27 de maio de 2018

Resenha: Um Amor Perdido

Separados pela guerra, ligados pela memória: uma história envolvente e instigante no rastro da Segunda Guerra Mundial.
Na Praga do pré-guerra, Lenka, uma jovem estudante de arte, apaixona-se por Josef, um médico recém-formado. Eles vivem cheios de ideais e de sonhos para o futuro, mas também são judeus e muito ligados à família. Casam-se, mas, pouco tempo depois, como tantas outras famílias, são separados pela guerra. As escolhas impostas pelo destino os afastam, mas deixam marcas permanentes: o caos e as informações truncadas dos tempos de guerra os levam a crer que o outro morre.
Na América, Josef torna-se um obstetra bem-sucedido e constrói uma família, apesar de nunca esquecer a mulher que acredita ter morrido. No gueto de Terezín, Lenka sobrevive graças aos seus dotes artísticos e à memória de um marido que julgava nunca voltar a ver. Apesar de todas as provações e dos infortúnios, mantém a chama daquele primeiro amor acesa, guardada em seu coração.
Da glamorosa vida em Praga antes da ocupação aos horrores da Europa nazista, Um Amor Perdido explora o poder do primeiro amor, a resiliência do espírito humano e a eterna capacidade de recordar.

Título Original: The Lost Wife
Autor: Alyson Richman
Páginas: 336
Tradução: Ana Carolina Mesquita
Editora: Bertrand Brasil
Livro recebido em parceria com a editora

Comecei a ler Um Amor Perdido achando que encontraria apenas uma história de um jovem casal que foi separado pelos horrores da Segunda Guerra Mundial. Em partes, é disso que o livro fala, realmente, mas é muito mais um relato da vida e das tragédias no Gueto de Terezín — que eu nunca tinha ouvido falar até então —, um campo de concentração mostrado como um modelo de assentamento de judeus. Milhares de judeus da Tchecoslováquia foram levados para Terezín durante o Holocausto. 

25 de maio de 2018

Promoção: Sete Anos de Conjunto da Obra


Há exatamente 7 anos, no dia 25 de maio de 2011, surgiu o blog Conjunto da Obra. Foi uma proposta descompromissada, mas ele foi ficando, ganhando vida e hoje comemora mais um aniversário.

Como uma forma de agradecer a todos que sempre acompanharam o blog — e de convidar outras pessoas que ainda não conheciam o blog fazerem parte dele também — nada melhor que um sorteio cheio de prêmios incríveis. Obrigada por comemorarem mais um ano conosco!

24 de maio de 2018

Cinema: It — A Coisa

Título Original: It
Ano: 2017
Diretor: Andy Muschietti
Duração: 135 minutos
Gênero: Terror | Suspense
Elenco Principal: Bill Skarsgård, Jaeden Lieberher, Finn Wolfhard

Um grupo de sete adolescentes de Derry, uma cidade no Maine, formam o auto-intitulado "Losers Club" — o clube dos perdedores. A pacata rotina da cidade é abalada quando crianças começam a desaparecer e tudo o que pode ser encontrado delas são partes de seus corpos. Logo, os integrantes do "Losers Club" acabam ficando face a face com o responsável pelos crimes: o palhaço Pennywise. Intitulado nos créditos como It: Chapter One, é um filme de terror sobrenatural estadunidense de 2017, dirigido por Andy Muschietti, baseado no livro homônimo de 1986, escrito pelo autor Stephen King. O roteiro é de Chase Palmer, Cary Fukunaga e Gary Dauberman.

It — A Coisa foi lançado no dia 07 de setembro de 2017 aqui no Brasil e tem como diretor Andy Muschietti, que também dirigiu o filme Mama (2013), que foi indicado ao People's Choice Award: Melhor Filme de Horror em 2014. Apesar de ter 2h15 de duração — que, para mim, foi o tempo suficiente para que Derry nos fosse mostrada com bastante detalhes —, o filme é bastante convidativo e cheio de pontos positivos. Para saber minha opinião sobre a obra, é só assistirem o vídeo. 

22 de maio de 2018

Resenha: Para Francisco

“A morte é a única certeza da vida, embora a gente passe a vida inteira fingindo que ela não existe.” Esta é uma das várias reflexões que Cris Guerra deixou para seu filho, Francisco, após a morte do pai do menino, dois meses antes de seu nascimento. Inicialmente concebido como um blog, Para Francisco foi a forma que a autora encontrou para lidar com a sua perda e contar ao filho sobre seu falecido pai. De maneira poética e comovente, Cris discorre sobre a vida e sua rotina como viúva e mãe, trazendo fotos de família e e-mails trocados com o pai de seu filho, ao mesmo tempo em que aborda saudade, luto, força e superação. Sua história é profundamente inspiradora e este é um livro que mostra aos leitores como o amor tem forte poder de cura e capacidade de nos ajudar até nos momentos mais difíceis.

Título Original: Para Francisco 
Autora: Cris Guerra
Páginas: 240
Editora: Best Seller

Apesar de gostar bastante, eu não acho que escrever seja uma tarefa fácil. Agora pense você como deve ser difícil escrever sobre uma história tão triste e, ainda por cima, real. É justamente isso que eu estou passando agora. É muito difícil imaginar que os "personagens" desse livro existem e viveram situações tão difíceis. Se alguém me perguntar qual o livro mais lindo que eu li na minha vida, eu responderei que é este. Mas se me perguntarem qual o livro mais triste que eu li na minha vida, infelizmente também é este.

20 de maio de 2018

Resenha: Aos Dezessete Anos

Em seu novo romance arrebatador, a autora de Cartas de Amor aos Mortos apresenta uma mãe e uma filha que precisam compreender o passado para poder seguir em frente.
Quando tinha dezessete anos, Marilyn viveu um amor intenso, mas acabou seguindo seu próprio caminho e criando uma filha sozinha. Angie, por sua vez, é mestiça e sempre quis saber mais sobre a família do pai e sua ascendência negra, mas tudo o que sua mãe contou foi que ele morreu num acidente de carro antes de ela nascer.
Quando Angie descobre indícios de que seu pai pode estar vivo, ela viaja para Los Angeles atrás de seu paradeiro, acompanhada de seu ex-namorado, Sam. Em sua busca, Angie vai descobrir mais sobre sua mãe, sobre o que aconteceu com seu pai e, principalmente, sobre si mesma.

Título Original: In Search of Us
Autora: Ava Dellaira
Páginas: 448
Tradução: Lígia Azevedo 
Editora: Seguinte
Livro recebido em parceria com a editora

Cartas de Amor aos Mortos fez muito sucesso na época em que foi lançado, isso porque a autora teve uma criatividade enorme para desenvolver o enredo do livro. Obviamente todo mundo estava super ansioso pela próxima obra dela, provavelmente com expectativas beirando o céu. Bom, pelo estilo da escrita de Ava Dellaira, eu já imaginava que seria uma leitura muito fluida e rápida, mas eu não tinha mínima noção de que Aos Dezessete Anos seria infinitamente melhor do que o seu livro de estréia. 

17 de maio de 2018

Resenha: Estrelas da Sorte

Sasha Riggs é uma artista assombrada por sonhos que transforma em pinturas maravilhosas, cenas que preveem o futuro. Ela nunca conseguiu assumir seu dom, mas desta vez não consegue ignorar as visões que a atormentam e viaja para a ilha grega de Corfu.
É lá que encontra as pessoas com quem sonha: um mágico, um arqueólogo, um viajante, um lutador, um solitário. Elas também foram atraídas por uma força inexplicável. Dotadas de habilidades extraordinárias, cada uma terá um papel fundamental na aventura que as espera: encontrar as míticas Estrelas da Sorte, que caíram do céu, pondo em risco o destino de todos os mundos.
Sasha é quem os mantém unidos e vê no mágico, Bran Killian, um homem de imensa compaixão. Ela tem dificuldade para lidar com sua vidência, mas Bran está lá para apoiá-la. Porém, os dois não devem desviar sua atenção da missão, pois uma ameaça sombria procura corromper tudo que está no caminho para alcançar as estrelas.

Título Original: Stars of Fortune
Autora: Nora Roberts
Páginas: 288
Tradução: Maria Clara de Biase
Editora: Arqueiro
Livro recebido em parceria com a editora

A esta altura do campeonato vocês já notaram que eu amo os livros da Nora Roberts, então não temos muitas novidades na resenha de hoje. Estrelas da Sorte é mais um lançamento da autora, que está escrevendo uma nova série, Os Guardiões, e está sendo publicada pela Editora Arqueiro aqui no Brasil. Juro que estou tentando ler todos os livros da Nora, mas tá ficando cada dia mais difícil!
 
Layout feito por Vinícios Costa editado por Silviane Casemiro | Todos os direitos reservados ©