2 de janeiro de 2017

Livros Cinco Estrelas de 2016


Chegou aquele dia do ano que todos esperam, a retrospectiva literária de 2016! No post de hoje vou conversar um pouquinho com vocês sobre as melhores leituras que fiz no decorrer do ano. Os livros estão em ordem de leitura, não de preferência. Lembrando que 2016 foi o ano que mais li, não é ótimo?

Menino de Ouro
Abigail Tarttelin
Editora Globo Livros

A família de Max não permitiria nenhum desvio na imagem perfeita que havia construído. Karen, a mãe, é uma advogada renomada, determinada a manter a fachada de boa mãe, esposa e profissional. Steve, o pai, é o exemplo do chefe de família presente em sua comunidade, favorito a um importante cargo público. O ponto fora da curva é Daniel, o caçula, que, para os padrões da família Walker, é “estranho”: não é carinhoso, inteligente ou perfeito como Max. Melhor aluno da escola, capitão do time de futebol, atlético, simpático, sucesso entre as garotas: Max, o primogênito, é o menino de ouro. Ninguém poderia dizer que sua vida não é perfeitamente normal. Ninguém poderia dizer que Max esconde um segredo.

Vocês já tiveram a impressão de ler um livro na hora certa? Pois foi justamente isso que senti ao ler Menino de Ouro, que tem um enredo deveras polêmico e que ainda é muito pouco discutido. A leitura nos faz pensar até onde aceitamos as coisas como normais, até onde as famílias vão para esconder um segredo que, para eles, é terrível. Vale muito a leitura! 

A Sociedade do Anel
J. R. R. Tolkien
Editora Martins Fontes

A Sociedade do Anel é a primeira parte da grande obra de ficção fantástica de J. R. R. Tolkien, O Senhor dos Anéis. É impossível transmitir ao novo leitor todas as qualidades e o alcance do livro. Alternadamente cômica, singela, épica, monstruosa e diabólica, a narrativa desenvolve-se em meio a inúmeras mudanças de cenários e de personagens, num mundo imaginário absolutamente convincente em seu detalhes. Nas palavras do romancista Richard Hughes, quando à amplitude imaginativa, a obra praticamente não tem paralelos e é quase igualmente notável na sua vividez e na habilidade narrativa, que mantêm o leitor preso página após página.

Não preciso nem dizer o porquê desse livro estar aqui. O Senhor dos Anéis é uma das minhas franquias preferidas, mas nunca tinha lido nenhum dos livros até ano passado. A narrativa é um pouco mais lenta do que estou acostumada, mas me apaixonei ainda mais pela história.

Brandy Colbert
Editora Vergara & Riba

Theodora está melhor. Voltou a se alimentar e a sair com alguns caras. Além disso, está se dedicando como nunca para se tornar uma grande bailarina profissional. Mas o repentino retorno de seu melhor amigo, Donovan, depois de quatro anos sequestrado, lança Theo de volta aos momentos que antecederam o fatídico episódio. Surge em sua memória a lembrança do sequestrador... Donovan não fala nada sobre o que viveu no cativeiro. Dizer a verdade poderia colocar em risco tudo aquilo pelo qual Theo havia lutado: sua imagem, sua carreira, sua reputação e seu verdadeiro amor. Na ponta dos pés é um livro arrebatador. A vida conturbada de uma jovem talentosa nos faz acreditar que a superação pode ser difícil, mas sempre há tempo para recomeçar.

Outro livro que aborda temas polêmicos. Além do sequestro do melhor amigo da personagem principal, têm vários segredos tensos envolvendo o acontecimento, vários segredos terríveis que Theo tem que guardar. O que move a história é o mistério e os temas fortes que a autora conseguiu trabalhar muito bem. 

Alice Walker
Editora José Olympio 

Vencedor do Prêmio Pulitzer em 1983 e inspiração para a obra-prima cinematográfica homônima dirigida por Steven Spielberg, o romance A cor púrpura retrata a dura vida de Celie, uma mulher negra no sul dos Estados Unidos da primeira metade do século XX. Pobre e praticamente analfabeta, Celie foi abusada, física e psicologicamente, desde a infância pelo padrasto e depois pelo marido. Um universo delicado, no entanto, é construído a partir das cartas que Celie escreve e das experiências de amizade e amor, sobretudo com a inesquecível Shug Avery. Apesar da dramaticidade de seu enredo, A cor púrpura se mostra muito atual e nos faz refletir sobre as relações de amor, ódio e poder, em uma sociedade ainda marcada pelas desigualdades de gêneros, etnias e classes sociais.

Este livro, além de ter sido uma ótima leitura, é marcante para mim porque foi o primeiro que recebi de parceria no ano de 2016. A Cor Púrpura é feminista do início ao fim. A vida de Celie, mulher negra, pobre e analfabeta, abusada física e psicologicamente desde a infância, é uma história que lembrarei por muito, muito tempo. 

Chris Cleave
Editora Intrínseca 

O que você sacrificaria por aqueles que ama? Kate e Zoe se conheceram aos 19 anos, nas eliminatórias de um programa para jovens talentos do ciclismo de elite — um esporte que exige foco e comprometimento. Após mais de uma década, aos 32 anos, elas se preparam para enfrentar a última e mais grandiosa prova de suas vidas: os Jogos Olímpicos de Londres, em 2012. Amigas e também grandes rivais, Kate e Zoe são atletas no topo do ranking, lutando para vencer a competição mais importante do mundo. Com vidas marcadas pela tragédia, cada uma delas tem muito a perder, e as duas se veem diante do desafio de optar entre a família e a glória no esporte. Contada como somente Chris Cleave é capaz, Ouro é uma história sobre os limites da resistência humana, tanto física quanto emocional, sobre maternidade e amor, e sobre o que nos permite, em nossas diferentes maneiras de agir, alcançar feitos memoráveis. Com grande humanidade, o autor de Pequena Abelha analisa as escolhas que são feitas quando a vida está em risco e tudo o que se ama está em jogo.

Acho que os livros que eu mais adoro são aqueles que me surpreendem. Eu não dava nada por essa história, tanto que o livro foi comprado apenas porque estava muito barato, mas se tornou um dos meus favoritos da vida. Ouro é um drama real, que pode acontecer com qualquer pessoa, que pode estar acontecendo com o seu vizinho neste exato momento. 

Colleen Hoover
Editora Galera Record

Um dos livros mais comentados de 2015, nos Estados Unidos, este é mais um sucesso arrebatador de Colleen Hoover, autora das séries Slammed e Hopeless. Sydney acabou de completar 22 anos e já fez algo inédito em sua vida: socou a cara da ex-melhor amiga. Até hoje, ela não podia reclamar da vida. Um namorado atencioso, uma melhor amiga com quem dividia o apartamento... Tudo bem, até Sydney descobrir que as duas pessoas em quem mais confiava se pegavam quando ela não estava por perto. Até que foi um soco merecido. Sydney encontra abrigo na casa de Ridge. Um músico cujo talento ela vinha admirando há um tempo. Juntos, os dois descobrem um entrosamento fora do comum para compor e uma atração que só cresce com o tempo. O problema é que Ridge tem uma namorada, e a última coisa que Sydney precisa agora é se transformar numa traidora.

Vocês me ouvirão falar desse livro por pelo menos o resto da minha vida, risos. Colleen Hoover é mestra em pegar uma história que tem tudo para ser clichê e transformar em algo fenomenal, sem contar os personagens incríveis.  

Passarinha
Kathryn Erskine
Editora Valentina

No mundo de Caitlin, tudo é preto e branco. Qualquer coisa entre um e outro dá uma baita sensação de recreio no estômago e a obriga a fazer bicho de pelúcia. É isso que seu irmão, Devon, sempre tentou explicar às pessoas. Mas agora, depois do dia em que a vida desmoronou, seu pai, devastado, chora muito sem saber ao certo como lidar com isso. Ela quer ajudar o pai - a si mesma e todos a sua volta -, mas, sendo uma menina de dez anos de idade, autista, portadora da Síndrome de Asperger, ela não sabe como captar o sentido.  Caitlin, que não gosta de olhar para a pessoa nem que invadam seu espaço pessoal, se volta, então, para os livros e dicionários, que considera fáceis por estarem repletos de fatos, preto no branco. Após ler a definição da palavra desfecho, tem certeza de que é exatamente disso que ela e seu pai precisam. E Caitlin está determinada a consegui-lo. Seguindo o conselho do irmão, ela decide trabalhar nisso, o que a leva a descobrir que nem tudo é realmente preto e branco, afinal, o mundo é cheio de cores, confuso mas belo. Um livro sobre compreender uns aos outros, repleto de empatia, com um desfecho comovente e encantador que levará o leitor às lágrimas e dará aos jovens um precioso vislumbre do mundo todo especial dessa menina extraordinária.

Ganhei esse livro de presente de aniversário do meu namorado e eu amei tanto, mas tanto, que até hoje não consegui escrever uma resenha digna para ele. A única coisa que posso dizer para vocês é para pararem tudo o que estão fazendo para lê-lo. 

Marjane Satrapi
Editora Companhia das Letras

Marjane Satrapi tinha apenas dez anos quando se viu obrigada a usar o véu islâmico, numa sala de aula só de meninas. Nascida numa família moderna e politizada, em 1979 ela assistiu ao início da revolução que lançou o Irã nas trevas do regime xiita - apenas mais um capítulo nos muitos séculos de opressão do povo persa. Vinte e cinco anos depois, com os olhos da menina que foi e a consciência política à flor da pele da adulta em que se transformou, Marjane emocionou leitores de todo o mundo com essa autobiografia em quadrinhos, que só na França vendeu mais de 400 mil exemplares. Em Persépolis, o pop encontra o épico, o oriente toca o ocidente, o humor se infiltra no drama - e o Irã parece muito mais próximo do que poderíamos suspeitar.

Só cheguei a ler Persépolis porque o livro estava no clube do livro da Emma Watson no mês em que o recebi da editora. Ainda bem que o destino faz essas bondades com a gente, pois a história da Satrapi é uma das minhas favoritas. 

Mary E. Pearson
Editora DarkSide Books

Tudo parecia perfeito, um verdadeiro conto de fadas menos para a protagonista dessa história. Morrighan é um reino imerso em tradições, histórias e deveres, e a Primeira Filha da Casa Real, uma garota de 17 anos chamada Lia, decidiu fugir de um casamento arranjado que supostamente selaria a paz entre dois reinos através de uma aliança política. O jovem príncipe escolhido se vê então obrigado a atravessar o continente para encontrá-la a qualquer custo. Mas essa se torna também a missão de um temido assassino. Quem a encontrará primeiro? Quando se vê refugiada em um pequeno vilarejo distante o lugar perfeito para recomeçar ela procura ser uma pessoa comum, se estabelecendo como garçonete, e escondendo sua vida de realeza. O que Lia não sabe, ao conhecer dois misteriosos rapazes recém-chegados ao vilarejo, é que um deles é o príncipe que fora abandonado e está desesperadamente à sua procura, e o outro, um assassino frio e sedutor enviado para dar um fim à sua breve vida. Lia se encontrará perante traições e segredos que vão desvendar um novo mundo ao seu redor. O romance de Mary E. Pearson evoca culturas do nosso mundo e as transpõe para a história de forma magnífica. Através de uma escrita apaixonante e uma convincente narrativa, o primeiro volume das Crônicas de Amor e Ódio é capaz de mudar a nossa concepção entre o bem e o mal e nos fazer repensar todos os estereótipos aos quais estamos condicionados. É um livro sobre a importância da autodescoberta, do amor, e como ele pode nos enganar. Às vezes, nossas mais belas lembranças são histórias distorcidas pelo tempo.

The Kiss of Deception é, provavelmente, o único livro da DarkSide que me conquistou 100%. A história me prendeu de um jeito que não sei explicar e eu caí em todas as armadilhas propostas pela Mary E. Pearson.

Sarah Moore Fitzgerald
Editora Galera Record

Neste livro sensível e delicado, a autora utiliza o universo fantástico para falar sobre memória. O protagonista é Cosmo, um menino que vive com o avô e muitas vezes tem pouca paciência com ele. Na verdade, o avô sofre de Mal de Alzheimer e está perdendo a memória. Um dia, ele dá uma chave a Cosmo e pede que ele vá até a mansão de Blackbrick. O menino descobre que o local é, na verdade, um portal para o passado, e lá encontra o avô aos 16 anos. Com a nova convivência, ele vai conhecer de verdade sua história.


De Volta a Blackbrick é o meu livro preferido da Galera Record até agora e eu duvido muito que isso irá mudar com facilidade. Gente, pensem em uma história sensível que, apesar de ser muito fantasiosa, digna de livros infanto-juvenis, surpreende e aquece o coraçãozinho da gente. 

Sarah Dessen
Editora Seguinte

Há segredos muito bons para serem guardados — e livros muito bons para serem esquecidos. Sydney sempre viveu à sombra do irmão mais velho, o queridinho da família. Até que ele causa um acidente por dirigir bêbado, deixando um garoto paraplégico, e vai parar na prisão. Sem a referência do irmão, a garota muda de escola e passa a questionar seu papel dentro da família e no mundo. Então ela conhece os Chatham. Inserida no círculo caótico e acolhedor dessa família, Sydney pela primeira vez encontra pessoas que finalmente parecem enxergá-la de verdade. Com uma série de personagens inesquecíveis e descrições gastronômicas de dar água na boca, Os bons segredos conta a história de uma garota que tenta encontrar seu lugar no mundo e acaba descobrindo a amizade, o amor e uma nova família no caminho.

Meu livro preferido da Sarah Dessen ainda é Just Listen, mas isso não diminui o fato de eu ter amado Os Bons Segredos quase na mesma intensidade. Eu adoro a forma como a autora inclui um problema na história e consegue resolvê-lo de forma convincente, além de criar personagens que se fortalecem a cada passada de página. 

Eduardo Medeiros
Editora Quadrinhos na Cia.

Contando com uma legião de fãs na internet, Sopa de Salsicha é a crônica do dia a dia de Eduardo Medeiros, um talentoso quadrinista metido em encrencas clássicas: aperto financeiro, mudanças de lar e um difícil projeto pela frente. O projeto é este romance gráfico, um trabalho de fôlego em que Medeiros narra, com ajuda da indefectível Baixinha e de outros quadrinistas, suas aventuras diárias e seus embates com o processo criativo, a vida nova em Florianópolis e as visitas de um Michael Bolton que talvez esteja tentando conquistar a sua mãe. Um dos mais talentosos nomes do novo quadrinho brasileiro numa história surpreendente sobre amadurecimento, mudanças importantes e chuveiros apertados.

Antes de ler Sopa, eu não conhecia o trabalho do Eduardo Medeiros. Virei fã, de verdade. Sopa de Salsicha é uma história sobre a vida do autor, onde ele narra o seu maior problema, que é justamente criar essa graphic novel. Me diverti bastante e adorei a Baixinha, mulher do Eduardo. 

Renée Ahdieh
Editora Globo Alt

Personagem central da história, a jovem Sherazade se candidata ao posto de noiva de Khalid Ibn Al-Rashid, o rei de Khorasan, de 18 anos de idade, considerado um monstro pelos moradores da cidade por ele governada. Casando-se todos os dias com uma mulher diferente, o califa degola as eleitas a cada amanhecer. Depois de uma fila de garotas assassinadas no castelo, e inúmeras famílias desoladas, Sherazade perde uma de suas melhores amigas, Shiva, uma das vítimas fatais de Khalid. Em nome da forte amizade entre ambas, Sherazade planeja uma vingança para colocar fim às atrocidades do atual reinado. Noite após noite, Sherazade seduz o rei, tecendo histórias que encantam e que garantem sua sobrevivência, embora saiba que cada aurora pode ser a sua última. De maneira inesperada, no entanto, passa a enxergar outras situações e realidades nas quais vive um rei com um coração atormentado. Apaixonada, a heroína da história entra em conflito ao encarar seu próprio arrebatamento como uma traição imperdoável à amiga. Apesar de não ter perdido a coragem de fazer justiça, de tirar a vida de Khalid em honra às mulheres mortas, Sherazade empreende a missão de desvendar os segredos escondidos nos imensos corredores do palácio de mármore e pedra e em cenários mágicos em meio ao deserto.

Esta releitura de As Mil e Uma Noites com certeza ganhou meu coração logo no primeiro capítulo. Inclusive ouso dizer que está no top três de melhores leituras de 2016 (não vou citar os outros aqui para o resto dos livros não ficarem com ciúme rs). A história é emocionante, os personagens super cativantes e o final deixa a gente praticamente à beira da morte, de tão bom.

Maus
Art Spiegelman
Editora Quadrinhos na Cia.

Maus ("rato", em alemão) é a história de Vladek Spiegelman, judeu-polonês que sobreviveu ao campo de concentração de Auschwitz, narrada por ele próprio ao filho Art. O livro é considerado um clássico contemporâneo das histórias em quadrinhos. Foi publicado em duas partes, a primeira em 1986 e a segunda em 1991. No ano seguinte, Maus ganhou o prestigioso Prêmio Pulitzer de literatura. A obra é um sucesso estrondoso de público e de crítica. Desde que foi lançada, tem sido objeto de estudos e análises de especialistas de diversas áreas -história, literatura, artes e psicologia. Em nova tradução, o livro é agora relançado com as duas partes reunidas num só volume. Nas tiras, os judeus são desenhados como ratos e os nazistas ganham feições de gatos; poloneses não-judeus são porcos e americanos, cachorros. Esse recurso, aliado à ausência de cor dos quadrinhos, reflete o espírito do livro: trata-se de um relato incisivo e perturbador, que evidencia a brutalidade da catástrofe do Holocausto. Spiegelman, porém, evita o sentimentalismo e interrompe algumas vezes a narrativa para dar espaço a dúvidas e inquietações. É implacável com o protagonista, seu próprio pai, retratado como valoroso e destemido, mas também como sovina, racista e mesquinho. De vários pontos de vista, uma obra sem equivalente no universo dos quadrinhos e um relato histórico de valor inestimável.

Maus é nada mais, nada menos que a história do judeu Vladek Spiegelman, contada pelo seu próprio filho, Art. Vladek sobreviveu aos terrores dos campos de concentração em Auschwitz. O livro ganhou o Prêmio Pulitzer de literatura e é super aclamado pela crítica até hoje. 

Novembro, 9
Colleen Hoover
Editora Galera Record

Autora número 1 da lista do New York Times retorna com uma história de amor inesquecível entre um aspirante a escritor e sua musa improvável. Fallon conhece Ben, um aspirante a escritor, bem no dia da sua mudança de Los Angeles para Nova York. A química instantânea entre os dois faz com que passem o dia inteiro juntos – a vida atribulada de Fallon se torna uma grande inspiração para o romance que Ben pretende escrever. A mudança de Fallon é inevitável, mas eles prometem se encontrar todo ano, sempre no mesmo dia. Até que Fallon começa a suspeitar que o conto de fadas do qual faz parte pode ser uma fabricação de Ben em nome do enredo perfeito. Será que o relacionamento de Ben com Fallon, e o livro que nasce dele, pode ser considerado uma história de amor mesmo se terminar em corações partidos?

Olha a Colleen Hoover aparecendo por aqui de novo. Eu já falei que adoro as coisas que essa mulher escreve? Até metade da história achei que ia detestar Novembro, 9 (a narrativa estava um pouco lenta demais para o meu gosto), mas não, Hoover deu um jeito de dar uma guinada sensacional e fazer eu colocar esse livro na lista de favoritos.

2016 foi um ano de muitas leituras e a grande maioria recebeu mais de quatro estrelas, o que me deixou extremamente feliz. Em breve mostrarei para vocês as piores leituras do ano e eu garanto que o post será muito menor que esse, para a nossa felicidade. Não esqueçam de deixar a opinião de vocês sobre os meus livros cinco estrelas ou, se não tiverem lido, deixar aqui nos comentários os preferidos de vocês no ano de 2016.

16 comentários:

  1. De todos eu só li A Fúria e a Aurora e também amei (e morri no final.... Kkkkk). Quero muito ler os dois da Colleen e The Kiss of Deception. Outro livro que li e gostei muito foi A Garota com a Tribal nas Costas da Amy Schumer

    ResponderExcluir
  2. Olá!
    Não tinha como CoHo não estar nessa lista!! Essa mulher arrasa e destrói nossos corações.
    Li "Talvez Um Dia" recentemente, me apaixonei, já engatei "Maybe Not" também e atualmente estou lendo "Confess".

    Beijão
    Leitora Cretina

    ResponderExcluir
  3. Oi Ana, dos livros que você mencionou, estou com o Talvez Um Dia aqui em casa. Vai ser meu primeiro contato com a escrita da Colleen Hoover e espero gostar.
    Beijos
    Quanto Mais Livros Melhor

    ResponderExcluir
  4. Oi Ana, tudo bem?
    Desses que você falou eu não li nenhum ainda, mas vários estão na minha lista como: Talvez um dia, Passarinha, The kiss, Os bons segredos, A fúria e a aurora, e Novembro, 9;
    Eu também sou conquistada pelos livros que surpreendem, em 2016 tive muitas leituras boas também, como A noiva fantasma, Delenda, Menina Má, Três coisas sobre você..
    Adorei o post, ansiosa para saber os livros que não te conquistaram.
    Beeeijos!
    Lost Words

    ResponderExcluir
  5. Você tem um gosto de leitura bastante peculiar, gostei de saber um pouquinho das suas impressões de cada livro. Ainda pretendo fazer o meu post de retrospectiva literária, pois de fato, é um dos que mais esperamos. Aliás, achei incrível ver dois livros da Coollen Hoover na lista, percebe-se que os novos livros dela tem feito sucesso, adoro a escrita da autora, preciso ler esses também.

    Um abraço!
    Parágrafos & Travessões

    ResponderExcluir
  6. Olá tudo bem?
    Então de todos esses livros selecionados não há nenhum que eu não tenha vontade de ler, A fúria e a aurora, Menina de ouro acredito que esses livros tenha sido os melhores e mais bem vendidos de 2016, ainda quero ler todos desta lista ainda.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  7. Eu amo a Colleen. Esses que citou não li, mas O lado feio do amor e Métrica me conquistaram. Não me interessei por Senhor dos anéis, pq não curto a franquia. Menino de ouro, Passarinha e Na Ponta dos pés foram os que mais me interessaram.

    ResponderExcluir
  8. Adoro conferir retrospectivas
    O único livro da sua lista semelhante com a minha é The kiss of deception, adorei essa obra e a maneira que uniu fantasia com romance. Mas para mim The heart of betrayal foi uma continuação que conseguiu ser melhor que o primeiro.
    Li Métrica da Collen e me decepcionei, mas vou dar uma nova chance para a autora
    Um dos livros recentes que eu li e que está entre as minhas melhores leituras é As cordas mágicas, lançamento incrível.

    ResponderExcluir
  9. Adorei conhecer seus favoritos de 2016! Dessa lista, eu já li apenas a Graphic Novel Maus e A Sociedade do Anel (assim como toda a trilogia). A Cor Púrpura, li em 2016 também, a história de Celie é realmente surpreendente e marcante! Esse ano preciso dar uma chance à Colleen Hoover, os livros dela são sempre super elogiados e estou ficando cada vez mais curiosa. Persépolis é outro livro que quero muito adquirir esse ano, eu já tive a oportunidade de ver uma animação baseada nele e achei sensacional! Beijos!

    ResponderExcluir
  10. De todos desse livros, dois são da minha lista e com certeza quero ler mais ainda com a sua aprovação na leitura ♥
    Adorei os livros "Menino de ouro" e "Na ponta dos pés" pois transmiti muita emoção e drama. São dois aspectos que são bem atraentes para qualquer leitor! =D

    ResponderExcluir
  11. Ana!
    Tão bom podermos ler bons livros durante um ano e temos dificuldade em escolher os melhores.
    Infelizmente não li nenhum da sua lista de favoritos, mas anotei vários que quero ler.
    E vamos as leituras de 2017.
    “Qualquer situação na qual você se encontre é um reflexo exterior do seu estado interior de existência.” (El Morya)
    FELIZ 2017!
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de JANEIRO dos nacionais, livros + BRINDES e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  12. Não conhecia o livro Menino de Ouro e Na Ponta dos Pés fiquei curiosa. Quero muito ler A Cor Púrpura esta sendo bem elogiado. Talvez Um Dia também quero ler, gosto dos livros da autora. The Kiss Of Deception esta na minha lista de compras e Persépolis também. Novembro 9 comprei mas ainda não li e quero ler De Volta a Blsackbrick. Ótimas escolhas.

    ResponderExcluir
  13. Oi, Ana!!
    Adorei esses livro citados!! Não li a grande parte deles mais quero muito ler os livros da Colleen Hoover e Passarinha!! O único dessa lista que li foi The Kiss of Deception que gostei muito!!
    Beijoss

    ResponderExcluir
  14. Ual! Realmente foram muitos livros!
    Eu tenho na minha estante o livro Passarinha e já faz um bom tempo que fico deixando ele pra depois e botando outros na frente, mas a agora só com seu comentário deu uma curiosidade pra ler porque deve ser uma história maravilhosa!
    A fúria e a Aurora e Novembro,9 são ótimos livros e tem histórias que prendem a pessoa!

    ResponderExcluir
  15. Quando eu via capa de Ouro de Chris Cleave me lembrou tanto a capa de um outro livro que eu li, to começando a achar que essa capa é meio comum... O livro chamado Imagem no Espelho de Danielle Steel, você precisa ler, é uma história emocionante!
    Esse ano outro livro que eu li que me fez muito feliz foi a saga Jogos Vorazes. Eu ainda não tinha lido e aproveitei que tinha ganhado ele pra ler! Amei!

    ResponderExcluir
  16. Oi!
    Gostei muito dos livros escolhidos como melhores, de todos os livros só li The Kiss of Deception que também está entre uma das minhas melhores leituras, e tem vários livros que fiquei interessada como Novembro, 9, A Fúria e a Aurora, Talvez Um Dia e Na Ponta dos Pés espero conseguir ler todos esse ainda nesse ano e com certeza o melhor livro desse ano foi o que li da serie da Sarah J Maas !!

    ResponderExcluir

 
Layout feito por Vinícios Costa editado por Silviane Casemiro | Todos os direitos reservados ©