Seis autores negros para acompanhar (não só no Mês da Consciência Negra)


O Dia da Consciência Negra, lembrado todo dia 20 de novembro, foi instaurado em 2003 como forma de nos lembrarmos da resistência da população negra desde que o Brasil foi colonizado. A data também homenageia Zumbi, rei dos Palmares, que lutou pela libertação de seu povo durante o sistema escravista. Além de levantar questões acerca do racismo, seu principal intuito é denunciar a falsa abolição, representar a luta de Palmares e derrubar o mito da democracia racial.

A  representatividade negra e a luta contra o racismo não são pautas a serem discutidas apenas no mês de novembro, mas nada melhor que aproveitar essa visibilidade, não é mesmo? Hoje venho apresentar para vocês seis autores negros que possuem obras tão maravilhosas que todo mundo deveria acompanhá-los. 


Angie Thomas

Angie Thomas é natural de Jackson, no Mississippi. É bacharela em Escrita Criativa pela Belhaven University e tem os dois pezinhos no hip hop e no rap — seus livros não escondem esse entusiasmo. É conhecida principalmente por O Ódio Que Você Semeia, seu livro de estreia, que ganhou inclusive uma adaptação cinematográfica com Amandla Stenberg no papel principal. 

Outros livros da autora:


Ayòbámi Adébáyò

Conheci Ayòbámi Adébáyò através do seu livro de estreia, Fique Comigo, em uma edição lindíssima da TAG Inéditos. É uma história muito complexa, mas necessária, que mostra bastante da cultura nigeriana, trazendo reflexões sobre o patriarcalismo e como a sociedade pressiona e julga mulheres que têm dificuldade de engravidar. A autora é natural de Lagos, na Nigéria, é mestre em Escrita Criativa pela University of East Anglia e com apenas 33 anos se tornou um fenômeno da literatura africana. 


Chimamanda Ngozi Adichie

Uma das minhas autoras preferidas da vida, Chimamanda Ngozi Adichie nasceu em Enugu, Nigéria e é a a quinta de seis filhos de pais igbo. Também é mestre em Escrita Criativa, mas pela Johns Hopkins University, em Baltimore. Os romances de Adichie possuem uma característica marcante da cultura africana carregada por ela, portanto, sempre levanta questões políticas, assim como muitas questões desafiadoras relacionadas a gênero, raça e classe. Suas obras mais conhecidas são Hibisco Roxo, Americanah e Meio Sol Amarelo, além do TED Talks nomeado O Perigo de Uma História Única.

Outros livros da autora:


Djamila Ribeiro

Djamila Ribeiro, além de escritora, é filósofa e conhecida principalmente pelo seu ativismo negro no Brasil. É mestre em Filosofia Política pela Universidade Federal de São Paulo, com ênfase em Teoria Feminista e, durante muitos anos, foi colunista no blog da CartaCapital. Suas obras mais conhecidas são Quem Tem Medo do Feminismo Negro? e Pequeno Manual Antirracista.

Outros livros da autora:


Jarid Arraes

Nascida em Juazeiro do Norte, Jarid Arraes é escritora, poeta e cordelista. Seu livro de contos Redemoinho Em Dia Quente foi vencedor do Prêmio APCA de 2019 e do Prêmio Biblioteca Nacional de 2020. Além disso, já colaborou com a Folha de São Paulo e algumas revistas impressas, como Quatro Cinco Um, Caros Amigos e Claudia. 

Outros livros da autora:


Jeferson Tenório

O bendito fruto dessa lista, Jeferson Tenório nasceu no Rio de Janeiro, mas é radicado em Porto Alegre. Possui graduação em Letras e mestrado em Literaturas Luso-africanas pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul e trabalha como professor de língua e literatura na rede pública de ensino. O Avesso da Pele se tornou um dos meus livros favoritos de 2021: poucas vezes na minha vida tive contanto com um texto tão impecável.

Outros livros da autor:

Indico também Tracy Deonn, autora de Lendários, uns dos livros de fantasia para jovens mais legais que li nos últimos anos. 

Espero que tenham gostado dos autores que escolhi para essa lista! Já tiveram contato com algum deles? Ah, aproveitem esse espaço para deixar as indicações de vocês também, vou amar saber o que andam lendo!

Postar um comentário

11 Comentários

  1. Amei o post!
    Já li Ayòbámi com seu Fique Comigo....que livro.....que final...
    Chimamanda sem comentários.... cada livro que leio é uma caixinha de lencinhos de papel.....
    Djamilla ainda não li mas sempre vejo entrevistas dela.
    Amo Brittaniny Cherry e Nicola Yoon

    ResponderExcluir
  2. Que esse dia da Consciência Negra seja durante todos os dias, todos os meses, todos os momentos, até chegar o dia que não precisemos mais lembrar o óbvio. Humanidade!!!
    Por isso, amei as dicas e mesmo só conhecendo um pouquinho o trabalho de Chimamanda, já admiro todos os demais, apenas por estarem entre nós e sim, deixando não só a literatura mais rica, mas nossas vidas também!!!
    Beijo

    Angela Cunha Gabriel/Rubro Rosa/O Vazio na flor

    ResponderExcluir
  3. Que incrível! Esse post é tão necessário, por mais que não devesse ser ne? São nesses dias que eu faço uma reflexão dos preconceitos, das dificuldades, do que escutamos e vivenciamos por aí.

    ResponderExcluir
  4. Não li nenhum desses autores, mas tenho ouvido falar muito bem de suas obras.
    Meu autor favorito por muito tempo foi retratado com um branco, e só a pouquíssimo tempo foi retratado como realmente era: Machado de Assis.

    ResponderExcluir
  5. Já li alguns deles sim, mas quero ler muito mais. Chimamanda vi uma entrevista dela que amei muito e da djamila tb. Esse do Jeferson quero muito ler, as resenhas que leio sempre me deixa mais curiosa pra conhecer essa historia.
    E sim, sempre ler, indicar e dar espaço pra autores negros em qualquer tempo.

    ResponderExcluir
  6. Olá
    Ainda não li nenhum dos livros citados
    O que mais quero ler é O ódio que você semeia.
    É uma data para se refletir se sociedade evolui quanto a igualdade entre brancos e negros Eu vejo que ainda há muito o que fazer. A caminhada dos negros ainda é árdua.Ainda há muito para mudar .

    ResponderExcluir
  7. Olá Ana Clara!
    Eu sou muito fã da Angie, adoro a forma como ela aborda a questão do racismo nas suas histórias, mesclando também o hip-hop e outros traços da cultura negra nos EUA. Gosto muito da escrita da Chimamanda também. Eu adorei ver que metade da lista é composta por autores nacionais. Quero muito ler algo da Djamila, e vou manter os outros como opção pra ler num futuro próximo.
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Eu estou lendo Shonda Rhymes, acho que conta, não?

    ResponderExcluir
  9. Ana!
    Escolheu os tops dos tops.
    Li Chimamanda e pretendo ler todos que indicou.
    Precisamos aprender cada vez mais e acabar definitivamente com o preconceito.
    Trabalhei Em União dos Palmares durante um tempo, lá em AL e tive oportunidade de conhecer o Quilombo e muito da sua população.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  10. Gosto muito da Chimamanda Ngozi, conheço a angie e djamila muitas pessoas falam bem, mas ainda não li nada. Adorei conhece um pouco do jeferson e Jarid.

    ResponderExcluir
  11. Olá! Acredito que esse mês serve para reforçar a importância dessas causas e também, muitas vezes, uma maneira de conhecermos novos autores, eu me desafiei, através do #BINGOLITNEGRA a ler apenas autores negros e está sendo muito bom, já li Na minha pele do Lazaro Ramos, e que livro hein, há tempos uma biografia não me deixava tão feliz, normalmente esse tipo de livro me dá sono, mas a escrita do Lázaro é fantástica, Blackout também foi uma ótima leitura, ainda estão na minha lista Metade Perdida e a HQ Angola Janga, dos autores da sua lista só não conhecia ainda Jarid Arraes e o Jeferson Tenório, mas claro que eles agora estão na minha lista de desejados.

    ResponderExcluir