —, sob os olhos das sete mulheres da família do general Bento Gonçalves: Ana, Antônia, Caetana, Perpétua, Rosário, Mariana e Manuela. A obra faz parte de uma trilogia e foi relançada no ano de 2017 pela editora Bertrand Brasil em uma edição de encher os olhos.

17 de abril de 2018

TAG: Fases da Lua


Já faz um tempinho que eu não respondo uma tag aqui no blog, e olha que eu gosto muito! Vi a tag Fases da Lua no Instagram Literário da minha amiga e colunista aqui do blog, Priscila Gatti, o Ilusões Literárias. São quatro perguntinhas super rápidas e cada uma diz respeito a uma das fases da lua.

14 de abril de 2018

Resenha: Uma Irmã

Ao ter suas férias pacatas transformadas por Hélène, o jovem Antoine passa a viver os dias mais intensos de sua vida, repletos de emoção e receios. De forma sutil, ainda que forte, ele vai descobrindo um universo feminino tão gracioso quanto perturbador. E o que poderia ser apenas mais uma história de verão, se transforma, pelas mãos de Vivés, em uma narrativa apaixonante. Um conto delicado e sensual sobre o despertar de um adolescente que provoca um turbilhão de sentimentos.

Título Original: Une Souer
Autor: Bastien Vivès
Páginas: 216
Tradução: Fernando Scheibe
Editora: Nemo
Livro recebido em parceria com a editora

Apesar de não aparecerem muitas resenhas do gênero por aqui — principalmente pela minha dificuldade em falar sobre coisas mais gráficas —, mas eu sempre gostei muito de ler histórias em quadrinhos. Uma Irmã deixa uma sensação de nostalgia na gente, porque acaba mostrando varias atitudes que muitos de nós fazíamos quando éramos adolescentes. Apesar das lembranças e o meu envolvimento com o enredo, algumas coisas me incomodaram um pouco e vocês entenderão o porquê.

12 de abril de 2018

Resenha: Coroa da Meia-Noite

Selaena Sardothien, a melhor assassina de Adarlan, tornou-se a assassina real depois de vencer a competição do rei e se livrar da escravidão das Minas de Sal de Endovier. Mas sua lealdade nunca esteve com a coroa. Tudo o que deseja é ser livre — e fazer justiça. Nos arredores do castelo, surgem rumores a respeito de uma conspiração contra misteriosos planos do rei, mas antes de cuidar dos traidores, Celaena quer descobrir exatamente que planos são esses. O que ela não imaginava é que acabaria em meio a uma perigosa trama de segredos e traições tecida ao redor da coroa. Enquanto a amizade entre ela e o capitão Westfall cresce cada vez mais, o príncipe Dorian se afasta, imerso em seus próprios dilemas e descobertas. A princesa Nehemia acaba se tornando uma conselheira e confidente, mas sua atenção está mais voltada para outros assuntos. Em Adarlan, um segredo parece se esconder por trás de cada porta trancada, e Celaena está determinada a desvendar todos eles para proteger aqueles que aprendeu a amar. Mas o tempo é curto, e as ameaças ao redor castelo de vidro estão cada vez mais próximas. Quando menos se espera, uma trágica noite mudará a vida de todos no reino, e mais do que nunca Celaena quer descobrir a verdade para fazer justiça.

Título Original: Crown of Midnight
Autora: Sarah J. Maas
Páginas: 392
Tradução: Mariana Kohnert
Editora: Galera Record 

Coroa da Meia-Noite é o segundo volume da série Trono de Vidro, da autora Sarah J. Maas. Após vencer a competição e se tornar a assassina oficial do rei, Celaena vê sua liberdade cada vez mais próxima. Nesse segundo volume, diferente do primeiro, a história se desenvolve num ritmo frenético. Tem sempre alguma coisa acontecendo, mais e mais mistérios vão surgindo, os relacionamentos e os conflitos são constantes e envolventes. 

9 de abril de 2018

Resenha: Cartas Secretas Jamais Enviadas

Você já desejou poder voltar no tempo e dar conselhos para si mesmo? Já quis ter coragem de falar como é forte o amor que sente por alguém? Alguma vez já se perguntou por que uma pessoa importante na sua vida parou de falar com você? A partir de contribuições anônimas, Emily Trunko reuniu nesta coletânea cartas que revelam segredos profundos de quem as escreveu. Afinal, muitas vezes o único jeito de lidar com nossos sentimentos mais intensos — seja um amor incondicional ou uma perda irreparável — é botando tudo no papel. A leitura destas cartas nos permite mergulhar na vida de seus remetentes e, ao mesmo tempo, redescobrir nossa própria história e perceber que, mesmo nos piores momentos, não estamos sozinhos.

Título Original: Dear My Blank
Organização: Emily Trunko
Páginas: 200
Tradução: Fabricio Waltrick
Editora: Seguinte
Livro recebido em parceria com a editora

Não sei dizer o que me fez escolher ler Cartas Secretas Jamais Enviadas, de Emily Trunko, mas quando peguei o livro, sem nenhuma perspectiva sobre o que me esperava, senti como se tivesse levado um soco na boca do estômago. Fiquei fascinada e atordoada com o impacto que cada carta exerceu sobre mim e com a quantidade de emoção impregnada em cada linha. Há uma sinceridade tão explícita nas palavras que chega a doer.
 
Layout feito por Vinícios Costa editado por Silviane Casemiro | Todos os direitos reservados ©